políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Lava Jato: Operação Carbono 14

Posted by Pax em 01/04/2016

Presos Silvio Pereira e Ronan Maria Pinto.

Desenterrado Celso Daniel?

Polícia Federal deflagra 27ª fase da Operação Lava Jato

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (1º) a 27ª fase da Operação Lava Jato para investigar a prática dos crimes de extorsão, falsidade ideológica, fraude, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Nesta fase, denominada Operação Carbono 14, estão sendo cumpridas 12 ordens judiciais: três mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva em São Paulo (SP), um mandado de busca e apreensão e um de prisão temporária em Carapicuíba (SP), um mandado de busca e apreensão em Osasco (SP) e três mandados de busca e apreensão, além de um de prisão temporária em Santo André (SP).

Cinquenta policiais estão envolvidos nesta operação. Os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, enquanto aqueles conduzidos para depoimentos serão ouvidos na cidade de São Paulo.

Esta fase foi chamada de Operação Carbono 14 em referência a procedimentos usados pela ciência para a datação de itens e a investigação de fatos antigos. Às 10h, a PF dará entrevista coletiva em Curitiba para dar detalhes da operação.

 

Mais informações também na Folha de São Paulo

Anúncios

108 Respostas to “Lava Jato: Operação Carbono 14”

  1. Pedro said

    Não seria carbono 13?

  2. Pax said

    Talvez carbono 171, de todos os lados. Nunca vi uma classe política tão mequetrefe.

    A oposição, de tão ruim que é, conseguir desmobilizar um movimento que era quase líquido e certo.

  3. Chesterton said

    Pax, PSDB não é oposição.

  4. Pax said

    Hoje é, associado um terçco do pior que há. O outro terço está com o PT. O outro terço é o PMDB que está e sempre estará com quem estiver no poder, Chesterton.

  5. Mona, a das antigas said

    E, finalmente , acharam o cadáver (insepulto) que galvanizar e arrematar com chave de ouro (de tolos) toda essa epópeia petista: começa com os esquemas descobertos pelo Celso Daniel (o cadáver insepulto), vai se robustecendo com o mensalão (até que um comparsa não satisfeito o delata) e termina gloriosamente no petrolão. Mas a moral petista é a seguinte:
    1) um petista mata a mãe;
    2) a primeira coisa que ele vai dizer é que mãe do FHC também morreu;
    3) depois, ele nega que ela tenha sido assassinada; foi um suicídio;
    4) provado por A + B o homicídio e sua autoria, ele nega, é claro e continua sustentando que a mãe de outros políticos também morrem ou já morreram;
    5)finalmente, esse assassinato será racionalizado, relativizado e justificado pelos “intelectuais” do partido, sob a alegação de que, independentemente dessa ação – alardeada de maneira superdimensionada pelo PIG para enfraquecer o PT – os ganhos sociais do período que o PT esteve no poder foram superiores aos que ocorreram nos 500 anos anteriores e que a campamha do PIG para enfraquecer o Partido porá em risco todo o projeto social sonhado e executado por ele;
    6) a militância repetirá a narrativa para si e para os outros, calando a sua lógica e a sua consciência, e deixando a amoralidade que a acompanha dominar.

    Caso o assassinato de Celso Daniel seja finalmente esclarecido, bem como as outras 7 mortes que aconteceram depois, preparem-se para dar boas risadas (depois de ter passado a ânsia de vômito, por óbvio) com as justificativas, racionalizações e relativizações que a companheirada vai engendrar para explicar essas execuções.

  6. Pax said

    Antes de Celso Daniel tem a misteriosa morte do Toninho em Campinas, Mona.

  7. Mona, a das antigas said

    Vixe, é mesmo, Pax. O jogo é bruto…

  8. Patriarca da Paciência said

    Não esquecer também o Lucas Gomes Arcanjo

    A investigação sobre a morte de um policial civil que fazia acusações e críticas ao senador Aécio Neves (PSDB) será acompanhada pela Polícia Federal a pedido do ministro da Justiça, Eugênio Aragão; Lucas Gomes Arcanjo foi encontrado morto no último sábado (26) dentro de sua casa, em Belo Horizonte, enforcado por uma gravata; nos vídeos que publicava nas redes sociais, Arcanjo dizia que Aécio tinha ligação com tráfico de drogas, corrupção e até a morte de opositores. Ele também criticava promotores do Ministério Público, Poder Judiciário, outros políticos e a própria Polícia Civil; a assessoria de Aécio Neves disse em nota que “considera que este é um assunto da competência dos policiais”

    http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/223112/PF-acompanhar%C3%A1-caso-da-morte-de-policial-que-acusava-A%C3%A9cio.htm

  9. Patriarca da Paciência said

    Desenterrar o cadáver do Celso Daniel e o ficar expondo como chamada principal em todos os telejornais e, em grandes letras garrafais, por todos os jornalões do Brasil, não faz parte de nenhum jogo político !

    É pura coincidência !

  10. Patriarca da Paciência said

  11. Patriarca da Paciência said

    Breno Altman: OPERAÇÃO LAVA JATO ESCULACHA CONSTITUIÇÃO
    Fui surpreendido, na manhã de hoje, com a notícia de que a Policia Federal havia comparecido à minha casa, em São Paulo, com um mandado de condução coercitiva e outro de busca e apreensão.
    Tinha viajado a Brasília para participar de atividades da Jornada Nacional pela Democracia, que ontem reuniu duzentas mil pessoas apenas na capital do país.
    Atendendo a orientação dos próprios agentes federais, compareci à sede brasiliense da instituição. Meu depoimento foi tomado durante cerca de uma hora, em clima cordial e respeitoso.
    Minhas declarações sobre a investigação em curso, no entanto, poderiam ter sido tomadas através de intimação regular, com data e horário determinados pelas autoridades. O fato é que jamais tinha recebido qualquer convocação prévia para depor.
    Aliás, assim foi procedido com demais depoentes do inquérito que envolve meu nome: nenhum deles tinha sido levado a depor sob vara, até esta sexta-feira, respeitando norma legal que estabelece coerção somente para quem foge de comparecer a atos judiciais ou oferece risco à ordem pública.
    Só posso reagir com indignação ao regime de exceção que o juiz Sérgio Moro resolveu estabelecer para alguns dos intimados da chamada Operação Carbono 14.
    Infelizmente não é novidade. O atropelo de garantias constitucionais é a prática predominante do magistrado Sérgio Moro e de procuradores que atuam em sua corte.
    Desde a condução coercitiva do ex-presidente Lula, tem ficado mais claro aos brasileiros que a Lava Jato faz da intimidação, do espetáculo e do arbítrio suas principais ferramentas de intervenção.
    Sob a bandeira de combate à corrupção, trata-se de investigação seletiva e contaminada, cujo objetivo derradeiro é a derrocada do governo da Presidenta Dilma Rousseff, a interdição do ex-presidente Lula e a criminalização do Partido dos Trabalhadores.
    Depois das multitudinárias concentrações de ontem e da revogação de decisões arbitrárias do juiz Moro pelo Supremo Tribunal Federal, era de se esperar que a República de Curitiba revidasse. Seu papel principal, afinal, é fabricar fatos que alimentem os meios de comunicação alinhados à oposição de direita.
    Sou apenas mais um dos alvos deste tornado antidemocrático.
    Não foi apresentada, durante o interrogatório, qualquer prova ou indício de meu eventual envolvimento no caso investigado, de suposto empréstimo ao empresário Ronan Maria Pinto.
    A falta de solidez na inquirição também se revela, por exemplo, pelas perguntas que diziam respeito às atividades de antiga editora da minha propriedade, fechada há quase vinte anos, com indagações até sobre o tipo de livros que publicávamos, e à doação eleitoral de dois mil reais que fiz, em 2006, a Renato Cinco, então candidato a deputado estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro.
    O que importava, afinal, era a criação de fato político que realimentasse tanto a Operação Lava Jato quando a ofensiva por um golpe parlamentar contra a presidente da República.
    Apesar de ultrajado em meus direitos de cidadão, continuarei à disposição da Justiça e confiante que, mais cedo ou mais tarde, retornaremos à plena vigência do Estado de Direito.
    Mas minha situação pessoal é de pouca relevância. Como jornalista e militante das causas populares, tenho a obrigação de denunciar o esculacho ao qual nossa Constituição e nossas leis têm sido submetidas.
    Estou orientando meus advogados a entrarem com uma ação no Conselho Nacional de Justiça contra o juiz Sergio Moro, pela ilegalidade de minha condução coercitiva, em decisão prenhe de ilações e especulações.
    O Brasil não pode aceitar que um estado policial se desenvolva nas entranhas de nossas instituições democráticas.

  12. Patriarca da Paciência said

    Mulher de Temer está grávida e PMDB já negocia cargos de padrinhos

    http://www.sensacionalista.com.br/2015/12/11/mulher-de-temer-esta-gravida-e-pmdb-ja-negocia-cargos-de-padrinhos/

  13. Patriarca da Paciência said

    De Marcos de Vasconcellos
    Rede Brasil Atual

    A operadora de telefonia que executou a ordem para interceptar o ramal central do escritório de advocacia Teixeira, Martins e Advogados já havia informado duas vezes ao juiz federal Sergio Fernando Moro que o número grampeado pertencia à banca, que conta com 25 advogados. Apesar disso, em ofício enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta semana, Moro afirmou desconhecer o grampo determinado por ele na Operação Lava Jato.

    Dois ofícios enviados pela Telefônica à 13ª Vara Federal de Curitiba, no dia 23 de fevereiro (quando foram determinados os grampos) e outro do dia 7 de março (quando foram prorrogadas as escutas), discriminam cada um dos números que Moro mandou interceptar. Os documentos deixam claro que um dos telefones grampeados pertence ao Teixeira, Martins e Advogados, descrevendo, inclusive, o endereço da banca.

    http://carosamigos.com.br/index.php/politica/6236-documentos-indicam-que-moro-pode-ter-mentido-sobre-grampos

  14. Patriarca da Paciência said

  15. Patriarca da Paciência said

  16. Patriarca da Paciência said

    247 – Em nota pública, a atriz Bibi Ferreira condena o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff:

    “Todos me conhecem e sabem que nos meus 93 anos de vida nunca fui dada a emitir opiniões de cunho político.

    Contudo, enquanto cidadã brasileira e mulher sinto obrigação de alertar as pessoas sobre o que está acontecendo. Muito do que vemos é o mais puro e repugnante machismo, pois tristemente muitos conseguem cultivar a ideia de que as mulheres não são capazes de ocupar cargos de importância e por isso na primeira dificuldade já querem substituí-la.

    Só assim pode se explicado a falta de respeito não só com uma presidenta que obteve nas urnas mais de 54 milhões de votos e com toda população.

    Querer retirá-la da presidência sem que ela tenha praticado qualquer crime é inaceitável. É muito triste constatar que muitas pessoas não conseguem enxergar que as emissoras de TV são empresas, e como qualquer empresa, o seu compromisso maior é com quem lhe garante vultuosos recursos financeiros e não com o povo.

    Confio que a presidenta representa hoje os valores da Democracia e do Estado Democrático de Direito no só no nosso querido Brasil como no mundo. Viva a Democracia e abaixo o golpe.”

  17. Pedro said

    O Claudio Humberto traz alguns números da Petrobras.
    O Guata vai gostar de olhar isto.

    “MESMO DEMITINDO, PETROBRAS É O MAIOR ‘CABIDE’
    Desde o início do petrolão, que surrupiou R$ 21 bilhões da estatal, a Petrobras demitiu mais de 30 mil pessoas, a maior parte terceirizados. O novo programa de demissões voluntárias objetiva demitir outros 12 mil. Mesmo após os desligamentos, a estatal ainda é a petroleira que mais emprega no mundo, à frente das gigantes Shell, Exxon Mobile e British Petroleum. E muito atrás delas em desempenho e lucros.

    ASSIM NÃO DÁ
    A Petrobras opera 7.000 postos de combustíveis no mundo e a Shell 44.000. A Petrobras registrou, em 2014, cerca de 3% do lucro da Shell.

    INEFICIÊNCIA
    A Shell, a Exxon e a British Petroleum (BP), juntas, empregam cerca de 262.000 pessoas, quase 13 mil a menos que a petroleira brasileira.

    EFETIVOS
    A Petrobras paga salários a 249.000 pessoas, das quais 84.000 são concursadas. Juntas, Exxon e Shell empregam 177.500.

    INEFICIÊNCIA ESTATAL
    Em 2014, a Petrobras lucrou US$ 1 bilhão; a Shell, US$ 14 bilhões; a Exxon, US$ 32,5 bilhões e a BP, US$ 12,1 bilhões.”

  18. Pedro said

    E o Chester vai gostar destes números. :-)

    “DILMA CRIA CARGOS E CHEGA A 100 MIL COMISSIONADOS
    Anunciado como grande “corte na carne” do governo para se enquadrar à grave crise econômica, não passou de lorota a redução de cargos e funções comissionadas alardeada pela presidente Dilma e seus ministros. Pelo contrário, o número de cargos, funções de confiança e gratificações do governo federal aumentou entre 2014 e 2015, chegando a 99.995, segundo o próprio Boletim Estatístico do governo.

    ‘CUMPANHÊRADA’
    Com orçamento de quase R$10 bilhões, não faltou dinheiro ao DNIT para criar, do nada, 475 funções de confiança em 2015.

    ANDOU PARA TRÁS
    Enquanto cortou 1,1 mil cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS), Dilma criou 2 mil funções comissionadas no ano passado.

    SOPA DE LETRINHAS
    Os 100 mil cargos estão divididos em 47 siglas e abreviações das mais variadas espalhadas por Abin, AGU, ANAC, Presidência entre outros.”

  19. Pedro said

    Depois disso não duvido se a Dilma barrar o impeachment criando mais 40 ministérios.

    Além do ministério da pesca, vai ter o da isca, o da vara e o do anzol…..

  20. Chesterton said

    19, gostei, vou roubar.

  21. Chesterton said

    18…é de chorar de rir, usa o estado para tentar se manter no poder, deveria sofrer impeachment e ir direto para a cadeia.

  22. Chesterton said

    Esquerda latina errou ao achar que corrupção é alheia a ela, diz mexicano
    ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
    DE NOVA YORK

    04/04/2016 02h00
    Compartilhar289
    Mais opções
    PUBLICIDADE
    Na alegria das vitórias dos anos 2000 e na tristeza dos tempos atuais de reveses, até que a morte da esquerda latino-americana a separe.

    Ora derrotas parciais, como a maioria oposicionista no Congresso venezuelano e a negativa em referendo para Evo Morales engatar o quarto mandato na Bolívia. Ora ejeções do poder pelo voto —o fim da era Kirchner na Argentina— ou pelo impeachment, possível epílogo para Dilma Rousseff no Brasil.

    Jorge Castañeda, 62, ex-chanceler mexicano (2000-03, no governo de centro-direita de Vicente Fox) e professor da Universidade de Nova York, diz que o maior erro da esquerda foi “crer que a corrupção era alheia a ela, e não seria corrompida porque veio do povo, e o povo é honesto”.

    Jorge Araújo/Folhapress
    SAO PAULO Brasil 13 05 2014 Seminario comemorativo aos 10 anos do IFHC (esq Felipe Gonzalez,Jorge Castaneda,,Ricardo Lagos,,Julio Sanguinetti e Fernando Henrique ex presidentes debatem as alternativas para America Latina em tempo de escolhas no teatro da livraria Cultura Artistica MUNDO Jorge Araujo 703 Folhapress ORG XMIT: XXXXXXX
    Ex-chanceler mexicano Jorge Castañeda em São Paulo, durante seminário em 2014
    Outro pecado foi não saber “poupar para os dias chuvosos”, que chegaram com a crise global que levou o preço das commodities ao chão. E o Brasil, onde errou?

    “A primeira coisa, talvez a mais importante, é que os economistas disseram que vocês seriam um sucesso. Se economistas dizem isso, você quase certamente será um fracasso”, diz, lembrando as capas da revista “The Economist” com o Cristo Redentor decolando (2009) e afundando (2013). “Ambas falsas.”

    *

    Folha – O que deu errado na América Latina?

    Jorge Castañeda – Primeiro, o fim do “boom” das commodities, que permitia que vários países gastassem muito dinheiro. Era sorte, e muitos esquerdistas foram eleitos.

    Por que a esquerda ascendeu ao mesmo tempo na região?

    Tem a ver com as promessas não cumpridas no período neoliberal [nos anos 90]. E a estabilidade financeira nos disse que as pessoas teriam uma vida um pouco mais confortável para assumir riscos. Com a consolidação da democracia onde há desigualdade, se as eleições são respeitadas, ao longo do tempo você terá partidos de esquerda vencendo por causa das características sociais.

    O sr. escreveu no jornal “New York Times”, “A Morte da Esquerda Latino-Americana”…

    Não escolhi o título. Ninguém morre de perda de poder. Você volta, um dia.

    Enquanto ela não volta, acha que está disposta a aprender com seus próprios erros?

    Para o Brasil é diferente, pois as exportações de commodities são uma porcentagem muito menor do PIB. Mas para Bolívia, Venezuela, Equador… Se tivessem criado fundos para poupar dinheiro para os períodos em que os preços despencassem, seria mais fácil lidar com o momento atual. O Chile fez isso em 2008-09, mas não o fez na segunda vez. Por isso estão em apuros com a economia estagnada. Há uma lição a ser aprendida: você tem de poupar para os anos ruins.

    No “New York Times”, você diz que o continente não pode apostar numa economia diversificada. Temos de nos contentar com commodities?

    O Brasil é diferente porque tem uma base industrial enorme. Mas outros países têm sonhado em diversificar suas exportações há 150 anos. Isso não aconteceu, e nem acho que vá acontecer.

    Se você tem períodos de boom econômico como o da década passada, a tentação de continuar nessa inércia é forte, e as vantagens parecem compensadoras. Essa ideia de que, um dia, em vez de exportar cobre, o Chile vai exportar vinhos não vai acontecer. Eles têm ótimos vinhos, mas faria mais sentido se investissem na exportação de forma sábia, transparente.

    Você diz que o caso brasileiro é diferente. Onde erramos?

    A primeira coisa, e talvez a mais importante, é que os economistas disseram que vocês seriam um sucesso. Se os economistas dizem isso, você quase certamente será um fracasso. Os economistas sempre erram! A “Economist” é uma revista maravilhosa, mas nunca acerta.

    Quando o Cristo Redentor estava decolando, e depois quando despencou no mar, as duas capas se equivaliam: ambas eram falsas.

    O Brasil investia muito pouco. As taxas de investimento estavam em 17%, 18% do PIB, e o país não seria capaz de crescer como antes, criar a infraestrutura necessária, gerar o tipo de educação que precisa, nem investir mais.

    Talvez porque os impostos fossem muito altos, e essa é a resposta neoliberal. Talvez porque as taxas de poupança fossem baixas. Em segundo lugar, [o presidente] Lula escolheu não mudar a Constituição atrás de um terceiro mandato. Mas optou por fazer o possível para garantir que o PT continuasse no poder. E começou a usar a economia para propósitos políticos.

    Exemplo?

    Após a vitória na primeira vez, Dilma ficou obcecada em se reeleger. Muito mais do que na era Lula, a economia foi muito administrada com viés político. E aí você tem a explosão de empréstimos do BNDES, a bolha de crédito do consumo, resultado de baixar os preços artificialmente, e um déficit que cresce aos poucos, sem perceber que o cenário internacional muda. E mudou dramaticamente.

    O Brasil começou um processo de desindustrialização. Dilma não sabia o que fazer. Decidiu continuar gastando pela reeleição. Foi quando o Petrolão começou pra valer.

    O que sobra para a esquerda? Depois do poder, elas não são mais a oposição de antes.

    O balanço geral, exceto na Venezuela e na Argentina, é positivo. O Brasil hoje parece desastroso, mas há cinco anos parecia maravilhoso. Muito do que o PT fez, sobretudo com Lula, é uma história de sucesso. O Chile também.

    Ainda assim há lições a aprender. A primeira é poupar dinheiro. A segunda é a questão da corrupção, algo que a esquerda negligenciou.

    Pareciam acreditar que a corrupção era algo totalmente alheia a ela. A esquerda não seria corrompida porque era pobre, era honesta porque veio do povo, e o povo é honesto. Era transparente porque veio de lutas contra a ditadura, e ditaduras são o contrário disso.

    A esquerda acreditou que corrupção não era com ela, era um problema para as elites latino-americanas. Não é verdade. Corrupção é algo tão enraizado no continente que todos somos vulneráveis.

    O Brasil tem visto confrontos entre grupos pró e contra o governo. Pode piorar?

    O Brasil não é a Venezuela, tem instituições fortes. Talvez alguns conflitos locais, mas não acho que a crise política será resolvida nas ruas, e sim no Congresso ou nas cortes. A vitalidade do Judiciário, por exemplo, é satisfatória, ainda que em certas ocasiões haja excessos, alguns juízes talvez desejosos de manchetes.

    Você se refere a Sergio Moro?

    Digamos “alguns juízes”.

    Como vê a crítica de que a elite quer punir corruptos, mas na verdade tem preconceito contra líderes de origem popular?

    O único presidente [da região] hoje na cadeia por corrupção é Otto Pérez Molina, da Guatemala, ex-general muito querido pelas oligarquias locais. Michelle Bachelet, no Chile, está tendo problemas. E fala inglês como uma americana, é loira, tem sobrenome francês e é doutora. O México tem um governo de direita que é um dos mais impopulares da história, por causa de corrupção. Não é uma questão de as elites não gostarem do que é diferente.

    Movimentos de esquerda dizem que não há tanta gente protestando contra outros políticos envolvidos em escândalos, inclusive alguns que defendem o impeachment.

    O PT está no poder num país bem presidencialista, por 14 anos. Não pode esperar não receber a culpa pela corrupção. As pessoas identificam a corrupção com o governo federal e o Congresso.

    O que esperar se governos à direita voltarem a ser maioria?

    Da mesma forma que não houve rupturas tremendas com políticas neoliberais sob o governo Lula, ou no Chile e no Peru, não acho que haverá um grande distanciamento de políticas bem-sucedidas da esquerda. Acho que o Bolsa Família continuará. Até na Venezuela, algumas das coisas que Hugo Chávez fez continuarão quando [Nicolás] Maduro sair. Com [Mauricio] Macri, na Argentina, não há um abandono de tudo o que os Kirchner fizeram.

    A ascensão de Donald Trump, um radical antiestablishment, pode influenciar a região?

    Com o enorme descrédito de partidos e elites políticas hoje, você verá algumas figuras ascenderem à moda Trump. Será mais uma reação visceral contra uma elite política vista como corrupta e incompetente, mas não creio que as levará à vitória em lugar algum.

    Acha que Lula pode ser preso?

    Espero que não, sempre o admirei. Seria uma tragédia se fosse condenado por corrupção. Não sei se é o caso. Confio no Judiciário do Brasil.

    Se Dilma cair, é golpe?

    O golpe ocorre à margem da lei, de forma violenta. Se Dilma sofrer impeachment, é porque o Congresso votou contra ela. Será perfeitamente legal. O que ela precisa decidir é se quer lutar ou se resignar. O PMDB se decidiu?

    Sinalizam que vão sair do governo [a entrevista ocorreu na véspera do anúncio].

    Então é o fim. Acabou.

  23. Chesterton said

    17…não adianta, eles vão dizer que as outras empregam pouco porque falta “vontade política”.

  24. Chesterton said

    Estou preocupado com o Elias, aquele amigo dele, o Dino (sauro) parece estar em maus lencóis….

  25. Chesterton said

    Um pouco de intolerância, por favor
    04/04/2016 07h00
    Compartilhar132
    Mais opções
    Duas notícias, dois casos de intolerância.

    Lionel Messi foi a um programa de tv no Egito. Decidiu oferecer as chuteiras para posterior leilão. O dinheiro obtido teria como fim instituições de caridade.

    O país revoltou-se contra o gesto do argentino. Para um deputado egípcio, Messi tem a imperdoável soberba de considerar os egípcios literalmente pés-rapados. E, claro, é preciso recordar que nos países árabes os sapatos são uma ofensa quando mostrados a alguém.

    Um pouco mais a oriente, Leonardo DiCaprio, na sua pose ridícula de “ecologista”, lamentou na Indonésia o impacto da indústria de óleo de palma nas florestas tropicais. O país também entrou em ebulição e as autoridades da Jacarta ponderam considerar o ator como “persona non grata”, impedindo-o de regressar ao país.

    Exageros? Com certeza. E casos extremos de intolerância cultural, embora uma proibição de entrar na Indonésia me pareça uma benção, e não necessariamente um castigo.

    Mas às vezes pergunto se os egípcios ou os indonésios não terão a mais o que os ocidentais têm a menos.

    Longe de mim defender a intolerância: discípulo de John Locke e da sua “Carta” sobre a matéria, considero a tolerância o valor “liberal” mais precioso. O Estado deve “tolerar” diferentes concepções de vida, sem a arrogância de “legislar sobre as almas dos homens”? Assino por baixo.

    Mas até Locke sabia que a tolerância tem limites: quando a segurança e a ordem “seculares” são ameaçadas pelos intolerantes, a neutralidade do Estado deve acabar.

    Não defendo a intolerância, repito. Defendo apenas uns pós da dita cuja –um leve tempero, como o sal na comida, só para evitar que o repasto perca o seu gosto. E o repasto é a possibilidade de viver em sociedades livres, pluralistas, tolerantes e decentes, onde cada um vive sem temor.

    Se, na minha cidade, existem pregadores que aconselham os fiéis a matar os infiéis, deve haver esse tempero para eles.

    Se uma minoria dos refugiados que chegam à Europa gosta de ostentar as bandeiras negras do “Estado Islâmico”, um pouco de intolerância para eles é igualmente recomendável.

    Se as mulheres ocidentais são obrigadas a viajar em carruagens de trem exclusivamente femininas por motivos de segurança (acontece na Alemanha), é legítimo perguntar se o grande desafio das sociedades abertas não será reaprender esse mínimo de intolerância para que essas mesmas sociedades continuem abertas.

    O contrário desse mínimo não será a rendição absoluta perante a intolerância dos outros. Pelo contrário: será o regresso às grandes intolerâncias do passado –governos musculados e extremistas, para os quais “um pouco de intolerância” será insuficiente.

    Aqueles que defendem uma tolerância sem limites são os mesmos que preparam o palco para a intolerância sem limites. Depois, quando os vemos chorar sobre leite derramado, só com grande tolerância podemos suportar o sofrimento desses órfãos que mataram a própria mãe.

  26. Chesterton said

  27. Chesterton said

    Os 15 melhores momentos da bombástica entrevista de Roberto Jefferson
    É uma metralhadora.

    Roberto Jefferson, o ex-deputado que denunciou o esquema do Mensalão, deu recentemente uma entrevista bombástica ao jornal O Estado de São Paulo. Por conta de ter sido condenado, ficou esse tempo todo sem poder falar de política ou dar depoimentos desse tipo.

    Agora, com o indulto, soltou o verbo. E soltou MESMO.

    Selecionamos os 15 melhores momentos dessa longa entrevista que deveria repercutir BEM MAIS. Acompanhem (e todos os grifos são nossos):

    Roberto Jefferson – entrevista

    1 – “O impeachment é legal, é constitucional, tem o rito constitucional fiscalizado pelo Supremo Tribunal Federal. Não há golpe. Dilma não pode se comparar ao Jango. O impeachment da Dilma se compara ao do Collor”

    2 – “(Collor) Era uma espécie de Dilma de saco roxo, como ele costumava dizer. A Dilma é autoritária, arrogante, o Collor era assim no passado. Ninguém gosta dela. Quando a pessoa vê a oportunidade de dar um pontapé, vai dar”

    3 – “Tem a pedalada fiscal, tem essa questão eleitoral, o esquema montado para financiamento da campanha. Aquele PC Farias era menino de procissão perto dessa turma do PT“

    4 – “Eu tive a impressão de que o mentor intelectual do mal era o Zé Dirceu. Mas hoje, com as provas colhidas, com a abertura que a imprensa fez do material colhido, tenho absoluta certeza de que o Lula era senhor de tudo que havia no País“

    5 – “Vi outro dia o Pedro Corrêa dizendo que o financiamento do mensalão vinha do petróleo, uma das fontes do mensalão era o petróleo. Era muito dinheiro para ser apenas o Marcos Valério através de uma conta de publicidade”

    6 – “As estatais no Brasil são o braço financeiro das corporações sindicais e dos partidos. Quem financia partido político são as estatais. Vamos ter que repensar isso. Se queremos país moderno, vamos ter que fazer privatização, porque não vai permitir a concentração da corrupção. Um assalto de US$ 1 bilhão como o (da refinaria) de Pasadena você não ia escutar em lugar nenhum. Só na concentração de poderes que a Petrobrás tem”

    7 – “Dimas (Toledo) foi à minha casa conversar, foi quando conheci o Dimas. Dimas disse “minha diretoria rende de apoio R$ 3 milhões por mês, mas eu tenho comprometidos R$ 1 milhão com o PT de Minas, R$ 1 milhão com o PT Nacional, dou R$ 600 mil a 12 deputados do PSDB, R$ 50 mil a cada um, eles apoiam de vez em quando o governo federal. E R$ 400 mil para a diretoria.”

    8 – “Deu no que deu. Ali foi a origem de tudo, a origem desse momento que o Brasil vive hoje. Eu te confesso que até aquele momento eu achava que o PT, que o Lula, tinham ética. Um partido igrejeiro, quase de batina, de barba preta e sotaina, nascido do útero da Igreja.”

    9 – “Está na raiz do PT a corrupção. Pelo que vejo, (o dinheiro que abastecia o mensalão) vinha de vários lugares. As estatais estão sempre na corrupção e as para estatais, que são as empreiteiras”

    10 – “Penso que o Lula não vai escapar. O mensalão parou na antessala dele, na Casa Civil. Mas o petrolão entrou dentro do Palácio (do Planalto). Ou esse (Marcelo) Odebrecht fala ou vai levar 30 anos na cadeia. Marcos Valério levou uma martelada de 40 anos”

    11 – “Delcídio fez uma bela contribuição. O gesto dele de tentativa de obstrução à Justiça foi menos grave que o ministro (Aloizo) Mercadante. Mas houve dois pesos e duas medidas. Delcídio foi preso, e Mercadante sequer foi incomodado“

    12 – “‘O sítio é do meu amigo, o apartamento é do meu amigo, o barquinho é do meu amigo.’ Isso é conversa de petista. O que eu fiz eu assumi. Mas não me abati, nunca reclamei, respeitei a decisão, cumpri a decisão”

    13 – “Acho que dá dois terços a favor do impeachment. No plenário, penso que Dilma não chegará a 150 votos”

    14 – “Ele (Cunha) foi o adversário mais à altura do Lula. Lula nunca esperou encontrar um bandido da mesma qualidade moral, intelectual que ele. O bandido pelo qual eu mais torço é o Eduardo Cunha. Vai puxar a barba do Rasputin. Gelado, frio, equilibrado. O Lula, o PT e esse fórum de São Paulo (conferência de partidos de esquerda latino americanos) são bandidos da laia do Eduardo Cunha, topam tudo. Como Deus faz as coisas. Botou um cara ali que qualquer jogo ele joga, qualquer parada ele topa e sabe onde aperta o calo do outro bandido. Pega o outro bandido na esquina. Dudu é o bandido que eu mais gosto, o vilão que eu torço por ele, o vilão da minha novela“

    15 – “Aquela comissão de ética e as CPIs são impregnadas de donzelas furadas, tudo mentirinha. Todo mundo rabudo querendo pisar no rabo do outro para se lavar. Tenho aversão”

    http://www.implicante.org/noticias/os-15-melhores-momentos-da-bombastica-entrevista-de-roberto-jefferson/?utm_content=buffer669fc&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

  28. Pedro said

    O Jefferson sabe do que fala, só devia ter falado antes…..

  29. Pedro said

    Não sou o único que desanima, do DC:

    “Estudo mostra que 82% dos brasileiros estão pessimistas

    Por conta de tanta corrupção e crise na economia, o país da alegria está mergulhando, estatisticamente falando, na tristeza. Levantamento da Consultoria A Ponte Estratégia revela que 82% – isso mesmo, 82% – dos brasileiros estão pessimistas com a situação atual e que 68% não acreditam que haverá melhora nos próximos dois anos. Então só há uma alternativa: acreditar no que cantou Chico Buarque de Holanda: “Vai passar…”. Como o Chico, um dos melhores compositores da história, é petista de estrela na testa, recorremos ao que poetizou Nelson Ned: “Mas tudo passa, tudo passará”

    Passa, mas demora….

  30. Chesterton said

    um dos melhores compositores da história……….menos, menos, por favor.

  31. Patriarca da Paciência said

  32. Patriarca da Paciência said

  33. Chesterton said

    Perdas e danos

    Negócios obscuros ampliaram perdas no FGTS para trabalhadores. Nas estatais e seus fundos de pensão a situação ficou crítica — os Correios só garantem salários até setembro

    O dinheiro é fácil e barato para empresários com amigos no centro do poder. O lucro é certo para empresas privadas privilegiadas.

    É jogo de um único perdedor, a quem nem é preciso dar satisfações: trinta milhões de pessoas, submetidas à poupança compulsória no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, donas de um patrimônio bilionário (mais de R$ 207 bilhões, em janeiro).

    Sobram perdas para os trabalhadores, a começar pela corrosão monetária (TR+ 3% ao ano) imposta ao fundo.

    Há muito mais. Neste mês reluz o reconhecimento do prejuízo de R$ 1 bilhão investidos na Sete Brasil — figurante em dois de cada três inquéritos criminais no Supremo e na Justiça Federal sobre a megalomania, má gerência e corrupção que devastaram a Petrobras nos governos Lula e Dilma.

    Sete Brasil é apenas um dos negócios ruins na carteira FI-FGTS. Trata-se de um braço do Fundo de Garantia, criado em 2007, para ampliar a transferência de dinheiro barato dos cofres públicos para os de grupos privados já beneficiados por um banco estatal, o BNDES, com empréstimos a custos abaixo do mercado. Detalhe relevante é que o FI-FGTS também financia o BNDES, onde aplica 19% do patrimônio.

    Recursos da poupança compulsória dos trabalhadores, já dilapidada pelos padrões de baixo rendimento e indigente governança, passaram a ser partilhados entre empresas de imóveis, saneamento, petróleo, aeroportos, estaleiros, papel e celulose. Houve significativa concentração em poucas empresas privadas, a maioria de capital fechado.

    Resultado: mais de um terço dos recursos de trabalhadores aplicados via FI-FGTS nos últimos oito anos foi direcionado a uma dezena de empresas, hoje processadas por crimes de cartel, corrupção, lavagem de dinheiro em negócios com a Petrobras e outras estatais. Todas estão à beira do precipício, e com o dinheiro de trinta milhões de pessoas.

    Metade dos recursos usados para compra de participações acionárias foi dirigida ao grupo Odebrecht. Uma das beneficiárias foi a Odebrecht Ambiental, de saneamento. Em 2013, o FI-FGTS pagou R$ 315 milhões para aumentar em 5% sua posição no controle (30% do capital).

    Esse investimento equivalia a uma avaliação da empresa em R$ 6,3 bilhões, ou seja, 22 vezes seu lucro operacional registrado em 2012 (R$ 273 milhões). A exorbitância foi percebida porque valorizava a empresa numa escala seis vezes acima da maior do setor, a Sabesp.

    Mensagens eletrônicas que levaram à prisão de Marcelo Odebrecht, um dos acionistas, lançaram luz sobre suas relações com o representante da Central Única dos Trabalhadores no Comitê de Investimentos do fundo FI-FGTS, André Luiz de Souza.

    O jogo de interesses obscuros se repete na década, sempre com placar final certo — prejuízo para os donos do patrimônio do Fundo de Garantia. Quando se amplia o horizonte, percebe-se que as perdas provocadas pelas estranhas transações já superam R$ 100 bilhões. É a dimensão do rombo somado em 2015 pela Petrobras, Eletrobras, Correios e fundos de pensão estatais (Previ, Petros, Funcef e Postalis). Nos Correios a situação ficou tão crítica que a estatal só garante o pagamento de salários até setembro.

    José Casado é jornalista

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/perdas-danos-19017467#ixzz44y6Js41m
    © 1996 – 2016.

  34. Pedro said

    # 30

    O foco é o pessimismo predominante no país.

    Pessimismo que só aumenta com as maracutaias expostas no comentário 33.

    :-(

  35. Patriarca da Paciência said

  36. Pedro said

    Patriarca é uma preferencia sua, e ninguém tem nada com isso.

    Todos já sabem que vc ama a cobra e detesta mulher.

    Não precisa escancarar. :-)

  37. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    segundo Freud, “quem julga, fala mais sobre si mesmo do que sobre a pessoa a qual está julgando”.

    Segundo tal raciocínio científico, há uma forte probalidade de você ser caçador de cobras, tal como a sua “ídala” Janaína !

  38. Patriarca da Paciência said

    “Ministro Marco Aurélio Mello determinou que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dê sequência ao pedido de impeachment contra o vice-presidente, Michel Temer, arquivado por ele em dezembro; de acordo com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Cunha não poderia ter simplesmente arquivado a peça, mas sim transmitido a decisão para uma comissão especial de parlamentares, que deveria analisar se as acusações contra Temer têm ou não consistência; nesta terça-feira, o presidente da Câmara rejeitou outros dois pedidos de impeachment de Temer, um deles apresentado por Cid Gomes”
    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/224033/STF-manda-Cunha-aceitar-impeachment-de-Temer.htm

    Fedeu de vez para o amigo da onça !

    Se antes ele tinha 1% dos votos dos brasileiros, agora não deve ter mais que 0,1%

  39. Pedro said

    Quem julga é juiz.

    Vc desmunhecou no blog, eu deixei bem claro que ninguém tem nada com isso.

    Assume que dói menos…..

  40. Chesterton said

    êpa!!

  41. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    não vou entrar no seu joguinho rasteiro. Pode ficar falando sozinho !

  42. Pedro said

    # 38

    Existe impeachment de vice?

  43. Patriarca da Paciência said

  44. Patriarca da Paciência said

    42,

    Em impeachment movido por uma louca e dois advogados do século XIX, tudo é possível !

  45. Pedro said

    # 43

    Essa foi bem melhor Patriarca.

    Sem viadagem.

  46. Pedro said

    Perguntei porque não sei mesmo.
    Que é estranho é.
    Impeachment de vice.

  47. Patriarca da Paciência said

    Ver o Hélio Bicudo, do alto dos seus 93 anos, aplaudindo o gesto obsceno da Janaína Louca, realmente, é uma prova irrefutável de que a nossa sociedade está profundamente apodrecida, como disse o auto-acusado ancião !

  48. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    o que acontece é que o Temer também cometeu os supostos “crimes” de que a Dilma é acusada.

  49. Pedro said

    Ueh, ele não é um vice figurativo?

  50. Pax said

    Esse vídeo da Janaina Paschoal é aterrador não?

    De outro lado temos comícios pregando violência dentro do Planalto.

    Os tempos estão quentes demais.

    Juro que fico assustado.

    De outro lado creio que não havia mais como segurar tantas coisas no Brasil, o que acontece na política é reflexo de um todo cheio de demandas reprimidas.

    Só que muito mal representadas. Muito.

  51. Guatambu said

    Pax,

    E aquele video da Marilena Chauí, dizendo que a classe média é a coisa mais abominável do mundo? Com o Lula rindo etc…

    Aquilo é normal pra vc?

  52. Chesterton said

    Dilma quebrou a Petrobras. Mais de uma vez

    Brasil 06.04.16 09:34
    O Valor, nesta quarta-feira, denuncia uma fraude que pode quebrar a Petrobras, caso os investidores processem a estatal.

    A reportagem conta:

    “A diretoria executiva da Petrobras sabia, já em 2014, que a rentabilidade dos seus 59 maiores principais projetos em andamento seria reduzida em US$ 45 bilhões, ou R$ 165 bilhões ao câmbio atual, frente ao esperado, por causa de projeções otimistas adotadas nos cálculos que balizaram a aprovação desses investimentos, anos antes.

    A informação consta de relatórios internos, classificados com grau máximo de sigilo, e que foram encaminhados aos conselhos de administração e fiscal na semana passada.

    Essa perda de rentabilidade não guardava relação com a oscilação do preço do petróleo e dizia respeito apenas à eficiência de planejamento e execução.”

    A diretoria executiva que encobriu essas perdas foi nomeada por Dilma Rousseff.

    O PT quebrou a Petrobras. E quebrou mais de uma vez. (antagonista)

  53. Chesterton said

    O Juiz Sérgio Moro desta vez agiu rápido e comunicou ao STF que vai cumprir a lei, LULA não ficará impune. Por mais uma vez, o juiz federal Sérgio Moro comprovou que é rápido no gatilho. O magistrado enviou informações ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (5) antecipando-se às mentes “brilhantes” que compõem a bancada milionária de advogados de defesa do ex-presidente Lula.

    O escritório do advogado Roberto Teixeira divulgou uma nota contendo o seguinte argumento: “Há um fato incontroverso na “Operação Lava Jato”: o juiz Sérgio Moro, a pedido da Força Tarefa do MPF/PR, autorizou a interceptação do telefone celular de um dos advogados constituídos pelo ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, ainda, autorizou a interceptação do ramal-tronco do escritório de advocacia, com o monitoramento de 25 advogados também constituídos pelo ex-Presidente”.

    O contra golpe antes do golpe

    O juiz Sérgio Moro enviou um ofício ao STF onde esclarece que o que houve de fato foi uma tentativa de ludibriar a justiça e destaca a “ausência de boa-fé dos investigados”.

    “Registre-se por ser revelador da ausência de boa fé dos investigados que, posteriormente à discussão sobre o monitoramento deste terminal, ter sido alterada a indicação de telefone da empresa LILS palestras no cadastro do CNJ. Tal situação que revela possível alteração de provas tem o único propósito de levar a erro as autoridades judiciais quanto a pertinência da indicação do terminal pelo MPF, à época da representação como sendo atribuído a LILS Palestras”, esclareceu o juiz.

    Moro denunciou a manobra e esclareceu como a empresa de palestras do ex-presidente Lula alterou cadastro do número do telefone na Receita Federal para induzir as autoridades judiciais (o STF) à uma outra interpretação, já que o referido número constava no referido cadastro, até o dia 22 de março, como sendo da empresa de palestras de Lula.

    “A autorização concedida por este juízo tinha por pressuposto que o terminal era titularizado pela empresa do ex-presidente e não pelo escritório de advocacia, tanto que na decisão judicial de autorização foi ele relacionada à LILS Palestras”, “De todo modo, ressalvo que não há nos relatórios de interceptação da Polícia Federal, com a seleção dos áudios relevantes, diálogos interceptados a partir do referido terminal”, concluiu.

    Por fim, Moro alega no ofício não haver qualquer problema relativo ao caso, já que os números foram gravados legalmente. Além disso, o referido escritório de advocacia tem como sócio principal o Sr. Roberto Teixeira, também investigado e dele usuário.

  54. Pedro said

    Textão para reflexão….

    “De Artur Xexéo.

    Ando sensível. Acho que já contei isso aqui. Choro à toa. Antes era com comercial de margarina, cenas de novela, trechos do filme. Agora, é lendo jornal. Cada notícia da Lava-Jato, de início, me enche de indignação. Em seguida, fico triste. É aí que choro. Ando tendo vontade de chorar também em discussões com amigos. Gente que tempos atrás dividia comigo a mesma ideologia hoje se comporta como inimiga. Ou sou eu o inimigo? De qualquer maneira, num mundo que derrubava muros, de repente, um muro foi erguido para me separar desses amigos. Tento explicar como vejo o trabalho de Sergio Moro e nunca consigo terminar o raciocínio. No meio da discussão, me emociono, fico com vontade de chorar e prefiro interromper o pensamento. ¿Coxinha¿, me xingam nas redes sociais. Bem, se o mundo está obrigatoriamente dividido entre coxinhas e petralhas, não tenho como fugir: sou coxinha!

    Leio na internet que ¿coxinha¿ é uma gíria paulista cujo significado se aproxima muito do ultrapassado ¿mauricinho¿. Mas, desde a reeleição de Dilma, esse conceito se ampliou. Serviu para definir de forma pejorativa os eleitores de Aécio Neves. Seriam todos arrumadinhos, malhadinhos, riquinhos e votavam em seu modelo. Isso não tem nada a ver comigo. Mas, nesta briga de agora, estou do lado que é contra Lula, logo sou contra os petralhas, logo sou coxinha.

    Gostaria de falar em nome da democracia. Mas não posso. A democracia agora é direito exclusivo dos meus amigos que estão do outro lado do muro. Só eles podem falar em nome dela. Então, como coxinha assumido, deixo uma pergunta. Vocês acharam muito normal o ex-presidente Lula incentivar os sindicalistas para os quais discursou esta semana a irem mostrar ao juiz Sergio Moro o mal que a Operação Lava-Jato faz à economia brasileira? Vocês acreditam sinceramente nisso? O que a Operação Lava-Jato faz? Caça corruptos pelo país. Não importa se são pobres ou ricos. Não importa se são poderosos. Não era isso o que todos queríamos, quando estávamos todos do mesmo lado, quando ainda não havia um muro nos separando, e fomos às ruas pedir Diretas Já? Não era no que pensávamos quando voltamos às ruas para gritar Fora Collor? E, principalmente, não era nisso que acreditávamos quando votamos em Lula para presidente uma, duas, três, quatro, cinco vezes!!! Não era o Lula quem ia acabar com a corrupção? Ele deixou essa tarefa pro Sergio Moro porque quis.

    Como, do lado de cá do muro, me decepcionei com o ex-líder operário, o lado de lá deu pra dizer que sou de direita. Se for verdade, está aí mais um motivo para eu estar com raiva de Lula. Foi ele quem me levou pra direita. Confesso que tenho dificuldades de discutir com qualquer petralha que não se irrita quando Lula diz se identificar com quem faz compras na Rua 25 de Março. Vem cá, já faz tempo que os ternos de Lula são feitos pelo estilista Ricardo Almeida. Será que Ricardo Almeida abriu uma lojinha na rua de comércio popular de São Paulo? Por mim, Lula pode se vestir com o estilista que quiser. Mas ele tem que admitir que o discurso da 25 de Março ficou fora do contexto. A gente não era contra discursos demagógicos? O que mudou?

    Meus amigos petralhas dizem que é muito perigoso tornar Sergio Moro um herói. Que o Brasil não precisa de um salvador da pátria. Mas, vem cá, não foi como salvador da pátria que Lula foi convocado para voltar ao governo? Não é ele mesmo quem diz que é ¿a única pessoa¿ que pode incendiar este país? Não é ele mesmo quem diz que é a ¿única pessoa¿ que pode dar um jeito ¿nesses meninos¿ do Ministério Público? Será que o verdadeiro perigo não está do outro lado do muro? Não é lá que estão forjando um salvador da pátria?

    Há muitas décadas ouço falar que as empreiteiras brasileiras participam de corrupção. Nunca foi provado. Agora, chegou um juiz do Paraná, que investigava as práticas de malfeito de um doleiro local, e, no desenrolar das investigações, botou na cadeia alguns dos homens mais poderosos do país. Enfim, apareceu alguém que levou a sério a tarefa de desvendar a corrupção que há muitos governos atrapalha o desenvolvimento do país. E, justo agora, quando a gente está chegando ao Brasil que sempre desejamos, Lula e seus soldados querem limites para a investigação. Pensando bem, rejeito a acusação de ser coxinha, rejeito ser enquadrado na direita, rejeito o xingamento de antidemocrata, só porque apoio o juiz Sergio Moro e a Operação Lava-Jato. Coxinha é o Lula que se veste com Ricardo Almeida e mantém uma adega de razoáveis proporções no sítio de Atibaia. E, para encerrar, roubo dos petralhas sua palavra de ordem: sinto muito, mas não vai ter golpe. Sergio Moro vai ficar.”

  55. Patriarca da Paciência said

    Impeachment da Janaína, a Louca e dois advogados do século XIX, cada vez mais micho:

    Jornal do Brasil

    O presidente do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira (PP-PI), anunciou nesta quarta-feira (6) que o partido permanecerá na base de apoio ao governo da presidenta Dilma Rousseff, pelo menos, até a conclusão do processo de impeachment na Câmara dos Deputados. Depois de PMDB e PT, o PP é o maior partido no Congresso com 57 parlamentares: 51 deputados e seis senadores.

    O partido tinha nesta quarta-feira uma reunião do Diretório Nacional para decidir sobre a permanência no governo, mas, segundo Ciro Nogueira, os próprios parlamentares que pediram o encontro, desistiram da ideia. “Existia um documento assinado por 24 senadores e deputados pedindo o rompimento com o governo. Essa reunião estava marcada para as 14h, mas quando fizemos um levantamento preliminar dos 57 votantes mais de 40 queriam a permanecia do partido na base”, disse o senador com o documento que pede o cancelamento da reunião nas mãos.

  56. Pax said

    Guatambu #51,

    Procura aí nos alfarrábios onde foi que eu disse que o vídeo da Chauí falando da classe média é normal.

    Vais me fazer um tremendo favor, porque eu mesmo não lembro disso.

    =)

  57. Guatambu said

    Pax,

    Vc foi bastante rápido em se manifestar contrariamente à Janaína.

    Omite qualquer manifestação sobre a Marilena Chauí.

    Isso diz muito, mesmo sem precisar se manifestar.

    Mas se quiser se manifestar, fique à vontade.

  58. Guatambu said

    Interessante que eu perguntei se é normal, e não sobre vc ter ou não se manifestado a respeito.

    A resposta era de sim ou não.

    Tá aprendendo com o Elias?

  59. Patriarca da Paciência said

    É difícil saber qual missão foi mais excruciante durante a leitura do parecer final do relator Jovair Arantes na comissão de impeachment, nesta quarta-feira.
    Se a de quem teve de ouvir a leitura truncada, cheia de erros, ou se a do parlamentar, que claramente foi apresentado ao texto por ele assinado se não naquele exato momento, pouco antes de a sessão começar.
    Jovair deve saber que seu voto foi favorável à abertura do processo, e não muito mais do que isso. Seguramente, se questionado, não saberá dizer quem foi Pontes de Miranda, citado na peça, formulada pela assessoria técnica da Câmara.
    Pouco importa a autoria, ou o conteúdo. O convencimento dos deputados se dará pela posição anterior ou, no caso dos poucos indecisos, argumentos que pouco têm a ver com condutas afrontosas à Constituição, como recitou Jovair, titubeante.
    Nas contas da oposição, o voto favorável à abertura do impeachment terá pelo menos 36 votos favoráveis. Mesmo os governistas, confiantes numa vitória no plenário, não têm esperança de arquivar o processo já no colegiado.
    O parecer que leva a rubrica de Arantes deve ser votado na semana que vem. A batalha do plenário, tudo indica, será travada no fim de semana seguinte.
    Até lá, é de se esperar muita negociação e uma pressão cada vez maior dos movimentos pró e anti-impeachement.
    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/impeachment/radar-tveja-em-sessao-excruciante-relator-pede-abertura-de-processo/

    Se a Veja publica um negócio deste é porque a coisa é para lá de ridícula mesmo !

  60. Chesterton said

    chest= Dilma cravou sem vaselina….

  61. Chesterton said

  62. Chesterton said

    “Escassez de água e itens de higiene leva a surto de sarna na Venezuela”

    Estadão Conteúdo

    A Secretaria de Saúde do Estado venezuelano de Miranda apresentou nesta quarta-feira, 6, um relatório no qual vincula o aumento de doenças como sarna, diarreia, malária e disenteria à escassez de produtos de higiene pessoal no país e à deterioração dos serviços de fornecimento de água provocado pelas poucas chuvas causadas pelo El Niño. O Estado é governado por Henrique Capriles, um dos principais líderes da coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática e os dados são contestados pelo governo de Nicolás Maduro.

    “O pouco acesso a água de qualidade tem aumentado a incidência de diarreia. Há menos água para limpar alimentos e higiene pessoal”, diz o relatório. “Além disso, como as pessoas são obrigadas a armazenar água, aumenta o risco de surgir criadouros do Aedes aegypti.”

    Surgem ainda doenças de pele, como a sarna. No primeiro trimestre do ano passado, foram 878 casos. Neste ano, o número subiu para 1392, um aumento de 58,5%.

  63. Patriarca da Paciência said

    Depois dos furiosos ataques predatórios contra a Petrobrás e empreiteiras do Brasil, é realmente um verdadeiro milagre que a economia brasileira ainda continue saudável !

  64. Pedro said

    kkkkkk
    O Patriarca se aprimorando como humorista.
    Duas piadas numa frase só.

  65. Patriarca da Paciência said

    “Além de lançar a proposta, dizendo que não acredita na aprovação do impeachment de Dilma, Valdir Raupp fez uma confidência que pode complicar ainda mais a vida do vice-presidente. “Ele (Temer) me disse exatamente isso: Raupp, eu não quero ser presidente numa situação desta porque, com impeachment ou sem impeachment, esse negócio não vai acabar bem”.

    Neste caso, Michel Temer pode ter razão.”

    http://verdadesoccultas.blogspot.com.br/2016/04/kotscho-temer-fez-tudo-errado-e-ficou.html

    Pedro,

    o teu modo de raciocinar é que é uma verdadeira piada !

  66. Patriarca da Paciência said

  67. Patriarca da Paciência said

    Jornal do Brasil

    A ministra do STF Carmen Lúcia negou o pedido de Eduardo Cunha para impedir depoimentos de delatores da Lava Jato contra ele no Conselho de Ética, com o argumento de que eles seriam “suspeitos”. O Conselho ouve na manhã desta quinta-feira (7) Leonardo Meirelles, proprietário do Laboratório Labogen e apontado como operador e testa-de-ferro do doleiro Alberto Youssef, que está preso e é réu em 12 processos abertos pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

    Youssef é acusado de operar uma rede de empresas de fachada por meio das quais ele recolhia dinheiro de empreiteiras e repassava parte dos recursos a partidos, políticos e funcionários públicos. De acordo com denúncia do Ministério Público Federal, Meirelles atuava direta e indiretamente na gestão das empresas Labogen, Piroquímica, RMV e HMAR, praticando crimes de evasão de divisas ordenados por Youssef.

    A estimativa é que as empresas tenham sido usadas para lavar US$ 444,6 milhões entre janeiro de 2011 e março de 2014. Meirelles teria fechado acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR) e entregado novas provas com detalhes da suposta transferência de US$ 5 milhões para contas secretas do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, no exterior.

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2016/04/07/conselho-de-etica-ouve-empresario-apontado-como-operador-de-youssef/

  68. Pedro said

    Vem pro Brasil real Patriarca.

    O # 60 dá uma amostra de que a economia não tá nada saudável.

    Mas não é preciso tabelas, gráficos, pra saber que não estamos nada bem.

    Basta sair de dentro da propaganda do governo.

  69. Pedro said

    Ta parecendo a escolinha do professor Ra Imundo

  70. Patriarca da Paciência said

    Na manhã dessa terça-feira, a polícia cumpriu 17 mandados relacionados à Operação Alba Branca, que investiga superfaturamentos em verbas de merenda escolar do estado de São Paulo e diversas prefeituras. Ao todo, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e sete de prisão temporária.

    Na contramão dos escândalos que atingem o governo de Alckmin, a FIESP deu um prêmio hoje ao governador do PSDB por ter colaborado no combate à obesidade infantil no estado de São Paulo, depois de diversos desvios na merenda escolar. “O governador Geraldo Alckmin provou mais uma vez que é um político exemplar para o Brasil e merece destaque em seu partido político”, dizia a nota da FIESP.

    No mesmo dia em que recebeu o prêmio, Alckmin falou pelo PSDB e anunciou um programa de busca de jovens talentos para a política em que o partido contrata olheiros para ficarem nas escolas recrutando os chamados “bullies” que roubam merenda de outras crianças.

    Bruno Machado

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/03/29/fiesp-da-premio-a-alckmin-por-combate-a-obesidade-infantil-apos-desvios-de-merenda/

    Pedro,

    tenho lido vários analistas e a maioria diz que, “resolvida a tal crise política o Brasil tem tudo para deslanchar”.

    Esse é o Brasil real.

    Mergulhado numa paralisação temporária por culpa de maus perdedores.

    Aécio Neves ficará na história como o sujeito mais nocivo e o que maior prejuízos causou ao Brasil.

  71. Chesterton said

    Ainda é a melhor, o Triatlo petista.

    Dilma pedala
    Lulla corre (da policia)
    e o STF…nada!

  72. Chesterton said

    talvez não….

    Lula se acha a maior vítima de Dilma

    Brasil 07.04.16 16:41
    Lauro Jardim, de O Globo:

    “Lula recebeu o senador Fernando Bezerra para um café, na tentativa de atrair o PSB para o governo Dilma.

    Lá pelas tantas, segundo relato do próprio Bezerra a aliados, Lula mandou essa:

    — Fernando, ninguém foi mais vítima da Dilma do que eu.

    Lula reforçou o que é um dos centros do seu discurso hoje. Vai entrar para o governo para promover a retomada do crescimento econômico. Como, não disse.”

    É muita vigarice.

  73. Pedro said

    # 70

    Quais analistas?

    E, os verdadeiros perdedores são, os cidadãos que não tem empreiteiras, que não fazem negócios com o governo, que não mamam numa boquinha estatal, que não recebem contribuição sindical pra chamar de sua, que não recebem lotes fraudulentos da reforma agraria, que pagam taxas exorbitantes de cartórios, detrans da vida, cads, etc, que pagam dezenas de tipos de impostos sem ver o retorno, etc, etc, etc……,

    E o Aécio Neves que vá pra cadeia, junto com o Lula, pra repensar as atitudes…

  74. Patriarca da Paciência said

    O ministro Gilmar Mendes foi eleito hoje como futuro presidente do TSE, a tomar posse em maio desse ano. Gilmar Mendes já anunciou que sua primeira medida será mandar retirar as teclas 1 e 3 de todas as urnas eletrônicas do país para as próximas eleições.

    “Ninguém aguenta mais essa quadrilha do PT. Além de tirar as teclas que seriam usadas para votar no PT, vou mandar colocarem chifres nas fotos de todos os candidatos de partidos aliados ao governo do PT”, disse Gilmar.

    Outra medida que Mendes pretende tomar quando for presidente do TSE é mudar as regras de sucessão em caso de impeachment. Com a mudança, o segundo colocado nas últimas eleições assumiria o posto no lugar do presidente que cair. “Dessa forma, finalmente se a Dilmar cair quem assumirá será o Aécio”, comentou Gilmar.

    Bruno Machado

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/04/07/como-presidente-do-tse-gilmar-mendes-vai-retirar-teclas-1-e-3-das-urnas-eletronicas/

  75. Patriarca da Paciência said

    Leia Mais:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,tao-logo-a-crise-politica-brasileira-acabe–a-economia-voltara-a-crescer–diz-dono-da-varej,1815310

    Veja aí, Pedro, tem uma longa entrevista com um grande empresário

  76. Patriarca da Paciência said

    “Ministério Público da Argentina denunciou o presidente do país, Mauricio Macri, em razão da divulgação de que ele possui empresas offshores em paraísos fiscais, segundo vazamento de dados da companhia panamenha Mossack Fonseca, no que ficou conhecido como Panamá Papers, Macri era diretor da Fleg Trading, sediada nas Bahamas; promotor federal Federico Delgado pediu que seja aberta ação penal para averiguar se o presidente teria omitido “de maneira maliciosa” a empresa de suas declarações patrimoniais” (247)

    E aí ?

    Começou o calvário do “presidente de verdade” ?

    Vamos ver até aonde ele aguenta !

  77. Chesterton said

    http://giphy.com/gifs/l4hLTvVOmnJtoCamk

  78. Chesterton said

  79. Guatambu said

    Eu gosto desse tipo de análise: Se tudo parar de dar errado, tudo vai dar certo!

  80. Pedro said

    # 75

    Wizard: “Sou 100% a favor da privatização dos principais setores deste País.”

    Ué, agora estas vc concorda com isso Patriarca?

  81. Pedro said

    Patriarca, todos os dias aparecem noticias dos verdadeiros ataques predatórios a Petrobras.

    Por isso o Wizard é a favor da privatização da Petro.

  82. Pedro said

    O link não tá passando

    Tá no Uol: Empresa de fachada recebeu comissões milionárias da Petrobras

  83. Chesterton said

    Num Palácio do Planalto rebaixado a palanque, a presidente combate o impeachment inevitável com falatórios sem pé nem cabeça, endossados por seus comparsas liberticidas que ameaçam reagir a bala ao encerramento da Era da Canalhice. Se restar algum juízo aos generais das tropas incapazes de derrotar o Tiro de Guerra de Taquaritinga, a bravata morrerá aquartelada na garganta. Caso os stediles e boulos paguem para ver, as Forças Armadas saberão cumprir suas atribuições constitucionais: preservar a ordem pública e impedir surtos beligerantes dos inimigos do Estado de Direito.
    Numa suíte de hotel transformada em gabinete presidencial e armazém de safadezas, Lula se vale da experiência acumulada pelo camelô de empreiteira para aperfeiçoar o setor de compra e venda de partidos políticos, bancadas ou parlamentares avulsos. Nas sombras, os reincidentes sem remédio planejam, entre outras bandalheiras e delinquências, a volta da manipulação política dos preços dos combustíveis. Tudo somado, está claro que o governo lulopetista é um criminoso irrecuperável ─ e também um defunto que, embora em avançado estado de decomposição, insiste em fugir da cova.
    Para que a nação sobreviva, é preciso apressar o impeachment e enterrar ainda neste outono o cadáver insepulto. AA

  84. Chesterton said

    “Não podemos ficar só na rua gritando ‘não vai ter golpe’, temos que intervir nessas instituições”.

    Marilena Chauí, filósofa de manicômio, no encontro de professores contrários ao impeachment promovido na USP, intensificando a campanha para eleger-se noiva do pensador Sibá Machado.

    AN

  85. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    eu não sou contra, nem a favor, muito pelo contrário !

    Sempre falei que nada tenho contra empresários, desde que tenham sensibilidade social e paguem regularmente seus impostos.

    E o empresário tem todo o direito de ter as opiniões dele e eu a minha, mas numa coisa concordamos, a “crise” brasileira é política, não econômica. Desde que resolvido o embrulho, o Brasil tem tudo para deslanchar.

    Continuo com a mesma opinião de que, se dependesse da iniciativa privada, a Petrobrás nunca existiria, assim como a Eletrobrás e sequer as grandes siderúrgicas Vale do Rio Doce etc.etc.etc..

    Continuo achando que o governo tem que ocupar os espaços que a iniciativa privada não tem interesse ou capacidade de investir.

    Caso tivéssemos apenas bancos privados, as pequenas cidades nunca teriam alguma agência bancária !

    E por aí vai !

  86. Patriarca da Paciência said

  87. Pedro said

    Muito pelo contrário.

    Só temos uma crise política, porque estamos numa crise econômica.

    ……………

    E esta dos bancos também não confere.

    É só o governo não fazer o jogo dos grandes bancos, que tentam impedir o crescimento do cooperativismo bancário.

    Corra os pequenos municípios do interior do estado e vc vai ver uma agência do Sicoob ou Sicredi em todos eles, geralmente tem dos dois.

  88. familiabopp said

    Sensibilidade social do empresario = LUCRO. Sem lucro não há dividendos para asociedade.

  89. Patriarca da Paciência said

    Janaína a louca e, os dois advogados do século XIX, produziram um lixo inominável ! E o relator Jovair, que recebeu o “parecer” no momento de lê-lo, endossou um lixo pior ainda !

  90. Pedro said

    Faz sentido o que o Claudio Humberto diz?

    “NOVAS PROVAS FIZERAM JANOT VOLTAR-SE CONTRA LULA
    Novos fatos e provas recolhidos pela Lava Jato fizeram o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, firmar a convicção de que Lula e Dilma protagonizaram uma trama para obstruir a Justiça e tumultuar as investigações, a fim de impedir o juiz Sérgio Moro de adotar medidas coercitivas contra o ex-presidente. As novas provas foram enviadas ao Supremo Tribunal Federal por ordem do ministro Teori Zavascki.

    FICA PEIXE…
    A situação de Lula, o investigado, piorou tanto que ele pediu à PGR para manter seu depoimento de quinta (7) sob sigilo. Foi atendido.

    RAZÃO DO SIGILO
    De tão graves, as novas provas contra Lula, que incluiriam até vídeo, podem impactar na votação do impeachment de Dilma.

    DILMA NA RODA
    Em seu parecer, Janot sugere possível abertura de investigação contra a própria presidente Dilma, por crime de obstrução à Justiça.

    SALVO-CONDUTO FAJUTO
    Janot se convenceu de vez que o “termo de posse” enviado por Dilma a Lula era “salvo-conduto” contra eventual mandado do juiz Sérgio Moro.”

    A conferir…..

  91. Chesterton said

  92. Chesterton said

    Algum petista precisa convencer a presidente Dilma Rousseff a apoiar os trabalhos da Câmara nos fins de semana, sábados, domingos e feriados, para acelerar a votação do processo de impeachment. Dilma, apresse tudo por seu próprio bem.

    Porque, a cada semana, a cada depoimento que ganha a luz do dia, sua permanência no Palácio do Planalto fica mais insustentável. Não tem encanador no mundo que dê jeito nos vazamentos desse esgoto de propinas. No seriado “Executivos contra o Executivo”, o conteúdo das denúncias é assombroso.

    Vamos esquecer que este é um mau governo – uma constatação de eleitores de todas as classes sociais e todos os matizes ideológicos. Dilma jogou o Brasil numa crise sem tamanho. Um Brasil que ficou tão menor sob sua incompetência e irresponsabilidade fiscal. Um Brasil que só aumenta os gastos públicos, mete a mão na arrecadação de impostos e condena a população à inadimplência.

    Vamos esquecer sua falta de liderança, atestada por políticos de todos os partidos, entre eles o PT. Vamos esquecer a alta da inflação e do desemprego. Vamos esquecer que, ainda hoje, com o país no abismo, Dilma negocia, em troca de votos de qualquer picareta, as Pastas de Educação e Saúde, como se fossem legumes na xepa ou moedas de cara ou coroa – só para se manter no poder. E que se dane o povo nas filas de escolas e hospitais, refém de epidemias graves e indicadores educacionais vergonhosos.

    Vamos esquecer as pedaladas fiscais, manobras que sempre existiram, mas que dispararam com Dilma e chegaram a R$ 72 bilhões – pedaladas para financiar projetos do governo, pintar de rosa a realidade e ganhar a reeleição com base em grossas mentiras. Esses bilhões foram ressarcidos aos bancos públicos no último dia útil de 2015, com o governo já acossado por denúncias de ilegalidade.

    Vamos esquecer as delações anteriores, de seu ex-líder na Câmara Delcídio do Amaral ou de operadores e presidentes de empresas, todos admitindo participar de uma rede de obras superfaturadas e do movimento de fortunas para beneficiar seu governo. Vamos esquecer até as críticas de Lula a seu estilo autoritário, Dilma, com socos na mesa e palavrões. Um estilo agora substituído por um sorrisinho debochado com chiclete e por comícios seletivos no Palácio do Planalto, com claque garantida.

    Vamos esquecer o caos e nos ater à última delação, de Otávio Azevedo, ex-presidente da segunda maior empreiteira do país, a Andrade Gutierrez. O executivo diz ter pago, com outras construtoras, R$ 150 milhões em propinas disfarçadas de doações eleitorais para o PT e o PMDB, repartidos igualmente, para ganhar o contrato da usina de Belo Monte.

    Quem ganhou a “concorrência” acabou sendo o amigo de Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai, com um consórcio de empresas formado às pressas. A amiga de Dilma, Erenice Guerra, calou as queixas de Otávio Azevedo, prometendo a ele que Bumlai contrataria a Andrade Gutierrez para executar a obra. E assim foi. Se não me engano, isso se chama “quadrilha”.

    O executivo Otávio Azevedo também declarou ter sido intimado pelo tesoureiro da campanha de Dilma em 2014 e atual ministro da Secretaria da Comunicação Social, Edinho Silva, a doar dinheiro para a reeleição da presidente. Otávio argumentou que já tinha pago a João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, hoje preso na Lava Jato. E que não poderia fazer a mesma doação novamente. As partes teriam então chegado a um acordo de doação de R$ 20 milhões. Doação registrada legalmente, mas que, segundo Otávio Azevedo, seria originária de propina de obras superfaturadas da Petrobras e obras das usinas de Angra 3 e Belo Monte, além do Complexo Petroquímico do Rio, o Comperj.

    A delação de Otávio Azevedo não livra a cara do PMDB nem do PSDB, cujo candidato à Presidência, Aécio Neves, também recebeu doações da empreiteira. Segundo o depoimento, em 2009, R$ 600 mil em dinheiro vivo foram entregues ao ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão, do PMDB. A delação também envolve o economista Delfim Netto, que teria recebido, segundo executivos da empreiteira, R$ 15 milhões de propina em 2010.

    Caso essa delação seja verdadeira, o que Otávio Azevedo falou é, por si só, motivo para a saída de um presidente ou de um primeiro-ministro em qualquer democracia civilizada. Causa espanto que Dilma se indigne não contra o conteúdo da delação, mas contra “os vazamentos seletivos” que favorecem “o golpe”. Causa espanto que o Partido dos Trabalhadores refute a última delação não em tom de revolta contra invenções absurdas, mas contra o que o PT chamou de “ilações”. Fraco.

    Todos os acusados negam malfeitos. Mas não acreditamos mais. Precisamos passar o Brasil a limpo. E isso significa punir todos os bandidos, a torto e a direito, sem apegos a siglas, mas aos fatos.

    http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/ruth-de-aquino/noticia/2016/04/delacao-fatal.html

  93. Pedro said

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/04/loja-de-carros-de-luxo-tem-filas-apos-anunciar-vacina-h1n1-gratis-em-sp.html

    Sensibilidade social ou criatividade capitalista?

  94. Patriarca da Paciência said

    Os “argumentos” para tentar incriminar a Dilma e o Lula realmente são incríveis !

  95. Pedro said

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/04/08/dono-de-sitio-em-atibaia-retira-queixa-e-diz-que-ladroes-sempre-foram-bem-vindos-no-sitio/

  96. Patriarca da Paciência said

  97. Chesterton said

    http://oglobo.globo.com/opiniao/economia-lulopetista-provoca-retrocessos-sociais-19048837#ixzz45QWBEjQU

  98. Chesterton said

    http://m.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/4653961/uma-nova-bomba-fiscal-300-bilhoes-esta-prestes-explodir-causa

  99. Chesterton said

    EXCLUSIVO: OAS QUER DELATAR TRÁFICO DE LULA NO BNDES

    Brasil 10.04.16 06:53
    Léo Pinheiro, da OAS, negocia um acordo com a Lava Jato.

    Além de esclarecer o pagamento de propina para a campanha de Dilma Rousseff, em 2014, ele está disposto a falar das palestras superfaturadas de Lula – e de como elas resultaram em empréstimos do BNDES para obras da empreiteira no Brasil e no exterior.

    O tráfico de influência de Lula no BNDES é um escândalo tão grande quanto o da Petrobras.

    E está pronto para explodir.

  100. Chesterton said

    http://www.diariodobrasil.org/mais-um-crime-pgr-podera-pedir-prisao-preventiva-do-chefao-por-compra-de-votos-de-deputados/

  101. Chesterton said

    PF fecha cerco em torno de grupo da presidente

    Brasil 10.04.16 06:15
    A dona da Pepper entregou Dilma Rousseff.

    Segundo o Estadão, ela “forneceu dados sobre a campanha de 2014 que estão sendo analisados pelos investigadores”.

    Um de seus contatos era Giles Azevedo, chefe de gabinete de Dilma Rousseff e denunciado pela Andrade Gutierrez.

    A reportagem conta que “Giles frequentava a casa de Danielle no Lago Sul, em Brasília, e chegou a se hospedar em Trancoso (BA), refúgio da empresária na praia. Após as investigações, os dois mantiveram várias conversas”.

    Não só isso:

    “O Estadão apurou que um ministro próximo de Dilma, já citado na Lava Jato, também deve aparecer na Acrônimo, fechando o cerco em torno do ‘grupo da presidente’”.

  102. Patriarca da Paciência said

  103. Chesterton said

    Um homem foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros do DF na manhã deste domingo (10/4), após ter 80% do corpo queimado. De acordo com informações preliminares, o homem, ainda não identificado, estava em frente do Palácio do Planalto, quando teria ateado fogo contra o próprio corpo, de acordo com testemunhas. Ele foi transportado para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e a Polícia Militar ainda não tem informações sobre o que motivou o ato.

    Aguarde mais informações.

  104. Chesterton said

    http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php/

    Estilo Dilma revolta e também diverte auxiliares
    Tratando mal quem a cerca, Dilma firmou má reputação por casos como o da ex-ajudante de ordens que abandonou o serviço no meio do dia, cansada de grosserias, e do médico da Presidência que virou paciente por estresse. Ou quando, brandindo um cabide, investiu contra uma pobre camareira, que deve estar correndo até hoje. Fazem também a delícia do serpentário do Itamaraty histórias de sua curiosa mania de considerar seus objetos de hotéis de luxo que a hospedam.
    Saia justa
    Diplomatas passaram vergonha, certa vez em Buenos Aires, ao serem cobrados de algo que faltava, após Dilma deixar o hotel Four Seasons.
    Gostou, levou
    O Four Seasons enfeitara a mesa de jantar da suíte de Dilma com uma belíssima (e cara) toalha. Ela gostou tanto que a levou para casa.
    Penas de ganso
    Ao deixar o hotel Westin Excelsior, em Roma (diária de R$8 mil), outro dia, Dilma não se fez de rogada e levou dois travesseiros, que adorou.
    Manias de cada um
    O apego de Dilma por itens de hotéis se compara à preferência de Lula por vinhos caros, que ele fazia os embaixadores o presentearem.

  105. Chesterton said

    A mulherzinha rouba toalhas de hotel….

  106. Chesterton said

  107. Pax said

    Para um dia tenso, novo post.

  108. Chesterton said

    tudo parado….

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: