políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Maioridade penal: o golpe bem planejado de Eduardo Cunha

Posted by Pax em 02/07/2015

O golpe era mais que esperado. A vida de Eduardo Cunha está fácil com um governo completamente desnorteado, sem pauta e com uma base aliada frágil, sem qualquer compromisso.

Câmara aprova nova proposta que reduz maioridade penal para crimes hediondos

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

Sob o comando do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em menos de 24 horas a Câmara dos Deputados derrubou a rejeição à redução da maioridade penal e aprovou, em primeiro turno, por 323 votos a 155 e 2 abstenções, no começo da madrugada de hoje (2) uma emenda substitutiva, praticamente idêntica à derrubada ontem (1º), e que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

Contrariamente ao que ocorreu na sessão de terça-feira (30), quando o substitutivo do deputado Laerte Bessa (PR-DF) foi derrotado por 5 votos (eram necessários 308 votos para a aprovação, mas a proposta recebeu 303 favoráveis), as galerias estavam vazias. Estudantes e integrantes de movimentos sociais tentaram chegar ao local, mas foram impedidos pela segurança da Casa. O PT, PCdoB, PDT, PSB, PPS, PV, PROS se colocaram contrários à aprovação. O PSOL entrou em obstrução.

A emenda aprovada propõe a redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos, nos casos de crimes hediondos (estupro, sequestro, latrocínio, homicídio qualificado e outros), homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. O texto também prevê a construção de estabelecimentos específicos para que os adolescentes cumpram a pena.

Contrário à redução, o peemedebista Darcísio Perondi (PMDB-RS) criticou o argumento usado para aprovar a emenda, de que a redução não valeria para os crimes de tráfico de drogas. “Não é verdade que adolescentes não terão sua maioridade reduzida. A emenda mantém o entendimento de que adolescentes possam ter a idade reduzida por envolvimento com drogas, defendeu, Perondi. “A saída é o Estatuto da Criança e do Adolescente. Não adianta vender carne de picanha e oferecer carne de terceira”, acrescentou.

A mesma argumentação foi usada pelo líder do PT, José Guimarães (CE). Segundo ele, o jovem entre 16 e 17 anos acusado de tráfico de drogas poderá ser julgado como adulto mesmo depois da alteração da emenda que reduz a maioridade para 16 anos em crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morta. “Esse é o problema da emenda, diz uma coisa e resulta em outra.”

Liderados pelo PMDB, mesmo partido de Cunha, PSDB, DEM, PSD, PR, PTB, PRB e PP votaram pela redução. O deputado Beto Mansur (PRB-SP) defendeu a proposta. Ele disse que a mudança da maioridade penal não anula esforços para melhorar a educação de crianças e adolescentes. “Precismos colocar na cadeia aquele que mata, estupra, tira a vida das pessoas.”

O líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), afirmou que respeita as posições divergentes do partido, mas vai defender que jovens entre 16 e 17 anos que cometem crimes hediondos sejam julgados e condenados como adultos. “O PMDB vai reafirmar a sua posição. A proposta é equilibrada, ela é restrita e é a resposta que a sociedade anseia não por capricho, mas porque não aguenta mais a impunidade.”

Durante a sessão, os deputados criticaram a atuação de Cunha a quem acusaram de ter manobrado o regimento e colocado novamente em votação uma matéria vencida, o que é proibido pela Constituição de 1988. Eles defendiam que, com a rejeição do substitutivo, o texto original da PEC (que reduzia a maioridade para todos os crimes) deveria ser colocado em votação. Por não ter apoio da maioria, a tendência era que a proposta também fosse derrubada. Entretanto, Cunha, que é defensor da redução, aceitou apresentação de diversas emendas aglutinativas muito semelhantes ao texto derrotado ontem, sem chegar a votar o texto principal.

“A gente pode fazer uma grande disputa de natureza política, a gente pode discordar, mas uma coisa sempre foi sagrada: o resultado é válido. Mas com o que está se passando, passamos a avaliar que o nosso voto não vale e a votação de hoje é o simbolo disso”, criticou o deputado Glauber Braga (PSB-RJ). “Não é aceitável para ninguém que quem tomou uma derrota na madrugada, de manhã faça uma reposição; acerte com alguns líderes para tentar garantir uma vitória que não existiu há pouquíssimas horas”, disse a líder do PCdoB, Jandira Feghali (RJ).

O texto agora será votado em segundo turno na Câmara e caso seja aprovado seguirá para o Senado. “Tenho que cumprir o regimento e ele diz que temos que esperar cinco sessões. antes de cinco sessões não virá. Talvez não venha neste semestre e fique para o segundo, o que não importa”, disse Cunha.

Anúncios

223 Respostas to “Maioridade penal: o golpe bem planejado de Eduardo Cunha”

  1. Pedro said

  2. Chesterton said

    Quando o Syriza chegou ao poder na Grécia, em janeiro, foi saudado pelos crentes como a nova esquerda revolucionária que transformaria a política e a economia e inspiraria movimentos semelhantes pelo mundo. Cinco meses depois, os bancos gregos estão fechados, os aposentados sofrem nas filas dos caixas, as pessoas discutem nas ruas, o país deu calote. E todos estão apavorados.

    Diante de negociações duras com os credores que financiam o país, o premiê grego, Alexis Tsipras, convocou um referendo urgindo os eleitores a não aprovarem o plano de salvação apresentado ao país. Os parceiros europeus se sentiram traídos pelo movimento grego, e os principais países sinalizaram que a vitória do não levará à saída da Grécia do euro.

    Na verdade, ninguém sabe o que vai acontecer. Uma coisa é certa: será uma derrota para o governo esquerdista. Se ganhar o não, como quer o governo (e a extrema direita), o país deve afundar mais na crise e a recuperação ser mais custosa. Se der sim, Tsipras deve renunciar.

    Os radicais gregos falam abertamente de como se inspiraram na esquerda latino-americana e no Foro de São Paulo, o que fica claro diante dos resultados obtidos.

    Por isso, olhando o que Dilma vem fazendo, o que os gregos vêm fazendo, o que os venezuelanos e os argentinos vêm fazendo, nossa presidente, nessa nova fase, é um oásis.

    Enquanto Tsipras traía e desafiava o sistema financeiro mundial, Dilma almoçava com Rupert Murdoch no “Wall Street Journal”, passeava no carro do Google, encontrava Condoleezza Rice, e, principalmente, se agarrava em Barack Obama como uma boia salvadora.

    Se Tsipras flerta com Moscou, Dilma abraça Washington. Essa é a nossa esquerda.

    Dilma aprendeu com nossa ruína. Depois de tudo que fez, entendeu que só o capitalismo salva o país e o seu governo. Nomeou e empoderou um dos ministros da Fazenda mais ortodoxos da história, libertou o Banco Central, privatizou a infraestrutura e quer privatizar estatais.

    Na Grécia, não tem nada disso. A esquerda radical está sendo esquerda radical. O Syriza é quase o Partido da Causa Operária com PhDs e intelectuais. Foi eleito com apenas 36% dos votos em cima de uma plataforma anti-austeridade, como se houvesse outro remédio para curar uma economia perdulária que, depois da adoção do euro e o acesso a crédito farto e barato, gastou como se o bolso do contribuinte alemão não tivesse limites.

    Olhando o cenário da política brasileira daqui a dois anos, não dá para ver nada. Fazendo esforço, é possível imaginar uma economia cambaleante e um governo petista tentado a repetir as loucuras pré-eleitorais de 2014. Mas o sofrimento grego, como o venezuelano e o brasileiro, deixa muito claro o alto custo do populismo.

    Enquanto isso, Cuba e EUA anunciam a reabertura de embaixadas. É por aí que vem a revolução.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/sergiomalbergier/2015/07/1650620-presente-de-grego-para-o-brasil.shtml

    chest- mais um esquemão piramidal foi para os ares…..esquerdista e seus fãs em geral tem mesmo é que sofrer na pele para ver se aprendem alguma coisa.

  3. Pedro said

    Enquanto a Dilma leva camisa da seleção, a Suíça deve entregar um presente melhor pro Obama:

    http://esportes.terra.com.br/futebol/estados-unidos-formalizam-pedido-de-extradicao-de-7-dirigentes-da-fifa,7e0f30f1ef66f7c1163fa2728bf295bewr7hRCRD.html

    Entrega logo este mala do Marin.

  4. DAISE 2.0 said

    A REALIDADE DOS FATOS

    Só 2% dos jovens apreendidos em SP se enquadrariam em nova redução penal

    REYNALDO TUROLLO JR.
    FELIPE SOUZA
    DE SÃO PAULO

    02/07/2015 14h10
    Um relatório da Promotoria da Infância e da Juventude, do Ministério Público de São Paulo, aponta que apenas 2,02% dos jovens apreendidos na capital paulista se enquadrariam na nova lei que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, caso ela fosse sancionada hoje.

    Após uma manobra regimental, a Câmara dos Deputados aprovou a nova lei para casos de crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

    Foram 323 votos a favor, 155 contrários e 2 abstenções na madrugada desta quinta-feira (2) –saiba como cada deputado votou. O texto precisa ser votado em um segundo turno pela Casa e analisado pelo Senado.

    O relatório da promotoria foi feito com base em um levantamento com informações de 3.712 menores apreendidos de agosto de 2014 até o fim de abril deste ano. A amostra equivale a 16,87% dos quase 22 mil processos de medidas socioeducativas da capital.

    Na amostra, a promotoria apontou que os adolescentes cometeram 105 crimes com punição agravada na nova lei –o equivalente a 2,9% dos casos. Um terço deles, porém, foram cometidos por menores de 16 anos e não seriam afetados pela legislação.

    As ocorrências de roubo somaram 53,2% (1.975 casos) processos contra adolescentes registrados no período. Homicídios simples e qualificado juntos equivalem a apenas 1% das ocorrências –34 casos. Mas sete deles foram cometidos por adolescentes menores de 16 anos e não se enquadraria na nova lei.

    O estudo da promotoria apontou ainda que ocorreram 29 casos de estupro cometidos pelos menores no período –o equivalente a 0,8% das ocorrências.

    A emenda aprovada pelos deputados foi fruto de um acordo entre líderes partidários favoráveis à redução da maioridade penal, capitaneados pelo PMDB mas assinado pelo PSDB, PSC, PHS e PSD. Eles retiraram da proposta que foi rejeitada na primeira votação sobre o tema a possibilidade de redução da maioridade para os crimes de tráfico de drogas, terrorismo, tortura e roubo qualificado. Assim, eles puderam colocar a matéria em votação.

  5. DAISE 2.0 said

    Os pixulecos dos blogueiros a serviço do PT

    Brasil 02.07.15 14:18
    Fernando Rodrigues, do UOL, teve acesso às contas de publicidade federal para a “mídia alternativa”, eufemismo para os blogs patrocinados pelo governo do PT para atacar o jornalismo independente e tentar esconder os roubos da Orcrim. A quantia aumentou de 6,9 milhões de reais para 9,2 milhões de reais, de 2013 para 2014.

    Petrobras (e subsidiárias), Caixa e Banco do Brasil desembolsaram 91% (8,4 milhões de reais) dos pixulecos repassados a essa gente pitoresca. Esses são os pixulecos por dentro, “contabilizados”, como diria Márcio Thomaz Bastos.

    Abaixo, as tabelas publicadas por Fernando Rodrigues. Repare a diferença entre o custo por visitante único dos blogs petistas e o dos grandes portais. Quem paga é você.

  6. Jose Mario HRP said

    Facistas no comando aqui, e eu sem vir por aqui meses.
    Os meses moralistas tipo Pax, Pedro e outras hienas.
    Vão jogar a molecada aos porcos!
    Valeu……
    Brasil , classe media européia, branca sempre com vergonha com seus pés sujos de netos de imigrantes fedorentos e cheios de piolhos!
    Voltamos a era medieval!
    E VIVA o AECIO, Aloysio, Malafaya, e outros dejetos intestinais!
    Os espiritos superiores avisam:
    só faltam algumas novas gerações, algumas centenas de anos e depois rua para os que se recusam a evoluir…….
    E viva a Lava jato e o fim do estado de direito!
    Delação torturada e torturante!
    Fala Marco Aurelio Mello!!!!

  7. DAISE 2.0 said

  8. DAISE 2.0 said

    DILMA SE ENCANTOU COM O CARRO SEM MOTORISTA DO GOOGLE

  9. DAISE 2.0 said

    CORRUPÇÃO NO BRASIL : PORNOGRAFIA EXPLICITA OU PIADA

    Os sigilos de Pinto Rôla
    Postado:Thu, 02 Jul 2015 20:22:34 +0000


    Monteiro: de olho em Pinto Rola

    A CPI da Petrobras aprovou no início de junho a transferência dos sigilos bancário e fiscal de Alexandre Pinto Rôla, da Empresa Industrial Técnica (EIT), suspeita de participar da roubalheira na Petrobras.

    O deputado Fernando Monteiro (PP-PE) foi o autor do requerimento que colocou Pinto Rôla na mira da CPI.

    Apenas três membros da comissão, os petistas Afonso Florence, Leo de Brito e Valmir Prascidelli, votaram contra a investigação que poderia aprofundar onde Pinto Rôla se meteu.

  10. DAISE 2.0 said

    O PADRINHO


    O AFILHADO

  11. DAISE 2.0 said

    O CHEFE DA ORCRIM


    O TESOUREIRO DA ORCRIM

  12. DAISE 2.0 said

    OS PATROCINADORE$



    OS PATROCINADO$

  13. DAISE 2.0 said

    O BRAHMA (segundo a OAS)


    O BARBA (Alexandrino Alencar odebrecht)

  14. DAISE 2.0 said

    O GUERREIRO DO POVO

  15. DAISE 2.0 said

    Sobre a citação ao Antagonista no pedido de habeas corpus de Dirceu

    Brasil 02.07.15 21:52
    O Antagonista foi citado pelos advogados de José Dirceu, na epígrafe do pedido de habeas corpus preventivo de José Dirceu, ao lado de um parágrafo de Bertrand Russell sobre “a tirania do medo”. Os advogados transcreveram o título de um dos nossos posts: “Dirceu será preso nesta semana ou na próxima?”. Na lógica interna da petição, somos citados para ilustrar “as perguntas que pautam o início de cada semana” sobre quem irá em cana ou não, tragado pela Lava Jato, que teria criado um clima “inquisidor”.

    Não deixa de ser divertido que os advogados de José Dirceu reconheçam O Antagonista como uma voz, mesmo que interpretada com sinal contrário (não somos inquisidores, apenas estamos do lado da Justiça), ao passo que colegas da grande imprensa fingem que não existimos. Agradecemos a deferência.

    Quanto ao pedido em si, os advogados fizeram o seu trabalho. E nós continuaremos a fazer o nosso, transcrevendo um parágrafo da petição que dá a medida do desespero de José Dirceu:

    Assim, (José Dirceu) nunca se pautou por fins mesquinhos ou gananciosos; ao longo da sua vida como político, não construiu castelos, não criou impérios ou acumulou fortuna. Até mesmo seus críticos mais duros sabem que com ele não encontrarão riquezas escondidas; dele, não acharão contas no exterior, nem com muito, nem com pouco dinheiro. Pelo contrário, o que se afirma nas delações é que amigos pediram por ele. Ainda que verdade fosse (e aqui o afirmamos apenas como exercício argumentativo), essa afirmativa só demonstra sua necessidade.

    Hoje, no crepúsculo de sua vida, já com 70 anos, após ter sido processado, condenado, preso e estar cumprindo pena em regime aberto, tudo sob o acompanhamento incansável da imprensa, o paciente vê-se citado e enredado em nova investigação, agora, porém, sem a perspectiva de viver para ver sua sentença final.

    Não vamos entrar no mérito, mas apenas repetir a pergunta que ensejou a referência ao Antagonista: no crepúsculo de sua vida, Dirceu será preso nesta semana ou na próxima?

  16. DAISE 2.0 said

    Dilma é hostilizada por dois brasileiros na Universidade Stanford

    9% de aprovação do partido é isso!

  17. DAISE 2.0 said

    (corrigindo) anterior

    9% de aprovação do governo é isso!

    Sessão Coruja, “Garota, eu vou pra Califórnia”:

  18. DAISE 2.0 said

  19. Pedro said

    # 6

    O psiquiatra liberou a internet, ou tá digitando clandestinamente no computador do hospício?

  20. Pedro said

    Esta é pro Guata, pra aliviar um pouco sexta.

    CONSEQUÊNCIAS DA CRISE NA GRÉCIA!

    1. Zeus vende o trono para uma multinacional coreana.

    2. Aquiles vai tratar o calcanhar na saúde pública.

    3. Eros e Pan inauguram prostíbulo.

    4. Hércules suspende os 12 trabalhos por falta de pagamento.

    5. Narciso vende espelhos para pagar a dívida do cheque especial.

    6. O Minotauro puxa carroça para ganhar a vida.

    7. A Acrópole é vendida e aí é inaugurada uma Igreja Universal do Reino de Zeus.

    8. Eurozona rejeita Medusa como negociadora grega:”Ela tem minhocas na cabeça!”.

    9. Sócrates inaugura Cicuta’s Bar para ganhar uns trocados.

    10. Dionisio vende vinhos à beira da estrada de Marathónas.

    11. Hermes entrega currículo para trabalhar nos correios. Especialidade: entrega rápida.

    12. Afrodite aceita posar para a Playboy.

    13. Sem dinheiro para pagar os salários, Zeus libera as ninfas para trabalharem na Eurozona.

    14. Ilha de Lesbos abre resort hétero.

    15. Para economizar energia, Diógenes apaga a lanterna.

    16. Oráculo de Delfos vaza números do orçamento e provoca pânico nas Bolsas.

    17. Áries, deus da guerra, é pego em flagrante desviando armamento para a guerrilha síria.

    18. A caverna de Platão abriga milhares de sem-teto.

    19. Descoberto o porquê da crise: os economistas estão todos falando grego!!!

  21. DAISE 2.0 said

  22. Pax said

    volta e meia o HRP vem nos brindar

    com seu espírito de luz

    abraçado com Kátia Abreu, Gilberto Kassab, Aldo Rebelo e a turma do neoPT

    obrigado, caro HRP

  23. DAISE 2.0 said

    Tribunal nega habeas corpus a ex-ministro José Dirceu
    Com isso, petista poderá ser preso caso a Justiça do Paraná o considere suspeito na Operação Lava-Jato

  24. DAISE 2.0 said

    DILMA SAUDANDO A MANDIOCA

  25. DAISE 2.0 said

    MAIORIDADE PENAL EM OUTROS PAÍSES

  26. DAISE 2.0 said

    Dilma vai renunciar? Ou será impedida? Ou terá sua eleição anulada?

    http://msalx.veja.abril.com.br/2015/07/03/2109/uNoTi/capa-3×4-2433-2-original.jpeg?1435968466

    Lula, o cadaverque procria, ja deu a dica: “por a cabeça no ombro do povo”.

    …encosta tua cabecinha no meu ombro e chora…mas saia daí, incompetente

  27. DAISE 2.0 said

    </Dilma vai renunciar? Ou será impedida?
    Ou terá sua eleição anulada?

    Jornal Nacional acaba de derrubar por corrução e incompetência a presidanta mandioqueira juramentada !

  28. DAISE 2.0 said

    <última do Brahma
    Comentários (229)
    Tweet do Instituto Lula:

    “Não vou me matar, não vou sair do país, eu vou para a rua”, diz Lula. “Se quiserem me derrubar, vão ter que me derrubar na rua”.

    O Brahma é um fanfarrão.

    Será derrubado “nadando” na garupa da dilma e NUM GESTO DE SUPREMA MESQUINHES, pedirá asilo político em Cuba,.

    LÁ SOU AMIGO DO REI…

    O.A.. + D.M.

  29. Chesterton said

    o mais interessante é que se não fosse pela VEJA e em parte pela ISTO È ninguem saberia o que de fato ocorre nopaís.

  30. DAISE 2.0 said

  31. Chesterton said

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/07/food-truck-distribui-mais-de-140-refeicoes-para-moradores-de-rua-4795428.html?utm_source=Redes%20Sociais&utm_medium=Hootsuite&utm_campaign=Hootsuite

  32. Chesterton said

    Não é possível, só pode ser de propósito, senta e sente a tocha.

  33. DAISE 2.0 said

    O “golpe” que não é golpe.

    Vídeo “cristalino”: Eduardo Cunha explica como regimento permitiu aprovação da redução da maioridade penal

    Eduardo Cunha está há dias sendo chamado de golpista na internet e nos jornais até por quem nem sabe o que significa a palavra regimento.

    O motivo foi ter posto para votação um novo texto (mais brando) sobre a redução da maioridade penal na madrugada seguinte à rejeição de um texto sobre o mesmo tema.

    A aprovação em primeiro turno do segundo texto deixou os petistas – e demais esquerdistas defensores de bandidos – enfurecidos com o presidente da Câmara dos Deputados, porque eles julgavam ter derrubado definitivamente a proposta na véspera.

    O vídeo abaixo é uma aula “cristalina” sobre as regras da Casa. A que serviu de base para a decisão de Cunha, curiosamente, definida em 2007 por um petista.

    http://www.youtube.com/watch?v=Oww5g0wlbiQ

    A propósito:

    Em 1996, o Supremo Tribunal Federal legitimou uma votação em caso similar, relativo a uma proposta que alterava regras da Previdência.

    O STF rejeitou pedido do PCdoB e manteve resultado de votação de emenda aglutinativa após rejeição de substitutivo.O Ministro Marco A.Mello, relator, foi derrotado pelo pleno..

    “É de ver-se, pois, que tendo a Câmara dos Deputados apenas rejeitado o substitutivo, e não o projeto que veio por mensagem do Poder Executivo, não se cuida de aplicar a norma do art. 60, § 5º, da Constituição”, diz o acórdão, citando o mesmo trecho da Carta Magna que agora é mencionado pelos adversários de Eduardo Cunha, incluindo o militante pró-redução da maioridade penal Joaquim Barbosa.

    Aprendeu agora, ex-ministro?

    Pode-se gostar ou não do Eduardo Cunha. Mas não há dúvida que ele é competente.

  34. DAISE 2.0 said

    “Isso é uma cela, Marcelo.Você esta preso”

    Brasil 04.07.15 08:30
    O presidente da Odebrecht está preso, mas seu maior lobista continua solto.

    Leia este relato Lauro Jardim:

    “Em 19 de setembro de 2012, Lula viajou com uma pequena comitiva ao México, que incluía Kalil Bittar, sócio do seu filho Lulinha. Evidentemente, nada de avião de carreira.

    Para o deslocamento foi alugado um Legacy 650. Quem pagou? A subsidiária americana da Odebrecht quitou a fatura de 780 000 reais.

    E nada de passar aperto. No contrato com a empresa de táxi-aéreo está escrito com todas as letras que nos voos de ida e de volta não deveria faltar ‘vinho tinto francês de boa qualidade’”.

    Falta um agente da PF que lhe diga:

    “Isso é uma cela, Lula. Você está preso”.

    O.A.

  35. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/07/03/ex-diretor-delata-governo-pressionou-ipea-para-nao-divulgar-dados-negativos-durante-campanha-de-dilma/

    chest- se não fosse a VEJA…..

  36. Pax said

    Buenas, o governo está às cordas, confesso que não sei se resiste até o fim. Em outra discussão alhures, num reduto da esquerda onde me sinto confortável, sim, nunca neguei, fizeram uma enquete e a grande maioria diz que não moveria uma palha contra um processo de impeachment de Dilma.

    Fui uma voz vencida por lá, meus argumentos são a legalidade, mas são fracos haja vista que o próprio PT admite que houve ilegalidades em sua campanha.

    Nada diferente que todos outros partidos cometeram, mas as ilegalidades do PT são fortes o suficiente para impedir que haja apoio na base, apoio na força da massa, que já debandou.

    Na força política mesmo, do presidencialismo de coalizão, os erros cometidos desde Lula 1 (que quis largar o PMDB e acabou no mensalão), aí a coisa piora. Ninguém mais quer posar ao lado de Dilma com 9% de aprovação no primeiro semestre de seu mandado.

    Mas, e aí? Como dizem, não há vácuo em política, certo?

    O que tem de opção? O PSDB.

    E o que ele tem a oferecer?

    Josias faz essa pergunta de forma inteligente em seu post de agora

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/07/05/que-tem-a-oferecer-o-psdb-pergunta-a-plateia/

    Sugiro, também, a leitura do artigo do Gaspari de hoje, sobre o assunto

    http://naofo.de/5jh0

    peço desculpas pelo blog desatualizado…

    sigamos.

  37. Chesterton said

    feijão com arroz, isto é o que precisamos.

  38. DAISE 2.0 said

    O que o PSDB tem a oferecer, além do feijão com arroz ?

    Líderes!

    Fernando Henrique Cardoso:

    “Não somos donos do que vai acontecer nas próximas semanas ou nos próximos meses, mas estamos prontos, sim, para assumir o que vier pela frente. Precisamos ir até o fim para que o Brasil seja passado a limpo. Seja qual for o caminho pelo qual tenhamos que passar, o PSDB e seus aliados terão um caminho”.

    Aécio Neves:

    “Devido a seus erros crassos e frequentes, a presidente não governa mais. Ela vê, a cada dia, o seu poder se esvair. A presidente perdeu o controle da máquina administrativa e da agenda do Brasil”.

    José Serra:

    “O governo tem que ir à frente dos acontecimentos e hoje eles nem sabem o que está acontecendo no Brasil. Não é o Congresso que está atrapalhando o país, é o Executivo. Cabe às forças democráticas oferecer alternativas. E não vai ser fácil, porque o estrago feito pela Era PT foi gigantíssimo”.

    Geraldo Alckmin:

    “Ficou claro que o PT não gosta dos pobres, do social, gosta do poder a qualquer preço”.

    Chega de incompetência e corrupção.

  39. DAISE 2.0 said

    O FASCÍNIO PETISTA PELO CAMINHO DO BREJO
    E.Gaspari

    Em oito meses aconteceram tantas coisas em torno do governo da doutora que algumas delas parecem esquecidas. Às vésperas do segundo turno da eleição de 2014, Dilma Rousseff, horas antes de uma reunião com o companheiro João Pedro Stedile e outros chefes de movimentos sociais, anunciou que “a reforma política é a condição para o efetivo combate à corrupção”. O comissariado propunha uma reforma plebiscitária com um receituário que poderia incluir o famoso voto de lista.

    Nesses dias os companheiros já sabiam que o Congresso não comprava sua reforma. Mais: sabia que Eduardo Cunha era candidato a presidente da Câmara. Inebriados pela vitória, resolveram atropelar. Enfrentariam Cunha e tocariam a agenda do rolo compressor. (Já tinham escolhido um banqueiro para sequestrar o programa econômico de Aécio Neves mas, como podiam tudo, isso era um detalhe.)

    A reforma plebiscitária e o lançamento do petista Arlindo Chinaglia para disputar com Eduardo Cunha indicavam que o PMDB seria atropelado. Foram ao embate, tomaram uma sova, pulverizaram a liderança parlamentar do governo e acabaram entregando a coordenação ao príncipe do PMDB, Michel Temer. Era isso ou rolar escada abaixo. Queriam tudo, entregaram os anéis e alguns dedos.

  40. DAISE 2.0 said

    DIAS OU MESES?

  41. DAISE 2.0 said

    O PT entortou o Estado
    Suely Caldas
    05 Julho 2015 | 09h 38

    Os Estaleiros Mauá (RJ) e Paraguaçu (BA) fecharam suas portas e dispensaram 7 mil trabalhadores. Só este ano, a indústria naval já demitiu 14 mil operários, condenando ao relento milhares de famílias. Outros estaleiros seguem o mesmo caminho, pois a Petrobrás parou de encomendar embarcações e a Sete Brasil – empresa criada em 2010 para alugar sondas e plataformas para o pré-sal – enfrenta sério abalo financeiro, paralisou encomendas e contratos e não paga dívidas a bancos e a estaleiros desde a descoberta de seu envolvimento com corrupção pela Operação Lava Jato. O que têm a dizer Lula e Dilma, que bateram no peito como se fosse um troféu a criação dessa indústria, que agora tem 80 mil empregos ameaçados?

    A decadência da indústria naval é emblemática de um modelo de política industrial que os governos do PT ressuscitaram dos tempos da ditadura militar, em que Estado e empresas estatais são usados – em atos de força e autoritarismo – para atender a desejos políticos e equivocados (por vezes megalômanos) de quem está no poder. A parcela maior da falência fiscal que o Brasil vive hoje decorre justamente de erros – grandes e menores – cometidos por Lula e Dilma, ao desperdiçarem dinheiro público em projetos que não se sustentam sem a muleta do Estado.

    No caso da indústria naval, além de obrigarem a Petrobrás a comprar aqui navios e plataformas pelo dobro do preço do produto importado, eles impuseram à força uma política de conteúdo local que custa muito caro à estatal e ao País. É a repetição do erro dos governos militares, que deram vida aos estaleiros no ventre dos cofres públicos e decretaram sua morte quando o dinheiro secou. Restaram demissões em massa e dívidas gigantescas espetadas na conta do brasileiro que paga impostos. Exatamente como ocorre agora.

    Governar, manejar dinheiro público, implica fazer escolhas. Em qualquer lugar do mundo há um consenso: os governos devem escolher saúde, educação, segurança, programas sociais bem avaliados e, em certos casos, saneamento e habitação para aplicar prioritariamente o dinheiro dos contribuintes. Atendido o básico da população, os governos partem para investir dinheiro em escolhas não obrigatórias. Foi aí que Lula e Dilma erraram.

    No tamanho. Projetos superdimensionados: 800 aeroportos, 6 milhões de moradias, 6 mil creches, 100 mil bolsas de estudo no exterior, milhões de universitários financiados, 20% de desconto na conta de luz, etc. A hora do anúncio é uma apoteose numérica. Mas a da entrega, uma decepção: aeroportos, nenhum novo; o desconto na conta de luz virou aumento de 60%; creches não chegaram a 500; o programa Minha Casa, Minha Vida está parando por falta de dinheiro; o Ciência Sem Fronteiras gastou quase R$ 4 bilhões e foi interrompido; o Fies financiou 4,5 milhões de universitários, consumiu R$ 13,5 bilhões e foi suspenso.

    Na escolha. Os governos Lula e Dilma privilegiaram grupos conhecidos como campeões nacionais (entre eles o de Eike Batista) com empréstimos bilionários e subsidiados do BNDES. Em vez de se tornarem players internacionais, eles responderam com inadimplência. Em nome de estimular o consumo e o crescimento, o governo deixou de arrecadar R$ 100 bilhões em 2014 e R$ 38,3 bilhões até abril de 2015 em impostos de alguns setores industriais. O objetivo foi frustrado e, com a retirada da muleta do Estado, as indústrias automobilística e eletroeletrônica são hoje as que mais desempregam.

    Os intervencionistas governos petistas erraram nas escolhas e exageraram em gastos. Gastaram sem limites, não calcularam até onde o dinheiro público suportaria, tampouco avaliaram a eficácia de suas escolhas e decisões. E, quando tudo saiu do controle, inventaram as pedaladas fiscais e inflacionaram os restos a pagar, hoje um grande orçamento paralelo. Os dois somam cerca de R$ 250 bilhões – esqueletos que nem começaram a ser pagos.
    O PT passou a vida acalentando a ambição de comandar o Estado.

    Mas, ao chegar lá, provou ser um fiasco.

  42. DAISE 2.0 said

    Chesterton

    Após vitória do ‘não’ na Grécia, Conselho Europeu faz reunião de emergência para avaliar situação

    Eu acho que o caso da Grécia vai se tornar um”case” histórico.

    Confundir “socialismo” com incompetência e descontrole da Economia é a marca dos “petistas” locais e internacionais.

    Vamos aguardar e ver no que dá!

    Merda. antecipo.

  43. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/bernardomellofranco/2015/07/1651735-adeus-as-ilusoes.shtml

    chest- finalmente esse Frei Bosta admite o que digo há mais de 10 anos.

  44. Elias said

    “o mais interessante é que se não fosse pela VEJA e em parte pela ISTO È ninguem saberia o que de fato ocorre nopaís.” (Chester)

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  45. Elias said

    “Eu acho que o caso da Grécia vai se tornar um”case” histórico. Confundir “socialismo” com incompetência e descontrole da Economia é a marca dos “petistas” locais e internacionais.” (Daise)

    Isso é que é análise!

    Todo mundo sabe que, quando o governo de esquerda assumiu, a Grécia estava nos trinques: não devia nada a ninguém, cofres abarrotados de divisas, saldo positivo no balanço de pagamentos, inflação e desemprego quase zero, PIB crescendo sem parar…

    Nem foram os sucessivos governos ditos “liberais” que levaram a Grécia à quase falência…

    Aliás, foi por isso mesmo que os “liberais” perderam a eleição. Estava tudo tão bom, que os gregos, cansados de se dar bem, resolveram eleger um governo de esquerda pra esculhambar com tudo…

    Taí, Chester… Tens companhia no hospício!

  46. Elias said

    Por outro lado, o Luiz Roberto Cunha, da PUC-Rio, diz:

    “Eu acho que a crise da Grécia vai ter que ter um fim agora. É impossível você estender muito mais essa coisa. O primeiro-ministro grego, que é muito inteligente, e o seu ministro das Finanças, que é um professor de teoria dos jogos, estão se divertindo, no bom sentido, jogando com a inconsistência do euro e dos políticos europeus. Eles estão ali, sorrindo, porque estão ali fazendo um experimento…”

    Mas, quem é Luiz Roberto Cunha, diante de um Chester e de uma Daise?

    Eu digo: é um cara super inteligente e bem preparado, olhando dois Napoleões de hospício!

  47. Elias said

    Por outro lado, o Joaquim Barbosa criticou a Dilma, por esta ter dito que não respeita delator. Barbosa disse que nunca viu um Chefe de Estado tão mal assessorado. Disse ele que a “delação premiada” é um procedimento previsto em lei e, por isso, deve ser respeitado.

    Pela merda de advogado que Barbosa é, dá pra se ver a merda de juiz que Barbosa era.

    Esse “especialista em leis” aparentemente esqueceu que a Lei Federal nº 12.846, de 01-08-2013, que institui o “acordo de leniência”, vulgarmente chamado “delação premiada”, é uma lei de iniciativa da Dilma Rousseff, que a sancionou.

    Além disso, o Barbosa, dada a profundidade do seu intelecto, não consegue entender a diferença que existe entre o INSTITUTO DA DELAÇÃO e a PESSOA DO DELATOR.

    O INSTITUTO DA DELAÇÃO é um recurso de que se vale o Estado, para identificar, acusar, julgar e punir delinquentes que, se não fossem traídos por outros, seus iguais, jamais seriam levados às barras dos tribunais.

    A PESSOA DO DELATOR é um indivíduo criminoso que trai seus cúmplices na delinquência, delatando-os, em troca de vantagens pessoais para si.

    Do fundo do poço existente no subterrâneo de seus critérios morais, o Joaquim Barbosa acha que a PESSOA DO DELATOR e o INSTITUTO DA DELAÇÃO são uma coisa só…

    E isso era Ministro do STF, a mais alta Corte brasileira…

    E foi o Lula quem colocou isso lá…

    Que merda!

  48. Elias said

    A aprovação da redução da maioridade penal, antes de qualquer providência no sentido de reestruturar o sistema, é bem a cara do Brasil…

    Os caras que votaram a favor dessa irresponsabilidade têm, todos, a cara de quem votou neles.

    Pessoalmente, eu não faria restrição nenhuma a isso, se esse pessoal, juntamente com quem votou neles e quem os apoia, neste momento, fossem os primeiros a serem assassinados no aumento da violência urbana que já está a caminho…

    Infelizmente, nessa hora ruim, eles não estarão sozinhos…

  49. Elias said

    Trazendo pra cá:
    “Elias, Dei uma passada no site da CNI. Não achei nenhuma série histórica que mostra esse ganho de produtividade. A única coisa que achei é que a produtividade de mão-de-obra brasileira é baixa. E com base em um indicador estranho: PIB por pessoa ocupada. Sei lá se esse indicador faz algum sentido, mas a princípio me parece que não: se vc diminui o PIB e aumenta o emprego, por exemplo, oferecendo milhares de cargos públicos, você aumenta a “produtividade” do país… isso é no mínimo questionável, para não dizer ridículo. Nem vou rebater o resto porque são meia noite e não to afim, depois de trabalhar 14 horas por dia no último mês. Eu, que trabalho no setor privado, devo ser muito mais improdutivo que o setor público msm… huá huá huá! Me passa o link desse negócio que vc está falando da CNI e aí a gente continua a conversa. (Guatambu)

    “São” meia noite, é Guatambu?

    Experimenta “é” 24 horas…

    Faz o seguinte:

    1 – Entra no Google.
    2 – Digita o seguinte argumento: Produtividade na Indústria Brasileira
    3 – Clica na opção: “Produtividade na Indústria Brasileira – Renato da Fonseca”

    Isso vai abrir a apresentação “PRODUTIVIDADE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA”, feita pelo Renato da Fonseca durante um seminário sobre produtividade industrial, promovido pela CNI na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB.

    A apresentação do Renato aconteceu no dia 3-5-2012, durante a mesa redonda “Evolução da Produtividade do Trabalho e o Crescimento do Custo da Mão de Obra na Bahia e no Brasil”.

    Eu estava presente, na mesa redonda.

    Renato da Fonseca é — ou, pelo menos, era, em 2012 — o coordenador da equipe de especialistas da CNI que estudava questões relativas à produtividade industrial, no Brasil e no mundo.

    Entra lá, lê, e contesta, se puderes.

    Mas vem com argumento técnico, não com baboseira político-ideológica…

  50. Elias said

    Voltando pro cabo da enxada…

  51. Elias said

    Ah, sim.

    Antes de ir embora…

    Não é só o Joaquim Barbosa que, dada a profundidade do seu intelecto, não consegue entender a diferença que existe entre o INSTITUTO DA DELAÇÃO e a PESSOA DO DELATOR.

    O Augusto Nunes também…

    E o Chester, que voltou a fazer o que ele sabe fazer melhor: copiar e colar.

    Quando o Chester tenta tirar alguma coisa da própria cabeça, só sai merda…

  52. Pax said

    Redução da maioridade penal: sim, Elias tem razão. É um golpe de uma turma que não vale o que come. Turma que os tais líderes tucanos resolveram chamar de sua.

    Mas há que se ter uma resposta para a situação, da forma que tá o ECA não atende.

    Mas que se mexa nele, no ECA, não na Constituição.

    —–

    Mudando de saco para gatuno

    Tô com uma peninha dele, tadinho do Zé…

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2015/07/1651606-me-arruinaram-diz-dirceu-diante-da-ameaca-de-ser-preso-na-lava-jato.shtml

    que se lasque !

  53. Chesterton said

    Elias, os soviéticos mandavam aqueles que discordavam para o hospício bem gelado, nada muda, não é?

    Acho que você andou fazendo alguns negocinhos como aquela compra de PETR4 a 22 reais baseado na confiança da eficiência do Mantega, anda bem nervosinho.

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/recordar-e-viver-e-a-analista-do-santander-que-foi-demitida-por-pressao-do-governo-apos-falar-a-verdade/

    Olha aí…

  54. Chesterton said

    A questão não foi quem colocou a Grecia no buraco (os gregos na minha opinião) mas o que a esquerda tem a oferecer para retirá-la de lá.

  55. Elias said

    Quemcolocou a Grécia no buraco não conseguiu tirá-la de lá, tolinho…

    Por isso perdeu a eleição, né mesmo?

    Bobinho…

    Cumequié, mesmo, a história da PETR4?

    Aquela que tu vendeste no final do ano passado?

    E perdeste a valorização de mais de 30%?

    Ou foi “outra” PETR4? Assim os dois pais que tiveste: um, bem sucedido, te bancou na França, bebendo vinho nacional; outro, pobrezinho (“inepto financeiro”), que te deixou um apartamento com umamulher dentro (pra ser dividido entre 3 filhos), e um carro velho estacionado na rua…

    Falar nisso, era um Dudge Dart, 4 portas, 1974?

  56. Chesterton said

    hahahahaha, hila´rio. Ainda está entubado em Petr4. Pede mais uns conselinhos para a Dilma e o Mantega sobre investimentos.

  57. Chesterton said

    Ah, Elias, quem me “bancou” na França foi uma bolsa do governo francês.

  58. Elias said

    Ah, foi uma bolsa ESTATAL, foi?

    Eu deveria ter desconfiado: por trás de todo “antiestatista” brasileiro há sempre um espertalhão parasitando os cofres públicos…

    Te entregaste, vacilão!

  59. Elias said

    Chesterton, seu pilantra!

    Nunca mais me aparece falando mal do Estado nem de funcionários públicos.

    Tu és pior do que a amante do FHC. Ela cuspiu no prato em que foi comida… Pelo meu abriu as pernas pro chifrudão.

    Tu nem isso. Nem tens a decência de oferecer o fiofó aos franceses.

    Ingrato!

    Cospes no prato em que comeste e na taça em que bebeste vinho nacional na França.

    Parasita do dinheiro público!

    Vampiro do Erário!

  60. Elias said

    “…Pede mais uns conselinhos para a Dilma…” (Chester, o Vampiro do Erário)

    “Conselinhos”, é? Não é melhor sem selinhos? Não tô a fim de receber “selinhos” da Dilma.

    Prefiro beijo de língua da Sandra Bullock…

    Na próxima bolsa estatal que conseguires, meu caro parasita do dinheiro público, pede pra alguém te ensinar a escrever “conselhos”, “conselhinhos”, por aí…

  61. Elias said

    Chester,

    Definitivamente, tu és um vacilão!

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  62. Chesterton said

    É Elias, é para quem pode. Gozei do dinheiro público francês, moeda forte. Não tirei nada do contribuinte brasileiro, como o seu PT faz desonestamente.

    A herança genética que recebi de meu pai me facilita em concursos, bolsas, testes, etc….Ele só não sabia juntar dinheiro.

    Vou te mostrar

  63. Chesterton said

    Uma vaga por ano para o Brasil, que foi o escolhido? Você, seu muquirana? Não…..eu aqui.
    Um ano antes fiquei sabendo da bolsa e disse: vou falar francês e é agora. Passei a conversa na banca. Te mete…

  64. DAISE 2.0 said

    “Elias knows best”- ele é o “papai sabe-tudo aqui do sítio do pica pau vermelho.

    Enquanto isso, em Brasilia…

  65. DAISE 2.0 said

    Dilma desfia a olhos vistos e Rosseto é homenageado homenageado….

  66. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/gm-coloca-outros-62-mil-metalurgicos-em-ferias-coletivas/

  67. DAISE 2.0 said

    ‘Eu não vou cair, isso aí é moleza’, afirma Dilma

  68. Chesterton said

    agora se fudel

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/07/em-video-lula-afirma-que-sabia-de-tudo.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoAluizioAmorim+(BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM)

  69. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/o-programa-de-protecao-ao-emprego-na-verdade-autoriza-a-reducao-de-salario/

    oseleitortes da Diuma se fudel…

  70. DAISE 2.0 said

    O PMDB é ótimo

    Brasil 07.07.15 07:56
    Dilma Rousseff disse para a Folha de S. Paulo:

    “Quem quer me tirar não é o PMDB. Nã-nã-nã-não! De jeito nenhum. Eu acho que o PMDB é ótimo”.

    Segundo o Valor Econômico, ela está enganada sobre o apoio peemedebista:

    “A tese do impeachment ganha cada vez mais defensores na cúpula do PMDB”.

    O partido já tem até um programa de governo:

    “Temer assumiria, faria um governo de união com os partidos que quisessem, montaria um gabinete de alto nível, cortaria custos da máquina pública e realizaria reformas e ajustes necessários para fazer o país crescer e retornar a estabilidade política”.

    “Temer não disputaria a reeleição em 2018”.

    Se fizer tudo isso, o PMDB realmente é ótimo.

    O.A.

  71. DAISE 2.0 said

  72. Chesterton said

    Dilma: não vou cair, não vou cair…

    Em geral quem diz que não vai cair é porque já caiu.

    (Cadê o Patriarca que fugiu?)

  73. Pedro said

    Que coisa.
    Só noticia ruim.

    Vou tentar dar uma boa:

    http://www.pontedelaguna.com.br/site/noticias/120-presidente-dilma-roussef-estara-em-laguna-para-inauguracao-da-ponte.html

  74. Pedro said

    O prometido era pra 2008.

    Oras prazos!
    Prazos existem apenas para não serem cumpridos.

  75. Pedro said

    Ô fase.
    Já apareceu problema.

  76. DAISE 2.0 said

  77. Elias said

    “É Elias, é para quem pode. Gozei do dinheiro público francês, moeda forte. Não tirei nada do contribuinte brasileiro, como o seu PT faz desonestamente.” (Chester)

    Fala Chester!

    Vacilão! De novo!

    Então não é uma questão de princípio, né vacilão?

    Foi só uma questão de oportunidade. O cavalo parou selado, na frente da tua porteira, e tu montaste.

    Dinheiro público é dinheiro público. Francês ou brasileiro, moeda forte ou fraca, é só detalhe…

    Claro que é só pra quem pode, vacilão…

    Indicar amigos e parentes pra receber bolsas de estudo de governos estrangeiros é só pra quem pode.

    Indicar amigos e parentes pra ocupar cargos de alta direção em instituições estatais também é só pra quem pode.

    Não vem dar uma de diferente, não, porque, quanto mais diferente tentas ser, mais igual pareces ficar…

    Neste momento, provavelmente, há um monte de mauricinhos brasileiros fazendo cursos de pós-graduação no exterior, mantidos por bolsas de estudos concedidas por governos de outros países.

    Igualzinho a ti…

    Em muitos casos, e muito mais que provavelmente, essas bolsas nada mais são que parte da retribuição por jogadas favorecendo empresas do país onde, coincidentemente, o mauricinho baby foi fazer o curso de pós-graduação…

    Estou seriamente inclinado a pensar que foi o teu caso.

    Se o teu pai era um inepto financeiro — como tu mesmo dizes — não foi ele quem arranjou a bolsa pra ti. Ele pode até ter pedido, implorado… Mas quem arranjou não foi ele. E, quem arranjou, não fez isso a troco de nada.

    Tem mais coisa podre no lombo do Chester…

    Acaba de entregar o que começaste ontem: quem foi o teu QI, vacilão?

  78. Elias said

    “A herança genética que recebi de meu pai me facilita em concursos, bolsas, testes, etc….Ele só não sabia juntar dinheiro.” (Chester)

    Te facilita receber bolsas de governos estrangeiros, vacilão?

    Foste escolhido por meio de verificação de herança genética, vacilão?

    Foste escolhido por critérios raciais, vacilão?

    (Além de burro, é racista, esse traste!)

    E a herança genética que recebeste veio toda do teu pai? Tua mãe não contribuiu com nada?

    Vacilão!

    Ou tu estás querendo dizer que tens vergonha da herança genética que recebeste da tua mãe?

    Mau filho! (Já pensou se, além de mau filho, também fores mau marido e puxa saco de patrão?).

    Mas, agora fiquei curioso: quem será que será que te deu o gen vacilão?

  79. Elias said

    Fim do mundo…

    A superintendência do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) abriu processo pra investigar um cartel de manipulação de taxas de câmbio envolvendo o real e moedas estrangeiras.

    Estão sendo investigadas 30 pessoas físicas e 15 instituições financeiras, a saber: Deutsche Bank, HSBC, Merril Lynch, Royal Bank of Canada, Royal Bank of Scotland, Banco Tokyo-Mitsubishi, JP Morgan Chase, Morgan Stanley, Barclays, Citigroup, Credit Suisse, Nomura, Standard Chartered, UBS e Banco Standard de Investimentos.

    Trinta pessoas físicas e 15 instituições financeiras… E NENHUM BANCO BRASILEIRO NA JOGADA!!!

    É o fim do mundo!

  80. Chesterton said

    Foste escolhido por meio de verificação de herança genética, vacilão?

    chest- o verdadeiro QI, Elias, aquele que passa do avô, para o pai, para o filho. Aquele que permite tirar notas altíssimas em vestibulares, concursos de qualquer espécie. Que burrice é essa? Ou está só fingindo?

    Ah, sim, do lado amterno tambem, isto está implícito no meu caso. Não sei se no teu caso não estaria implícito uma vez que de acordo com tua presidenta homens e mulheres são de espécie diferente.

    Diga Elias, sua mãe é da espécie distinta da homo sapiens, a mulhero-sapiens (!?) como sua presidANTA?

  81. Elias said

    Chester,

    Vacilão, de novo!

    I
    Quando eu perguntei “QUEM FOI o teu QI?”, eu me referi a QUEM INDICA. QUM INDICA, vacilão. Ou seja: quem te arranjou a mamata pra passares anos na França, à custa de dinheiro público.

    Se eu estivesse me referindo ao QUOCIENTE INTELECTUAL, eu perguntaria “QUANTO FOI?”, ou “QUANTO É?”, e não “QUEM FOI?”.

    E eu jamais faria uma pergunta assim, até porque, intelectualmente desonesto como tu és, mentirias ao responder.

    Eu perguntei QUEM TE INDICOU, sua anta!

    Estás sendo mais idiota que o necessário… Basta o suficiente pra gente tirar sarro das tuas bosteiras.

    II
    E tu não te referiste a QI. Tu te referiste à HERANÇA GENÉTICA.

    Segundo tuas próprias palavras, que eu transcrevi, tu terias recebido boa herança genética somente do teu pai.

    TU escreveste: “A herança genética que recebi de meu pai me facilita em concursos, bolsas, testes, etc….Ele só não sabia juntar dinheiro.”

    TU IGNORASTE TUA MÃE, VACILÃO!

    AGORA, e somente agora, é que vieste com essa história de “Ah, sim, do lado amterno tambem, isto está implícito no meu caso.”

    Não tem nada implícito, vacilão!

    Teu pai é (ou era) uma pessoa. Tua mãe outra… Cada um deles foi responsável por uma parcela da tua herança genética.

    O fato de ambos pertencerem à mesma espécie não implica heranças genéticas iguais. Do contrário, não haveria diferenças entre os seres humanos.

    Tu és médico, e não sabes disso?

    E não vem com essa história de Dilma, nem de anta, até porque quem está fazendo papel de anta, aqui, és tu, vacilão!

    E isso nada tem a ver com o que estamos conversando.

    Estamos falando da tua sinecura, do teu parasitismo, com dinheiro público.

    E que papo é esse de “está implícito” no TEU caso?

    Por que estaria implícito no teu caso, e não no caso das demais pessoas. Por acaso, és alguma aberração da natureza?

    Não, Chester, não és uma aberração. És só um caso ANTAlógico de vacilão.

    E de parasita do dinheiro público que, hipocritamente, se diz antiestatista!

    Vacilão!

  82. Elias said

    Segundo terceiros (e a ADVFN), a massa de salários no Brasil já encolheu 10%, nos últimos 6 meses.

    Encolheu sabem onde? No setor privado.

    No setor público, continua a lesma lerda… Do mesmíssimo tamanho que era há 6, 8, 10 meses… (E periga aumentar, tantos e tamanhos são os concursos públicos que estão pipocando em todo o país…).

    Vou repetir o que venho dizendo aqui há alguns meses:

    1 – No Brasil, é extremamente difícil reduzir despesa pública de CUSTEIO, porque ela é, quase toda, amarrada constitucionalmente. Tem a despesa de pessoal e encargos praticamente impossível de ser reduzida (por causa da estabilidade no cargo ou emprego público), tem as vinculações constitucionais, etc.

    2 – Vai daí, que só dá pra mexer, mesmo, com as chamadas “despesas discricionárias”; aquelas que o governo faz se quiser. Basicamente, as “despesas discricionárias” são: (i) as transferências VOLUNTÁRIAS a Estados e Municípios; e (ii) as despesas de capital com investimentos e com inversões financeiras. Tirando esses dois blocos, o resto é confeitaria…

    3 – Acontece que a economia despenca, se e quando o governo brasileiro reduz as despesas com investimentos, inversões financeiras, e transferências voluntárias a Estados e Municípios (cujos recursos são, quase que totalmente, destinados a investimentos nos Estados e Municípios). É quando sobressai, dramaticamente, a velha regra: no Brasil, o Estado está para o capitalismo assim como o oxigênio está para a vida…

    4 – Por isso e por muitas outras coisas mais, o Levy tende a repetir, em escala monumental, o enredo da “Parábola do Frango de Jacareí”… Quando ele acabar de fazer o “ajuste”, o país terá se ferrado.

    O velho Ernesto Geisel dizia que o remédio prescrito pela dupla Octávio Gouveia de Bulhões / Roberto Campos, eventualmente podia curar a doença, mas inevitavelmente matava o paciente. Por misteriosas razões, a dupla considerava altamente positivo o paciente morrer saudável…

  83. Elias said

    Deu n´O Globo.com, hoje:

    “O plano contra as demissões, que o governo assinou na segunda-feira (6), tem o apoio da maioria das centrais sindicais e já está em vigor. Pela Medida Provisória, a empresa que provar que está em dificuldade financeira vai poder reduzir a jornada e os salários dos empregados………… A empresa que provar que está em dificuldade pode reduzir a jornada em até 35%, mas a redução no salário é menor. ” E por aí afora.

    Ah, bom…

    Primeiro dá um tiro na barriga… Depois, dá um Band-Aid pra tapar o buraco e um Alka Seltzer pra tratar a azia…

  84. Chesterton said

    Descoberto o verdadeiro culpado pela crise grega































  85. DAISE 2.0 said

    Dilma dá entrevista desastrada prevendo seu futuro…

  86. Elias said

    Somente 9% dos brasileiros consideram o governo Dilma ótimo ou bom (quem será que serão esses doidos?). É o mesmo índice de aprovação que Zé do Sarney tinha, em 1989.

    A partir daí, um monte de gente compara os dois Brasis: o de 1989 com o atual.

    Sai algo assim:

    1 – INFLAÇÃO:
    Em novembro de 1989: 47,8% ao mês
    Em maio de 2015: 0,74% ao mês

    2 – BRASILEIROS EM CONDIÇÃO DE POBREZA EXTREMA:
    Em 1989: 19,2%
    Em 2013 (pesquisa mais recente): 5,2%

    3 – MORTALIDADE INFANTIL:
    Em 1989: 50,8 por mil nascidos vivos
    Em 2013 (pesquisa mais recente): 15,7 por mil nascidos vivos

    4 – IDH
    Em 1990 (ano de referência para IDH): 0,682
    Em 2014 (publicação mais recente): 0,744

    Então, por que a aprovação da Dilma é tão baixa? Afinal, os avanços mais significativos na redução da pobreza, mortalidade infantil, etc., ocorreram exatamente durante o governo do PT.

    Renato da Fonseca, coordenador de pesquisa da CNI, diz que uma das explicações é que a maior parte das pessoas com idade entre 16 e 34 anos, não faz a menor ideia de como era o Brasil de 1989. Isso também explicaria porque a reprovação da Dilma é muito maior entre os mais jovens (entre as pessoas com idade de 16 a 24 anos, a aprovação da Dilma é de raquíticos 6%; já entre as pessoas com 55 anos ou mais, a taxa de aprovação sobe pra 14%).

    Ou seja: o PT sofre, hoje, do mesmo mal que prejudicou enormemente as campanhas eleitorais do PSDB, de 2006 e 2010.

    Os tucanos ficavam falando em Plano Real, Plano Real, Plano Real… E nem se tocavam para o fato de que um contingente enorme da população — a parcela mais jovem — não tinha como lembrar a escrotidão que era uma inflação de 40% ao mês, que o Plano Real combatera com êxito, mais de 10 (e, depois, mais de 14) anos antes. Os tucanos pareciam velhinhos tentando impressionar a platéia, com histórias de como eram bons de cama, há décadas… De como davam três sem tirar de dentro… Lambança de velho!

    O PT está igualzinho, agora… Com os agravantes da corrupção e de uma gestão econômica desastrosa…

    De mais a mais, quem está a caminho da falência, ou perdendo o emprego, agora, tá se lixando para o fato de que em 1989 era muito pior…

    Esse pessoal deve perguntar:

    Era pior? Mesmo?

    E daí?

  87. Chesterton said

  88. Pax said

    concordo Elias, a situação agora já passou das dimensões políticas e jurídicas

    passou pra dimensão popular

    só falta o estopim

    difícil a situação, mas gestada pelo próprio PT, Lula e agravada pela desastrosa Dilma

    paciência, o material fadigou e não quiseram sair do rumo desvirtuado lá atrás

    que paguem o preço pelos erros

    ===

    o pior? é que o que há de opção é assustador

  89. Chesterton said

  90. DAISE 2.0 said

    Partidos aliados divulgam nota de apoio a Dilma

  91. Elias said

    Chester # 89

    Colocando um sinal de igualdade entre a própria clientela e o PT!!!

    É o verdadeiro retrato da decadência do PT.

    Imagina só… Ser comparado a alguém que procura o Chester pra se tratar…

    Coitado do PT…

  92. DAISE 2.0 said

    DILMA …AINDA “NÃO CAIU A FICHA” QUE JÁ CAIU!

    A Dilma é tão ruim, tão ruim que passei a ser Temer desde criancinha!

    Caia Dilma na real e renuncie. Collor já deu o exemplo.”Menas” traumas, diz lula aos amigos intimos. Em segredos vazados, propositalmente, a jornalistas afinados.

    A saída da Dilma A.S.A.P. virá preencher uma enorme lacuna!

    Alguém discorda?

  93. DAISE 2.0 said

    Portugal de novo na conexão ….com muito stress, vinho e falta de maquiagem ?

  94. Chesterton said

    Hilário

    http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/07/07/dilma-diz-que-nao-vai-cair-ela-tambem-disse-que-nao-iam-subir-gasolina-luz-inflacao-desemprego-juros/

  95. Chesterton said

    A saída da Dilma A.S.A.P. virá preencher uma enorme lacuna!

    chest- realmente essa vou roubar, parece aquela do Romario para o Pelé, adaptada: ” Dilma calada é pura poesia…”

  96. Chesterton said

  97. DAISE 2.0 said

    TCU OU UTC? EIS A QUESTÃO

    Não vou aumentar juros e taxas.
    Não vou cortar verba da educação.
    Não vou mexer em direitos trabalhistas ou dos aposentados.
    Não vou cair.

  98. Chesterton said

    A Grécia ilustra 150 anos de fracasso do socialismo na Europa
    por Diversos Autores, segunda-feira, 6 de julho de 2015

    A Grécia deu o calote em sua dívida com o Fundo Monetário Internacional, tornando-se assim o primeiro país “desenvolvido” a fazê-lo.
    Após passar os últimos cinco anos sobrevivendo pendurada a empréstimos “de emergência”, uma dívida de 1,6 bilhão de euros, cujo prazo expirou à meia-noite de terça-feira, 30 de junho, não foi quitada. Esse foi o maior calote já vivenciado pelo FMI em todos os seus 71 anos de vida.

    De forma reveladora, o FMI se recusa a rotular o que houve pelo nome correto (“calote”), preferindo recorrer ao eufemismo “em atraso” (o qual, para os não-iniciados, é um termo financeiro complexo e altamente técnico que significa ‘calote’).

    Após o calote, a Grécia agora está em companhia de países como Sudão, Zimbábue, Afeganistão, Haiti, Iugoslávia e Somália.

    A dor grega já vinha se avolumando há um bom tempo, já que o país começou a depender de empréstimos de emergência há cinco anos. Consequentemente, o calote de agora — embora tenha gerado ondas de choque em todo o mercado financeiro — foi quase que anti-climático. No entanto, as linhas irregulares dos gráficos do mercado financeiro não mostram nada da carnificina que está acontecendo — ou que está por acontecer — na economia real.

    Os problemas que a Grécia e o mundo enfrentam hoje são vários e diversos. Para os gregos, a imposição de controle de capitais e de feriados bancários deixou a população sem acesso ao dinheiro de suas contas bancárias. [N. do E.: em uma trágica reedição do Plano Collor e do Corralito argentino].

    Enormes filas se formam nos caixas eletrônicos dos bancos durante todas as horas do dia, mesmo que os saques permitidos tenham sido limitados a 60 euros por dia. A próxima arma a ser utilizada na guerrilha financeira: confisco de depósitos (mais especificamente, o governo irá utilizar o dinheiro que os cidadãos têm nos bancos para recapitalizar estes bancos, o que significa que o dinheiro será tomado dos cidadãos e entregue aos bancos, sem retorno).

    Quando a Grécia recorreu aos financiamentos emergenciais, a Troika (o coletivo pejorativa utilizado para se referir à trinca formada por Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) autorizou um pacote de ajuda de €110 bilhões de euros, em troca de promessas vagas e não-quantificadas de “austeridade”. Os empréstimos mais recentes foram, na realidade, uma mera reutilização dos juros que a Grécia pagou aos outros países da zona do euro: os juros que a Grécia pagou foram emprestados novamente para o país.

    Mesmo agora, após o calote, há poucas dúvidas no mercado financeiro de que a solução para essa crise da dívida será mais endividamento.

    Como os gregos estão aprendendo, o FMI não irá aceitar calotes. Nunca aceitou e nunca aceitará. Dizer que a Grécia está “em atraso” não melhorará as coisas. A mensagem é clara: os gregos pagarão. Embora a Grécia tenha vivido confortavelmente por algum tempo, com um padrão de vida muito acima de suas reais posses, chegou a hora de pagar a fatura.

    O fracasso socialista

    No entanto, a Grécia não conseguirá pagar suas dívidas. Jamais. Na mesma situação estão vários outros países da União Europeia. É por isso que as elites financeiras europeias estão fazendo de tudo, inclusive jogo semântico, para não classificar oficialmente a Grécia como ‘caloteira’. Afinal, se a Grécia revogar sua dívida, por que os outros países da União Europeia (Portugal, Espanha, Itália e até mesmo França) deveriam pagar as suas?

    As consequências financeiras de calotes maciços da maioria dos membros da União Europeia é difícil de prever, mas não serão belas. A Europa, financeiramente, construiu um castelo de cartas, e a mais mínima perda de confiança bastará para desmoroná-lo.

    No cerne dessa tragédia europeia está o ideal socialista. A Europa vem flertando com o socialismo desde o final do século XIX. O socialismo bismarckiano, que começou no final daquele século, produziu duas guerras mundiais. O socialismo leninista, até o seu eventual colapso, dizimou e escravizou centenas de milhões de indivíduos. Sem se sentirem afetados, tão logo a Segunda Guerra Mundial terminou, os socialistas europeus embarcaram em um novo sonho socialista. Afinal, se o socialismo havia fracassado em um país, certamente ele funcionaria em outros. E, se ele fracassasse em outros, então certamente ele funcionaria se toda a Europa fosse arregimentada sob uma organização socialista supra-nacional.

    É claro que eles não chamam de “socialismo” o arranjo que surgiu desse sonho, mas é um socialismo ainda assim.

    O socialismo jamais irá funcionar, seja em um único país, seja em uma região formada por vários países, como a Europa, ou até mesmo no mundo como um todo. Ludwig von Mises, ainda em 1920, já explicou por que o socialismo não é um sistema econômico alternativo. O socialismo nada mais é do que um programa de consumo. O socialismo nada diz sobre a produção. O socialismo não tem uma teoria sobre a produção econômica.

    Dado que, no socialismo, a produção de cada indivíduo será redistribuída para toda a humanidade, não há incentivo econômico para se produzir nada. Por outro lado, haverá vários incentivos para a coerção, para ameaças de violência e, em última instância, para a escravização completa.

    Inversamente, o capitalismo de livre mercado é um sistema econômico voltado para a produção, no qual cada indivíduo é o proprietário dos frutos do seu trabalho e, consequentemente, possui grandes incentivos econômicos para produzir tanto para si próprio e sua família quanto para trocar seus bens excedentes pelos bens excedentes produzidos por terceiros.

    Já sob um arranjo socialista, tanto o trabalhador quanto seu supervisor, mesmo sob constantes ameaças de morte, jamais saberiam o que produzir, como produzir, em que quantidade produzir e com que qualidade. Essas direções econômicas são produtos do capitalismo de livre mercado e do sistema de preços, ambos abolidos sob o socialismo.

    Sob o capitalismo, o indivíduo se especializa em produzir bens que podem ser livremente trocados pelos bens produzidos por terceiros. Essa é apenas uma maneira de ilustrar a Lei de Say: a produção tem necessariamente de anteceder o consumo, e a própria produção cria uma demanda por outros produtos.

    Por exemplo, um agricultor pode cultivar milho para a sua própria família ou para alimentar seu rebanho, mas ele irá vender a maior parte do seu milho no mercado em troca de dinheiro. E ele utilizará esse dinheiro para satisfazer todas as suas necessidades e desejos. Sua plantação de milho, portanto, representou sua demanda por outros bens e serviços, e o dinheiro foi simplesmente o meio de troca que ele utilizou para satisfazer sua demanda.

    Keynes tentou refutar a Lei de Say alegando que a demanda, por si só — criada artificialmente por meio da impressão de dinheiro pelo Banco Central —, iria estimular a produção. Ele tentou, de maneira ilógica e sem êxito, colocar o consumo antes da produção [N. do E.: exatamente como fez o governo brasileiro ao adotar a Nova Matriz Econômica]. Isso gera apenas inflação de preços e endividamento.

    Até hoje, Keynes é extremamente popular entre políticos adeptos da gastança, aos quais ele concedeu a teoria intelectual e o imperativo moral de gastar o dinheiro que não têm.

    Estamos testemunhando hoje, em tempo real, o resultado de 150 anos de socialismo europeu chegando ao seu estágio final na Grécia. Os cidadãos europeus dos países produtores de riqueza — e que sustentam todo o arranjo da União Europeia por meio de seus impostos — estão começando a perceber que foram, todo esse tempo, espoliados pela UE, que, ao garantir explicitamente não deixaria nenhum governo quebrar, criou um risco moral irreversível: qual governo adotaria uma política fiscal cautelosa sabendo de antemão que, se quebrasse, seria socorrido pelos pagadores de impostos de outros países?

    A Grécia simplesmente acreditou piamente nessa garantia, e adotou políticas fiscais expansionistas que levaram o país à falência. Outros países da UE não estão muito atrás.

    Passou de hora de dar uma chance ao capitalismo de livre mercado na Europa: ele funcionou todas as vezes em que foi adotado.

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2132

  99. Elias said

    Chesterton # 94

    “- Eu votaria contra redução da maioridade penal se todos os esquerdistas contra fossem presos quando os menores impunes reincidissem. Que tal?” (Felipe de Tal, a quem o Chester acha muito engraçado)

    É mesmo… Hilário!

    É por causa desses trastes que pessoas decentes que querem ser oposição acabam desistindo…

  100. Elias said

    “Keynes tentou refutar a Lei de Say alegando que a demanda, por si só — criada artificialmente por meio da impressão de dinheiro pelo Banco Central —, iria estimular a produção. Ele tentou, de maneira ilógica e sem êxito, colocar o consumo antes da produção [N. do E.: exatamente como fez o governo brasileiro ao adotar a Nova Matriz Econômica]. Isso gera apenas inflação de preços e endividamento.” (“Diversos”, citados pelo Chester)

    Foi por causa disso que Keynes foi um fracasso, né não? Um completo fracasso!

    Sucesso, mesmo, são esses “diversos”, que fizeram o… Fizeram a… Tudo bem, não fizeram merda nenhuma… Mas, quando fizerem, vocês vão só a merda que eles vão fazer…

  101. Elias said

    “A Grécia ilustra 150 anos de fracasso do socialismo na Europa” (“Diversos”, citados pelo Chester, o Doido)

    Ah é?

    Quer dizer que a Europa tá ferrada? Já foram dizer isso pra Alemanha, pra Dinamarca, pra Holanda, pra Inglaterra…?

    Não? Então, “diversos”, corram pra avisar… Porque aqueles malucos ainda não se deram conta disso, e continuam vivendo no bem bom…

    A França até deu bolsa de estudos estatal pro Chester, que aceitou porque franco é moeda forte, embora ele seja antiestatista por convicção, totalmente contrário ao financiamento da educação com dinheiro público…

    E foram governos “socialistas” da Grécia que fundiram o país? Quer dizer, aqueles caras que se diziam “liberais” eram, mesmo, socialistas infiltrados nos partidos de direita?

    Putz! Os direitopatas de hoje não acreditam nem nos próprios partidos…

  102. DAISE 2.0 said

    A verdadeira “República de Bananas”
    MERVAL PEREIRA
    08.07.2015 08h00m

    Fala-se com muita facilidade em golpes antidemocráticos da oposição, para defender o mandato da presidente Dilma, que está cercada pelos sete lados com acusações diversas, que vão desde o financiamento ilegal de sua campanha eleitoral até irregularidades fiscais e autorizações indevidas para o gasto público.

    Dizem que seríamos mal vistos internacionalmente caso um segundo presidente da República em 23 anos fosse impedido de continuar no cargo. Os Estados Unidos passaram por situação semelhante, e por questões bem mais prosaicas, e nunca foram chamados de “República de Bananas”.

    Depois de Richard Nixon ter renunciado em 1979, no escândalo do Watergate, para não ser impichado, 19 anos se passaram e em 1998 estourou o escândalo sexual do presidente Bill Clinton, que teve uma relação com uma estagiária da Casa Branca, Monica Lewinski.
    O caso quase levou ao seu impeachment, mas os Republicanos não tiveram votos suficientes para tal. Em nenhum momento falou-se de “golpe antidemocrático”, embora estivesse claro que os adversários do presidente se utilizavam do episódio para tentar derrubá-lo.

    Ora, seremos realmente uma “República de Bananas” se, ao contrário, decidirmos que um presidente da República está acima da lei e pode fazer qualquer coisa no exercício do cargo, por que foi eleito pelo povo.

    Seremos uma “República de Bananas” se o presidente da República se sentir com força suficiente para enfrentar os órgãos de controle como o Tribunal de Contas da União (TCU) ou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e desafiá-los, como fez a presidente Dilma na entrevista que concedeu à Folha.

    Querendo transformar a polêmica em que está envolvida em “luta política”, o que ela quer é minimizar as irregularidades cometidas. Ao admitir que fez realmente as “pedaladas” fiscais, sem encontrar explicações dentro da lei que as justifiquem, alega que governos anteriores, especialmente os de Fernando Henrique, também fizeram.
    Como se um erro justificasse outro, se é que ocorreram mesmo as “pedaladas” anteriormente. Caberá a ela provar isso no documento que encaminhará ao TCU, e nem por isso sua burla à Lei de Responsabilidade Fiscal deveria ser perdoada, embora já existam políticos se movimentando para chegar a um acordo possível, isto é, caso o TCU rejeite as contas com base nas “pedaladas”, que a presidente admita o erro e se comprometa a não utilizar mais essa “contabilidade criativa”.

    Mas e as demais acusações, de aumento de gastos sem autorização do Congresso, gastos além do previsto no Orçamento para aumentar programas sociais como o Bolsa Família ou o Fies em ano eleitoral? . O fato é que a presidente “piscou”, chamou para dentro do Palácio do Planalto a crise que pode levar a seu impeachment, como bem registrou o senador Romero Jucá, um observador atento do cenário político há muito tempo, comparando-a a Collor antes do ocaso de sua presidência.

    As reuniões políticas durante o dia e a entrevista à Folha tiveram a intenção de reanimar a base política, que anda desorientada. Mas na verdade ela está dependendo mesmo é do PMDB, que será o juiz da questão no Congresso.
    O PMDB provavelmente não aceitará uma solução que implique a impugnação da chapa, pois o vice Temer será levado de roldão, mas uma impugnação da presidente Dilma é uma questão a ser negociada no momento em que se apresentar concretamente.

    A avaliação de forças levará em conta até mesmo o comportamento das ruas. Independe da vontade da presidente da República a decisão sobre seu mandato, embora atitudes como as de segunda-feira possam criar fatos políticos a seu favor, para protegê-la.
    A reação política tem um valor em si, inclusive para a definição dos ministros do TCU e do TSE. É evidente que impichar um presidente não é uma tarefa trivial, é preciso prova conclusiva. Mas a presidente Dilma está fraca politicamente, com apenas 9% de aprovação, e a tendência não é melhorar.
    Essa “luta política”, no momento, é desfavorável a ela, inclusive por que os fatos estão contra ela, com ou sem bravatas.
    E, afinal, numa democracia, os fatos devem falar mais alto do que os arreganhos do Poder.

  103. Elias said

    “Por exemplo, um agricultor pode cultivar milho para a sua própria família ou para alimentar seu rebanho, mas ele irá vender a maior parte do seu milho no mercado em troca de dinheiro. E ele utilizará esse dinheiro para satisfazer todas as suas necessidades e desejos. Sua plantação de milho, portanto, representou sua demanda por outros bens e serviços, e o dinheiro foi simplesmente o meio de troca que ele utilizou para satisfazer sua demanda.” (“Diversos”, citados pelo Chester)

    PUTA-QUE´-O-PARIU!!!!!

    Então é isso????????

    Renda = Produto!!!!!!!

    E ninguém sabia disso, até que os “diversos” descobriram, pra “explicar” a crise da Grécia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Mais alguns anos de pesquisa, e “diversos” estabelecerão que, sendo Renda = Produto, segue-se que Fluxo Nominal = Fluxo Real.

    Tempos depois, farão outra descoberta sensacional: a de que Renda = Renda do Trabalho + Renda do Capital (lucro + aluguel + juros). Em outras palavras: Renda = Valor Agregado Bruto.

    Isso feito, estabelecerão que, sendo Produto = Renda, e posto que Renda = Valor Agregado Bruto (salário + lucro + aluguel + juro), logo, Valor Agregado Bruto = Produto Interno Bruto. Ou seja, PIB = salário + lucro + aluguel + juro.

    Feito isto, “diversos” terão inventado a base de uma coisa chamada Corrente Estruturalista da Teoria Econômica.

    Mas, aí, descobrirão também que, muito antes deles, Keynes e Kalecki já haviam “fundado” a corrente estruturalista.

    Só então perceberão a merda que fizeram: ao tentar contestar Keynes, usaram uma abordagem teórica que confirma Keynes, em vez de contestá-los, até porque essa abordagem foi construída por ele…

    Mas “diversos” jamais desistirão! “Diversos” nunca desistem!

    Frustrada sua genial análise macroeconômica, “diversos” partirão pra inventar um artefato capaz de proteger os humanos dos rigores do sol e da chuva.

    Eles pegarão um pedaço de tecido e o prenderão habilmente a hastes de madeira ou metal, fixadas como radiais em um núcleo também metálico, o qual, por seu turno, estará fixado em outra haste, também de madeira ou metal, a ser segura pelos usuários em posição vertical.

    “Diversos” já têm até um nome para esse invento revolucionário: GUARDA-CHUVA!

    “Diversos” são phodais…

  104. Pax said

    Elio Gaspari comenta que Eduardo Azeredo, o pai, criador dos modelos de mensalões, amplamente copiado, foi convidado de honra na convenção do PSDB neste domingo passado. Mesma convenção em que o aeroportista Aécio subiu nas tamancas e deixou Alckmin e Serra enciumados com suas pretensões de subir a rampa do Planalto prematuramente, agredindo o rito eleitoral natural.

    Eduardo Azeredo surfa no limbo onde engavetam-se processos.

    Estranhamente mais processos de um lado que de outro, que nos faz questionar a figura da balança equilibrada da nossa Justiça.

    Parafraseando um conhecido que escreve em outro fórum onde participo de discussões políticas, local onde nos abrigamos para melhor discutirmos a situação fora desse Coliseu de imbecilidades que muitos passaram a praticar na internet, em especial por aqui no Facebook, tem horas que chego a ter pena de Dilma.

    Até que…

    Me lembro de Belo Monte, das populações ribeirinhas, dos povos indígenas, das minorias, de Kátia Abreu no ministério, das nossas florestas devastadas, da cobrança no lombo do povo por conta uma gastança irresponsável e roubalheira incontrolada, os 20.000 cargos de confiança mantidos, a distribuição de sesmarias governamentais para uma base aliada que só quer mamar o leite produzido com o suor dos brasileiros, quase 40 misteriosos ministérios e tantos etcétaras.

    Aí esse sentimento se esvai, como disse esse tal colega do grupo de discussão.

    Quando olho o que se tornaram PSDB e PT, seguindo os mesmos caminhos do PMDB quando todos chegaram ao desonesto modelo do poder brasileiro, verifico que estes partidos que não representam mais nada do que penso, e concluo que Eduardo Cunha e Renan Calheiros nadam às braçadas no nosso Congresso por razões muito compreensíveis.

    E aqui embaixo, no mundo do dia a dia, só falta acenderam o pavio.

    Para que tudo fique ainda pior, numa inevitável ruptura de todas instituições e do frágil tecido social brasileiro da atualidade, onde irmãos brigam com irmãos, na defesa de alguns que só querem seus patacões.

    Infelizmente não nutro mais o sonho de um pacto social onde os interesses nacionais sejam maiores que os interesses da mesma meia dúzia de sempre.

    Hoje em dia nossa Constituição Cidadã de 1988 vale menos que uma nota de R$ 3,00, é o que me parece.

    (p.s.: tenho certeza que vou me arrepender de apertar esse “Publicar”)
    http://naofo.de/5mc4

  105. Elias said

    “A Grécia ilustra 150 anos de fracasso do socialismo na Europa” (“Diversos”, citados pelo Chester, o Doido)

    É isso mesmo!

    Todo mundo sabe que a Europa é um continente de miseráveis. Em 150 anos, os socialistas levaram a Europa a falência.

    Sinceramente, não sei o que será dos EUA, com aquelas multidões de esfaimados suecos, alemães, dinamarqueses, belgas, franceses, ingleses, austríacos, etc., todos querendo entrar no país.

    Onde arranjar lugar pra essa multidão de fracassados?

    Vai acabar sobrando pro Chile…

  106. Elias said

    “Depois de Richard Nixon ter renunciado em 1979, no escândalo do Watergate, para não ser impichado, 19 anos se passaram e em 1998 estourou o escândalo sexual do presidente Bill Clinton, que teve uma relação com uma estagiária da Casa Branca, Monica Lewinski.
    O caso quase levou ao seu impeachment, mas os Republicanos não tiveram votos suficientes para tal. Em nenhum momento falou-se de “golpe antidemocrático”, embora estivesse claro que os adversários do presidente se utilizavam do episódio para tentar derrubá-lo.” (Merval, citado por Daise)

    Ao contrário, Merval…

    Ainda hoje, o episódio da Chupinsky é ironizado nos EUA como uma tentativa de golpe dos republicanos. Tentativa que virou piada, ainda hoje usada — e como! — nos humorísticos da tevê.

    O que os republicanos alegaram, em sua tentativa de deposição? Alegaram que Clinton havia mentido, ao negar ter feito sexo com a Chupinsky. E a Constituição americana proíbe que o Presidente da República falte com a verdade, no exercício do cargo.

    E o que fez George Bush, ao afirmar que o governo tinha provas irrefutáveis de que o ditador iraquiano, Sadam Hussein, tinha “armas de destruição em massa” (primeiro “atômicas”, depois “biológicas”…). Mentiu, certo?

    Segue-se, então, que os republicanos (e alguns democratas também, né?) consideram uma, digamos, “falada ao microfone”, como a da Srta. Chupinsky, algo muito mais grave do que uma guerra que custou — e ainda custa — a vida de um porradal de americanos, e que foi deflagrada no momento em que o governo havia reduzido os impostos em mais de 25% (50% para os mais ricos), levando a União (com menos receita e mais despesa) a contrair o maior endividamento público jamais feito por um país, em toda a história da humanidade.

    Mais cretino que isso, impossível!

    A direita brasileira é mesmo uma merda…

    Tem toda uma avenida pra criticar o atual governo petista — que é outra bosta, por sinal. E, quando tenta, das centenas de milhares de exemplos que existem no mundo, pega, exatamente, aquele que não lhe serve.

    Bundões!

  107. DAISE 2.0 said

    Elias knows bet –

    O papai sabe-tudo do sítio do pica-pau vermelho vive nos deixando ignorantes…sem contar pra nós o que só ele sabe:

    Tem toda uma avenida pra criticar o atual governo petista — que é outra bosta, por sinal. E, quando tenta, das centenas de milhares de exemplos que existem no mundo, pega, exatamente, aquele que não lhe serve.

    Por favor Elias conte pra nós.rsrsrs

  108. Elias said

    Daise,

    Eu comentei o texto DO MERVAL!

    Não tenho nada te dizer, sua anta, até porque tu não apresentas nada teu aqui.

    Tu só fazes copiar e colar coisas que outros dizem.

    Fica no teu lugar de bate pau. Quando a conversa chegar na pocilga, prometo que te dou um chute na bunda, pra que não te sintas ignorada.

    Mas que merda…!

  109. DAISE 2.0 said

    Badass knows best

    Você só foge, inventa argumentos estupefacientes e ainda sai ofendendo quem ousar pensar diferente.

    Você é um covardão metido a intelectual petista- um porteiro de quadrilha como o Pax te qualificou.

    Elis conta pra nós a verdade que só vc sabe.
    Confesse a sua imensa ignorância e falta de vergonha intelectual.

  110. Pedro said

    No aniversário do vexame 7 x 1

    Eis que:

    “A desmoralização do futebol brasileiro não tem limites.

    Zico denunciou mais um escândalo na CBF. E já existem provas da participação e lucro de Gilmar e Dunga na negociação de jogadores convocados. Segundo dossie que está nas mãos de zico. A dupla recebeu um percentual de participação nas seguintes negociações:

    1- venda de Danilo para Real Madrid: R$ 108 milhões

    2 – venda de Douglas Costa para o Bayern:R$ 103 milhões

    3- venda de Firmino para o Liverpool: R$ 140 milhões

    4- venda de Luiz Adriano para o Milan: R$ 27 milhões

    5- venda de Miranda para a Inter de Milão: R$ 50 milhões

    6- possível ida de robinho para futebol chines

    7- valores nao declarados das negociações de tardelli e Everton Ribeiro com futebol chinês

    8- venda do lateral fabinho para Manchester City R$ 73,4 milhões

    Nota-se claramente q este último era para ser titular com a lesão de Danilo, porém sua convocação deu-se apenas para valorizar seu passe. Sequer jogou a copa América.

    Zico forneceu copias para alguns amigos próximos e pleiteou a ajuda de Romário.

    Divulguem para que o futebol brasileiro seja moralizado.”

    Fonte: jornalista Cosme Rímoli. Email: cosmerimoli@gmail.com – revista isto é

    Tamumal

  111. Elias said

    “Você só foge, inventa argumentos estupefacientes e ainda sai ofendendo quem ousar pensar diferente.” (Daise)

    “Quem ousar pensar diferente”?

    Tu só podes ser doida, quenga!

    Quando foi que tu já apresentaste um pensamento teu aqui?

    Tu só copias e colas. Bate pau!

    Vou repetir pela última vez: quando a conversa chegar no chiqueiro, prometo te dar um pontapé na bunda, pra que não te sintas ignorada.

  112. DAISE 2.0 said

    Quando foi que tu já apresentaste um pensamento teu aqui?

    Agora há pouco Badass e vou repetir:

    Você só foge, inventa argumentos estupefacientes e ainda sai ofendendo quem ousar pensar diferente.

    Você é um covardão metido a intelectual petista- um porteiro de quadrilha como o Pax te qualificou.

    Elis conta pra nós a verdade que só vc sabe.
    Confesse a sua imensa ignorância e falta de vergonha intelectual.

  113. Chesterton said

  114. DAISE 2.0 said

    CADÊ O SALVA VIDAS?

  115. DAISE 2.0 said

    O golpe de Temer

    Brasil 08.07.15 12:31
    Dilma Rousseff se mandou para Ufá, na Rússia, e o presidente em exercício Michel Temer aproveitou para dar um golpe.

    Ele disse, na Câmara:

    “Devemos pensar no Brasil. A oposição existe também para ajudar a governar, mesmo quando critica. Temos que fazer uma grande unidade nacional, mais do que nunca é necessário o pensamento conjugado dos vários setores da nacionalidade, portanto dos vários partidos políticos, para que caminhemos juntos em beneficio do Brasil”.

    Se Dilma Rousseff demorar muito, Michel Temer vai mandar trocar a fechadura do Palácio do Planalto.
    O.A.

  116. Elias said

    “Você só foge, inventa argumentos estupefacientes e ainda sai ofendendo quem ousar pensar diferente.” (Daise)

    Isso é argumento, sua besta?

    Eu apresentei um raciocínio que se contrapõe ao raciocínio do Merval. DO MERVAL. Não teu.

    Tenta me contestar, com argumentos TEUS, sua anta!

    “Elis conta pra nós a verdade que só vc sabe.” (Daise)

    A bruaca fica tão excitada quando se dirige a mim, que erra até quando escreve meu nome.

    Quando foi que eu disse que tenho uma verdade só minha, sua besta?

    Eu citei o que é de domínio público, visto por milhões de pessoas, em estações de tevê cujos programas são exibidos em uma porrada de países.

    Não é “verdade que só eu sei” sua anta. Aprende a argumentar!

    E tu é que tens que contar como vives e o que fazes pra viver, numa lavanderia que alveja dinheiro do roubo, da corrupção, da sonegação e do narcotráfico…

    Bate pau de delinquente!

  117. Elias said

    Daise, sua mula,

    Estou esperando que tu contestes qualquer um dos textos que escrevi acima… MEUS TEXTOS, COM RACIOCÍNIOS MEUS!

    Quero ver tu contestá-los, com textos e raciocínios TEUS!

    Aí veremos, de nós dois, quem é o intelectualmente covarde.

    Mete a cara, bruaca!

  118. Pedro said

    Êta que baixou o caboclo brigador, no Judeu filho de Iemanjá, devoto de Santo Expedito.

    Agora não tem mais jeito Daise, te mexe, queremos ver sangue… :-)

  119. Chesterton said

    Conta mais, conta mais!!!

    http://www.revoltabrasil.com.br/corrupcao-2/6345-segundo-dirceu-lula-e-covarde-e-esta-no-mesmo-saco-que-ele-nos-escandalos-de-corrupcao-diz-site.html

  120. Chesterton said

    E se você fosse a Grécia? Melhor: se você fosse o governo grego? A primeira parada para entender a crise não é por que o governo grego cogita abandonar a União Europeia (UE). A primeira questão é: por que o governo grego quis tanto e conseguiu entrar para UE em 1981? Simples. Imagine que estamos em 1981 e você é o governo da Grécia. Você está quebrado. Seu salário não cobre as despesas da casa e de sua família ampliada. Isso mesmo. Você é um baita cara generoso, sedento de aprovação e, para isso, sustenta mulher, filhos e os parentes próximos e distantes que não gostam de trabalhar ou que se julgam muito velhos para a labuta. Então você paga as despesas com seu cartão de crédito. Quando ele estoura, você pega empréstimos para cobrir o rombo do cartão. As operadoras e os bancos, cientes que você é um risco em potencial, cobram 18% de juros. Você não tem saída até que… Bem, até que aparece a oportunidade de entrar para um clube de gente tão distinta, tradicional e financeiramente sólida que basta ser aceito para que, ao invés de 18%, os juros cobrados em cima de sua dívida caem para 3%. A aceitação da Grécia na UE equivale a você entrar para o clube de gente rica e bacana – e ser tratado como um deles. Você passa a oferecer um risco bem menor, pois, fica implícito que se não honrar seus compromissos os ricões seus amigos correrão a ajudá-lo.

    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/e-se-voce-fosse-a-grecia

  121. Chesterton said

    Lauro Jardim não sacou Eduardo Cunha e informa que ele convocou para o próximo dia 17 de julho uma transmissão de cinco minutos em cadeia nacional de rádio e TV. Diz o colunista da Veja que ele vai falar sobre as realizações da Câmara no primeiro semestre deste ano: redução da maioridade penal, reforma política, regulamentação da Lei das Domésticas e mudança na lei de terceirização. Acontece que 17 de julho esgota os trinta dias que o TCU deu de prazo para Dilma explicar o crime das “pedaladas fiscais”. TCU pode rejeitar e Congresso aprovar a rejeição em sessão extraordinária. O presidente da Câmara dos Deputados poderá estar anunciando, em rede nacional, coisas muito importantes. Até mesmo o início do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

    chest- xiiii, tá na boca do sapo.

  122. Elias said

    Fluxo cambial no Brasil:

    Em maio (negativo): US$ 2,1 bilhões.
    Em junho (negativo): US$ 4,7 bilhões

    É a Parábola do Frango de Jacareí, tamanho família.

    Quando o Levy parar de “ajustar” vamos ver o que sobra…

    Por ora, já são algumas dezenas de milhões de pessoas com saudade do desajuste…

  123. Elias said

    Mais do frango de Jacareí:

    Segundo a CNI, mais de 50% das indústrias extrativas e de transformação reduziram o número de empregados nos últimos 6 meses… E continuarão a demitir nos próximos 6 meses.

    As empresas de médio porte foram as que mais demitiram: 54% delas cortaram pessoal. Segue-se as de pequeno porte, com 49% e, por fim, as de grande porte, com 48%.

    Do ponto de vista setorial, o setor automobilístico puxa a procissão do arrocho: 78% das indústrias reduziram o quadro de empregados. Equipamentos de transporte (aviões, navios, reboques, etc.), vem a seguir, com 73%. Na rabeira do cortejo está o setor de bebidas, com portentosos 58%.

    Problema? queda da demanda!

    Agora, se levarmos em conta que cada emprego no setor automobilístico gera 10 outros postos de trabalho, à montante e à jusante, dá pra imaginar o que virá a seguir…

    Além do mais, com as indústrias produzindo e vendendo cada vez menos, até mesmo o Chester é capaz de dizer o que acontecerá com a arrecadação de impostos.

    Aí, com a receita pública cada vez menor, o governo terá que fazer mais “ajustes”, tentando compatibilizar essa receita cada vez menor com a despesa… Cujas metas de redução nunca são nem serão atingidas, claro, até porque os itens mais importantes de despesa são “imexíveis”…

    Mas o corte de despesa possível — principalmente o corte nos investimentos — vai gerar uma queda brutal na demanda. Por isso, o setor produtivo se verá obrigado, tal como agora, a reduzir ainda mais suas atividades.

    Essa redução na atividade produtiva tem como consequência uma nova redução na arrecadação tributária, que…

    Pois é… Queda na demanda!

    Mas, como diriam “diversos”: Keynes se enganou redondamente.

    Logo, Levy está certo…

  124. Chesterton said

    Por ora, já são algumas dezenas de milhões de pessoas com saudade do desajuste…

    ai, ai,ai….virou grego?

  125. Elias said

    Se Keynes estivesse, mesmo, enganado, não haveria, no sistema capitalista, uma coisa chamada “crédito”.

    “Crédito” nada mais é do que gastar uma renda que só será gerada no futuro…

  126. Elias said

    “Por ora, já são algumas dezenas de milhões de pessoas com saudade do desajuste…ai, ai,ai….virou grego?” (Chester, dizendo besteira, como sempre)

    Não, sua besta!

    Estou falando das milhares de empresas que estão falindo, e do porrilhão de pessoas que, por causa disso, estão perdendo seus empregos…

    Entendeu, sua anta?

  127. DAISE 2.0 said

    Elis, o falso brilhante

    É mentira que vc apresentou um raciocínio que é contra o raciocínio do Merval.
    Você, como sempre, deturpou o sentido do que está escrito pra vender seu verboroso “peixe podre”.
    Merval escreve contra “pensadores petistas”(oxímoro) que pregam o desrespeito às Leis (- a presidente poderá legalmente ter sua diplomação cassada no TSE ou impedida por crime de responsabilidade fiscal, no Congresso). E como sempre passaram a acusar a oposição de golpista.

    Aí entra um primeiro cheirinho podre, que não é o seu petismo, embora este
    também feda bastante. É fedido deturpar o que está escrito para atacar o
    articulista, no caso, usando Bush (o grande satã) como exemplo.
    Até porque os Democratas tentaram impedir Bush várias vezes, mas foram derrotados por falta de votos e apoio popular. Bush foi re-eleito.
    Ele pode frequentar restaurantes.

    Mas o seu grande fedor de peixe podre é outro e constante.
    Trata-se de seu complexo de superioridade (inferioridade?) ao escrever
    criticando todo mundo que ouse discordar do “falso brilhante” que esconde a
    sua personalidade prepotente e dominadora.
    Um anão que usa a agressividade intelectual para parecer um gigante.
    Zircônia de má qualidade.

    Vc, Elis é a própria Parábola do Frango de Jacareí.
    Muita farofa e pouco frango.
    Ou como diria minha tia desbocada, aquela santa:
    muito peido é sinal de pouca merda!

  128. DAISE 2.0 said

    Reinaldo Azevedo na lata!

    Presidente Dilma, vamos ser claros: se a senhora fica, é ruim; se sair depois de um longo desgaste, é ruim! Renuncie ou encaminhe para já a emenda parlamentarista. O Brasil merece a sua generosidade
    Postado:Wed, 08 Jul 2015 19:41:42 +0000

    Michel Temer, vice-presidente da República e coordenador político do governo na relação com o Congresso — e só nisso, note-se — não deve deixar por agora essa função. Em algum momento, é certo que deixará. Mas por que o faria já? Seria largar o governo, vamos dizer, no mar da incerteza. Se, com ele na retaguarda, Dilma Rousseff já comanda a vanguarda da instabilidade, imaginem sem ele. A eventual saída da governanta tem de ser organizada. Não pode ser a explosão da manada da vaca louca. O transatlântico está emperrado. Não pode afundar. Então, parece-me, a natureza do jogo é Temer ficar mais algum tempo. A temperatura ainda não subiu o suficiente. Até porque, a depender do caminho que tome o eventual afastamento de Dilma, é ele o sucessor.

    Por que digo isso? O governo está dando como certo que o TCU recomendará mesmo a rejeição das contas de 2014. Por si, esse voto não conduz a uma denúncia por crime de responsabilidade. Há, pela frente, caso o tribunal realmente faça a recomendação, a votação no Congresso. Se o relatório for endossado, aí, sim, é praticamente certo que as oposições denunciarão a presidente à Câmara com base nos Artigos 10 e 11 da Lei 1.079. A tarefa continuará árdua. Nada menos de dois terços — 342 deputados — terão de acatar o pedido de investigação para afastar Dilma.

    Notem: esse não é uma disputa que se trava num cenário congelado. Se isso ocorrer, os demais agentes estarão atuando. As expectativas vão se deteriorando ainda mais, a confiança do empresariado cai, os especuladores (porque é do jogo) atuarão… Quem surge como a figura capaz de representar a voz do equilíbrio? É certo que seu nome é Michel Temer. Se ele sai já, põe o carro adiante dos bois.

    Ocorre que, numa outra frente, ele também pode ser inviabilizado. O caso que está no TSE não tem solução simples, não. Que resposta dará o tribunal se Ricardo Pessoa confirmar naquela instância o que está em sua delação premiada, a saber: teria repassado ilegalmente ao PT, sob pressão, R$ 7,5 milhões? Seria dinheiro sujo das negociatas na Petrobras. Nota: a delação de Pessoa já foi homologada pelo STF. Aí, meus caros, a cassação da diplomação de Dilma atinge Temer. Se isso ocorrer antes do fim de segundo ano de mandato, é preciso marcar novas eleições para o período que restar até 2018.

    O caminho da Justiça Eleitoral, no entanto, é longo. Alguém pode pedir vista — sem prazo para entregar o voto —, e cabem recursos. Enquanto isso, o país permaneceria numa espécie de “sursis”, à espera do nada. E por que digo que é à espera do nada?

    Porque Dilma já não governa mais, vamos reconhecer. Aliás, nos bastidores, os petistas são os primeiros a concordar comigo. A sua única atuação na Presidência tem sido empurrar a realidade com barriga e lutar para não perder o cargo. Faltam três anos e meio para terminar o mandato, e a presidente não tem mais o que oferecer. Os petistas ainda tentam fingir que é a oposição quem turbina a instabilidade. Mas todos sabem, inclusive os companheiros, que isso é mentira: hoje, o nome da crise política, que impede o devido equacionamento da econômica, é Dilma.

    A melhor coisa a presidente poderia fazer ao país é mesmo renunciar ao mandato. Sei que há pouca literatura política a respeito, mas afirmo mesmo assim: há uma hora em que os países só podem contar com a renovação das esperanças. Vira o grau zero a partir do qual se dá o primeiro passo. E Dilma já não estimula mais ninguém. Poderia contar com a força mobilizadora do seu partido, mas o PT também se descolou da realidade de maneira irremediável — e assim será por uns bons anos, se é que é consegue recuperar ao menos parte do seu prestígio.

    Dou a Dilma um linimento: ela não fez sozinha essa esparrela. A crise de um modelo caiu no seu colo e está a exigir uma capacidade que ela está obrigada a reconhecer que não tem. Assim, em nome do bem coletivo, deveria cair fora ou encaminhar ela mesma — porque outras forças não o farão — uma emenda parlamentarista para este mandato. Dilma ficaria como chefe de Estado, responsável última pelas Forças Armadas — a gente não está em guerra mesmo — e pela representação do Brasil no Exterior. A gente só cortaria do repertório dela a mandioca, a bola de folha de bananeira e o lirismo da tocha olímpica. Ou melhor: a gente a proíbe de ler livros de antropologia antes de pegar no sono…

    Como diria Chico Buarque: presidente, ouça um bom conselho, eu lhe dou de graça. Inútil espernear que a crise não passa. Se a senhora resiste à deposição e fica, ruim para o Brasil. Se, depois de um longo desgaste, cai, ruim para o Brasil. Quando a senhora foi eleita, ganhou também o direito de renunciar. Exerça-o. Ou entregue ao Parlamento a tarefa de governar.

  129. DAISE 2.0 said

  130. DAISE 2.0 said

    Enquanto isso….lula pensa:

  131. Chesterton said

    não, Elias, não. Até algumas décadas atrás havia o padrão ouro. Quer gastar, hein?

  132. Chesterton said

    Alias,não foi Keynes quem inventou o crédito,os templários juá faziam isto.

  133. Chesterton said

    Estou falando das milhares de empresas que estão falindo, e do porrilhão de pessoas que, por causa disso, estão perdendo seus empregos…

    chest- eu avisei, imprimir dinheiro, gerar crédito, sem lastro,dá nisto.

  134. DAISE 2.0 said

    Justiça abre ação contra Renan por suposto recebimento de propina
    RICARDO BRITO E BEATRIZ BULLA – O ESTADO DE S. PAULO
    08 Julho 2015 | 17h 27

    O Ministério Público Federal acusa Renan de ter despesas de um ‘relacionamento extraconjugal’ pagas pela Mendes Junior na sua primeira passagem pelo comando do Senado (2005-2007).

  135. DAISE 2.0 said

    VOLUME MORTO É O SEU …(CENSURADO)

  136. DAISE 2.0 said

    CALA A BOCA: EU SAÚDO A MANDIOCA E VC NÃO TEM NADA A VER COM ISSO!

  137. DAISE 2.0 said

    CALA A BOCA: FOI VC Q ME METEU NESSA, COVARDÃO!

  138. DAISE 2.0 said

  139. DAISE 2.0 said

    SEM COMENTÁRIOS…

    petistas sofrem como os judeus ….na guerra da Alemanha. que vergonha Elis, rsrsrs

    .

  140. Chesterton said

  141. Chesterton said

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2017

    A conclusão é fragorosa e deve servir de lição: sim, um país pode quebrar por gastar excessivamente com “políticas sociais”.

    Não é questão de ideologia, mas sim de contabilidade.

    Mais ainda: para evitar essa quebra, é imprescindível que ele tenha de cortar de maneira intensa todos os gastos voltados às políticas sociais.

    No entanto, longe de ter aprendido a lição e de assumir a culpa pelo próprio desastre, o novo governo grego não apenas aponta o dedo para terceiros, como ainda promete voltar a aumentar maciçamente o gasto público (estão prometendo mais benefícios sociais, energia gratuita para 300 mil gregos, e mais moradias populares).

    É óbvio, portanto, que não entenderam nada.

    A questão é simples: quem não pode pagar indefinidamente, não pode gastar indefinidamente.

    País nenhum.

  142. Chesterton said

    Se Keynes estivesse, mesmo, enganado, não haveria, no sistema capitalista, uma coisa chamada “crédito”.

    “Crédito” nada mais é do que gastar uma renda que só será gerada no futuro…

    chest- eu não canso de rir.

  143. DAISE 2.0 said

    O mais pelado da praia
    09/07/2015 02h00
    O euro foi introduzido em 12 países da Europa no dia 1º de janeiro de 2002. Hoje, 19 Estados europeus utilizam a moeda. Foram necessários dez anos para o planejamento da troca de marcos, francos, escudos, dracmas, etc., pela moeda única.

    O projeto foi capitaneado por Alemanha e França, os dois mais industrializados e exportadores da região. Aos alemães interessava ter vizinhos-compradores com moeda forte para se endividar e adquirir seus BMWs e demais produtos.

    À França, o mesmo. De quebra, os franceses acabariam com a hegemônia que o marco alemão mantinha na região, onde reinava como a moeda mais forte e menos inflacionada.

    Quem visitou países como Portugal, Grécia e mesmo Espanha antes do euro e esteve lá pouco antes da crise global de 2008 viu a diferença que faz uma moeda forte. A paisagem se transformou, com megaempreendimentos imobiliários, novas lojas e um “novo riquismo” aparente.

    Entre a criação do euro e a Grande Recessão a partir de 2009 o mundo teve o maior período de crescimento do pós Segunda Guerra. Isso permitiu aos países então “periféricos” da Europa viverem como se não houvesse amanhã.

    Houve um “boom” de endividamento, pois os governos podiam tomar empréstimos tendo como lastro o euro, a mesma moeda de Alemanha e França.

    Uma das boas imagens para a crise financeira global de 2008 é a de uma maré que esvaziou rapidamente, até o tornozelo dos países-banhistas.

    O que se viu foram os “novos ricos” Grécia, Portugal, Irlanda e mesmo Espanha quase pelados, sem condições de honrar compromissos assumidos. Nesse ambiente, a rolagem dos débitos ficou cada vez mais cara, fazendo explodir o endividamento.

    Com a crise instalada e a praia seca, a Alemanha deu início ao processo de obrigar os endividados a ajustar suas contas. A cortar aposentadorias, benefícios sociais e outros gastos considerados exagerados. O interesse inicial de vender para os “novos ricos” se converteu em colocá-los na linha para que não fosse necessário socorrê-los.

    Enquanto países como Espanha, Portugal e Irlanda ainda lutam para apertar os cintos e reduzir o endividamento, o tempo parece ter se esgotado para a Grécia.

    Há mais de dois anos o sistema bancário europeu acumula reservas para enfrentar um possível calote grego. A quebra não será uma tragédia do ponto de vista dos demais.

    Internamente, os gregos já sacaram tantos euros dos bancos com medo da saída do país da moeda única que o sistema talvez não aguente nem uma semana de saques individuais de 60 euros/dia.

    Sem solução para o impasse e sem euros, a Grécia será obrigada a imprimir um papel (bônus, dracmas?) para pagar salários, aposentadorias e abastecer os bancos.

    A Grécia produz basicamente bens agrícolas de baixo valor agregado, têxteis, algo de produtos metálicos e pouco de petróleo e gás. Importa três vezes mais produtos do que exporta.

    Seus fornecedores continuarão abastecendo o país em troca de um papel que não é mais o euro? Quanto esse papel vai se desvalorizar logo de saída? Haverá uma megarecessão com hiperinflação?

    Pode ser um caos. E a Alemanha terá um grande “case” para mostrar o que acontece a quem não segue as suas regras.

    Fernando Canzian (FSP)

  144. DAISE 2.0 said

  145. Elias said

    “Se Keynes estivesse, mesmo, enganado, não haveria, no sistema capitalista, uma coisa chamada “crédito. Crédito” nada mais é do que gastar uma renda que só será gerada no futuro…” (Elias)

    “chest- eu não canso de rir.”

    Excelente argumento, que mostra toda a capacidade do Chester de não dizer nada que se aproveite.

    O Chester só presta pra copiar e colar. Quando ele tenta tirar alguma coisa da própria cabeça… Só sai merda!

  146. Elias said

    “Estou falando das milhares de empresas que estão falindo, e do porrilhão de pessoas que, por causa disso, estão perdendo seus empregos…” (Elias)

    “chest- eu avisei, imprimir dinheiro, gerar crédito, sem lastro,dá nisto.”

    A economia está parando porque o governo parou de investir, idiota.

    E investimento de governo se faz com crédito.

    Uma hidrelétrica, p.ex., é um equipamento que dura mais de 100 anos.

    É burrice, do ponto de vista econômico, e injusto, do ponto de vista social, fazer com que uma única geração de contribuintes pague por um benefício que será usufruído por várias gerações.

    Tu, que vives choramingando contra os impostos altos, não percebes a contradição do que tu dizes?

    É no que dá ficar copiando e colando o que outras pessoas escrevem, sem nem entender do que se trata…

    O crédito, o endividamento, é o mecanismo por meio do qual os governos distribuem, no tempo, o custo dos investimentos.

    E crédito é geração de moeda. Crédito é expansão dos meios de pagamento, porque ele permite desembolsar uma renda que ainda não foi gerada. Crédito é “renda futura”.

    “Imprimir moeda sem lastro” é papo de quem não sabe o que está falando. Ninguém mais expande meios de pagamento “imprimindo” dinheiro, até porque a moeda manual representa uma parcela ínfima da moeda em circulação.

    “Imprimir moeda” é expressão de antigamente. Mil novecentos e já esqueci…

    Anta!

  147. Pedro said

    Googlias, vc concorda com isso mesmo?

    Por outro lado, o Luiz Roberto Cunha, da PUC-Rio, diz:

    “Eu acho que a crise da Grécia vai ter que ter um fim agora. É impossível você estender muito mais essa coisa. O primeiro-ministro grego, que é muito inteligente, e o seu ministro das Finanças, que é um professor de teoria dos jogos, estão se divertindo, no bom sentido, jogando com a inconsistência do euro e dos políticos europeus. Eles estão ali, sorrindo, porque estão ali fazendo um experimento…”

    Os caras tão jogando e se divertindo com uma situação destas? Sorrindo com o sofrimento do povo grego?

    Sei não, parece que o Ministro das finanças jogou foi a toalha.

  148. Elias said

    “Alias,não foi Keynes quem inventou o crédito,os templários juá faziam isto.” (Chester)

    Mas que bosteira…!

    Nem eu disse que Keynes “inventou” o crédito.

    E por que templários? Idade Média? Na antiguidade — muitíssimo antes dos templários! — já havia crédito…

    Putzgrila!!!

    Eu me referi ao uso que Keynes fez do crédito no setor público, como indutor do crescimento econômico por alavancagem.

    Trocando em miúdos: o uso de gastos governamentais por antecipação de receita — ou, em linguagem técnica: “operações de crédito” (que podem ser “internas” ou “externas); endividamento público — para gerar crescimento econômico no setor privado.

    Entendeste agora? Não? Caceta!

    Roosevelt fez isso nos EUA, pra tirar o país da crise. Primeiro, com os programas do “New Deal”; depois, com os gastos de guerra.

    Ainda não entendeste?

    Se discordas, se queres contestar, tudo bem.

    Mas, pelo menos tenta entender do que tu estás discordando.

    Eu estou dizendo “Nabucodonosor” e tu estás entendendo “nabo no cu do senhor”.

  149. Elias said

    “não, Elias, não. Até algumas décadas atrás havia o padrão ouro. Quer gastar, hein?” (Chester)

    Até há algumas décadas atrás, havia o Ford Bigode.

    Até há algumas décadas atrás, se fazia escrituração contábil com mecanografia.

    Até há algumas décadas atrás usava-se a máquina de escrever.

    Até há algumas décadas atrás tu estavas na França, consumindo vinho nacional, bancado por uma bolsa paga com dinheiro público.

    Até há algumas décadas atrás a Sônia Braga era uma gataça! A Brigitte Bardot, idem! Também a Ursula Andress! E etc.

    Aí eu pergunto: E DAÍ?

    “Padrão ouro”? Mas que papo mais antigo…

  150. Elias said

    Pedro,
    O jogo é mais complicado.

    O ex-Ministro das Finanças grego saiu porque os credores não o viam com bons olhos na mesa de negociação. Além disso, ele liderou a campanha pelo “não” (e se tornou mais detestado, ainda).

    O melhor que ele tinha a fazer era sair do cargo, depois que proposta dele foi aprovada no plebiscito. Assim, ele tira da boca dos credores um dos argumentos (formais) que eles mais usavam, pra explicar o travamento das negociações: a presença dele.

    Mas é ingênuo pensar que ele não continuará a influenciar a conduta do governo grego…

    A expressão “se divertindo” é toda do Luiz Roberto Cunha, não dos governantes gregos. E ele mesmo ressalva: “no bom sentido”, ou seja, é uma figura de linguagem, que não deve ser entendida literalmente, né Pedro?

    O que tá na cara, é que:

    1 – A UE vai chiar, vai chiar, mas… Na hora do vamos ver, não vai deixar de ajudar a Grécia, porque isso terá consequências terríveis pros demais países (em especial, para os nacionais desses demais países, que são credores privados da Grécia).

    2 – O que os credores privados querem? Querem receber seu dinheirinho, certo? Eles sabem que a Grécia não tem condições de pagar, e não vai pagar, a menos que receba ajuda — e muita! — da UE. Por isso, os credores privados estão pressionando firme a UE, para que ajude a Grécia (já vimos um filme parecido, nos anos 1980, protagonizado por um país abençoado por Deus e bonito por natureza, né não?).

    3 – Claro que o atual governo grego sabe disso. Além do mais, não foi o atual governo que levou a Grécia a essa situação. Foram governos anteriores, que, para isso, contaram com o inestimável apoio e vista grossa da UE.

    4 – Na prática, o governo grego está dizendo, da boca pra fora: “Quem pariu o diabo que o embale!”. De verdade, mesmo, pra valer, o atual governo grego está, apenas, tentando negociar uma solução menos dolorosa possível. É o que qualquer governo faria, nas atuais circunstâncias.

    A meu pensar, é por aí que passa o tal “jogo”.

    Um cara que assiste o jogo na geral (como o Chester, p.ex.), reage dentro do modelito ideológico dele: vai, sempre, torcer contra um governo de esquerda; vai sempre dizer que o governo de esquerda é “culpado” (mesmo que não seja: quando o governo de esquerda assumiu, a Grécia já estava falida, e quem a levou à falência NÃO FOI um governo de esquerda, certo?). Mas o militante político de direita jamais vai reagir racionalmente, porque a galera de direita é, como toda galera, caracteristicamente, irracional. Pensar não é com esse tipo de gente, né mesmo?

    Um banqueiro europeu tá andando e andando pra esse lixo ideológico. Ele usa o lixo quando isso lhe convém. E o descarta como lixo que é, quando atrapalha.

    O que o banqueiro quer é receber a grana que lhe devem. E também tá andando e andando se a grana vai sair da Grécia, da Alemanha, da Bélgica, do cafundó da baixa da égua ou da pátria que o pariu!

    O que importa é que o dinheiro entre.

    Acho que é por aí que o jogo da Grécia deve ser entendido.

  151. Elias said

    Daise,
    Continuo aguardando que estabeleças uma polêmica DE IDEIAS comigo, usando textos e raciocínios TEUS.

    Do contrário, todas as pessoas que frequentam esse blog vão achar que TU és intelectualmente covarde (a essa altura, já estão achando…).

    Mete os peitos, quenga!

    Mas, se quiseres, podes continuar na base dos insultos, como estavas fazendo com o Patriarca.

    Se for assim, prometo que de vez em quando irei ao chiqueiro e te darei um chute na bunda…

    Só pra que não te sintas ignorada… Vou tratar teu déficit de atenção pelo avesso.

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  152. Chesterton said

  153. Elias said

    E Chester,

    Só pra completar.

    “Padrão ouro” é outra vulgata. Tenta “metalismo” ou “bulionismo” (até porque não era só o ouro que lastreava…).

    De qualquer modo, não tem lhufas a ver com o que estamos debatendo.

  154. Elias said

    O Chester trabalha duro, copiando e colando…

    Bom militante… Gado bom!

  155. Pedro said

    Tá certo Googlias, aguardemos o desfecho.

    É, a ideologia as vezes cega, mas acredito que não seja privilegio do militante de direita.

    As vezes esquerdistas também não enxergam o obvio.

    Li não sei onde:

    Capital não tem pátria, dinheiro não tem ideologia.

    Só espero que no desenrolar do imbróglio grego, não sobre alguma coisa pro Brasil.

    Nosso navio já adernou, se vier alguma onda forte, vira de vez.

  156. Pedro said

    Mudando de assunto

    O reajuste dos aposentados que ganham mais de um salário mínimo for igual aos que ganham até 1 SM, arromba as finanças do Brasil, segundo os nobres políticos e (quase todos) jornalistas.

    E os reajustes dos preços dos alimentos, medicamentos, água, energia, e dos serviços arrombam quem?

    Principalmente os aposentados.

    Ou seja: Fodam-se velharada.

  157. Elias said

    I
    “As vezes esquerdistas também não enxergam o obvio.” (Pedro)

    Pedro,

    Não há nada mais parecido com um gado de direita, do que um gado de esquerda.

    Rebanho. Gente que, por preguiça de pensar, se limita a balir o que os chefes da manada mandam.

    É nojento, né?

    Quando Stalin fechou o tal “acordo de não agressão” com a União Soviética, a comunistada do mundo todo se empenhou em arriar as calças e ficar de quatro pro Hitler…

    Na Alemanha, foi uma revoada só de comunistas, entrando nas SA. O ainda chefão dos camisas pardas, Ernst von Röhn, tirava sarro com esse pessoal, a quem chamava de rosbifes (pardos por fora, vermelhos por dentro…). Mas, antes de ser detonado, ele ainda elogiaria muito os rosbifes: segundo von Röhn, eles eram ótimos pra papagaiar palavras de ordem…

    II
    Sou aposentado, e minha aposentadoria é maior que um salário mínimo. Logo…

    Se eu dependesse dessa porra pra viver estaria fedido e mal pego.

    Desde os 17 anos — como menor emancipado — passei a contribuir para previdência social pelo teto contributivo, que era de 20 salários mínimos.

    Aí baixaram o teto contributivo pra 10 salários mínimos.

    Quando me aposentei, fizeram o cálculo da aposentadoria pelo teto de 10 salários mínimos. Ignoraram as décadas que contribuí por 20 salários mínimos.

    Mas nunca me devolveram a contribuição a maior (que, como não entrou no cálculo do “benefício”, não deveria entrar na formação do fundo).

    Isso é que é “esquema Ponzi”! (E o Chester acha que “esquema Ponzi” é caderneta de poupança…).

    A previdência social brasileira é tão vagabunda, que nem os funcionários da previdência social se aposentam pela previdência social.

    O Brasil é um dos 4 ou 5 países do mundo que conta, que ainda mantém a previdência social em regime de repartição. Quase toda a parte que conta do planeta, já adotou o regime de capitalização, há décadas…

    É como as mútuas de acidentes do trabalho, que o mundo civilizado começou a adotar no Século XIX. Já o Brasil…

  158. Guatambu said

    Elias,

    Só pra recapitular.

    O que eu disse é que a produtividade do trabalhador brasileiro caiu.

    Vc me pediu argumentos técnicos, né? Não será preciso. Vamos somente na base da lógica mesmo.

    Presta bem atenção Elias, eu to falando produtividade do trabalhador: o tanto que um sujeito sindicalizado pelos brucutus da CUT produz com seu próprio esforço físico.

    Isso é muito diferente do quanto que o mesmo sujeito produz apertando o botão de uma máquina. Porque se este sujeito produz mais apertando o botão de uma máquina, o aumento de produtividade não se deve a ele, e nem à CUT, se deve ao empresário.

    Entendeu? Então vamos lá.

    No slide 8 da apresentação a que vc se refere, o tal Renato da Fonseca diz exatamente o que eu questionei antes: produto trabalhado = produto/número de trabalhadores.

    Que métrica questionável, né mesmo?

    Então você aumenta o produto e mantém o número de trabalhadores e chega à conclusão que a galera tá trabalhando como louca! E os investimentos em bens de capital?! Ninguém investiu em automatização?! Ora Elias… que análise fraquinha…

    A conclusão dele então é que se 1 empresário tem 1 trabalhador que produz 10 mandiocas em 1 dia, e o empresário vai lá e compra uma máquina que faz com que a empresa dele, com o mesmo trabalhador, produza 100 mandiocas por dia, significa que o foi o trabalhador que aumentou a produção!

    (desculpe enfiar a madioca no seu argumento, é que ela é uma das maiores conquistas do Brasil, né?…)

    Vc e nem esse Renato, e nem essa mesa redonda que vcs participaram devem estar falando sério, né?

    Repetindo Elias, o que eu disse lá no post anterior foi:

    O sujeito sindicalizado pela CUT que faz pregos diminuiu a quantidade de pregos que faz sozinho, e não com ajuda de máquinas.

    O trabalhador rural que carpia 1 terreno de 500m2 por dia, agora carpe menos (se ele for empregado, né? Se ele for dono do terreno, ele faz o dobro).

    O trabalhador que colhia 500 frutos de palma da planta por dia hoje colhe 300 no máximo.

    Conclusão: a produtividade do sujeito sindicalizado e protegido por leis trabalhistas cada vez mais duras contra os patrões produz menos.

  159. Guatambu said

    Grécia.

    http://www.businessinsider.com/heres-how-greece-reached-the-brink-of-collapse-2015-7

    Acho que aqui diz um pouco como a Grécia alcançou este nível de problema. Tanto a esquerda quanto a direita tiveram culpa.

    Mas e agora? Como as coisas se acertam?

    A Grécia se tornou uma espécie de Eike Batista só que em nível nacional: a dívida é tão grande e os credores são tantos e tão importantes que fica difícil simplesmente aceitar o prejuizo.

    Uma possibilidade seria vender todos os ativos gregos. Se a dívida se faz com crédito, e créditos exigem garantias, os gregos devem ter algum ativo… mas eu acho que não têm. Grosso modo, esse tipo de dívida é construída com base em título público, vc rola a dívida e garante com novos títulos públicos.

    Então os credores não têm muito o que fazer, senão negociar.

    Por mais estranho que pareça, para os gregos, negociar é uma saída muito ruim também. O nível de dívida é altíssimo, e isso significa que mesmo que a dívida fosse congelada e os juros baixados a zero, o povo grego ainda teria que trabalhar anos e anos para pagar seus credores.

    Se eu fosse investidor, eu estaria muito atento à Grécia. Comprar Grécia pode resultar num alto nível de renda num curto período de tempo.

    Ao mesmo tempo, tomaria muito cuidado ao investir no resto da Europa.

    O colapso grego não vai acabar com a União Européia, mas fez com que ela tremesse nas bases. Países como Portugal e Espanha e Itália também possuem dívidas altíssimas e problemas políticos para resolvê-las. O problema é que para resolvê-las, a União Europeia teria que ser mais interventiva…. e isso não foi “contratado”, e não é do interesse de ninguém. Será iniciado um novo jogo de forças em que o fiel da balança deverá ser a França, que se posiciona em importância ao lado da Alemanha, no entanto, tende a ser muito mais tolerante com o débito.

    Bizarro saber que o Hollande, de esquerda, tenha que se posicionar contra tudo o que gosta e crê: tanto para cobrar a Grécia quanto para salvar a Eurozona (literalmente).

  160. Pedro said

    Falando em Eurozona, vejam como anda a zona brasileira:

    Reportagem de André Souza, no jornal O Globo, informa que desde 2013 “surgiram 3.350 sites, em diversas línguas, associando o Brasil à pornografia ou vendendo o país como um bom destino para o turismo sexual. O levantamento, feito pela empresa Axur, mostra que o número de novas páginas já supera as 2.165 que o Ministério do Turismo tinha conseguido tirar do ar em 2011 e 2012 pelos mesmos motivos.
    A maioria dos novos sites associa o Brasil ou seus símbolos nacionais à pornografia. São 2.576 nessa situação. Outros 555 usam o país para promover a prostituição. Também há 74 deles incentivando o turismo sexual, e 124 associando o país à pornografia infantil. Há até mesmo 17 páginas de zoofilia, ou seja, de sexo com animais. Por fim, quatro sites chegam a vender pacotes de turismo sexual para o Brasil.”

  161. Guatambu said

    Querem uma notícia engraçada?

    A Universidade de Jerusalém concedeu o título de Doutor Honoris Causa para o Joaquim Barbosa.

    Agora a petezada vai dizer que esse título não vale mais nada. Ou que Israel é mesmo facista…

  162. Chesterton said

    Benditos sejam meus concorrentes;
    Que me fazem levantar cedo e me render mais o dia; Que me obrigam a ser mais atencioso, competente e correto; Que me fazem avivar a inteligência para melhorar meus produtos e meus serviços;
    Que me impõem a atividade, pois se não existissem, eu seria lânguido, incompetente e retrógrado; Que não dizem minhas virtudes e gritam bem alto meus defeitos e assim posso corrigir-me;
    Que quiseram arrebatar-me o negócio, forçando-me a desdobrar-me para conservar o que tenho; Que me fazem ver em cada cliente um homem a quem devo servir e não explorar, o que faz de cada um meu amigo;
    Que me fazem tratar humanamente meus vendedores, para que se sintam parte de minha empresa e assim vendam com mais entusiasmo;
    Que provocaram em mim o desejo de superar-me e melhorar meus produtos; Que por sua concorrência me converteram em um fator de progresso e prosperidade para meu país. Salve, concorrentes!
    Eu vos saúdo… Que o Senhor lhes dê vida longa.

    (óremus)

  163. Pedro said

    Oremos

    Mas, malditos sejam os concorrentes desleais, trapaceiros do caralho, zolhudos, FDPs caloteiros, prostituidores do mercado.

    Que o diabo os carregue…….

  164. Chesterton said

    Pelo que li cada grego,adulto criança homem mulher deve 35 mil euros. Vocês perguntam sobre garantias, (collaterals)…não tem. Penhoraram o futuro para subornar o presente, mais ou menos como um pai de familia que além de não deixar herança deixa contas para pagar. Irresponsaveis dirigentes e eleitores.

  165. Elias said

    Guatambu,

    1 – Eu disse que a produtividade do BRASIL é baixa, tanto no setor público quanto no setor privado.

    2 – Disse, também, que algumas áreas do setor público são mais produtivas do que a média do setor privado, porque dispõem de profissionais mais qualificados e operam tecnologias mais eficientes. Citei como exemplo a Receita Federal. Acrescento, agora: Banco Central e Secretaria do Tesouro Nacional. Posso citar muitos outros mais.

    3 – E acrescentei que, embora baixa, a produtividade do trabalhador brasileiro vem AUMENTANDO continuamente (e não decrescendo, como tu dizes). Citei como exemplo os dados do Renato da Fonseca, da CNI, na mesa redonda sobre produtividade do trabalho que a CNI realizou, na sede da FIEB, em Salvador, e na qual eu estava presente.

    4 – Eis a sequência de dados apresentada pelo Renato, de 1970 a 2011, por sub período:

    I – De 1970 a 1980 (slide 11):
    A produção brasileira aumentou: 9,0% ao ano
    A quantidade de trabalhadores aumentou: 6,5% ao ano.
    LOGO, nesse período, a produtividade aumentou: 2,4% ao ano.

    II – De 1980 a 1990 (slide 12):
    A produção brasileira caiu: – 0,2% ao ano
    A quantidade de trabalhadores caiu: 0,1% ao ano.
    LOGO, nesse período, a produtividade caiu: – 0,1% ao ano.

    III – De 1990 a 2000 (slide 13):
    A produção brasileira aumentou: 1,6% ao ano
    A quantidade de trabalhadores caiu: – 4,7% ao ano.
    LOGO, nesse período, a produtividade aumentou: 6,6% ao ano.

    IV – De 2000 a 2011 (slide 14):
    A produção brasileira aumentou: 2,4% ao ano
    A quantidade de trabalhadores aumentou: 2,0% ao ano.
    LOGO, nesse período, a produtividade aumentou: 0,4% ao ano.

    5 – Observa que essa é uma apresentação de ELOGIO à gestão do PSDB e de CRÍTICA ao PT. Eis a explicação que ele dá, para o desempenho em cada década:

    De 1970 a 1980: O crescimento foi determinado pelo aumento dos recursos produtivos.O crescimento da produtividade do trabalho deveu-se ao aumento no estoque de capital.

    De 1980 a 1990: Década perdida. Variação na produção determinada pelo número de trabalhadores.

    De 1990 a 2000: Crescimento determinado pelos ganhos de produtividade.

    De 2000 a 2011: Crescimento puxado pelo emprego.

    6 – Eu nem concordo inteiramente com a exposição do Renato, porque ela ignora a própria perda de participação relativa do setor secundário na formação do PIB. No início dos anos 1970, a indústria respondia por quase 60% do PIB. Hoje ela responde por aproximadamente 30%. Isso não significa que a economia brasileira encolheu no mesmo período, né mesmo? Aconteceu exatamente o contrário. A economia brasileira cresceu, e a indústria também, porém menos que proporcionalmente. O setor secundário perdeu espaço para o setor terciário, no processo chamado “terciarização da economia”, que é global.

    7 – Concordando ou não com as avaliações do Renato, não há como refutar os dados que ele apresentou. Basta checar os relatórios do IBGE, do Banco Central, da Fundação Getúlio Vargas, etc. Todos dizem mais ou menos a mesma coisa: por diferentes razões, houve um discreto, porém consistente aumento da produtividade DO TRABALHO, de 1970 a 2011.

    8 – Qual o problema? O problema é que a concorrência evoluiu muito mais e melhor! No mesmo seminário, em Salvador, foi apresentada uma comparação do Brasil com outros países como a Coreia do Sul, a Espanha e muitos outros mais. Gosto de usar a Coreia do Sul como termo de comparação, porque, em 1970, esse país penava pra se recuperar do abalo de uma guerra civil que o dividira ao meio, destruíra boa parte da estrutura produtiva que antes havia e matara uma enorme parcela da mão-de-obra qualificada anteriormente existente (em contraste, aqui no Brasil, não houve guerras, nem terremotos, nem maremotos…).

    9 – Conclusão do seminário, com a qual concordo plenamente: infelizmente, o aumento da produção e da produtividade no Brasil não se deveu a inovações, e sim à elevação dos fatores de produção empregados.

    10 – Por isso, perdemos de goleada para países que fundamentaram seu crescimento na inovação. Países que investiram pesado na educação e em pesquisa científica e tecnológica.

    11 – No slide 22, o Renato expõe o modelo que a CNI defende (com o qual também concordo plenamente): empresa/investimento + trabalhador/educação, como condição para a INOVAÇÃO, que aumenta a PRODUTIVIDADE, que gera COMPETITIVIDADE, a qual, por fim, propicia o CRESCIMENTO.

    12 – Esse é o modelo defendido pela CNI, sistema do qual fiz parte por 28 anos, e que não tem lhufas de pitibiriba com o que tu escreveste.

    13 – Esse teu papo de que o sindicalismo brasileiro prejudica a produtividade não tem nada de técnico. Pra início de conversa, é indemonstrável.

    14 – Pra dar seguimento a conversa, nos países onde existe alta produtividade do trabalho (Coréia do Sul, Dinamarca, Japão, EUA, Inglaterra, etc), o sindicalismo é simplesmente terrível! E bota terrível nisso!

    15 – No Brasil, só existe sindicatozinho marca ordinário. A atuação sindical é risível. O sindicato só aparece na empresa uma vez por ano, na época do reajuste da data-base. Passada essa época, os caras somem. Vão cuidar das campanhas políticas pra vereador, deputado (no Brasil, sindicalismo é trampolim pra carreira política), e só voltam no ano seguinte. De 3 em 3 anos, eles também aparecem pra eleição da diretoria do sindicato. E é só.

    16 – Mete a cara numa Coreia do Sul, ou numa Inglaterra… E tu vais ver o que é bom pra tosse!

    17 – É incrível como o lixo ideológico embaralha a capacidade de pensamento de vocês. A história da produtividade humana é a história da inovação tecnológica, rapaz! Aumento de produção com aumento de esforço físico é atraso… É mentalidade escravista.

    18 – Nunca ouviste falar numa coisa chamada “Curva Tecnológica”? Não te falaram dela, na universidade? Pois é… Ela é uma isoquanta, né não?

  166. Elias said

    “Benditos sejam meus concorrentes; Que me fazem levantar cedo e me render mais o dia;” (Chester)

    É… Aumentou bastante a quantidade de CtrlC/CtrlV.

    Fico feliz pela parte que me concerne.

    Mas não precisa agradecer, não, Chester.

    A partir de agora, saio do ar. Vou aproveitar o final de semana prolongado, comendo tucunaré frito na manteiga (de garrafa), com farinha d´água, vinagrete, molho de pimenta-de-cheiro no tucupi e o destiladão 16 anos que reservo pra esses momentos, na beirada de um belíssimo igarapé de água limpa e gelada, pra quebrar a canícula deste julho infernal.

    Mas 2ª feira próxima tem mais pau pro teu lombo.

    Afinal, tu és o meu direitopata preferido.

    Inté.

  167. Chesterton said

    Fico feliz pela parte que me concerne.

    chest- Elias, acho que você não se enxerga, compre um espelho.

  168. Chesterton said

    mais facil do que parece

  169. Chesterton said

  170. Chesterton said

    Querido povo da Grécia!
    Nós, os pensionistas, os médicos, os policiais, os professores e outros companheiros seus, ordinários cidadãos europeus da Letônia, ficamos encantados ao ouvir que vocês exigem “solidariedade europeia”!
    Temos certeza de que ficarão felizes em descobrir que finalmente, encontraram novos aliados: Nós! Então, vamos mudar a Europa juntos!
    A pensão média na Grécia é 800 €. A pensão média na Letônia é 300 €. O salário médio na Grécia é 820 €, o salário médio na Letônia é 600 €. E, a propósito, a Letônia é um país do norte, nós temos uma coisa chamada “estação de aquecimento” aqui, quando as temperaturas caem abaixo de -10°C, e as contas dos serviços públicos aumentam € 150 por mês.
    Então, não seria maravilhoso, se vocês pudessem gentilmente, compartilhar 1/3 de suas pensões, impostos e salários com a gente? É a nossa escolha democrática, então por favor, respeite-a! Nós todos queremos isso.
    Afinal de contas, nós somos uma família europeia. Só que com a diferença de que nós nunca emprestamos dinheiro que não pudéssemos pagar de volta para chantagear os nossos credores com suicídio mais tarde, ou para culpá-los pelas políticas fracassadas do nosso governo nacional que nós elegemos. Nossa dívida em relação ao PIB não excede 40%. Durante a crise financeira, conseguimos salvar nossos bancos e retornar aos níveis pré-crise após 4 anos de austeridade “imposta pela Troika”, o que nos ajudou a completar as reformas estruturais importantes e a fazer nossa economia começar a crescer mais rapidamente do que em qualquer lugar na Europa! E adivinhem, antes de aderirmos à União Europeia e ao euro, estávamos muito mais pobres do que somos hoje, porque depois de 50 anos de ‘”solidariedade” entre a URSS e leste europeu, nos esquecemos o que significa ser competitivo. Nos esquecemos como fabricar qualquer coisa que pudesse competir em um mercado livre, mas aprendemos. Nós aprendemos que você não deve gastar mais do que ganha. E se você precisa pedir dinheiro emprestado, pelo menos tenha a decência de admitir que não é um direito e que deve ser devolvido. Nós nunca mentimos sobre a nossa dívida pública quando aderimos ao Euro, e nós nunca tivemos a necessidade de des-lastrear nossa moeda nacional do euro, antes ou depois de se juntar a ele.
    Vamos agir em conjunto. Ter a decência de admitir os erros de seus governos democraticamente eleitos, algo que temos feito há décadas. Não culpe a Europa por não dar-lhe dinheiro de graça (anulação da dívida). Sim, teria sido melhor se algumas dívidas fossem diminuídas, mas não cabe àquele que deve, decidir. E se vocês quiserem que seus credores façam mais para ajudá-los – eles vão, se vocês os respeitarem, se vocês reconhecerem o seu direito a liberdade de fazê-lo, e se vocês mostrarem os resultados e a vontade política de mudar Grécia para torná-la competitiva e fazê-la crescer novamente. Votem Sim.
    A Grécia é a Europa. A Europa é a Grécia.

  171. DAISE 2.0 said

    SELFIE DE KATIA ABREU PARA PAX

  172. DAISE 2.0 said

  173. DAISE 2.0 said

    EXCESSO DE COCA DÁ NISSO!

  174. DAISE 2.0 said

    DE; KATIA ABREU
    PARA: : STEDILE

    HELLO!

  175. DAISE 2.0 said

    Por que me orgulho de ser paulista

    Leia abaixo texto da “Folhinha”, publicado há 42 anos, em 8 de julho de 1973, que explica o movimento.

    *

    Há 41 anos, a gente paulista dava um exemplo de bravura, demonstrando todo o seu amor pela liberdade no Brasil.

    De fato, o governo ditatorial de Getúlio Vargas, apesar dos apelos e dos pronunciamentos de São Paulo, não admitia promulgar a constituição. O governo federal pretendia continuar dirigindo a nação sem dar liberdade, sem possibilitar ao povo qualquer manifestação.

    São Paulo não se conformou e partiu para a luta. No dia 9 de julho daquele ano mandou informar o governo de Vargas que se revoltava contra o governo federal: ou este promulgava a Constituição ou São Paulo não mais atenderia à ditadura.

    Durante três meses, as tropas resistiram às forças inimigas. Militares e civis, ajudados pelas mulheres e pelo povo, tudo fizeram para garantir a vitória do movimento.

    Entretanto, o poderio da ditadura era muito maior. E São Paulo teve de pedir armistício. O país todo, depois, reconheceu o mérito da Revolução Constitucionalista de 32.

    Em 1937, gettulio vargas implantou a ditadura – ESTADO NOVO – sendo expelido do poder em 1945!

  176. Chesterton said

    A disputa territorial entre os dois países afeta uma área onde a Exxon Mobil anunciou uma importante descoberta de petróleo, localizado a 200 km da costa. A tensão com a Guiana surge em um momento em que o presidente venezuelano enfrenta uma forte queda em sua popularidade devido à alta da inflação, a escassez de bens básicos e a uma criminalidade crescente que colocou o país com a segunda maior taxa de homicídio do mundo.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/em-disputa-territorial-maduro-convoca-embaixadora-na-guiana-16686873#ixzz3fRYDu92A

  177. Chesterton said

  178. DAISE 2.0 said

    …1

  179. DAISE 2.0 said

    EVO EXPLICANDO AO PAPA COMO ENFIAR O MARTELO NO RABO

  180. Pedro said

    Que é isso Daise?
    Não apela, não é assim.
    Te acalma, vai pescar junto com o Googlias, aproveita, leva o Chester, e oficializa o casamento dos dois. =)

  181. Pedro said

    Sobre a foto, que diabos o Evo quis dizer com isto?

    Jesus era comunista?

    O comunismo crucificou o cristianismo ao proibir religiões?

    Ou nada disso, muito pelo contrario, e vice versa

  182. DAISE 2.0 said

    Pedro

    Eu não estou apelando. Se o papa sabia do presente ele merece a minha frase e se não sabia, o chefe cerimonial da Santa Madre Igreja é que deveria enfiar o martelo no rabo

    ë o cúmuilo!

    Fora da agenda, Dilma tem encontro reservado com Lewandowski em Portugal

    Gersdon Camarotti G1

    Na escala técnica que fez na cidade do Porto, em Portugal, antes de seguir para Rússia, a presidente Dilma Rousseff teve um encontro reservado com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.

    A reunião não foi incluida na agenda oficial. Também participou do encontro o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

    No Brasil, políticos da base aliada foram informados de que a conversa foi ampla e que incluiu entre os temas a Operação Lava Jato.

    Procurado pelo Blog, o ministro Cardozo confirmou o encontro na cidade do Porto, mas negou que a Operação Lava Jato tenha sido tema da conversa.

    O ministro disse ainda que o encontro foi solicitado por Lewandowski, que estava na cidade de Coimbra com ele e outros ministros do STF para participar de um encontro entre juristas brasileiros e portugueses.

    “O assunto do encontro foi o reajuste do Judiciário. Ele levou números para a presidente Dilma”, disse Cardozo.

    Há preocupação no Judiciário com a tendência de a presidente Dilma Rousseff vetar o reajuste do Judiciário aprovado recentemente pelo Congresso.

    “Mas foi um encontro casual. Estávamos em Coimbra e, como iriámos para um almoço no Porto, marquei essa conversa”, justificou Cardozo.
    _______________________

    Eu nunca vi nada igual.

    Dilma e Lewandowski: como anular o TCU

    Brasil 10.07.15 08:53
    Luís Inácio Adams, o advogado administrativo de Dilma Rousseff, disse que, dependendo do resultado do julgamento das pedaladas de Dilma Rousseff no TCU, ele poderá recorrer ao STF.

    Eis, portanto, mais um assunto que Dilma Rousseff discutiu com Ricardo Lewandowski no encontro clandestino em Portugal: como anular a provável rejeição das contas do governo pelo TCU.

    É um país podre.

    O.A.

  183. Chesterton said

    Foi uma afronta, a foice e o martelo são antagônicos ao cristianismo.

  184. Chesterton said

    http://g1.globo.com/espirito-santo/educacao/noticia/2015/07/ouro-na-matematica-trigemeas-do-es-nao-tinham-nem-internet-em-casa.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=g1

    chest- computador atrapalha os estudantes.

  185. DAISE 2.0 said

  186. DAISE 2.0 said

    Às escondidas, em Portugal, Dilma e Lewandowski discutem Operação Lava Jato e impeachment
    10/07/2015 – 03h00
    Ricardo Noblat

    A acreditar-se em José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça, ele, a presidente Dilma Rousseff e o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), tiveram “um encontro casual” no início desta semana na cidade do Porto, em Portugal. Sim, “casual”.

    Foi o que Cardoso garantiu ao jornalista da Globo News Gerson Camaroti, que soube do encontro e publicou a notícia em seu blog. Segundo Cardoso, Lewandowski pediu para ver Dilma. Ele participava de um evento jurídico na cidade portuguesa de Coimbra.

    Ao saber que o avião que transportava Dilma e comitiva para a cidade russa de Ufá faria uma escala técnica no Porto, cidade próxima de Coimbra, Lewandowski manifestou seu desejo de se reunir ali com a presidente da República para discutirem o aumento do Judiciário.

    Recentemente, o Congresso aprovou um aumento para o Judiciário que o governo diz não ter como pagar. Cardoso jura que a reunião a três não serviu para que conversassem sobre a Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro, e que investiga a roubalheira na Petrobras.

    Dilma, Lewandowski e Cardoso discutiram, sim, a Operação Lava Jato. O empresário Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, confessou ter dado dinheiro sujo para a campanha de Dilma à reeleição. Dilma nega, mas está preocupada com o que possa acontecer se isso acabar provado.

    Da Operação Lava Jato, os três passaram a avaliar as chances de um pedido de impeachment de Dilma. Por falhas, o Tribunal de Contas da União poderá rejeitar as contas do governo de 2014. E o Tribunal Superior Eleitoral concluir que houve abuso de poder econômico na campanha de Dilma.

    Os jornalistas brasileiros destacados para cobrir a viagem de Dilma à Rússia não foram informados sobre o encontro dela no Porto com Lewandowski. Muito menos os que ficaram aqui. O encontro não constou da agenda oficial de Dilma.

    Na verdade, o governo transparente de Dilma nada tem de transparente. É um abuso que dois chefes de poderes se encontrem às escondidas no exterior. E para examinar a delicada situação política de um deles. Os dois pisaram feio na bola. Apostaram que ninguém ficaria sabendo do encontro.

    Lewandowski preside a mais alta corte de Justiça que poderá ser provocada, em breve, a decidir se procede ou não um eventual pedido de impeachment da presidente da República. Deveria ter se julgado impedido de se reunir para discutir o assunto com uma das partes interessadas. E logo no exterior. E às escondidas.

    Basta lembrar que Lewandowski deve parte de sua indicação para o STF à família de dona Marisa, mulher de Lula, a quem sempre foi muito ligado. De resto, Lewandowski tudo fez para melhorar a sorte dos mensaleiros que acabaram condenados pelo STF.

    É compreensível que Dilma tema por seu futuro. Mas não que contribua para emporcalhar a imagem do cargo que ocupa.

  187. Pedro said

    Ok, Daise.

    Continuemos desbocados então.

    “Aí é o cumulo”, é o que a mula diz quando o mulo erra o buraco. =)

  188. Pedro said

    “chest- computador atrapalha os estudantes.”

    Ham?

    Explica Chester.

  189. DAISE 2.0 said

    :ONDE TEM PT TEM SUJEIRA

    Presidente do PT recebeu doações eleitorais da UTC e outras quatro empreiteiras investigadas na Lava-Jato

    Rui Falcão 650 000 reais doados por empreiteiras investigadas

    Assim que VEJA publicou detalhes da delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, que jogou ainda mais lama sobre João Vaccari Neto, o presidente do PT, Rui Falcão, se apressou a reforçar a defesa do ex-tesoureiro petista e a dizer que “todas as doações são legais e foram declaradas”.

    Falcão, no entanto, também pode colocar as barbas de molho com suas doações declaradas.

    Em 2010, quando o petrolão funcionava a todo vapor, a UTC, de Pessoa, doou 100 000 reais à candidatura de Falcão à Assembleia paulista. E não só ela. Também doaram ao petista outras investigadas na Lava-Jato, como CNEC (200 000 reais), Carioca Engenharia (150 000 reais), OAS (100 000 reais) e Galvão Engenharia (100 000 reais).

    Por Lauro Jardim

  190. Chesterton said

    Até a oitava série computador atrapalha os estudos. Nos últimos 3 anos, talvez em algumas matérias possa ser útil.

  191. Chesterton said

    Xiii, o paraiso do Pax tá dando problema…

    http://www.dw.com/pt/na-noruega-a-riqueza-est%C3%A1-virando-problema/a-18574289

  192. DAISE 2.0 said

  193. Chesterton said

    http://folhacentrosul.com.br/post-politica/8265/derrotado-no-senado-governo-diz-que-reajuste-para-aposentados-e-pensionistas-quebra-o-pais

    chest- eles viraram telhado….

  194. DAISE 2.0 said

    Pedro

    A charge acima #92 foi para ajudar a amenizar o clima da sexta-feira .
    Humor finíssimo!
    não concorda?

    Chega de peixe podre!

  195. DAISE 2.0 said

    FESTA DA UVA ! com a Camargo Correia, doadora do Instituto lula

    LULA PEDE TRANSPORTE DE HELICÓPTERO À CAMARGO CORREA

    Empreiteiro é tão bonzinho!

  196. DAISE 2.0 said

    Dilma: Sorrindo entre dentes: Onde é o ……?
    Rezi: em frente e primeira à esquerda, presidente

    Depois vamos falar sobre Battisti ou sobre Pizolatto!

  197. DAISE 2.0 said

    É pra ninguém dizer que não viu!

    16 de Agosto vai ser uma barra!

    Boulos prometeu pra 4 dias depois….discurso demagogo e reativo.

    Até o Pax, escondido, vai gritar : renuncia !

  198. DAISE 2.0 said

    GOLPE! MULA E VILMA SÃO FORÇADOS A SAIR DO AEROPORTO, NO CEARÁ!

  199. DAISE 2.0 said

    <B.CRISES INTERNACIONAIS E O BRASIL

    pra quem pode…

    http://globosatplay.globo.com/globonews/v/4316412/

    O “pombo enxadrista” não vai gostar, rsrsrs

  200. familiabopp said

    Amigos, amigos; negócios à parte
    O empresário Jonas Suassuna brigou feio com Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha

    O empresário Jonas Suassuna brigou feio com Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha. Ele ficou irritadíssimo ao ver seu nome no noticiário policial da Operação Lava Jato e teme que acabe sendo arrastado para dentro da investigação. Dono de um poderoso grupo de mídia e TI, o executivo virou sócio de Lulinha na Gamecorp, hospeda o filho do ex-presidente num luxuoso apartamento em Moema e até emprestou seu nome na escritura do sítio de Atibaia usado por Lula e que teria sido reformado pela OAS, uma das empreiteiras investigadas pelo juiz Sérgio Moro. Suassuna diz a amigos que “não suporta mais carregar Fábio nas costas”.

    Pic_Conf.jpg

    Intuição feminina
    Fábio atribui o iminente rompimento de Jonas Suassuna a pressões de sua mulher, Claudia Bueri Suassuna. A bela empresária carioca com quem o empresário casou em 2013 sempre criticou a relação do marido com o clã lulista. Ela também foi contra a inclusão da filha de Jonas, Bianca, no contrato social da Gamecorp.

    Lulas e as laranjas
    Kalil Bittar também é sócio, ao lado de Suassuna, do sítio usado por Lula em Atibaia. Mas quem o conhece diz que leva, assim como seu irmão Fernando, uma vida bastante simples, sem ostentação, sugerindo que os filhos de Jacob não desfrutam de seus próprios bens.

    Sócio do barulho
    No réveillon de 2010, a PM de Atibaia prendeu em via pública o empresário Rogério Machado. Ele portava uma escopeta 12, uma pistola 38, uma touca ninja e um radiotransmissor na frequência da PM. Até 2013, era sócio de Nilza Fiuza, chefe do gabinete da Presidência em São Paulo.

    Charge.jpg

    Leo, o apocalipse
    Apesar do nervosismo com a delação de Ricardo Pessoa, da UTC, Lula teme mesmo a eventual colaboração de Leo Pinheiro, da OAS. Ele cuidava das despesas pessoais do presidente, de familiares e amigos. Metódico, Pinheiro tinha o hábito de registrar toda e qualquer ajuda concedida.

    OAS e os fundos
    O MPF quer que Leo fale também dos negócios da Invepar, consórcio criado pela OAS com Previ, Petros e Funcef – cada um com 25%. A Invepar ganhou concessões pagando os maiores ágios do mercado. Suspeita-se que o dinheiro foi usado para financiar campanhas do PT.

    Nem tudo são flores
    Suassuna alega que até hoje não obteve retorno da parceria com Fabio, que lhe foi apresentado por Kalil Bittar, filho de Jacob, amigo de Lula. Em troca de investimento inicial na Gamecorp, Kalil teria lhe prometido acesso aos cofres públicos e intermediou até um encontro com o então presidente da Previ, Ricardo Flores, a quem se referia como “Garden”.

    Encontros de Vaccari
    A força-tarefa já tem detalhes de encontros do tesoureiro João Vaccari Neto com dirigentes dos fundos de pensão. As reuniões aconteciam em hotéis e restaurantes de Rio e São Paulo, e residências de grandes empresários. Um deles gostava de convidá-los para passeios de iate.

    Quem será o dono?
    Falando em iate, o polêmico empresário Daniel Birmann alega à Justiça que o megaiate de R$ 60 milhões arrestado na marina de Salvador não é seu. Consta da ação que a embarcação seria da offshore Tango Bravo ou do investidor americano Evon Zartman Vogt III. Controlador da Zartman Services, ele foi sócio de Birmann na produção de biodiesel a partir da mamona, iniciativa apoiada publicamente por Lula, que garantiu a compra da produção pela Petrobras. Condenado pela CVM à multa de R$ 280 milhões, Birmann foi cliente da consultoria de Zé Dirceu.

    Auditoria collorida
    A KPMG, que de 2008 a 2012 validou balanços da Petrobras que incluíam gastos com projetos superfaturados por diretores em conluio com o clube do bilhão, tem como sócio Claudio Roberto Leoni Ramos, irmão de Pedro Paulo Leoni, acusado na Lava-Jato de intermediar propina para Fernando Collor, de quem foi ministro. Claudio e PP são sócios na Globalbank.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/57_BRASIL+CONFIDENCIAL

  201. DAISE 2.0 said

    Pascowitch: vinhos e apartamento para Dirceu
    Postado:Mon, 13 Jul 2015 09:02:23 +0000
    Radar online
    A delação premiada de Milton Pascowitch, encrencando José Dirceu na Lava-Jato, não surpreendeu alguns amigos do mensaleiro. Dirceu foi aconselhado diversas vezes a não confiar em Pascowitch, que sempre lhe presenteava com vinhos caros e tentava agradá-lo.

    Dirceu nunca deu ouvidos. Chegou até a se hospedar num dos apartamentos de Pascowitch defronte ao mar do Leblon, no Rio de Janeiro.

    Dirceu caminha para ser o mais próximo companheiro de banhos de sol da Marcelo Odebrecht, Otavio Azevedo, João Vaccari & Cia.

    OLHAR REINCIDENTE

  202. Elias said

    PEDRO,
    Olha só, despacho da ANSA, de hoje, sobre a Grécia:

    “Líderes políticos dos 19 países da zona do euro chegaram a um acordo nesta segunda-feira (13) para manter a Grécia na zona do euro e colocar um fim ao impasse financeiro que já dura seis meses.”

    “Atenas receberá um terceiro pacote de resgate, no valor de 86 bilhões de euros, além de um reescalonamento de sua dívida externa, em troca da implementação de uma série de reformas de austeridade.”

    E lá no meio do artigo, meio como quem não quer nada:

    “O governo grego também receberá liquidez imediata, a qual será desbloqueada pela Comissão Europeia, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Central Europeu (BCE), o que fará o país sair da situação de default.”

    Esse parágrafo deve ser assim entendido: os credores da Grécia não ficarão a ver navios.

    Lembra do que escrevi, mais acima? Taí:

    “1 – A UE vai chiar, vai chiar, mas… Na hora do vamos ver, não vai deixar de ajudar a Grécia, porque isso terá consequências terríveis pros demais países (em especial, para os nacionais desses demais países, que são credores privados da Grécia).”

    “2 – O que os credores privados querem? Querem receber seu dinheirinho, certo? Eles sabem que a Grécia não tem condições de pagar, e não vai pagar, a menos que receba ajuda — e muita! — da UE. Por isso, os credores privados estão pressionando firme a UE, para que ajude a Grécia (já vimos um filme parecido, nos anos 1980, protagonizado por um país abençoado por Deus e bonito por natureza, né não?).”

    “3 – Claro que o atual governo grego sabe disso. Além do mais, não foi o atual governo que levou a Grécia a essa situação. Foram governos anteriores, que, para isso, contaram com o inestimável apoio e vista grossa da UE.”

    “4 – Na prática, o governo grego está dizendo, da boca pra fora: “Quem pariu o diabo que o embale!”. De verdade, mesmo, pra valer, o atual governo grego está, apenas, tentando negociar uma solução menos dolorosa possível. É o que qualquer governo faria, nas atuais circunstâncias.”

    “Um cara que assiste o jogo na geral (como o Chester, p.ex.), reage dentro do modelito ideológico dele: vai, sempre, torcer contra um governo de esquerda; vai sempre dizer que o governo de esquerda é “culpado” (mesmo que não seja: quando o governo de esquerda assumiu, a Grécia já estava falida, e quem a levou à falência NÃO FOI um governo de esquerda, certo?). Mas o militante político de direita jamais vai reagir racionalmente, porque a galera de direita é, como toda galera, caracteristicamente, irracional. Pensar não é com esse tipo de gente, né mesmo?”

    “Um banqueiro europeu tá andando e andando pra esse lixo ideológico. Ele usa o lixo quando isso lhe convém. E o descarta como lixo que é, quando atrapalha.”

    “O que o banqueiro quer é receber a grana que lhe devem. E também tá andando e andando se a grana vai sair da Grécia, da Alemanha, da Bélgica, do cafundó da baixa da égua ou da pátria que o pariu!”

    “O que importa é que o dinheiro entre.”

    “Acho que é por aí que o jogo da Grécia deve ser entendido.”

    E foi por aí que o jogo da Grécia passou.

    Era o que sugeria a análise do Luiz Roberto Cunha (da PUC-Rio), em especial quando chamou a atenção para o fato de que o (agora “ex”) Ministro das Finanças grego é professor de Teoria dos Jogos.

    O cara mexeu as pedras com precisão. Liderou a campanha pelo “não”. Com sua proposta aprovada, ele saiu da boca de cena, fazendo sumir da mesa o negociador mais antipatizado pelos chefões da Zona do Euro (o que não deixa de ter um gostinho de vitória para estes).

    No fim, acabou saindo, sem ele, o acordo que ele propunha, e que o pessoal da Zona do Euro passou meses negando: mais dinheiro pra Grécia, em troca de… palavras!

  203. Pedro said

    #190

    Discordo.
    Penso que o computador é uma importante ferramenta de ensino.

  204. Pedro said

    # 194

    Gosto de humor.
    Acho que ele alivia mesmo, e as vezes fala mais verdades do que um texto dito “sério”

    A charge até é boa.
    Mas pra humor finíssimo não serve.

    Lógico, é a minha opinião.

  205. Pedro said

    # 202

    Ok Googlias, vc tá sendo coerente na sua análise.

    Mas, tem gente que pensa diferente.

    O tal de Gurovitz é um deles.

    http://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/alemanha-7-x-1-grecia.html

    Confesso que tenho dúvidas.

  206. Pedro said

    Quando o dinheiro entra fácil, não tem puta pobre.

    Do Diário Catarinense:

    “As propinas pagas por empresários a diretores e políticos ligados a Petrobras eram usadas também para o pagamento de prostituas de luxo, algumas atrizes ou modelos famosas. Uma delas chegou a receber R$ 20 mil por um programa.”

  207. Pedro said

    E o Pax?
    Abandonou o blog?
    Os trabalhadores blogais aqui se esforçando pra que o blog não se torne um minifúndio improdutivo.
    E o Pax, implicando porque a Katia Abreu transforma uma florestazinha em latifúndio produtivo. =)

  208. Elias said

    Pedro,
    É só ler o que o governo grego vem propondo desde o início do ano. É quase uma minuta do acordo…

    Aumento de base de contribuição e da arrecadação tributária é “vitória” sobre o governo grego?

    Necas, Pedro!

    O atual governo, que é de esquerda, sempre defendeu um aumento da tributação. Quem foi contra a tributação foram os liberais que antecederam o atual governo.

    Os liberais esqueceram o mantra que eles mesmos tanto gostam de repetir — “não existe almoço grátis” — e julgaram que seria possível gastar mais, e se endividar mais, arrecadando menos.

    De mais a mais, a análise do Gurovitz está deixando de fora o mais importante: nada do que ele aponta como “vitória” sobre a Grécia, realmente aconteceu.

    Foram só promessas… Palavras!

    Lembra das promessas do Delfin ao FMI, no final dos anos 1970/início dos 1980?

    A cada “visita” dos auditores do FMI ao Brasil, o Delfin renovava um monte de promessas. A cada bateria de promessas, o fundo liberava mais um “empréstimo-ponte”. Meses depois, o FMI “descobria” que as promessas não tinham sido cumpridas. Aí, vinha nova auditoria, novas promessas, e… Outro “empréstimo-ponte”… Foi assim que o Brasil fez a travessia. Ao longo do tempo, o país foi aumentando a capacidade de pagamento, até não necessitar mais de empréstimos emergenciais do FMI (o último empréstimo emergencial aconteceu em 2002, no finalzinho do 2º mandato do FHC…).

    Pois é…

    O que a Grécia queria? Queria receber um adiantamento e ter restabelecida sua liquidez, pra poder retomar o pagamento aos credores.

    O que a Zona do Euro queria? Queria que a Grécia PRELIMINARMENTE, adotasse um receituário salgadíssimo, como pré-condição à liberação de recursos, de crédito, de liquidez… Foi isso que foi ao plebiscito, já esqueceste, assim tão rápido? (segundo a teoria, brasileiro esquece de 5 em 5 anos…). E foi isso que levou um “não”, lembra? (não faz tanto tempo, assim…).

    E o que os credores privados queriam? Queriam voltar a receber sua dinheirama, certo?

    É só checar o que cada um queria, Pedro, pra saber quem levou…

    1 – Os credores voltarão a receber? A partir de agora, sim! Então, bom pra eles, né? Levaram!

    2 – A Grécia voltou a receber dinheiro, crédito e liquidez, antes de tomar qualquer medida no âmbito interno? Sim! Então… Levou!

    3 – E Zona do Euro, teve sua exigência atendida, de implantação de medidas de austeridade pelo governo grego, ANTES da liberação de recursos, crédito e liquidez? Não! Logo… Não levou!

    Trocou dinheiro por palavras… Como o Delfin fazia com o FMI…

    Putz!

  209. Pedro said

    Pelas reportagens que assisti, em noticiários diversos, quem esqueceu do plebiscito foi o governo grego.

    Só vi grego reclamando que votou não, mas que o governo transformou o não em sim, ao aceitar as condições dos credores.

    Se os noticiários foram tendenciosos, não sei.

    Por isso que tenho dúvidas.

    Estou vendo algumas análises, inclusive a sua, pra formar a minha opinião.

    εξακολουθούν να υπάρχουν αμφιβολίες

    Tudo isso significa “continuo em dúvida”, estes gregos complicam heim? =)

  210. Elias said

    É…

    Sei como é a tua dúvida…

  211. Pedro said

    Então me conta.

  212. Pedro said

    Já que me sobrou um tempo, (Enquanto espero um cliente. Marcou pras 13:00hs e tá me dando um chá de espera. Como a clientela sumiu, a gente atura)

    Te digo o porque da minha dúvida.

    Se é pra assinar um acordo e não honrar.
    Ficar só nas palavras, como vc diz.

    Porque este lero, lero todo?
    Porque fazer o povo sofrer?
    Porque o dramalhão?
    Não faz sentido.

    Era só ter assinado o acordo inicial e não cumprir.
    Era só dizer que ia fazer as reformas exigidas e depois não fazer.

  213. Pedro said

    Um pouco de humor……..

    (Em carta psicografada, Hitler elogia tratamento alemão à Grécia: ‘É por aí’

    Não é todo dia que um médium se dispõe a psicografar uma carta de Adolf Hitler. Mas depois de muita insistência nos últimos dias, o médium paraibano Karl Schadenfreude atendeu ao ex-premiê alemão, morto em 1945.

    “Primeiramente, gostaria de parabenizar Frau Merkel pelo belíssimo trabalho na noite de ontem”, teria escrito Hitler. “A primeira ministra falou como uma verdadeira vitoriosa.”

    Numa reunião de mais de 17 horas em Bruxelas, a Alemanha impôs à Grécia condições duríssimas para que o empréstimo de mais 86 bilhões de euros, o que evita um calote do país e sua consequente saída da zona do euro. Mas as condições impostas pela Alemanha foram mais duras do que as rejeitadas pela população grega no referendo de 5 de julho.

    Entre elas, os gregos só poderão tomar banho uma vez por mês. A França se prontificou a enviar especialistas e cartilhas para ensinar a população neste ponto. Os gregos também estão proibidos de envelhecer e se aposentar até 2055.)

  214. Elias said

    No tema do post.

    Do JusBrasil:
    ================================
    “O caso que levou o país a estabelecer a idade mínima, por exemplo, ocorreu em 1926. É a história de um menino de 12 anos que trabalhava como engraxate. Ao terminar de polir os sapatos de um sujeito, levou o calote. Enquanto o cliente se afastava, ele jogou tinta na roupa do caloteiro.

    A polícia foi chamada e levou o menino Bernardino direto para a cadeia. Lá, ele conviveu com aproximadamente 20 presos adultos. Foi violentado, apanhou e, depois de sair da prisão, acabou no hospital. Os médicos que o atenderam, revoltados, contaram tudo ao Jornal do Brasil.

    No ano seguinte, em parte por causa do impacto dessa notícia, o então presidente Washington Luiz assinou o Código de Menores, estabelecendo a distinção entre os que podiam ser punidos como adultos – os maiores de 18 anos.

    Antes disso, cabia basicamente às autoridades decidir se o infrator tinha condições de ser responsabilizado pelos seus atos, independente de ter menos de 18 anos. Acontecia de meninos de 12 anos serem condenados à cadeia.”
    =================================

    De lá pra cá, o sistema penal só piorou.

    Reduzir a maioridade penal sem estruturar o sistema pra internar menores, terá como consequências, dentre outras: (i) aumento dos crimes violentos praticados por menores; (ii) aumento da base de recrutamento para as quadrilhas que operam dentro dos presídios (e que hoje, virtualmente, dominam o sistema penal brasileiro); (iii) novo aumento de crimes violentos praticados por menores.

  215. Elias said

    “Se é pra assinar um acordo e não honrar. Ficar só nas palavras, como vc diz.” (Pedro)

    Eu disse isso? Onde?

    Eu disse que a Zona do Euro aprovou o pacote emergencial para a Grécia em troca de PROMESSAS (e não como consequência de MEDIDAS CONCRETAS, como a Zona do Euro queria).

    Em seguida, mencionei como o Delfin Netto fazia com o FMI… Na prática, Delfin & sucessores demonstram que o FMI estava errado. O Brasil acabou saindo do buraco (e honrando seus compromissos externos), sem nunca ter posto em prática o receituário do fundo, né?

    O Delfin escolhia as metas que achava conveniente cumprir. Invariavelmente ficava um monte de coisas de fora, do que resultava nova auditoria, novo acordo, nova fixação de metas, etc.

    Tomando o Brasil como exemplo, estou SUPONDO que a Grécia fará o mesmo.

    Mas isso não é ficar “só nas palavras”, Pedro. P.Q.P.! Não acredito que, com tua inteligência, não percebas a diferença. Já estás parecendo o Chester…

    O Brasil deu o calote? Não! O Brasil honrou todos os seus compromissos externos? Honrou!

    O que o Brasil não fez foi seguir totalmente o receituário do FMI. Os sucessivos governos brasileiros — uns mais, outros menos — formularam suas próprias políticas econômicas, que, eventualmente, continham elementos do receituário do FMI, mas não a totalidade, e em diferentes graus de intensidade.

    Se algo assim vai acontecer com a Grécia, só o futuro dirá. Não estou dizendo que é isso que vai acontecer, até porque não tenho bola de cristal (se tivesse, usaria pra advinhar a mega-sena…).

    No momento, o que eu posso dizer é que, no cabo de guerra entre o governo grego e a Zona do Euro, que levou vantagem foi:

    I – em primeiro lugar, os credores da Grécia, porque se livraram do calote (eles estão pouco ligando se o dinheiro que eles recebem vem da Grécia, da Zona do Euro, da baixa da égua ou da casa da mãe Joana; o que importa é que o dinheiro entre);

    II – em segundo lugar, o governo grego, porque conseguiu dinheiro, crédito e liquidez, em troca de promessas (que poderão ou não ser cumpridas, no todo ou em parte).

    Também no momento, posso dizer que a Zona do Euro não levou vantagem nenhuma, porque acabou tendo que liberar dinheiro, crédito e liquidez para a Grécia, sem que esta, preliminarmente, tenha adotado qualquer uma das medidas de austeridade, tidas e havidas pela Zona do Euro como condição para o fechamento de qualquer acordo com o governo grego.

    Foi o que eu disse, e é o que estou dizendo, agora (embora, pessoalmente — e com base nas mesmas razões pelas quais disse que a Zona do Euro acabaria aprovando em seco alguma ajuda pra Grécia — duvide muito que a Grécia cumprirá todas as promessas que fez).

  216. Pedro said

    Foi isso que entendi, quando vc disse que a Grecia trocou dinheiro por palavras.

    “Deu um migué”, no popular.

    Li outras análises que dizem o seguinte:

    -Merkel endurece, impõe privatização e corte de gastos à Grécia, vence o embate, humilha o esquerdista Tsipras e, na prática, o destitui do governo grego.

    -Outra fala em humilhação monumental do Tsipras, e por aí afora.

    Por isso, me permita ficar em dúvida.

    Ps: Me atrevo dizer que ficar o feriadão aí no “Dolce Far Niente”, fez bem a vc

    Pelo menos por enquanto não me xingou, só por discordar um tiquinho. =)

    Aqui a chuva de granizo me esfriou cabeça literalmente.

  217. Elias said

    “Na prática, destitui o governo grego.”

    Bleargh! Parece até matéria da imprensa brasileira…

    Confunde desejo com realidade.

    Quem se deu bem foram os credores, cacilda! O governo grego apenas surfou na rabeira…

    “Impõe corte de gastos?”. Quem tá impondo corte de gasto é a falta de dinheiro, caramba! E não é só gasto de governo, não…

    Sabes como a Grécia torrou as poucas divisas que tinha? Importando toda sorte de bugiganga — de automóveis a forno de microondas e telefones celulares — sem cobrar impostos (porque assim rezava a cartilha “liberal”). A partir de agora, ela vai continuar a importar, mas, pra cada travanca que for comprada fora, será cobrada pelo menos meia travanca de impostos…

    Aumento de impostos, Pedro. É isso que vai equilibrar as finanças gregas. Aliás, é o vai equilibrar as finanças do Brasil também. E é, também, o que vai equilibrar as finanças dos EUA. Mais cedo ou mais tarde, tudo acaba nisso: aumento de impostos.

    Bem, pra mim chega de Grécia…

  218. Pedro said

    Tá certo, no máximo um arroz a grega.

    …………

    Tem coisas mais importantes pra me preocupar, dependo do tempo pra trabalhar.

    http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2015/07/defesa-civil-alerta-para-risco-de-granizo-alagamentos-e-tornados-em-sc-4800817.html

    To igual ao Cerveró, um olho no chão outro no céu. =(

  219. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/joaopereiracoutinho/2015/07/1654987-roleta-grega.shtml

    ROLETA GREGA

    No dia 5 de julho, os gregos foram às urnas. E, em gesto de coragem, disseram “não” à “austeridade”. A Europa exigia que os gregos subissem a idade da aposentadoria? Os gregos disseram “não”. A Europa exigia aumento de impostos em setores estratégicos do país, como o turismo? Os gregos disseram “não”. A Europa desejava mais cortes na despesa do Estado? “Não”, “não” e “não”.

    Foi uma noite de festa em Atenas, provavelmente esgotaram-se as garrafas de “retsina” e Alexis Tsipras, o premiê do país, surgiu perante o seu povo garantindo que tinha mais poder para negociar –e que um acordo com os outros governos europeus (que ele classificou de “mentirosos” e seu ex-ministro das Finanças, de “terroristas”) seria conseguido em poucos dias.

    O clima era tão heroico que Vladimir Safatle, colunista desta Folha, declarava poeticamente que os gregos tinham “um governo que sabe como a política é a definição do inegociável”. O título do texto era ainda mais poético: “Aquele que diz ‘não'” (7/7/2015)

    Amanheceu em Atenas. E o mesmo premiê que pedira “não” aos seus compatriotas tinha agora uma contraproposta para apresentar em Bruxelas. E que nos dizia essa contraproposta?

    Fácil: o leitor pode fazer “copiar+colar” da proposta inicial da União Europeia e terá a nova proposta grega quase “ipsis verbis”. Com um pormenor: a “austeridade” que o governo grego recusara era defendida pelo mesmo governo em termos ainda mais violentos (tradução: € 12 bilhões em cortes). Como explicar a mudança de Alexis Tsipras em 24 horas? E como explicar que a utilidade do plebiscito que ele convocou com arrogância suicidaria, abandonando as negociações? Três hipóteses:

    a) O premiê grego não leu a coluna de Vladimir Safatle.
    b) O premiê grego sofre de um distúrbio de personalidade.
    c) O premiê grego brincou com o destino do país, esperando que o “não” assustasse a Europa inteira.

    Eliminando as duas primeiras hipóteses como irracionais, resta a terceira: o mesmo governo que disse “não” à austeridade e insultou os credores com vigor, olhou para o abismo econômico que tinha à frente e, no dia seguinte, já estava a pedir aos credores (aos “mentirosos”, aos “terroristas”) um novo cheque de € 50 bilhões para não naufragar.

    Perante esta história, digna de Marx (o Groucho, não o Karl; como dizia o primeiro, “esses são os meus princípios; mas se você não gosta, eu tenho outros”), será de admirar que a Europa considere o governo grego um parceiro “não confiável” (para usar um eufemismo)?

    E será de admirar que com a economia do país paralisada durante duas semanas –bancos fechados, controlo de capitais etc.– as necessidades de financiamento grego já estejam acima dos € 80 bilhões?

    O resultado do circo está à vista: depois de 17 horas de negociações, a Grécia está de joelhos como nunca esteve em cinco anos de ajustamento. Da subida de impostos à imposição das privatizações; do controlo das contas do país pelo FMI à venda de ativos públicos (€ 50 bilhões), pior era impossível. E agora?

    Agora, o governo grego tem 48 horas para passar no Parlamento este novo plano, que transforma o plano original recusado por Tsipras em brincadeira de crianças.

    Desconheço se Atenas aceitará a terapêutica. Desconheço se o governo de Tsipras irá sobreviver a esta monumental humilhação. E mesmo que o Parlamento aceite tudo, desconheço se o povo grego ficará tranquilamente em casa, depois das ilusões (e das traições) do seu próprio governo.

    Por agora, o “caso grego” apenas oferece uma lição aos pequenos “che guevaras” que gostam de brincar à política com a vida de milhões de seres humanos: ocultar a realidade com mentiras e soberba é o primeiro passo para que a realidade nos esmague sem perdão.

  220. Chesterton said

    TINA

  221. Chesterton said

    There is no alternative

    A frase que serve de título para o artigo de hoje (também conhecida pelo acrônimo TINA) era um slogan adotado pela então primeira-ministra do Reino Unido Margaret Thatcher, à medida que a Dama de Ferro implementava as mudanças que levariam o país britânico do posto de “doente da Europa” a uma economia de mercado.

    O leitor deve estar se perguntando agora: o que tem a ver o famoso slogan thatcherista com a situação da Grécia?

    Quem acompanha os noticiários e este blog há algum tempo – ver aqui, aqui e aqui – sabe as últimas semanas foram de muita tensão no país helênico: reuniões sem acordo com os credores europeus, convocação de referendo para aceitar a proposta destes, corrida aos bancos, que precisou ser estancada por meio de um corralito (limitando os saques diários a 60 euros) e, por fim, um sonoro oxi (não, em grego), no qual 61% dos eleitores rejeitaram esse acordo. Após isso, mais negociações com credores, líderes europeus cada vez menos confiantes e a iminência de um Grexit, ainda que temporário, passa a estar no papel…Mas, entre mortos e feridos, habemus acordo.

    Mas ora, o que prevê este acordo? Bem, ele prevê uma ajuda de 86 bilhões de euros à Grécia, sendo que neste pacote, 50 bilhões seriam utilizados para recapitalizar os bancos e fazer investimentos que estimulem o crescimento econômico. Em troca, o governo grego terá que estabelecer um fundo com a finalidade de vender ativos valiosos para pagar o resgate, reformar a previdência, liberalizar a economia, privatizar, reformar o mercado de trabalho, medidas que garantam a independência do escritório de estatísticas grego (o equivalente ao nosso IBGE), medidas de cortes automáticos de gastos caso o governo não cumpra as metas de superávit primário e estabelece o prazo de 22 deste mês para a revisão do sistema de justiça civil e alinhar as regras que regem os bancos com a dos demais países da União Europeia.

    Todas essas medidas recebem o nome pomposo de reformas. Estas, por sua vez, são um nome muito pomposo para austeridade. Ponto.

    Não leitor, você não leu errado: vai ter austeridade sim. No governo de Alexis Tsipras. Da Syriza. O equivalente a nossa Luciana Genro e ao PSOL daqui. E sim, elas são praticamente iguais às rejeitadas no referendo de 05/07. Sim, estamos falando de um estelionato eleitoral. Diga-se de passagem, um estelionato eleitoral duplo, uma vez que os gregos votaram em um partido justamente pela oposição às medidas de austeridade e rejeitaram um acordo com os credores que seguia essa linha. Perto do que Alexis Tsipras fez, a austeridade cambota de Dilma Rousseff aqui no Brasil seria brincadeira de criança.

    Um leitor pode estar se perguntando: então você é contra a austeridade? Claro que não. A austeridade, que é apenas uma forma disfêmica de falar em responsabilidade fiscal (ou seja, seus gastos devem estar alinhados com suas receitas, algo que deveria ser trivial) não é uma opção, e sim uma necessidade para qualquer país que queira manter-se em longo prazo. O problema é que Tsipras tentou ignorar tudo isso, praticamente parou o país por quase seis meses, puxando o freio de mão da economia (que andava devagar, mas andava) e levando os bancos à quase bancarrota. Tudo isso para no final assinar um acordo que seria perfeitamente “canetável” pelos partidos ND e PASOK, as duas forças políticas que se revezaram no poder nos últimos quarenta anos. Custava apresentar a realidade ao povo grego?

    Enfim, seja no Reino Unido dos anos 80 ou na atual Grécia, a realidade mostra que there is no alternative. Pena que tanto Tsipras como os gregos tiveram que aprender isso da pior forma. A Syriza pode muito bem ter sido o caminho mais longo e doloroso da austeridade para a austeridade.

    http://minutoprodutivo.blogspot.com.br/2015/07/there-is-no-alternative.html

  222. Elias said

    E o minério de ferro derreteu 10% na China…

    Ruim pro Brasil. Pior pra Vale. Péssimo pra quem tem ações desta.

    Ficou mais distante — e muito mais difícil! — a esperança de uma retomada econômica com base em commodities.

    A Dilma disse que não deseja pro Chile, uma bronca no cobre igual à do ferro… Por suposto, ela pensava menos no Chile e mais no próprio quintal: pelo andar da carroça, em uns aninhos mais o Brasil estará exportando cobre muito mais que o Chile. Se o cobre bronquear, ferra-se o Chile, mas também — e talvez até antes! — esta pátria que me pariu.

    De qualquer modo, com as commodities verde-amarelas levando farelo, o que resta?

    Resta tentar alguma coisa com o mercado interno, né não?

    Mas, com o Levy fazendo reality show da Parábola do Frango de Jacareí?

    Duvi-de-o-do!… Como dizia o Hélio Fernandes.

  223. Elias said

    Não obstantemente, no dia 10 deste mês, 6ª feira:

    “ADVFN: As ADRs da Vale (NYSE:VALE) e da Petrobras (NYSE:PBR) fecharam em alta de 1,97% e 2,86% respectivamente no mercado norte-americano enquanto a BM&FBOVESPA estava fechada no feriado desta quinta-feira. O bom movimento parece continuar hoje, enquanto os dois papéis amanhecem em alta no pré-mercado da bolsa de valores de Nova Iorque.”

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: