políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Aécio Neves e Eduardo Paes serão investigados

Posted by Pax em 07/06/2016

Já era passada a hora. A corrupção não é monopólio de um ou dois partidos. É generalizada.

Gilmar Mendes autoriza inquérito para investigar Aécio e Paes
André Richter – Repórter da Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes autorizou hoje (6) abertura de novo inquérito para investigar o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Com a decisão, também será investigado o ex-deputado e atual prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) e o ex-governador de Minas Gerais Clésio Andrade (PSDB). Eles serão investigados a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A investigação está baseada em um dos depoimentos de delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo o ex-parlamentar, em 2005, durante os trabalhos da Comissão Parlamentar Mista de Inquéritos (CPMI) dos Correios, criada para investigar denúncias da Ação Penal nº 470, o processo do mensalão, Aécio Neves, então governador de Minas Gerais, “enviou emissários” para barrar quebras de sigilo de pessoas e empresas investigadas, as quais o Banco Rural.

Segundo Delcídio, um dos emissários era Eduardo Paes, então secretário-geral do PSDB. Conforme relato do ex-senador, o relatório final da CPMI foi aprovado com “dados maquiados” e Paes e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) também tinham conhecimento dos fatos.

“Outros parlamentares também sabiam que esses dados estavam maquiados, podendo citar os deputados Carlos Sampaio e Eduardo Paes, já mencionado, dentre outros que não se recorda. Esses fatos ocorreram em 2005/2006. Esse tema foi tratado com Aécio Neves em Belo Horizonte, no palácio do governo”, diz trecho da delação do senador.

Carlos Sampaio

Inicialmente, a PGR pediu a inclusão do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) nas investigações, mas o pedido foi rejeitado por Gilmar Mendes. O ministro entendeu que, mesmo citado no depoimento de Delcídio, a inclusão dele nas investigações é prematura.

“Delcídio do Amaral limitou-se a dizer que o parlamentar tinha ciência da omissão das informações financeiras. Não há narração de qualquer contribuição ativa de Carlos Sampaio para os fatos. Tampouco há uma explicitação da razão que levou Delcídio do Amaral a crer que Carlos Sampaio efetivamente tinha conhecimento dos fatos”, argumentou o ministro.

Outro lado

O pedido de investigação foi feito pelo procurador-geral da República no dia 4 de maio. Em nota, o senador Aécio Neves declarou que nunca interferiu nas investigações da CPMI. “O senador Aécio Neves renova sua absoluta convicção de que os esclarecimentos a serem prestados demonstrarão de forma definitiva a improcedência e o absurdo de mais essa citação feita ao seu nome pelo ex-senador Delcídio. O senador jamais interferiu ou influenciou nos trabalhos de qualquer CPI. As investigações isentas e céleres serão o melhor caminho para que isso fique de uma vez por todas esclarecido.”

Por meio de nota, Clésio Andrade declarou que não vai se pronunciar por não ter conhecimento da decisão. No entanto, ele afirmou que as delações parecem cumprir outra missão: “servir de instrumento de desequilibro político”.

Eduardo Paes disse reafirmou que está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos. O prefeito também disse que Aécio Neves nunca pediu qualquer benefício nas investigações da CPI dos Correios.

Aécio é alvo de uma segunda investigação no Supremo autorizada pelo ministro Gilmar Mendes. Na investigação, Janot cita supostos crimes cometidos pelo senador em Furnas, empresa subsidiária da Eletrobras. O pedido também cita declarações de Delcídio do Amaral. Aécio recebia “pagamentos ilícitos”, pagos, segundo ele, pelo ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.

Sobre a investigação de Furnas, em nota divulgada na semana passada, Aécio Neves disse que compreende o papel do Ministério Público em dar prosseguimento às investigações, mas que tem a convicção de que sua inocência será provada. “Tenho a absoluta convicção de que, ao final, ficará provado mais uma vez a minha inocência, como já aconteceu no passado, o que levou, inclusive, ao arquivamento dessas mesmas acusações”, disse o senador.

Anúncios

321 Respostas to “Aécio Neves e Eduardo Paes serão investigados”

  1. Pedro said

    Buenas, por aqui a temperatura está em um digito.

    Mas em Brasilia tá em três ou mais:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/06/1779033-janot-pede-prisao-de-renan-e-juca-e-uso-de-tornozeleira-para-sarney.shtml

  2. Pedro said

    Sei que não é motivo de comemoração, muito pelo contrario.

    Mas, (sempre tem um mas), se prenderem o Sarney, eu solto foguete.

    Acho que ele é o símbolo máximo do parasitismo estatal.

  3. Pedro said

    E a vez da Dilma e Lula também vai chegar.

    “A GUERRA É AQUI
    Órgãos internacionais de finanças e comércio afirmam que a crise no Brasil é a maior do mundo. Se isso é fato, Dilma nos deixou de herança uma economia mais destroçada que a da Síria, país em guerra civil.”

    Presentinho que nos deixaram…..

  4. Pedro said

    Acabou a conversa mole de “inocenta”.

    http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/06/veja-video-em-que-cervero-diz-que-dilma-sabia-de-tudo-sobre-pasadena.html

  5. Pedro said

    E o FDP do Rui Falcão me vem com essa:

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2016/06/06/presidente-do-pt-convoca-militancia-para-greve-geral-em-10-de-junho.htm

    Várias indústrias na região reduziram salários e carga horaria.
    Não trabalham mais nas sextas.
    E o palhaço quer parar o que já tá parado.
    Merece uma surra de gato morto, até o gato miar.

  6. Pax said

    Se prenderem Renan, Jucá e Sarney (mesmo com tornozeleira) eu também solto foguetes.

    Mesmo que me preocupe depois em prender quem prende.

    Um estado judicial é, também, perigoso.

    Mas o estado do estado brasileiro já passou da hora de ir pra cadeia.

    Maluf que o diga.

  7. Pax said

    o PT não sei se se levanta mais…

    quem o levantaria?

    Suplicy? Haddad?

    não sobrou ninguém por lá, esses dois aí não fazem cócegas na quadrilha

    não sobrou ninguém

    nem mesmo no PSDB

    hoje tem noticiário das falcatruas do Alckmin nos trens e metrô de sp

    FHC, Aécio, Alckmin, Serra etc — é tudo farinha do mesmo saco

    mas o PT se esforçou pra afundar a coisa, isso é inegável

    enfim, como disse antes, os brasileiros precisam mesmo passar por essa catarse

    vai demorar muito antes de melhorar

  8. Chesterton said

    O PT em vez de roubar ovos resolveu matar galinhas….agora, greve em período de recessão é benção….

  9. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/lembra-que-o-pt-dizia-que-iria-secar-cantareira-agora-tenta-evitar-inundacao-de-cidade/?utm_content=buffer6f316&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

  10. Zbigniew said

    Discordo.

    Há elementos bons nos partidos citados (PT, PSDB), embora o PT seja mais democrático na sua estrutura e o PSDB um feudo de alguns chefes que se eternizam e impedem os bons nomes. O problema é de lideranças.

    Se a Lava-Jato não for enquadrada e realmente alcançar a TODOS irrestritamente, vai implodir o velho sistema político brasileiro. Tem que pegar o PSDB, o Temer e o Cunha. E daí em diante.

    O problema é que não somos um país governado por juízes e procuradores. Não somos uma república de juízes. Some-se a isso a fraqueza do interino Temer (homem do Cunha) e suas medidas que conseguem desagradar a todos.

    Há uma costura de bastidores por novas eleições. Por zerar o processo (político).
    Vamos ver no que vai dar.

  11. Chesterton said

    O que não é constitucional…mas os tempos são interessantes.

  12. Zbigniew said

    Certamente.
    Mas como você disse, são tempos interessantes.
    De uma forma ou de outra o sistema político brasileiro sofreu um abalo na sua confortável situação de sempre ter sido pouco incomodado.

    Neste ponto devemos agradecer à Dilma por sempre ter acreditado no “republicanismo” da Polícia Federal. Não fosse isso a República de Curitiba e o Moro teriam enormes dificuldades em desenvolver a Lava-Jato.

    Torço para que o Brasil, definitivamente, entre para uma nova época. Um novo e melhor momento da sua história.

  13. Chesterton said

    Dilma acreditou no oposto (ok, você foi irônico) e o PT agora se lamenta em não ter aparelhado as forças armadas, os funcionários públicos e a própria PF…..

  14. Zbigniew said

    Aparelhar as FFAA?! Difícil.
    Talvez de não ter chutado o pau da barraca desde a Satiagraha.
    Mas aí entra o fator Lula, que, diferentemente de Dilma, pensou em termos de manutenção do presidencialismo de coalizão com o PMDB.
    A ascensão do Cunha ferrou com a aliança porque a Dilma não aceitaria o tamanho que ele queria ter (e agora tem) no governo dela. Mas aí já era tarde. Quis jogar quando já não tinha poder.
    Perdeu feio na Câmara.

  15. Chesterton said

    è o que lamentam naquela carta que o PT fez. Chaves conseguiu porque era militar o foi progressivamente eliminando as correntes adversarias.

  16. Chesterton said

    https://osdivergentes.com.br/andrei-meireles/o-atestado-de-obito-do-pt/

  17. Elias said

    No batente…

    I
    “Delcídio do Amaral limitou-se a dizer que o parlamentar tinha ciência da omissão das informações financeiras. Não há narração de qualquer contribuição ativa de Carlos Sampaio para os fatos.” (Gilmar Mendes, o goleiro do PSDB…)

    “Contribuição ativa”? Acuma?

    E a contribuição passiva não conta? Não existe mais? A lei não diz “ação” ou “omissão”?

    Tendo tomado conhecimento de alguma irregularidade, o ocupante de cargo ou emprego público, eletivo ou não, não é OBRIGADO, sob pena de conivência, a adotar as medidas que a lei estabelece?

    II
    E o Romário aprendeu rápido!

    Primeiro ele disse que estava em dúvida, quanto ao voto dele no impeachment.

    Aí o Temer chamou pra conversar. Papo vai, papo vem… Romário ganhou Furnas.

    Aí acabaram-se as dúvidas do artilheiro, que marcou um gol de placa (dependendo do hímen, complacente ou não, da moral de quem observa, isso poderá ou não ser considerado chantagem escancarada).

    Menos mal… Todo mundo sabe que o Romário é um grande especialista em energia.

    Agora mesmo, ele acaba de energizar a área posterior e meridional da anatomia do Temer…

  18. Chesterton said

    Romario na pequena área era energia pura….

  19. Zbigniew said

    Romário… pois é… o sistema é phoda!
    Quanto ao gilmarzinho…ah, o gilmarzinho… se o PT tivesse pelo menos um desses ali… e olhe que o Lula indicou onze!
    É muito republicanismo nesse presidencialismo de coalizão!

  20. Chesterton said

    Pois é (2), Lulla tentou aparelhar o judiciário, será que conseguiu?

  21. Chesterton said

    http://www.celebritytypes.com/fascism/test.php

  22. Chesterton said

    teste de fascism

  23. Chesterton said

    A falta que o capitalismo faz….

    http://www.businessinsider.com/venezuelans-marked-with-numbers-for-food-2014-3

  24. Elias said

    Mas o que o Temer quer, mesmo, é energizar a área posterior e meridional da anatomia da Dilma…

    Vai custar uma bagatela: alguns bi pro Judiciário, outros tantos pra “grande imprensa” (a Editora Abril já saiu da dieta hipossódica e está operando na mão grande…). Por baixo, não mais que uns 100 bilhões… Pouco mais da metade do déficit turbinado…

  25. Chesterton said

    Dilma antecipa seu fim

    Brasil 10.06.16 12:24
    Foi bom a TV Brasil veicular a entrevista de Dilma Rousseff.

    Em vez de antecipar as eleições, ela só conseguiu antecipar seu fim.

    O líder do PMDB, Eunício Oliveira, disse ao Estadão:

    “Passou da hora. Quando a presidente perdeu as condições para governar, nós chegamos a falar sobre isso na busca por uma saída, mas ela nunca propôs essa discussão. Agora teve o impeachment e o processo já está praticamente concluído. Esse movimento não tem justificativa, só vai gerar ainda mais instabilidade para o País, porque seria outro trauma, outra incerteza. Concordo que a eleição legitima o processo, mas você de repente fazer a mudança nesse momento, aí sim a palavra que tanto empregam seria aplicada: seria um golpe”.

    A proposta de Dilma Rousseff de convocar um plebiscito, segundo o senador, é um sinal de desespero:

    “Não há clima para isso, isso é o discurso de quem já perdeu e está buscando uma saída tardia. Não há como a presidente Dilma voltar, eu gosto muito dela, mas ela perdeu as condições”.

    Ele ridicularizou também a capacidade de reação dos milicianos petistas:

    “Os movimentos sociais eram pagos por eles. Isso acabou no Brasil, porque a gente não aguenta mais pagar isso. Cadê a greve geral que iam fazer? Está todo mundo preocupado com a taxa de desemprego”. (antagonista)

  26. Chesterton said

    Dilma se rende

    Brasil 10.06.16 06:25
    Dilma Rousseff resolveu cassar o próprio mandato.

    Em sua entrevista para a TV Brasil, contrabandeada por Ricardo Melo, ela defendeu um plebiscito para antecipar as eleições presidenciais:

    “A consulta popular é o único meio de lavar e enxaguar essa lambança que está sendo o governo Temer. Dado o nível de contradição que tem hoje entre os diferentes atores neste país, é necessário que se recorra à população”.(Antagonista)

  27. Zbigniew said

    O país vai pagar caro por essa miopia, pelo analfabetismo político do seu povo, pelo entreguismo dessas elites, pelo ódio de classes. A covardia do PT e o seu desvirtuamento no poder têm um papel importante na atual crise política. O espírito de republiqueta de bananas ainda é muito forte no nosso ethos.

    A “compra” do Judiciário e a extinção de programas sociais a título de “ajustes” nos remetem às décadas perdidas de 80 e 90, dos homens gabirus e das famílias que comiam das latas de lixo das classes mais abastadas.

    O retrocesso será grande e doloroso. E o semi-parlamentarismo entra na pauta. A se confirmar o impeachment será o próximo e definitivo passo.

  28. Chesterton said

    Como é que é….

  29. Chesterton said

    “Não posso delatar porque sou um fundador do partido. Se eu falar, entrego a alma do PT. E tem mais: o pessoal da CUT me mata assim que eu botar a cara na rua”.

    chest- como sempre falei, o PT não é um partido político, é uma quadrilha criminosa.

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/joao-vaccari-decide-quebrar-o-silencio

  30. Chesterton said

    Parece que um eleitor do Trump cometeu um massacre em Orlando…..

  31. Pax said

    Prezados,

    Morreu um irmão de um infarto fulminante. Está difícil pacas do lado de cá. Perdoem-me a ausência.

  32. Pedro said

    Meus pêsames pra vc e toda família.

    Força e união nesta hora.

  33. Zbigniew said

    Meus sentimentos, caro Pax.
    Momento difícil para todos que passam por tal experiência.
    Paz e luz para vc e seus familiares.
    Que Deus guarde a alma de seu irmão.

  34. Mona, a das antigas said

    Força, Pax.

  35. Pax said

    Obrigado Pedro, Zbigniew e Mona.

    Realmente momentos bem difíceis. Em 1 ano fui 3 vezes para POA para funerais. Minha mãe, um amigo muito próximo e agora meu irmão. É duro.

  36. Chesterton said

    Pesames sinceros.

  37. Pax said

    Obrigado Chesterton.

  38. Chesterton said

    Denis Lerrer Rosenfield, O Globo

    O Brasil vive um processo particularmente complexo de transição de uma mentalidade patrimonialista, “aprimorada” em seu caráter bolchevique graças aos governos petistas, para uma mentalidade moderna, própria de um Estado em que começa a vigorar o império da lei.

    Ou seja, estamos presenciando uma difícil transição do governo de uma classe política acostumada a manipular leis e instituições, como se estas devessem estar a seu serviço e proveito, para um governo ancorado em instituições, cujo validade transcende à ação direta dos políticos.

    As gravações do ex-senador Sérgio Machado com os senadores Renan Calheiros, Romero Jucá e José Sarney são, neste sentido, particularmente ilustrativas. Com efeito, elas exibem intenções e tentativas de manipulação das leis e instituições, como se ações junto a ministros e juízes fossem de natureza, por si sós, a alterarem todo um processo judicial.

    De fato, estavam e estão acostumados a um tipo de comportamento que se espelha em uma concepção patrimonialista, como se a coisa pública não estivesse a serviço da coletividade, mas de seu proveito próprio e pessoal.

    Não se trata, aqui, somente da questão de se tal comportamento configura ou não um crime determinado como obstrução de Justiça, mas de um tipo de atitude que se pauta, como se fosse seu direito próprio, em considerar leis e instituições como se pudessem ser modificadas a seu bel-prazer.

    Mais especificamente, habituaram-se à impunidade como se as leis a eles não se aplicassem. Espantam-se com o que está acontecendo, pois não perceberam que o país está mudando, e esta mudança está fortemente ancorada em uma sociedade que está dando um basta a esta mentalidade.

    Caberia aqui uma observação relativa ao suposto “patrimonialismo” petista. Lê-se frequentemente, inclusive em intelectuais de esquerda, que o PT teria incorrido nas práticas dos partidos políticos tradicionais, como se, em sua pureza, ele tivesse sido seduzido pelo atraso.

    Os petistas procuram se desresponsabilizar do que fizeram, dizendo ter feito somente mais do mesmo. Igualam-se para se eximirem de sua própria culpa. Tal posicionamento tem ainda o objetivo de manter a pureza da ideia de esquerda, como se esta pudesse simplesmente ser recuperada sem nada reconhecer de feito próprio.

    Ora, a corrupção petista é fruto do aparelhamento partidário do Estado, com o intuito de, progressivamente, levar a cabo uma transformação socialista da sociedade brasileira. Ela é bolchevique. Para eles, esse aparelhamento e a sua corrupção seriam meros meios de uma progressiva mudança revolucionária.

    Ou seja, a corrupção, para além dos benefícios pessoais, seria um instrumento de captura da sociedade e de controle, para isto, de seus meios de comunicação privados. Nesta perspectiva, a corrupção petista, de caráter político revolucionário, inscreve-se na tradição patrimonialista para dela tirar proveito. A corrupção e o aparelhamento partidário do Estado pertencem à própria ideia de esquerda, fazem parte de sua essência.

    O que é particularmente interessante no cenário político atual é a clivagem estabelecida entre a sociedade e a classe política. A primeira se caracteriza por valores não patrimonialistas, exigindo de seus representantes um comportamento condizente com a proteção pública dos recursos públicos.

    Não mais admite que os recursos da saúde, da educação, do saneamento, da habitação, entre outros, sejam drenados pela corrupção, desviados de seus objetivos específicos.

    Ela abomina o fisiologismo, a barganha de cargos e todo esse espetáculo explícito de negociação ou de negociatas de posições, emendas e outras benesses em detrimento do bem público. Para isto, foi às ruas e criou as condições do impeachment.

    A sociedade brasileira não se deixou corromper, e talvez seja este o nosso maior ativo, um patrimônio propriamente nacional. Ela clama, portanto, por um novo Estado, livre do patrimonialismo histórico brasileiro e de sua vertente petista. Ela já efetuou uma mudança de mentalidade, que não ocorreu ainda na classe política, que dela fica a reboque.

    A operação Lava-Jato, por sua vez, é a expressão desta nova mentalidade que já opera no nível propriamente estatal. Ela começa a fazer valer o governo das leis e instituições, resgatando a ideia propriamente republicana de coisa pública. Sua tradução mais imediata é a punição de poderosos, daqueles que viviam à margem da lei, desrespeitando as instituições e considerando a coisa pública como se fosse privada.

    A impunidade, graças a ela, está sendo progressivamente abolida, trazendo agentes políticos e empresariais às suas respectivas culpas e responsabilidades. Tudo isto, evidentemente, surpreende, precisamente por revelar o surgimento de uma nova mentalidade em um setor da burocracia estatal, no caso no Judiciário, no Ministério Público e na Polícia Federal.

    A sociedade se sente na Lava-Jato representada. Na verdade, esta não teria condições de ser bem-sucedida se não contasse com esse imenso apoio social. O país se modernizou socialmente. Goza de uma ampla liberdade de expressão, com jornais independentes, investigativos e de opinião, em linhas gerais em defesa do avanço da democracia.

    Para todos os efeitos, não se trata de um movimento social dirigido contra um partido determinado, mas de afirmação de novos valores e princípios, voltando-se contra qualquer partido que não seguir esses novos valores. Ontem o PT foi o foco principal, hoje é o PMDB, talvez amanhã seja o PSDB ou qualquer outro partido. A moralidade pública tornou-se um princípio da sociedade, e esta exige que a classe política se paute por este novo padrão político.

    A ética na política é atualmente um bandeira social. Exige a prudência que a classe política e o novo governo entrem em sintonia com uma sociedade portadora de uma nova mentalidade.

    Denis Lerrer Rosenfield é professor de Filosofia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

  39. Chesterton said

    http://www.oantagonista.com/posts/marina-escondeu-o-empreiteiro

    Marina escondeu o empreiteiro

    Brasil 14.06.16 07:27
    Léo Pinheiro, como publicamos dois meses atrás, delatou Marina Silva.

    Hoje a Folha de S. Paulo acrescentou um detalhe:

    “Representantes de Marina Silva lhe pediram contribuição para o caixa dois da campanha presidencial em 2010 porque ela não queria aparecer associada a empreiteiras”.

    Segundo o dono da OAS, portanto, Marina Silva embolsou o dinheiro, mas sordidamente camuflou sua origem.

  40. Chesterton said

    Asfalto selvagem

    Até quando retardaremos a compreensão de que ter Dilma e Temer, sócios trocados de mal, como presidentes é inequívoco sinal de nossa buraquidão vocacional?

    Pouca coisa é mais representativa do Brasil que a qualidade de seu asfalto. Obras monumentais, viadutos, elevados, pontes — e, no entanto, o buraco, os buracos. O legado verdadeiro, permanente: o chão que cede e enterra. O país esfarela-se; esfarelar-se-á. Não importa se a intervenção é recente, se custou uma fortuna, se vestiu alguma fé: a cratera não tarda. (Nelson Rodrigues talvez dissesse que ela sempre esteve ali, a cratera, desde tempos imemoriais, à espera do concreto — à espera da primeira empreiteira brasileira, digo eu.)

    O Brasil é um país despavimentado. Física e moralmente. Politicamente. A falta que nos nega uma só ruazinha ao menos nivelada é a mesma que nos impede de formar um ministério limpo; é a mesma que tornou o Senado da República (a câmara alta do Congresso Nacional, casa que deveria ser a tribuna dos notáveis) num porão — numa toca — de protegidos-foragidos sob foro privilegiado.

    Falta-nos qualidade asfáltica tanto quanto material humano. A mistura é ruim. Os elementos são insuficientes, pobres, não raro adulterados. Falta-nos densidade na composição — aquilo que daria liga. (Apenas para começar, senso de dever mais do que de direitos.) Empenhamos milhões, votamos aos milhões, para logo termos de recorrer ao jeitinho, ao remendo, ao vice — a uma chapa de aço qualquer que encubra a depressão, o abismo que é a verdadeira vocação brasileira.

    Porque — não nos enganemos, leitor — buraco é vocação; não o jogo de cintura, não o improviso, não o rebolar com o qual apenas adiamos o momento (traumático, quiçá redentor) em que encararemos a fissura de que nos ufanamos, o rasgão em que nos atrasamos.

    Falemos a linguagem do povo para exemplificar: Dunga, espécie de projeto-piloto para o modelo dilma de gerência, é treinador da seleção brasileira de futebol pela segunda vez em dez anos. Não será já hora de refletirmos sobre o que isso significa? Lulismo, dunguismo — tudo isso é grave, tudo isso é vala. Até quando — pergunta urgente — retardaremos a compreensão de que ter Dilma Rousseff e Michel Temer, sócios trocados de mal, como presidentes da República é inequívoco sinal de nossa buraquidão vocacional?

    Um amigo otimista diz que o país saiu de um buraco e se meteu corrido em outro, de PT para PMDB. Discordo. Pois vejo um só valão, maior e mais profundo, escuro, do qual nunca sequer botamos a cabeça para fora, no qual engatinhamos de lado, mastigando farinha de um mesmo saco, incapazes de entender a falha geológica moral em que nos movemos.

    Falamos de ponte para o futuro, mas nem uma escadinha erguemos. (Tivemos o Escadinha, porém.) Sem jamais debater-se em busca do fundamento de sua ruína, o Brasil é um país que se recapeia de quatro em quatro anos. Duda Mendonça, João Santana e até Celso Kamura trepam naquelas máquinas horrendas (que o companheiro delúbio da vez terá conseguido numa, digamos, permuta), raspam geral e saem cobrindo os bueiros – uma beleza. É sabido que não nos faltam operadores.

    O que nos asfalta é liderança de piche, é raciocínio de brita, é esperança de areia, é alternativa de lama. É Lula, é Dilma, é Marina, é Alckmin, é Aécio, é Ciro. Essa gente sem ideia (sou generoso), parada no tempo (sou generoso), que nunca trabalhou, que não conhece outra forma de ganhar a vida senão desde dentro da máquina pública. Bote-se essa mulambada toda na betoneira e o resultado será o mesmo: o buraco.

    Nosso buraco é do tamanho do Estado que nos engessa. Ou não teremos ainda avaliado a imensidão do rombo de um país que leva a sério e discute — como solução para sua inviabilidade eleitoral — o financiamento público de campanha, isso no mesmo exato instante em que fulminado por um escândalo de corrupção que outra coisa não faz senão desmascarar um monumental escândalo de financiamento público de campanha?

    Nossa miséria — não tenha dúvida, leitor — é sobretudo decorrente do excesso de governo, essa maldição onipresente; mas o que fazemos, nós, os tatus, cegos cá sob a terra? Reagimos à barbárie promovida pelo Estado gigantesco pedindo mais e mais Estado, dando mais poder aos pilantras que o controlam — nós, as toupeiras.

    Uma certeza? Nós merecemos.

    Carlos Andreazza é editor de livros

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/asfalto-selvagem-19497678#ixzz4BYs2bd1l
    © 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

  41. Elias said

    E quem montava caixa 2 pra Marina?

    Ele, Guilherme Leal, sócio da natura e vice da Osmarina.

    Guilherme é um cracão em matéria de caixa 2!

    Ele “emprega” milhares de pessoas, que trabalham nas ruas, vulneráveis a toda sorte de riscos de acidentes do trabalho, sem carteira assinada, sem seguro de acidente do trabalho, sem FGTS, sem previdência social… Os “escravos de renda” do século 19 tinham mais direitos que os “empregados” do Guilherme Leal… Que também não explica como é que ele (não) recolhe o ICMS incidente sobre os produtos que ele vende (jamais recebi e não conheço quem tenha recebido uma nota fiscal da Natura).

    Agora, só falta o Guilherme Leal dar entrevista à Veja, reclamando do “Custo Brasil”, do alto custo da legislação trabalhista brasileira, etc. Na linha de coro, a Editora Abril, que nunca pagou Imposto de Renda (nem ISS, nem IPI, nem ICMS, nem CSL…).

    No Brasil, imposto é pra otário…

    Como eu.

  42. Elias said

    Minha decepção fica por conta da citação do Alfredo Sirkis, entre os envolvidos no cinismo de Marina.

    Num tá sobrando ninguém…

  43. Elias said

    “Reagimos à barbárie promovida pelo Estado gigantesco pedindo mais e mais Estado, dando mais poder aos pilantras que o controlam — nós, as toupeiras.” (Carlos Andreazza… É parente do finado Mário?)

    É… E sem tanto Estado, o que acontecerá?

    As pessoas se tornarão honestas, claro! Todo mundo vai recolher impostos direitinho. As empresas vão gerar mais empregos e pagar salários mais altos. As ruas receberão asfaltamento de primeira. O povo ficará mais saudável e educado. Os atuais assaltantes desistirão da vida de crime. Vão todos trabalhar e, nas horas de folga, se dedicarão a trabalhos comunitários. Todos serão felizes pra sempre e os passarinhos farão piu-piu.

  44. Mona, a das antigas said

    Elias, na boa: quem chama a Marina de “Osmarina” está obrigado a chamar o Lula só de Luiz Silva.

  45. Chesterton said

    Elias, o oposto de estado gigantesco não é ausência de estado.

  46. Chesterton said

    http://www.brasilverdeamarelo.com/temer-esta-numa-guerra-o-pt-quebrou-a-eletrobras-os-correios-a-cef-e-a-petrobras/

  47. Chesterton said

    http://br.blastingnews.com/brasil/2016/06/temer-revisa-voto-de-dilma-na-onu-e-fica-ao-lado-de-israel-00961693.html

  48. Chesterton said

  49. Chesterton said

    Renan rejeita teto para gastos públicos

    Brasil 14.06.16 20:08
    Renan Calheiros antecipou posição contrária à proposta de Michel Temer que estabelece um teto para os gastos públicos.

    “Eu acho que essas matérias importantes, que tratam do ajuste fiscal e que poderão aprofundar o ajuste nesse momento não é recomendável, porque nós estamos vivendo uma transitoriedade e talvez seja o caso de aguardarmos o julgamento final.”

    Renan deveria ter sido preso.
    antagonista

  50. Chesterton said

  51. Chesterton said

  52. Chesterton said

  53. Elias said

    Eu escrevi: “É… E sem tanto Estado, o que acontecerá?”

    E o Chester: “Elias, o oposto de estado gigantesco não é ausência de estado.”

    Putz!

    Chester, “sem tanto Estado” é uma coisa; “sem Estado, outra”.

  54. Elias said

    Finalmente saiu a íntegra da delação do Sérgio Machado.

    Vou deixar pra ler no fim de semana, tendo ao lado uma garrafa térmica com água quente e um monte de envelopinhos de mate…

    Do que vi até aqui, fiquei decepcionado com o desempenho medíocre do PT…

    Porra, cumpanhêrus corruptos! Se é pra levar fama de ladrão, pelo menos roubem como gente civilizada!

    Olha só a vergonha que é o ranking do Sérgio Machado:

    1º LUGAR: PMDB, que roubou expressivos R$ 102,7 milhões

    2º LUGAR: PSDB, com roubo de modestíssimos R$ 2,0 milhões (mas esse valor não inclui o que foi pago ao FHC).

    3º LUGAR: PT, com um roubo medíocre de R$ 1,742 milhão.

    4º LUGAR: PDT, cujo roubo foi R$ 1,5 milhão (mas, à época da delinquência, o ladrão estava no PMDB)

    5º LUGAR: PSB, que roubou R$ 1,0 milhão

    6º LUGAR: PC do B, com o micro-roubo de R$ 100,0 mil (ou R$ 0,1 milhão, pra manter a escala).

  55. Elias said

    “Elias, na boa: quem chama a Marina de “Osmarina” está obrigado a chamar o Lula só de Luiz Silva.” (Mona)

    Na boa, Mona: Nada a ver!

    O Lula manteve o nome dele completo. Por exigência da legislação eleitoral, acrescentou ao nome o apelido pelo qual ele se tornou conhecido.

    A Marina, diferentemente, esconde seu verdadeiro nome — Osmarina — por ter vergonha dele.

    Entre uma coisa e outra, um abismo…

    De qualquer modo, não me importaria de passar a chamá-lo de Luiz Silva, ou Ignácio Calamar, sem necessidade de ser “obrigado” a isso.

    Falar nele, o Calamar, vulgo Luiz Silva, está liderando as intenções de voto para as presidenciais de 2018.

    Junto com a Osmarina, que prefere atender por Marina.

    Ou seja, a pressão em cima do cara vai continuar, firme e forte… E distribuída no tempo. Não dá pra deixar inteiro, mas, ao mesmo tempo, é extremamente perigoso transformá-lo em vítima….

  56. Elias said

    Chester,

    Tenta saber quanto do rombo do Petros se deve à Vale.

    E sabe quem meteu o Petros na Vale (ou vice-versa)?

    Não?

    Vou dizer só a primeira letra do nome dele: Fernando Henrique Cardoso.

  57. Mona, a das antigas said

    Também acho que não importa por qual nome a criatura é chamada. Acontece que, se ela tem um nome de guerra, de conhecimento geral, chamá-la por outro – e não me importa se ela mudou o nome ou não legalmente, acrescentou, tirou, diminiui… e muito menos o por quê de ela ter feito isso – traduz, de saída, uma vontade de deslegitimar essa criatura. O conhecidíssimo ator Ariclenes, por exemplo, também chamado de Lima Duarte, que o diga.

  58. Chesterton said

  59. Chesterton said

    Ok, Elias, está aí o preço do estado.

  60. Pedro said

    O Instituto Lula divulgou nota afirmando que, Lula desconhece os atos praticados pelo tal de Luiz Inácio

  61. Pedro said

    Do Diário Catarinense:

    “Renan Calheiros deveria entrar para o Guiness Book. Quer saber por quê?

    Sérgio Machado disse na sua delação premiada que o presidente do senado, Renan Calheiros, recebia mesada de R$ 300 mil da Transpetro. Vai para o Guines book como a ganhador da maior mesada do mundo. Ou você conhece alguém que ganhe uma mesada de R$ 300 mil, algo como R$ 3,6 milhões por ano. Só de mesada. Fora o resto.”

  62. Pedro said

    Gostei deste texto:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/06/16/a-madame-mais-honesta-dos-cabares-do-brasil/

  63. Chesterton said

    chest- gostei da equipe de defesa de Diuma figa…..

  64. Chesterton said

    …só espero que não tente fazer justiça com as própias mãos…

  65. Chesterton said

    http://www.chumbogrossomanaus.com.br/2016/06/a-casa-caiu-pc-do-b-recebia-propina-de.html?m=1

  66. Chesterton said

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/06/pc-do-b-pt-e-pp-receberiam-propina-do-minha-casa-minha-vida-diz-revista-6041362.html

    chest- roubando dos pobres hein……

  67. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1767862-teori-arquiva-acusacoes-contra-dilma-sobre-irregularidades-em-pasadena.shtml

    chest; outro inocente…..

  68. Chesterton said

  69. Pedro said

    Não para de piorar…….

  70. Chesterton said

    1- Promessa de pleno emprego estimulado pelo Estado;
    2- Legislação trabalhista protetiva;
    3- Controle de preços;
    4- Educação pública, com currículo definido pelo Estado;
    5- Implantação de um sistema centralizado e estatal de saúde;
    6- Imposto sobre grandes fortunas;
    7- Controle ou proibição de porte de armas por cidadãos;
    8- Nacionalismo;
    9- Pró-aborto;
    10- Culpar a “elite” pelos problemas nacionais.
    TODOS esses pontos estão nos programas do PT, do PC do B e do PSOL.
    Mas não foi de lá que eu os copiei.
    Foi do programa do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.

    roubado da internet

  71. Pedro said

    Do DC:

    “O Rio de Janeiro sempre com o jeito carioca, quebrado e levando a melhor. Ganha a Copa do Mundo, Olimpíadas, obras milionárias, museus, metrôs, ciclovias que desabam, cidade olímpica etc e tal. Gastam o que não tem, declaram-se em calamidade pública e nós pagamos a boa vida deles?”

    E nem disfarçam:

    http://cbn.globoradio.globo.com/rio-de-janeiro/2016/06/20/MESMO-APOS-DECRETAR-ESTADO-DE-CALAMIDADE-GOVERNO-DO-RIO-MANTEM-LICITACAO-DE-R-361-MI.htm

  72. Chesterton said

    Copa do Mundo?

  73. Pedro said

    Florianópolis não teve jogos na copa.

  74. Pedro said

    A chiadeira é essa.
    Na hora da festa não somos convidados.
    Na hora de pagar a conta sim.

  75. Chesterton said

    em 2010 SC realmente pagou mais do que recebeu, mas olhe o RJ.

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=682

  76. Chesterton said

    https://robertolbarricelli1.wordpress.com/2013/11/30/impostos-estados-pagadores-x-estados-recebedores/

  77. Pedro said

    Sim, todas as vezes que vi estas tabelas, estados pagadores X estados recebedores, tanto SC quanto o RJ estão entre os pagadores.

    Mas, que este decreto de calamidade pública tem jeito de “esperteza”, tem.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/06/1783760-rio-de-janeiro-foi-o-estado-que-mais-elevou-despesas-com-pessoal.shtml

  78. Pedro said

    Falando em esperteza:

    http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/06/acao-da-pf-liga-aviao-de-eduardo-campo-acusados-de-lavar-dinheiro.html

    Não tá sobrando ninguém mesmo.

  79. Chesterton said

    por mim cancela as olimpíadas….

  80. Chesterton said

    Pobre vai poder viajar de avião

    Economia 21.06.16 17:12
    Com o mercado aéreo totalmente aberto a companhias estrangeiras, finalmente poderemos ter voos low cost de verdade.

    Agora, sim, os mais pobres viajarão de avião.

    O ANTAGONISTA

  81. Chesterton said

    http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2016/06/dono-de-empresa-que-demitiu-223-funcionarios-e-encontrado-morto.html

    chest- viva o PT……

  82. Pedro said

    #79
    Agora é tarde pra cancelar.
    Só resta tentar aproveitar o megaevento.
    Estarei no Rio de 12/08 a 17/08.

  83. Chesterton said

    Se não está acostumado a isto aqui, melhor dobrar os cuidados. Ah, não tem médicos e hospitais em numero suficiente para dar conta do evento e da população, de modo que torça para que seja um fracasso, será mais seguro.

  84. Pedro said

    A glock já tá polida. ;-)

  85. Elias said

    Mona,
    Se a Osmarina Raimunda decidir se fazer chamar por Kattya Cylenne, problema dela.

    Problema meu, se preferir continuar chamando-a de Osmarina Raimunda.

  86. Elias said

    Em dois finais de semana, li a íntegra do acordo de leniência do Sérgio Machado. São mais de 400 páginas, que incluem as declarações de renda dele e dos filhos, Expedito, Sérgio Firmeza e Daniel.

    Os quatro, mais a esposa do Sérgio Machado, formam uma quadrilha familiar.

    Ao Imposto de Renda, Sérgio Machado declarou, até 2015, bens e direitos no valor de R$ 1,0 milhão, com dívidas e ônus reais de R$ 1,2 milhão. Situação patrimonial negativa, portanto, de R$ 800,0 mil.

    Por trás das bombas, mantinha, no exterior, depósitos em dinheiro vivo no valor de R$ 76,2 milhões, sendo R$ 48,5 milhões em nome de Expedito e R$ 27,7 milhões no de Sérgio Firmeza.

    Isso foi o que ele declarou na delação premiada. Para quem não sabe, de cara, ele só é obrigado a informar os bens não declarados ao IR que vão entrar como garantia da multa que ele terá que pagar.

    Ninguém garante que ele não tem outros bens e valores não declarados ao IR e não arrolados para garantia da multa. Como se trata de um criminoso confesso, é fácil supor a sujeira que ele ainda esconde.

    Como exercício de imaginação, basta saber que, em 31 de dezembro de 2015, situação patrimonial dos eficientes rebentos de Sérgio Machado era a seguinte:

    1 – Daniel Machado. Bens e direitos: R$ 35,1 milhões. Dívidas e ônus reais: R$ 2,2 milhões.(Patrimônio líquido de R$ 32,9 milhões)

    2 – Expedito Machado. Bens e direitos: R$ 48,2 milhões, sem dívidas e ônus reais.

    3 – Sérgio Firmeza Machado: Bens e direitos: R$ 139,7 milhões. Dívidas e ônus reais: R$ 1,5 milhão (Patrimônio líquido de R$ 138,2 milhões).

    Lendo a íntegra das declarações desse meliante, passei a ter uma ideia mais aproximada de onde se chegaria, caso o buraco na Petrobras & adjacências fosse apurado em sua real extensão, como queria o Guido Mantega, e não estimado grosso modo pela Price, como acabou acontecendo.

    Do jeito que as coisas estão, só se fica sabendo daquilo que o delatores confessarem (a la carte, como é praxe no Judiciário brasileiro).

    E os delatores — todos eles experientes escroques, oportunistas e sem um átomo de moralidade — evidentemente só delatarão aquilo que lhes for conveniente delatar.

    Consultando superficialmente minha bola de cristal, já estou em condições de prever o futuro dos delatores: nenhum deles vai morrer pobre.

  87. Elias said

    Chester # 59

    Todos sabemos a tua delirante opinião sobre impostos. Desnecessário e improdutivo, ficares bancando o idiota…

    1 – Os impostos sobre carros de passeio não chegam a 55% do preço de venda. Não chegam nem perto disso. Quem preparou o banner está enrolando.

    2 – A tributação sobre carros de passeio é muito superior à média nacional da tributação. Pra se saber essa média, é necessário levar em conta a incidência tributária sobre as demais categorias de produtos. Exemplo: o ICMS sobre carros de passeio é 17%; o ICMS sobre carne verde é, na média nacional, 2%. O valor total despendido anualmente pela população, em carne verde, é muitas vezes superior ao valor total despendido anualmente na compra de carros com tributação. Vai daí que…

    3 – A carga tributária NOMINAL brasileira, oscila entre 34% a 39%, a depender da metodologia de apuração (o que, por seu turno, depende da convicção ideológica e do propósito político de quem apura).

    4 – A carga tributária REAL brasileira não chega a 30%. É que o cálculo da carga tributária NOMINAL não leva em conta as isenções e reduções fiscais. Exemplos: algumas atividades econômicas gozam de imunidade tributária, não incidindo sobre elas nenhuma tributação, direta ou indireta (emissoras de rádio e tevê, jornais, revistas, sociedades civis educacionais, de saúde, etc.). Outras atividades econômicas são isentas de tributação quando exercidas em áreas incentivadas, ZPEs, etc. Outras mais gozam reduções tributárias setoriais, como é o caso da indústria e comercio de vestuário em SP, a produção de alimentos, em todo o Brasil, etc Quase toda a pauta de exportação brasileira é senta de tributos indiretos (e as exportações brasileiras representam uma parcela ponderável do PIB). E assim por diante. A carga tributária NOMINAL teria sentido no Brasil, se ela fosse a mesma pra todas as atividades (ou, pelo menos, pra maioria), em todo o país. Não é o caso, nem de longe.

    O Brasil é muito mais complexo do que supõe esse tipo d raciocínio de quitandeiro da esquina.

    No mais, Chester, tira teu cavalo da chuva. A carga tributária só vai aumentar. No Brasil e em todo mundo.

  88. Chesterton said

    Aí Pedro, socialista armado…..bem habitual…..

  89. Chesterton said

    No mais, Chester, tira teu cavalo da chuva. A carga tributária só vai aumentar. No Brasil e em todo mundo.

    chest- claro, até chegar a 100% (não Elias, não li o resto do que você escreveu, só esta frase)

  90. Chesterton said

    hhmmmmmm, ninguem viu a Gleise hoje…..

  91. Elias said

    E, Chester,
    Não estou aplaudindo a carga tributária brasileira, nem o que o Estado brasileiro faz com a arrecadação.

    Todos os anos eu recolho uma baba de impostos. Em troca, não tenho segurança, nem estradas e ruas que prestem, nem iluminação pública decente, e por aí afora.

    Só acho que esse tipo de manipulação barata que tu postaste não leva a lugar nenhum, até porque é um raciocínio burro, que qualquer pessoa com um mínimo de inteligência não engole e desmonta com um pé nas costas.

    Mais produtivo seria partir para um debate sério sobre tributação, o que, por seu turno, depende de um debate sobre o papel do Estado e dos entes da Federação, na sociedade, no domínio econômico, etc.

    No início do ano passado, eu disse que o Levy, com a abordagem neoliberal dele, só iria piorar a situação. Não debelaria a inflação, e ainda iria piorar o déficit público. Não deu outra! Antes dele, Rui Barbosa e Otávio Gouveia de Bulhões também haviam aplicado a cartilha liberal, com resultados igualmente desastrosos.

    O liberalismo e seu filho pródigo — o marxismo — são ótimos como crítica ao Estado e à sociedade. Como estratégia, simplesmente não funcionam. Não passam de delírios, eternamente voltados para um mundo que não existe, nunca existiu e, mais que provavelmente, jamais existirá.

  92. Chesterton said

    A Globonews relata que agentes da Polícia Federal foram aplaudidos pelos vizinhos do apartamento de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, no bairro Água Verde, em Curitiba.

    O Antagonista também aplaude, além da PF, o MPF e a Justiça Federal de São Paulo.

    O ANTAGONISTA

  93. Elias said

    Chester,
    Embora mencione teu nome, não escrevo pra ti.

    Penso mais nas pessoas inteligentes que costumam ler o blog (e o termo “inteligente” já te exclui).

  94. Chesterton said

    Elias, menos, estado, mais liberdade econômica, mais responsabilidade individual, menos empregados estatais. Menos políticos, mais cidadão, menos direitos (privilégios na verdade) e mais deveres.
    Senão, vai todo mundo se foder mesmo.

    obs> sei que você não vai aceitar nada disto pois é um estatista genético.

  95. Chesterton said

    Sei as pessoas inteligentes escrevem nas cartas o nome do destinatário errado.

  96. Chesterton said

    Minha preocupação com você Elias, é que talvez esteja enrolado em alguma atividade que possa levá-lo a Curitiba, “if you know what I mean”…

  97. Chesterton said

    Isto é PT.

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/politica/noticia/2016/06/para-cada-r-1-pago-por-servidores-r-0-70-viravam-propina-entenda-o-esquema-descoberto-pela-pf-6146725.html

  98. Chesterton said

    A pistola de Janot

    Brasil 23.06.16 19:00
    Rodrigo Janot falou ao Washington Post que a Lava Jato está prestes a chegar ao “topo da pirâmide”. Ao ser questionado se temia retaliações de políticos que estão sendo investigados, o PGR disse estar prevenido.

    “Durmo com uma pistola ao lado da cama. Ela possui três carregadores co 14 cartuchos cada um.” Antagonista

  99. Chesterton said

    O mito do “trabalho análogo à escravidão”A maioria das operações de combate ao trabalho escravo não “libertam” ou “resgatam” ninguém, não ajudam os trabalhadores pobres e consideram escravos gente que ganha muito mais que a média dos brasileiros
    Por: Leandro Narloch 23/06/2016 às 10:19
    Próxima
    Mais uma grife de roupas foi acusada de utilizar trabalho escravo no Brasil. Segundo uma reportagem da BBC publicada nesta segunda-feira, auditores do Ministério do Trabalho flagraram cinco bolivianos, entre eles uma adolescente de 14 anos, mantidos como escravos numa oficina na zona leste de São Paulo que produzia para a grife Brooksfield.
    Infelizmente a BBC só reproduziu a desinformação que ativistas do combate ao trabalho escravo costumam difundir sobre o assunto. Abaixo, mostro seis esclarecimentos que a reportagem poderia ter feito. O leitor me desculpe o tamanho do texto – o assunto é relevante e merece ser explicado em detalhe.
    1. Não é escravidão
    No caso desta semana e na maioria dos que vão aos jornais, a situação flagrada pelos fiscais não tinha nada do que o povo, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) ou as leis da maioria dos países entendem por escravidão. Não havia pessoas acorrentadas, ameaçadas, trabalhando para pagar uma dívida com os patrões ou para recuperar um documento.
    Por que, então, dizem que é trabalho escravo? No Brasil, uma mudança no Código Penal afrouxou enormemente o conceito de trabalho escravo. Passou a incluir a jornada exaustiva e condições degradantes como critérios para caracterização.
    Parece um detalhe, mas a mudança na lei juntou crimes diferentes no mesmo balaio. Patrões que ofereciam alojamentos sem a distância adequada entre as camas passaram a responder pelo mesmo crime que quem torturava os trabalhadores com ferro de marcar gado ou os mantinha em cativeiro.
    A própria OIT esclarece, num relatório de 2005, que não se deve confundir trabalho ruim com escravidão. “O trabalho forçado não pode simplesmente ser equiparado a baixos salários ou a más condições de trabalho”, diz o relatório. “Tampouco cobre situações de mera necessidade econômica, por exemplo, quando um trabalhador não tem condições de deixar um posto de trabalho devido à escassez, real ou suposta, de alternativas de emprego.”
    Os bolivianos que produziam para a Brooksfield foram considerados escravos porque não tinham carteira assinada ou férias e, segundo a BBC, “trabalhavam e dormiam com suas famílias em ambientes com cheiro forte, onde os locais em que ficavam os vasos sanitários não tinham porta e camas eram separadas de máquinas de costura por placas de madeira e plástico”. Era trabalho precário, mas não escravidão.
    2. Há “escravos” que ganham R$ 5 mil por mês
    Como cabe ao auditor do trabalho decidir o que é trabalho escravo, há interpretações das mais extravagantes e ideológicas.
    Em 2013, a fiscalização encontrou vinte funcionários de uma construtora de Belo Horizonte que tinham registro na carteira, recebiam horas-extras e adicionais de produção. Um pedreiro disse que ganhava 5 mil por mês. Como não havia lençóis nos beliches do alojamento e os banheiros estavam sujos, o fiscal enquadrou a construtora como escravista.
    O alojamento era, de fato, precário, mas muitos dos trabalhadores poderiam achar que a remuneração compensava. Um salário de 5 mil reais, afinal, colocava o funcionário entre os 20% de brasileiros mais ricos daquele ano. Como revelou a revista Exame, casos assim são comuns.
    No episódio desta semana, os imigrantes ganhavam 6 reais por peça produzida. Se costuravam duas peças por hora (provavelmente produziam muito mais), ganhariam 12 reais por hora, 96 reais por jornada de oito horas, ou 2100 reais por mês. Isso é mais do que ganham 72% dos brasileiros, que sobrevivem com até dois salários mínimos.
    3. Não há “resgate” ou “libertação” de trabalhadores
    O mito do “trabalho análogo à escravidão” vem sendo cultivado por auditores do trabalho, procuradores, jornalistas e ativistas bem-intencionados. Eles fazem questão de esclarecer que a servidão moderna se define por condições precárias de trabalho e tem pouco da escravidão tradicional. Mas utilizam termos e imagens que só fazem sentido quando se referem à restrição da liberdade – como imagens de correntes e termos como “resgate” ou “libertação”.
    Imagem da campanha de combate ao trabalho escravo, divulgada pela Secretaria de Direitos Humanos.
    Imagem da campanha de combate ao trabalho escravo, divulgada pela Secretaria de Direitos Humanos.
    Os trabalhadores costumam considerar um absurdo serem chamados de escravos. Sem ninguém pedir, os fiscais quebram contratos de trabalho, calculam multas enormes para as empresas e mandam os trabalhadores para hotéis ou de volta para suas cidades de origem.
    “O primeiro contato com a vítima geralmente é de resistência. Ela não se enxerga como trabalhador forçado e se incomoda com o rótulo”, me disse, no ano passado, Luiz Machado, coordenador do Programa de Combate ao Trabalho Forçado da OIT. “Quando explicamos as violações dos direitos trabalhistas, eles ficam agradecidos, pois ganham pagamentos de direitos, seguro-desemprego especial para resgatados e prioridade na fila do Bolsa Família.
    4. As operações não ajudam os trabalhadores
    Quando a indenização acaba, os “escravos libertados” descobrem que os fiscais os transformaram em desempregados dependentes de programas assistenciais. Precisam começar tudo de novo e sair à procura de um emprego. Geralmente encontram trabalhos bem parecidos com aqueles dos quais foram “resgatados”.
    “Quando a polícia vai embora, os bolivianos vão para outras oficinas onde a condição é a mesma”, me contou, numa entrevista, o boliviano Luis Vásquez, líder da comunidade boliviana em São Paulo.
    Os próprios ativistas admitem o problema da reescravização. “O trabalhador volta para casa com três meses de seguro-desemprego no bolso, mais verbas rescisórias, mas assim que o dinheiro acaba, ele volta a migrar e acaba escravizado de novo”, disse, em outra reportagem da BBC, o fundador da ONG Repórter Brasil, Leonardo Sakamoto.
    5. As operações eliminam alternativas de quem já tem poucas
    Numa coisa os ativistas do combate ao trabalho degradante estão certos: milhões de pessoas têm empregos terríveis no Brasil. Trabalham amontoadas em cômodos sem janelas; cumprem uma jornada tão alta que mal veem a família. Diante de situações assim, tudo o que não se deve fazer é diminuir as opções disponíveis a eles.
    O que prejudica o trabalhador não é a opção de trabalho que ele encontra, e sim a falta de opções. Os operários das pequenas oficinas de roupas da zona leste de São Paulo se submetem a condições ruins porque aquela é a melhor alternativa de que dispõem. O que os torna vulneráveis não é a empresa que os contratou, mas a ausência de mais empresas que os contratem.
    E o que as operações de combate ao trabalho escravo fazem é diminuir ainda mais essas opções. “Quando a Polícia Federal aparece, dá a impressão de que vai prender o Fernandinho Beira-Mar”, diz o boliviano Luiz Vásquez. “Um monte de viaturas e policiais para prender o coitado do dono da oficina. Ele é multado por tudo o que você pode imaginar. Essa história tem levado muitos empreendedores à falência.”
    Não é um grande incentivo à abertura de fábricas no Brasil ter a possibilidade de ver a marca manchada por falsas acusações de trabalho escravo. As bem-intencionadas operações prejudicam a segurança jurídica e dão um empurrão a mais para fábricas se mudarem para a China ou o Paraguai. Com menos vagas à disposição no Brasil, os trabalhadores ficam ainda mais vulneráveis.
    Quem realmente se preocupa com os pobres precisa, pelo amor de Deus, evitar que as empresas tenham medo de contratar ou subcontratar trabalhadores no Brasil. Ações menos sensacionalistas, como criar um pacto entre as oficinas para seguirem condições mínimas, sob pena de multa, ajudariam muito mais do que aterrorizar grifes internacionais interessadas em produzir no Brasil.
    Outra opção é ajudar os imigrantes a encontrar vagas melhores e ter documentação para se candidatar a elas. Em São Paulo, o Ministério Público do Trabalhou fez um excelente trabalho ao criar um centro onde os imigrantes podem regularizar a residência no Brasil, tirar carteira de trabalho e abrir uma conta corrente. Documentados, ficam aptos a trabalhos menos precários.
    “Em diversos países e momentos da história, o subemprego foi o meio pelo qual as minorias, os migrantes e os menos favorecidos entraram no mercado de trabalho e começaram a ascender socialmente”, diz o cientista político Diogo Costa. “Proibir o emprego ruim acaba funcionando como uma barreira de exclusão dos menos qualificados.”
    6. Coibir as más condições é impor preferências da elite aos trabalhadores pobres
    Imagine que você acabou de se mudar para um país estranho e está sem dinheiro, sem qualificação ou mesmo conhecimento da língua local – e ainda tem três filhos famintos nas costas. De repente aparecem duas opções de trabalho em oficinas de costura.
    A primeira oficina, ensolarada e espaçosa, oferece um salário de 10 reais por hora. A segunda, sem janelas e com uma jornada maior, paga 12 reais. Na hora do aperto, você não se dará ao luxo de perder 20% da remuneração. Como quer acumular o máximo possível e voltar para o seu país, você trabalharia mais, muito mais que oito horas por dia.
    O combate ao trabalho degradante se baseia na ideia de que as condições ruins são fruto da escolha dos patrões. Mas a escolha não é só deles. Ao decidir ingressar num emprego, uma pessoa avalia todos os tipos de compensação – o salário, o conforto, a jornada. Quem ganha bem pode se dar ao luxo de descontar parte do salário em conforto e jornada menor. Mas se a renda e a produtividade são baixas, e a melhor alternativa de trabalho não é o suficiente para pagar as contas, provavelmente ele abrirá mão do conforto para extrair o máximo da remuneração em forma de salário.
    “Isso significa que a combinação de compensações é determinada pelas preferências dos empregados (até o limite da sua produtividade), e não pelas preferências de corporações multinacionais ou empresas terceirizadas”, diz o economista Benjamin Powell, autor do livro Out of Poverty: Sweatshops in the Global Economy.
    Powell comprovou essa opção entrevistando operários da Guatemala. Ele conversou justamente com quem trabalhava em fábricas de roupa que motivaram escândalos de trabalho degradante, em reportagens da TV americana. Descobriu que quase todos os trabalhadores não topariam trocar parte do salário por melhores condições:
    Você aceitaria ter um salário menor se o seu empregador…
    SIM NÃO
    tornasse as condições de trabalho mais agradáveis? 8,6% 91,4%
    reduzisse o número de horas de trabalho? 10% 90%
    aumentasse o horário de almoço? 4,3% 95,7%
    fornecesse plano de saúde? 14,3% 85,7%
    desse férias remuneradas? 18,6% 81,4%

    O ensaísta Nassim Nicholas Taleb chama de “filantropia de araque” a atividade de “ajudar as pessoas de uma forma visível e sensacional, sem levar em conta o cemitério oculto de consequências invisíveis”. O exemplo preferido de Taleb são as causas trabalhistas. “Você nota as pessoas cujos empregos estão mais seguros e atribui benefícios sociais a essas medidas. Você não percebe o efeito naqueles que ficarão desempregados, já que as medidas vão reduzir a oferta de empregos. Em alguns casos, as consequências positivas de uma ação vão beneficiar imediatamente os políticos e os humanitários de araque, enquanto as negativas levarão um bom tempo para aparecer – e talvez nunca sejam perceptíveis.” Não há definição melhor para o combate ao “trabalho análogo à escravidão” no Brasil.
    @lnarloch

  100. Chesterton said

    http://noblat.oglobo.globo.com/meus-textos/noticia/2016/06/sorte-selada.html

    O escândalo do roubo do salário de servidores públicos selou em definitivo a sorte de Dilma

    24/06/2016 – 08h03
    Ricardo Noblat

    chest- puta que pariu, tem que botar o PT todo na cadeia.

  101. Guatambu said

    Alguém consegue fazer uma avaliação do Brexit?

    Chest?

    Elias?

  102. Chesterton said

    moda petista

  103. Chesterton said

    Brexit?

    Departugal, Italeave, Czechout, Oustria, Finish, Slovakout, Latervia, Byegium.

  104. Pedro said

    Hahahaha Chester inspirado.

  105. Chesterton said

  106. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/o-pt-roubava-diretamente-do-contracheque-de-aposentados-endividados/

  107. Chesterton said

    Petistas amotinados

    Brasil 26.06.16 08:48
    Os petistas presos estão contrariados.

    Eles não aceitam pagar sozinhos por crimes cometidos em nome do partido.

    É o que diz o Estadão:

    “João Vaccari Neto, José Dirceu e André Vargas querem que a legenda assuma institucionalmente a responsabilidade pelos desvios na Petrobrás. A ideia ganhou força na quinta-feira passada, quando a sede da legenda em São Paulo foi alvo de ação de busca e apreensão da PF. Nos últimos dias, dirigentes passaram a defender internamente que o partido avalie a proposta na próxima reunião do diretório nacional do PT, marcada para 19 e 20 de julho”. antagonista

    chest= é o que eu digo, o PT é a origem de todo mal e Lulla seu pastor,.

  108. Chesterton said

  109. Chesterton said

  110. Chesterton said

    Eu falo isto há décadas

    http://noblat.oglobo.globo.com/editoriais/noticia/2016/06/existencia-de-estatais-e-causa-basica-da-corrupcao.html

  111. Chesterton said

    http://bncamazonas.com.br/2016/06/17/aldo-rebelo-era-cerebro-da-propina-do-pcdob-no-minha-casa-minha-vida-diz-delator/

  112. Elias said

    “O mito do “trabalho análogo à escravidão ´A maioria das operações de combate ao trabalho escravo não ´libertam´ ou ´resgatam´ ninguém, não ajudam os trabalhadores pobres e consideram escravos gente que ganha muito mais que a média dos brasileiros.”

    Verdade! A maioria das operações não “libertam”, não “resgatam” nem “ajudam” os trabalhadores pobres.

    Agora, se as formas verbais forem colocadas no singular, o papo é outro…

  113. Elias said

    Parece que a UE sifu.

    Uma das poucas propostas neolibs que estava realmente produzindo bons resultados, não merecia terminar assim.

  114. Elias said

    Segundo o Palácio do Planalto, o problema climático no Centro Oeste causou a PERDA DA SAFRA de feijão, do que resultou: I – o AUMENTO DA OFERTA; e II – a ELEVAÇÃO DO PREÇO.

    Isso significa o seguinte: em casa de ferreiro, tanto bate até que fura.

    No caso, o Planalto tentava explicar o mais recente aumento da inflação (para alívio de todos, não houve interferência do quiabo comunista, dos tempos da ditadura, mas ninguém perde por esperar…).

  115. Chesterton said

    God Save The Queen

  116. Chesterton said

    http://ucho.info/gleisi-em-panico-advogado-laranja-da-senadora-petista-e-preso-e-pode-fazer-delacao-premiada

    chest- está chegando a trolha….

  117. Chesterton said

    Até o Olavão chamaram……

    Golpe de estado no mundo
    Olavo de Carvalho
    O Globo, 24 de maio de 2003
    Que existe um neoglobalismo em ação, um novo Império cuja expansão coloca em risco as soberanias nacionais, ninguém no Brasil duvida. Todos os nossos líderes políticos, intelectuais e militares se dizem conscientes e alertas quanto a esse ponto. Mas, quando perguntamos de onde vem o perigo, as respostas provam que estamos conversando com sonâmbulos e teleguiados, prontos a deixar-se usar como instrumentos pelo próprio inimigo que alegam combater.
    Não sabem, por exemplo, o que o Império está fazendo, com discreta e espantosa facilidade, contra um país bem mais forte que o Brasil: a Grã-Bretanha.
    A Grã-Bretanha como nação independente está para acabar nos próximos dias, quando Tony Blair oficializar sua anuência à nova Constituição da União Européia, que cria os Estados Unidos da Europa e transfere para a sede do Império em Bruxelas o poder de decisão do governo de Londres sobre orçamento, comércio, transportes, defesa nacional, relações internacionais, imigração, justiça e direitos humanos, reduzindo o Parlamento à condição de assembléia local subordinada.
    Há quem diga que Blair deveria submeter o assunto a um referendo, mas ele não quer. Alega que a questão é complicada demais para ser julgada pelo povo. É assim que se fazem hoje os golpes de Estado: por meio de passes de mágica incompreensíveis à multidão. Uma pesquisa do jornal “The Sun” mostrou que, de fato, 84 por cento dos eleitores britânicos ignoravam a iminente transferência de soberania.
    Mas, deste lado do oceano, a ignorância é maior ainda. Aqui, até as elites desconhecem tudo do novo quadro internacional. Imaginam que o neoglobalismo é uma extensão do bom e velho “imperialismo ianque” e, infladas de antiamericanismo, se preparam para combater os marines na selva amazônica.
    O governo global que se forma ante os nossos olhos não é americano: é uma aliança das velhas potências européias com a revolução islâmica e o movimento esquerdista mundial. Suas centrais de comando são os organismos internacionais, e a única força de resistência que se opõe à mais ambiciosa fórmula imperialista que já se viu no mundo é o nacionalismo americano.
    Os planos do governo mundial estão expostos desde 1995 no documento “Our Global Neighborhood,” publicado por uma “Comissão de Governança Global”, que prega abertamente “a subordinação da soberania nacional ao transnacionalismo democrático”. Esses planos incluem: 1. Imposto mundial. 2. Exército mundial sob o comando do secretário-geral da ONU. 3. Legislações uniformes sobre direitos humanos, imigração, armas, drogas etc. (sendo previsível a proibição dos cigarros e a liberação da maconha). 4. Tribunal Penal Internacional, com jurisdição sobre os governos de todos os países. 5. Assembléia mundial, eleita por voto direto, passando por cima de todos os Estados Nacionais. 6. Código penal cultural, punindo as culturas nacionais que não se enquadrem na uniformidade planetária “politicamente correta”.
    É o Estado policial global, a total liquidação das soberanias nacionais. E não são meros “planos”: com os Estados Unidos da Europa, tudo isso entra em vigor imediatamente no Velho Continente, da noite para o dia, sem consulta popular, sem debates, sem oposição, anunciando para prazo brevíssimo a extensão das mesmas medidas para o globo terrestre inteiro pelo mesmo método rápido da transição hipnótica.
    A Inglaterra, que parecia resistir, cedeu. Hoje está claro que o apoio de Blair aos EUA no Iraque se destinou somente a amortecer o choque da traição que viria em seguida. Só num país o assunto é discutido abertamente, e a opinião pública se volta em massa contra os planos da Governança Global: os EUA.
    A guerra entre os EUA e o governo mundial já começou. Se a soberania americana cair, cairão todas. E o Brasil, burro como ele só, acredita defender a sua armando-se de prevenções contra os EUA e abrindo-se gostosamente aos detonadores explícitos de toda soberania.
    Uma das causas desse trágico engano é a incultura pura e simples. Mas a desinformação ativa também pesa nisso. Uma de suas inumeráveis fontes é o sr. Lyndon La Rouche, que se faz de herói antiglobalista vendendo receitas de antiamericanismo no Terceiro Mundo e é muito lido no Brasil. Num panfleto recente, ele chegou ao cúmulo de associar a política externa de Bush aos planos de governo mundial traçados por Herbert George Wells num livro de 1928, “The Open Conspiracy”.
    Isso é a exata inversão da realidade. As idéias de Wells germinaram na Fabian Society de Londres, entidade socialista sob orientação da chancelaria soviética, e são a origem direta dos planos de “Governança Global” da ONU, contra os quais, precisamente, se volta a política externa de George W. Bush.
    Lendas e mentiras sobre a Amazônia também ajudam a enganar todo mundo, criando a ilusão de que precisamos defendê-la contra as ambições americanas. Quem quer que investigue um pouco a presença estrangeira na Amazônia verificará que ela se constitui maciçamente de ONGs européias. Há algumas americanas, sim, mas são as mesmas que subsidiam as campanhas “pacifistas” anti-Bush, o esquerdismo internacional e, em última análise, o terrorismo.
    Ignorantes e semiloucos, vemos a realidade às avessas, pedimos socorro ao bandido e colocamos nossos sentimentos nacionalistas a serviço do neo-imperialismo global, que vai nos subjugar e humilhar até um ponto que nem todos os imperialistas americanos, somados, chegaram jamais a ambicionar em sonhos.
    O projeto “New American Century”, de William Kristol, mal esboçado e instantaneamente bombardeado na mídia brasileira como prova dos objetivos expansionistas do governo Bush, é apenas uma proposta, tardia e parcial, de reação possível a um esquema imperialista já implantado na Europa e em pleno processo de extensão ao resto do planeta. A guerra pelo domínio do mundo já começou. E o Brasil já entrou do lado errado.

  118. Elias said

    Parece que a direita quer descartar o Bolsonaro, cada dia mais doido…

    Faz sentido… Do jeito que as coisas estão, se há algo que a direita faz questão de não ter, é um macaco solto numa loja de cristal…

    Ou seja, um Bolsonaro.

  119. Chesterton said

    Petistas que trabalham na Petrobras deprimidos com a situação da empresa….. ai, ai, ai. Aquele ditado, ” A boca fala, mas o cu que paga”, pode ser adaptado para ” O dedo crava PT mas o cu que paga”….

  120. Chesterton said

  121. Patriarca da Paciência said

    Olá gente,

    estou de volta, já em casa, de uma longa viagem por esse lindo Brasil que acabou mas… continua pujante e lindo !

  122. Chesterton said

    http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/e-importante-reconhecer-que-nosso-governo-cometeu-erros-diz-jaques-wagner/

    chest- aquele tipo de erro que dá cadeia…..

  123. Chesterton said

    http://netnewsnoticias.com/news/a124zk2lv31i1071r454/4e54593d/4f4459344f413d3d/gil-sera-preso-por-usar-verba-rouanet-em-casamento-da-filha-o-casamento-midiatico-da-cantora-preta-gil-avaliado-em-milhoes-nao-foi-completamente-desembolsado-por-quem-achamos-que-foi-foi-anunciado-em-toda-a-imprensa-a-festa-para-700-convidados

    chest- será….

  124. Pedro said

    #121

    O Brasil não acabou, mas que estão fazendo força pra isso estão.

    Vide # 121, 122, 129, 238, 1044,,,,,,,

  125. Elias said

    ”A boca fala, mas o cu que paga” (Chester, filosofando)

    É mesmo, Chester? O que tu andas pagando com o teu?

    Então não é só boquete, Paulette Malhounete?

  126. Elias said

    …E o Lula continua liderando as intenções de voto pra 2018.

    A direita va ficar doida…

    Porra, Moro…!

  127. Elias said

    Três toques do Olavo de Carvalho.

    1 – “A Grã-Bretanha como nação independente está para acabar nos próximos dias, quando Tony Blair oficializar sua anuência à nova Constituição da União Européia, que cria os Estados Unidos da Europa…”

    2 – “O governo global que se forma ante os nossos olhos não é americano: é uma aliança das velhas potências européias com a revolução islâmica e o movimento esquerdista mundial…”

    3 – “A guerra entre os EUA e o governo mundial já começou…”

    A Cassandra, da mitologia, era uma vidente maldita: acertava todas mas ninguém acreditava nela.

    O Olavo de Carvalho é um vidente fudido: ninguém acredita nele; em compensação, ele não acerta nenhuma.

    Quando a revista Época meteu-lhe o pé na bunda, Olavo se declarou vítima de uma conspiração comunista e foi para os EUA, dar início uma moblização nacional contra a ameaça bolchevista-islâmico-petralista-bolivariana-foro sãopaulina.

    Não deu certo por duas razões: (1) Olavo não conseguia reunir ouvintes para suas palestras; e (2) foi avisado de que ele não poderia cobrar pelas palestras, pois ele não é sndicalizado nos EUA.

    Aí Olavo se declarou vítima dos comunistas norte-americanos, que dominam os sindicatos, a imprensa e a máquina estatal americana. Pediu auxílio financeiro aos seus admiradores brasileiros.

    Como o dinheiro dos seguidores brasileiros não apareceu, Olavo novamente se declarou vítima de uma conspiração bolchevista-islâmico-petralista-bolivariana-foro sãopaulina.

    Isso faz crer que o Olavo, além de fudido, parece que também é mal pago…

  128. Chesterton said

    Elias 125, aqui, aqui totó.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/petros-fundo-de-pensao-da-petrobras-tem-rombo-de-r-231-bi/

    chest- se fuderam de verde e amarelo.

  129. Chesterton said

    O choro continua

    http://jovempan.uol.com.br/programas/jornal-da-manha/para-cobrir-rombo-funcionarios-da-petrobras-nao-aceitam-pagar-contribuicao-extra.html

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,empregados-da-caixa-comecam-a-cobrir-rombo-bilionario-em-fundo-de-pensao,10000055828

  130. Chesterton said

    BREXIT!

  131. Chesterton said

    http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/advogados-contrataram-fabio-porchat

    chest- outra raça que vai acabar na cadeia….

  132. Chesterton said

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/06/toffoli-revoga-prisao-do-ex-ministro-paulo-bernardo.html?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar

    chest- STF aparelhado…..

  133. Mona, a das antigas said

    Interessante que os petroleiros não fazem uma passeatazinha, uma manifestaçãozinha, um dicursinho em riba de um tamborete contra o descalabro da Petrus e o fato de cada um ter de coçar os bolsos para cobrir o rombo deixado pela excelente gestão dos companheiros… por que será? Mistério…

  134. Pedro said

    Estão ocupados fazendo campanha pro Lula.

  135. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    Você acredita que o Chesterton seja médico ?

    Para mim é uma coisa incompreensível que uma pessoa com um nível de inteligência capaz de admirar o Olavão seja um médico !

    O maluco se mete até em filosofia e ciência, dizendo que a verdadeira motivação de Isaac Newton ao formular e publicar os seus estudos seria “destruir o Cristianismo Trinitário”
    Que o presidente dos Estados Unidos, o Príncipe Charles e a Dilma fazem parte de uma conspiração para destruir o Catolicismo !

    É tanto loucura junta que só um louco pode admirar !

  136. Chesterton said

    Brexit! Time and again.

  137. Chesterton said

    http://livrosconservadores.com.br/a-imaginacao-totalitaria-francisco-razzo/

    chest- vamos ler.

  138. Patriarca da Paciência said

    “Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, compara a Lava Jato a um terremoto que devastou Portugal e cita frase do Marquês de Pombal, ao dizer que o Brasil terá que enterrar seus mortos e cuidar dos vivos, fazendo uma profunda reforma do seu sistema político; segundo ele, não há mais como conviver com 28 partidos na Câmara e a reforma não poderá ser apenas “discurso de domingo”; ao ser questionado sobre o fato de a Lava Jato estar atingindo todos os partidos, Gilmar disse que ainda virão “duas ou três delações bombásticas”, mas fez uma ressalva, ao dizer que “algumas doações normais estão sendo confundidas com propina”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/241000/Gilmar-%C3%A9-hora-de-enterrar-mortos-e-cuidar-dos-vivos.htm

    O que se vê é que o próprio Gilmar começa a ficar apavorado. Isto porque dificilmente éle vai escapar de ser enterrado também.

    O Aécio vai para uma cova bem profundo e com algumas toneladas de concreto por cima.

    A grande maioria dos brasileiros sempre soube como a política funcionava. Até as pedras sabiam.

    Mas aí veio a lavajato e a santarrice junto. Gente que faz de tudo para levar uma vantangezinha, de repentre, vira um imaculado !

    A hipocrisia mais calhorda, mais tacanha, entrou em moda.

    São milhares de satanases pregando virtude !

  139. Pedro said

    A bandidagem é grande

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,delta-usou-18-empresas-de-fachada-para-lavar-r-370-milhoes-diz-mpf,10000060124

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/06/1787191-pf-deflagra-nova-operacao-derivada-da-lava-jato.shtml

    E tem gente que acha que deve deixar por isso mesmo……pateta…..

  140. Patriarca da Paciência said

  141. Patriarca da Paciência said

    Pateta mesmo é quem acredita que a política brasileira vai se modificar de uma hora para outra, se tornar imaculada, por obra e graça de algumas bravatas !

  142. Mona, a das antigas said

    Tem-se de começar por algum canto, né? Bravata ou não, os poderosos estão tremendo…

  143. Pedro said

    Chama isto de “bravatas”?

    http://www.pf.gov.br/imprensa/lava-jato/numeros-da-operacao-lava-jato

    Mais uma patetice.

    * Números só da lava jato, até abril.

  144. Chesterton said

    Fora Temer!

    http://rodrigoconstantino.com/artigos/um-dia-lamentavel-de-retrocessos-paulo-bernardo-solto-veto-de-100-de-estrangeiros-nas-aereas-e-aumento-de-bolsa-familia/

  145. Patriarca da Paciência said

    Realidade:

    O PMDB é o maior partido, o mais corrupto, continua representando grande parte do povo brasileiro e, pela terceira vez, está no governo sem ter ganho uma única eleição para presidente !

    O DEM é o partido que tem o maior número de políticos cassados por corrupção e posa de vestal !

    PSDB ocupa o terceiro lugar no ranking da corrupção, PT é apenas o nono.

    E ainda tem malucos como o Chesterton que fica dizendo que o PT é a única causa dos males do Brasil e que o “Lula é a origem de todo o mal”.

    O Brasil não é mesmo para amadores !

  146. Patriarca da Paciência said

    Para quem acha que o “Brasil está mudando” !

    “Empresário que desviou verba da Lei Rouanet para bancar casamento luxuoso na praia de Jurerê Internacional era frequentador de passeatas “contra a corrupção”. Confira os posts indignados de Júlio Plácido contra Lula, Dilma e Haddad”

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/06/preso-por-fraudar-a-lei-rouanet-protestava-contra-lula-dilma-e-a-corrupcao.html

  147. Patriarca da Paciência said

    Do post acima:

    “Júlio Plácido, sócio diretor da J2A Eventos, empresa acusada pela Policia Federal de desviar verbas da Lei Rouanet para bancar casamentos e festas privadas posta com frequência xingamentos e ofensas a Dilma, Lula, ao prefeito de São Paulo Fernando Haddad e frequenta passeatas contra a corrupção.
    É provável que ele esteja entre as pessoas que foram presas nesta terça-feira (28) na Operação Boca Livre. Em alguns posts Júlio Plácido pede para que Lula seja assassinado e xinga a presidenta afastada de “vaca”.
    A operação deflagrada ontem diz que produtores culturais, dentre eles a empresa J2A Eventos, integram um grupo ligado a eventos e são responsáveis pelo desvio de cerca de R$ 180 milhões de recursos da Lei Rouanet, do governo federal. Foram cumpridos 14 mandados de prisão temporária de integrantes desse grupo, que atua desde 2001 em São Paulo.
    Um dos episódios que mais chamou a atenção da PF foi o casamento de Felipe Amorim e Caroline Monteiro, organizado pela empresa de Plácido, que aconteceu na luxuosa praia em Florianópolis chamada de Jurerê Internacional no dia 22 de abril deste ano na boate 300 Beach Club.
    O evento contou com a atração musical do sertanejo Leo Rodriguez, que interpreta hits como “Vai No Cavalinho”, “Bara Bará Bere Berê” e “Gordinho da Saveiro”.

  148. Pedro said

    Cadeia nele.

    E tem que pegar o pessoal do ministério da cultura que facilitava a roubalheira

  149. Pedro said

    http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/07/operacao-tem-mandado-de-prisao-contra-doleiro-ligado-cunha.html

    “Tacale” pau….

  150. Elias said

    O Senado já aprovou! Agora vai pro Temer sancionar o que ele mesmo propôs.

    “Reajuste” de 41% pro Judiciário!

    Claro! Todo mundo sabe que os cofres da União estão bamburrando! Cheios da grana!

    E, se a inflação oscila em torno de 10% a 12%, nada mais justo que o Judiciário tenha um “reajuste” de 41%. Temos que ser justos com o Judiciário! E justiça seja feita: justiça é justiça.

    Além do “reajuste” de 41%, os justos do Judiciário terão outro mimo: a “gratificação judiciária”, que está em 90% dos vencimentos básicos, já está previamente ajustada, independentemente do “reajuste”: ela vai ser “redimensionada” gradualmente, até chegar em 140% em 2019.

    Finalmente o Brasil conseguiu fazer justiça à Justiça!

    Até aqui o Judiciário brasileiro tinha apenas uma das mais altas remunerações de Judiciário do mundo (nada mais justo, já que todo mundo sabe que o Judiciário brasileiro é muito melhor que o alemão ou o dinamarquês, por exemplo).

    Mas, além disso, o que mais o Judiciário brasileiro tinha? Nada, a não ser férias em dobro, 14º salário, salário alimentação, salário educação (pra bancar a escola dos filhos dos servidores), e auxílio educação (pra bancar o aperfeiçoamento profissional dos servidores — como se fosse possível aperfeiçoar ainda mais o que já é perfeitíssimo…). Fora isso, o que mais tinha o Judiciário. Nada mais, a não ser a gratificação judiciária, que só agora chegou a modestos 90% do vencimento básico…!

    Em boníssima hora o Temer acabou com essa injustiça… Afinal, se o sujeito trabalha no Judiciário, além de fazer jus ao salário, às férias em dobro, aos “recessos”, ao salário educação, ao salário alimentação e ao auxílio educação, ele precisa ser gratificado. E nada mais justo que essa gratificação seja de 140% sobre seu salário. Se não for assim, aonde é que vamos parar?

    Mas, que não se pense que o MPF ficou de mãos abanando. Nada disso! Os morubixabas do MPF ganharam um reajuste de 12%. Depois de reajustados, os DAS passam a fazer um re-reajuste de 16% ou 25%, conforme o caso, o que leva o reajuste final para 29,9% ou 40%, respectivamente.

    E é mentira que isso não tem nada a ver com o impeachment…

  151. Chesterton said

    Agora é BRADEUS Mercosul…..

  152. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/em-vez-de-levar-dilma-para-falar-bobagens-avioes-da-fab-transportam-orgaos-e-salvam-vidas/?utm_content=bufferc0c4b&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

    Em vez de levar Dilma para falar bobagens, aviões da FAB transportam órgãos e salvam vidas
    Decreto de Temer fez as aeronaves priorizarem o transporte de órgãos para transplante

    Dilma Rousseff queria que os aviões da FAB ficassem à sua disposição para que viajasse pelo país repetindo a enfadonha ladainha de que estaria sendo vítima de uma golpe. O governo Temer vetou o abuso, limitando o uso da aeronave para que a presidente afastada pudesse viajar exclusivamente para o Rio Grande do Sul, onde sua família reside. No entanto, o presidente interino obrigou a Força Aérea Brasileira a ter sempre um avião disponível para transporte órgãos a serem transplantados. E o resultado está sendo incrível.

    Durante todo 2015, a FAB autorizou apenas 24 voos com essa finalidade. Em apenas três semanas da nova regra, foram realizados 12 voos para o transporte de 14 corações, fígados e pâncreas, para 9 estados da federação. A maioria dos transplantes foi um sucesso.

    Nos últimos 3 anos de governo Dilma, a FAB atendeu a um total de 68 chamados, mas negou outros 153 porque priorizava o transporte de autoridades.

    Agora, a presidente afastada faz uma vaquinha virtual para captar meio milhão de reais para voar de jatinho pelo país.

    O Brasil fez bem em se livrar dessa senhora.

  153. Chesterton said

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,pacote-de-bondades-de-temer-chega-a-r-125-bi,10000060099

    Fora Temer!!!!!!

  154. Elias said

    Patriarca,
    Claro que o Chester é médico.

    É um médico sociopata, como tantos que existem por aí.

    Há alguns meses, a Globo veiculou uma reportagem denunciando a “máfia do stent”. São médicos cardiologistas que, na análise do cateterismo, fazem desnecessariamente a indicação de stent (uma espécie de tubo inflável que se implanta numa artéria parcialmente obstruída por acúmulo de gordura. Quando inflado, o stent impede que a artéria se feche, o que evita o infarto. A gordura acumulada é “espremida” contra as paredes internas da artéria, sendo gradualmente dissolvida por substâncias químicas impregnadas nas paredes externas do stent),

    Além de indicar desnecessariamente o stent, alguns membros da máfia médica fingem implantá-lo nos pacientes. Estes são submetidos a um procedimento médico invasivo (é feito por uma artéria femoral), de recuperação longa e demorada. O cara sai do hospital pensando que implantaram um stent nele, quando não implantaram porra nenhuma. Não é raro que pessoas enganadas desse modo acabem morrendo de infarto.

    Esse tipo de conduta, argentária e criminosa, prospera no Brasil — enriquecendo médicos sociopatas — graças à inoperância dos conselhos regionais e federal de medicina.

    A médica Deíla Barbosa, que é (ou foi) vice-presidente da Sociedade Brasileira de Direito Médico – SODIME, elaborou o estudo “Erro médico no Brasil: análise de processos ético-profissionais julgados no Conselho Federal de Medicina no período de 1988 a 1998”.

    Em suas conclusões, diz a pesquisadora: “Na maior parte dos casos o CFM condenou os médicos infratores, mantendo as decisões dos CRMs. No entanto, estes resultados não são acessíveis à sociedade, visto que os processos são sigilosos.” E, logo a seguir, complementa: “A duração dos processos é longa, em média 5 anos”. E, ainda: “As penalidades aplicadas aos médicos condenados são anacrônicas e inadequadas, sendo que a mais frequente foi a censura confidencial em aviso reservado”.

    O rapto de bebês e crianças, de modo geral, no Brasil, como em toda a América Latina (geralmente de famílias pobres, crianças abandonadas, etc., cujos infortúnios raramente chegam às páginas dos jornais), está diretamente ligado ao próspero mercado clandestino de órgãos humanos. Os bebês são raptados para que sejam assassinados, e deles sejam extraídos órgãos que serão implantados em pacientes ricos. Boa parte dessas crianças que aparecem em cartazes de “desaparecido”, já está morta. Passou por um “desmanche”, com a retirada de córneas, rins, pulmões, coração, etc.

    Sabe quem faz isso? Médicos, que ganham montanhas de dinheiro desse jeito, ficam riquíssimos e reclamam dos altos impostos.

    Sabe qual a categoria profissional que mais entusiasticamente apoiou o nazismo? Médicos, Patriarca.

    De um lado, tem coisas como o “Médico sem Fronteiras”. De outro, tem essas coisas aí…

    Não te espanta com o Chester, portanto…

    É só mais um…

  155. Elias said

    nO # 154, onde está escrito: “de recuperação longa e demorada”, leia-se: “de recuperação longa e dolorosa”.

  156. Pedro said

    A informação não confere Googlias.

    Realmente o Chester revende órgãos humanos, mas ele compra do estado islâmico, tudo dentro da lei, com nota fiscal, garantia de qualidade etc. :-)

    Diz ele que tá providenciando um cérebro novo pro Patriarca…..

  157. Chesterton said

    Mas pelo menos eu sou limpinho……esquenta não, Pedro, Elias está chateado porque a recessão da Dilma quebrou o negócio que a familia dele tinha de fabricar medalinhas para políticos presentearem a si-mesmos-uns-aos-outros.

  158. Patriarca da Paciência said

    E bem isso aí, caro Elias,

    Se de um lado temos o “Médico sem Frenteiras”, do outro temos o “´Médico Mercenário”, o qual só se importa com a conta bancária, ostentação, sonegação, ganhar sem trabalhar (bate o ponto no serviço público e vai atender a pacientes particulares), máfia de aparelhos hospitalares etc.etc.etc. Boa parte dos médicos chega a ser bem mais asquerosa que os políticos.

    Felizmente há também bons médicos no meio disso tudo !

  159. Chesterton said

    Não me canso de fazer o bem…..

    Olha que esculhambação

  160. Patriarca da Paciência said

    A prisão do empresário Lúcio Funaro, ocorrida na manhã desta sexta (1º), pode implodir a Câmara dos Deputados. Isso porque Funaro foi o principal aliado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na sua eleição para a presidência da Câmara dos Deputados e conhece, na palma da mão, cada um dos parlamentares da base aliada de Michel Temer (PMDB).
    Funaro já fez delação premiada no processo do mensalão, quando era acusado de operar para Valdemar Costa Neto, do PL. Caso repita a dose, ele poderá implodir praticamente todo o PMDB, assim como os partidos do chamado Centrão.
    O empresário foi acusado de arrecadar, para Cunha, recursos ilícitos por meio de financiamentos do FI-FGTS. Tais recursos, segundo se suspeita, seriam usados para manter a base parlamentar de Eduardo Cunha, por meio de pagamentos regulares e doações de campanha. Com isso, ele controlava cerca de 55% dos votos da casa e conseguiu aprovar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

    http://www.esmaelmorais.com.br/2016/07/delacao-de-doleiro-ligado-a-cunha-pode-implodir-300-picaretas-no-congresso/

  161. Chesterton said

    https://noticias.gospelprime.com.br/onu-levar-criancas-igreja-violacao-direitos-humanos/

    chest~ Brexit…não World exit, a ONU pirou na batatinha.

  162. Chesterton said

    A venda da democracia”

    Brasil 02.07.16 07:21
    Ao analisar o repasse de propina da Andrade Gutierrez ao PT por meio de doações eleitorais oficiais, a força-tarefa da Lava Jato chega a uma conclusão espantosa – repisada há mais de um ano por O Antagonista.

    Que o PT vendeu a democracia por alguns bilhões.

    “É muito claro, com base em estudos no Brasil e no exterior, que as doações, como vinham acontecendo por parte de empreiteiras, acabavam gerando uma captura do Estado. Isso não mostrava que as doações eram corrupção, mas sim funcionavam dentro de um esquema imoral.”

    “O que a Lava Jato veio para mostrar, além disso, é que em diversos casos essas doações, além de serem imorais , elas eram ilegais. Eram um simples mecanismo para disfarçar a corrupção. Era a venda da democracia.”

  163. Chesterton said

    STF quer evitar “novos Moros”

    Brasil 02.07.16 07:37
    O Radar diz que o STF apoia Dias Toffoli na revogação da prisão de Paulo Bernardo pois vê no episódio uma oportunidade de impedir o surgimento de “novos Moros”.

    É exatamente o que O Antagonista disse ontem quando noticiou que a segunda turma vai referendar a decisão de Toffoli, caso a PGR recorra.

    Um ministro do Supremo usou, inclusive, a expressão. “Outros juízes no país querem mimetizar o Moro, mas isso acaba provocando alguns excessos indesejáveis.”

    chest- tudo aparelhado….

  164. Chesterton said

    O prejuízo vai continuar

    Brasil 02.07.16 12:01
    A defesa que Temer faz das privatizações logo se desfaz, ao negar a venda da Petrobras.

    “A Petrobras está muito ligada à ideia de nacionalidade, patriotismo”.

    O “patriotismo” tem degenerado em roubalheira.

    chest- fora Temer!

  165. Chesterton said

    http://www.simers.org.br/2016/06/pais-e-medicos-sacrificam-familia-por-seus-pacientes/

    chest- como eu digo, médicos não se cansam de fazer o bem…..

  166. Pedro said

    Chester, a hora que aparecer um fígado zero bala, avisa.
    Vai fazer um bem…. :-)

  167. Chesterton said

    Te aviso, anda bebendo demais? (não me canso de fazer o bem)

  168. Chesterton said

  169. Chesterton said

    http://monarquista.com.br/1880-o-brasil-era-a-4o-economia-do-mundo-e-o-9o-maior-imperio-da-historia-veja-mais-curiosidades/

    chest- não sei se é verdade.

  170. Patriarca da Paciência said

    Em Santa Catarina estão acontecendo ocorrências policiais estranhas. Primeiro foi o casamento luxuoso custeado por leis de incentivo à cultura. Agora, vejam só:

    Diretor da Penitenciária de Blumenau é preso por dirigir embriagado, atirar em via pública e ameaçar mulher.

    http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/seguranca/noticia/2016/07/diretor-da-penitenciaria-de-blumenau-e-preso-por-dirigir-embriagado-atirar-em-via-publica-e-ameacar-mulher-6343947.html

  171. Patriarca da Paciência said

    169

    Realmente, Chesterton, a famigerada “Proclamação da República” foi apenas um dos inúmeros GOLPES acontecidos no Brasil, armados e urdidos pela famigera zelite, ainda hoje, ESCRAVOCRATA.

  172. Pedro said

    Huuummmm……….. Patriarca o monarquista, sei não.

  173. Pedro said

    Diz o Claudio Humberto que a justiça vai chegar o judiciário:

    “DEVASSA DA LAVA JATO CHEGA AOS TRÊS PODERES
    Os brasileiros devem enfrentar fortes emoções nas fases seguintes da Operação Lava Jato, previstas para este mês de julho. É que, após sacudir os poderes Executivo e Legislativo com as investigações, a força-tarefa do Ministério Público Federal e da Polícia Federal deve desembarcar em grande estilo no Poder Judiciário, segundo afirmam atentos advogados criminalistas. “Nitroglicerina pura”, jura um deles.”

    Agora, ou vai ou racha.

  174. Patriarca da Paciência said

    172,

    é o pensamento literal do Pedro funcionando a todo vapor !

    Eu falo que a famigerada “Proclamação da República” foi apena mais um famigerado golpe acontecido no Brasil, fato hoje reconhecido até pelos historiadores acadêmicos, e o Pedro entende que eu sou monarquista !

    Fazer o quê !

  175. Patriarca da Paciência said

    173,

    Realmente seria algo para lá de interessante, caso se concretizasse !

    O problema é saber quem ocupará os lugares vazios.

    A História tem demonstrado que os resultados, geralmente, são trágicos.

  176. Pedro said

    Como é que se derruba um rei ou imperador, se não for com “golpe”, “revolução”, “revolta”?

    ……….

    Famigerado o baralho.

    Viva a República

  177. Chesterton said

    e o apoio popular?

  178. Chesterton said

    A Maior Contribuição de Lula e do PT para o Brasil: A Calamidade é Reconhecida Internacionalmente
    Há 10 anos Lula era uma unanimidade internacional, a mídia infiltrada de esquerdistas o festejava como o maior líder mundial. Jornais de porta de cadeia como New York Times, The Guardian, Le Monde, The Economist colaboraram ativamente para criar o mito de que Lula transformou o Brasil no país mais sensacional do universo. Seu partido, o PT, era considerado o farol do mundo, sua esperança pois pavimentava um novo caminho para a esquerda. Lula comprou a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016 para celebrar suas conquistas. Pois é, essa palhaçada finalmente acabou, a ficha caiu, Lula e o PT não enganam mais nenhum comunista de fora do Brasil. Até mesmo o New York Times, jornal que disse que queria contratar Lula como analista, é forçado a reconhecer que o Brasil é uma merda absoluta, que os jogos Olímpicos no Rio são um desastre; a calamidade gera um imenso e merecido ridículo ao preço de bilhões de dólares roubados por Dilma, Lula, PT e seus sócios empreiteiros.

    http://selvabrasilis.blogspot.com.br/2016/07/a-maior-contribuicao-de-lula-e-do-pt.html

  179. Pedro said

    Nesta linha de fim do Brasil:

  180. Patriarca da Paciência said

    Foi GOLPE justamente porque não teve nenhuma participação popular.

    D. Pedro II tinha aprovação de 90% da população.

    Assim como a famigerada “Revolução de 64” não teve qualquer participação popular, ou o atual Golpe. O Povo foi às ruas contra a corrupção e esta encontra-se instalada em todos os poderes, sendo os atuais governantes seus maiores representantes !

  181. Patriarca da Paciência said

    Polícia Federal nega rumores de desmanche de força-tarefa da Lava Jato

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2016/07/04/policia-federal-nega-rumores-de-desmanche-de-forca-tarefa-da-lava-jato/

    “Onde há fumaça há fogo”.

    Tudo indica que “começou o estancamento da sangria”.

    Quem viver, verá !

  182. Patriarca da Paciência said

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2016/07/04/policia-federal-nega-rumores-de-desmanche-de-forca-tarefa-da-lava-jato/

  183. Patriarca da Paciência said

  184. Patriarca da Paciência said

    https://www.facebook.com/

  185. Chesterton said

    os miltares tiveram enorme apoio popular.

  186. Chesterton said

    http://arte.folha.uol.com.br/especiais/2014/03/23/o-golpe-e-a-ditadura-militar/

  187. Patriarca da Paciência said

    O artigo é longo. mas vale a pena ser lido.

    Mauro Santayana

    O STF E O IMPÉRIO DA LEI

    Na última semana, juízes e membros do Ministério Público, em São Paulo, manifestaram sua contrariedade e declararam-se “perplexos”, com a decisão da Suprema Corte, por meio do Ministro Dias Toffoli, de mandar soltar Paulo Bernardo, detido em Brasília, diante de seus filhos, em um apartamento pertencente ao Senado Federal, em espetaculosa ação da Polícia Federal que contou com a participação de numerosos homens e até mesmo de um helicóptero, como se o ex-ministro fosse um perigoso traficante de drogas, uma espécie de Pablo Escobar, entrincheirado em uma inexpugnável fortaleza no deserto, na fronteira sul dos EUA.

    Têm os nobres procuradores todo o direito de ficarem perplexos com a decisão do Ministro Toffoli.

    Como têm os cidadãos brasileiros – pelo menos aqueles que não fazem parte da manada psicótica manipulada por parte da mídia desde 2013 – o direito de, por sua vez, ficarem perplexos com a “perplexidade” dos procuradores, diante da clareza cristalina do que afirma a lei nesta República, a propósito das garantias aos direitos individuais, da presunção de inocência e do mais amplo direito de defesa que devem proteger o cidadão frente ao sistema e ao Estado, sempre que seu poder for distorcido ou exacerbado.

    Nunca é demais lembrar, reza a Constituição Federal, no Artigo 5:

    LV – aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;

    LVII- ninguém será culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”;

    E o Código Penal:

    “Art. 283. Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva.

    “Art. 312. A prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.

    Nos últimos tempos, têm se estirado e retorcido, como se fossem de látex, os princípios da lesividade; da materialidade; da culpabilidade; da velha e justa premissa “in dubio pro reo”; da jurisdicionalidade; do princípio acusatório; do princípio do encargo da prova – é à acusação que cabe provar a responsabilidade criminal do suspeito; e o do contraditório.

    A prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, da forma como foi executada, é mais um indício, sutil como um elefante, de o país em que estamos nos transformando, e dos riscos que corre, no Brasil de hoje, a Democracia.

    É da natureza humana a extraordinária sede de poder daqueles que têm algum poder.

    E é por isso que a distorção e a desobediência ao espírito da Lei precisam ser combatidas, principalmente quando cometidas por agentes do Estado, porque depois, com o passar do tempo, elas se tornam mais intensas e profundas e não podem mais ser controladas.

    Uma coisa é o combate real à corrupção.

    Outra, o discurso por trás dele, que, na maioria das vezes, ao contrário do que pensa a maioria, não é usado apenas pelos mocinhos, mas principalmente pelos bandidos.

    Pinochet, Suharto, Salazar, entre muitíssimos outros, e, principalmente, Mussolini e Hitler, dele fizeram sua bandeira e seu diabólico e demagógico ariete contra a Democracia, usando-o para abrir caminho para o poder, e para implantar em seus países e mais tarde em toda a Europa ocupada um regime de terror assassino e demente, responsável pela prisão, a tortura e o genocídio de dezenas de milhões de pessoas.

    Nem serve, como muitos o vêm também, de panaceia para nada.

    A Itália, terra da Operação Mãos Limpas, continua tão ou mais corrupta – ou corruptível – como antes, como se pode ver pelos mais recentes escândalos envolvendo a Velha Bota, e mesmo na China comunista – onde é punida quase que sumariamente com a morte – a corrupção continua existindo, porque o que muda uma Nação não são operações jurídico-policiais, em si, mas alterações e aperfeiçoamentos reais no sistema político.

    O Inferno – como o próprio demônio vive repetindo, satisfeito – está cheio de boas intenções.

    O discurso de combate à corrupção não pode, como está ocorrendo no Brasil, se sobrepor ao desenvolvimento nacional, aos Três Poderes e às instituições.

    Ele não pode estar acima da Democracia, que é, por natureza, tão diversa quanto problemática – já que reflete, como ocorre em qualquer país do mundo, os problemas e defeitos de toda a sociedade – mas que representa ainda o melhor regime encontrado nos últimos 2.500 anos para regular a vida das nações, dos estados, das comunidades e dirimir as diferenças dos variados grupos sociais.

    Nem pode se arvorar em juiz do regime político vigente, ou do sistema de presidencialismo de coalizão, já que esse tipo de prerrogativa é atributo exclusivo do Legislativo – eleito pelo voto soberano de dezenas de milhões de brasileiros – e não de juízes de primeira instância, nem de policiais federais, nem de procuradores, que não tem função de mando nem de comando, e são – com todo o respeito que mereçam pelo seu trabalho – meros servidores do Estado.

    Se tem gente, nessas instituições, que acha que ao passar em concurso, foi escolhido pelo destino para “consertar” o país – os nazistas pensavam o mesmo sobre a República de Weimar – eles devem afastar-se de suas respectivas carreiras e disputar, no voto, uma cadeira na Câmara ou no Senado, ou em uma Assembleia Nacional Constituinte.

    E parar de acreditar que vão fazer isso prendendo a torto e a direito, sem nenhum respeito pela Lei e a Constituição, políticos e empresários, com base em ilações forçadas e em delações “premiadas” dignas da Alemanha Nazista ou da União Soviética de Stalin.

    Principalmente, quando eles mesmos não são perfeitos – é preciso lembrar que não existe corporação nenhuma que o seja, em nenhum lugar do mundo – como demonstram:

    a) – A prisão de dois adolescentes, separadamente, em duas cidades do interior de São Paulo, por terem “ousado” – apoiando-se no direito de expressão, um dos princípios basilares da Constituição Federal – criticar a polícia em comentários nas redes sociais.

    b) – Os mais de 70 juízes “condenados” a bem do serviço público, a continuar recebendo integralmente altíssimos proventos depois de “aposentados”,

    c) – As dezenas de processos movidos por juízes e procuradores do Ministério Público, contra o jornal Gazeta do Povo, do Estado do Paraná – estado onde fica a “República de Curitiba” – por este ter denunciado, publicando documentos comprobatórios, que os proventos das duas classes passaram de 550.000 reais per capita no ano passado, muito acima, portanto, do teto legal correspondente ao salário de Presidente da República.

    Processos criticados pela ministra Carmem Lúcia e suspensos por decisão da Ministra Rosa Weber, há poucos dias, em outra medida extremamente louvável do STF, voltada para o restabelecimento de um mínimo de bom-senso e de respeito à legalidade no universo jurídico nacional.

    Está se produzindo no Brasil uma espécie de macarthismo tupiniquim que – ao contrário também do que pensam muitos – será, como ocorreu nos EUA, duramente condenado pela História.

    Cabe ao Supremo Tribunal Federal decidir se seus membros agirão com coragem e dignidade, como guardiões da Lei e da Constituição, nesta desafiadora fase da vida nacional, ou se, por pressão de parte da mídia e da massa ignorante e intolerante que ela manipula, acabarão cedendo e aceitando tornar-se silenciosos cúmplices de uma tragédia anunciada, que não se encerrará agora, e que, pelo contrário, poderá se aprofundar com a entrega do país ao fascismo nas eleições presidenciais de 2018.

    Estamos agindo como se o pseudo combate à corrupção – no caso, uma doutrina jurídica que solta corruptos ou os “condena” a passar um ou dois anos em nababescas mansões – e pune homens públicos sem sinais de enriquecimento ilícito ou contas na Suíça a pesadas penas de prisão por atos de natureza político-partidária-eleitoral, não trouxesse, para o país, pesados danos colaterais, ou fosse, de per si, o mais alto objetivo nacional neste momento, justificando, direta, indireta, kafkianamente, todo tipo de ilegalidade e despautério.

    Algumas das maiores empresas do Brasil, de todos os matizes e áreas de atuação, são invadidas por membros das forças de segurança praticamente a cada novo dia, prejudicando seu crédito, seu valor, seus acionistas, os seus trabalhadores e suas famílias – demitidos às dezenas de milhares – seus mercados, sua credibilidade externa, seus projetos – que são interrompidos – e centenas de pequenos e médios fornecedores que as atendem, que também passam a quebrar e a cortar funcionários em nefasta reação em cadeia.

    Gigantescos projetos, de refinarias, plataformas de petróleo, complexos petroquímicos, irrigação e saneamento, navios, ferrovias, rodovias, energia, defesa – que não eram executados nessa dimensão e amplitude há décadas – são embargados judicialmente ou atrasados indefinidamente, seguindo o curioso raciocínio de que, para tentar achar, em uma obra, 2 ou 3% de suposta propina – o dinheiro arrecadado até agora em recuperação de desvios é pífio, por isso se recorre a “multas” para justificar o seguimento dos processos – não interessa se os outros 97% forem transformados em sucata, provocando bilhões e bilhões de dólares em prejuízo, ou se no final serão lançados, na prática, técnica, empresarial, e estrategicamente, no lixo.

    O programa do submarino atômico brasileiro está sendo investigado, o almirante responsável pelo bem sucedido programa nacional de enriquecimento de urânio foi preso, o controlador da empresa responsável pela construção do míssil A-Darter da Aeronáutica encontra-se detido.

    Essa situação está abrindo caminho para a entrega da indústria bélica brasileira a controladores estrangeiros, depois de anos de esforço da iniciativa privada e das Forças Armadas, para evitar que isso ocorresse.

    É preciso não esquecer, nunca, que a criminalização da política – com a desculpa de se dar combate à corrupção e o recurso a um anticomunismo hidrofóbico, anacrônico, psicótico e obtuso – é a pedra fundamental dos governos totalitários.

    No Brasil, essa combinação nefasta levou ao fim da Democracia; a várias tentativas de derrubar Juscelino Kubitschek, de inviabilizar Brasília, os programas de industrialização e modernização do país, de energia e transporte; e ao suicídio, com um tiro no peito, do Presidente Getúlio Vargas.

    Carlos Lacerda, apelidado de “O Corvo”, símbolo e quintessência do golpismo hipócrita, canalha, entreguista e mau caráter, dizia de JK, em uma frase digna de um manual da CIA à época da Guerra Fria, que tornou-se uma espécie de roteiro estratégico dos golpistas latino-americanos: “esse homem não pode ser candidato. Se for candidato, não pode ser eleito para a Presidência da República. Se for eleito, não podemos permitir que governe, e se governar, ele tem que ser derrubado”.

    Os “políticos”, como chamados, genericamente, pela massa conservadora que os despreza e odeia – com todos os seus defeitos, que espelham a formação, limitações e idiossincrasias de seus eleitores – estão longe de ser perfeitos.

    E isso não ocorre apenas aqui, mas em todas as nações democráticas do mundo.

    Mas é a eles que pertencem os votos.

    Votos que, não interessa a quem sejam dirigidos, se escudam no sagrado artigo primeiro da Constituição Federal, que reza que “todo o poder emana do povo e em seu nome será exercido”.

    É esse poder que deve ser respeitado e obedecido, acima de todos os outros, que dele derivam, como base e introito da Constituição, da República, da Lei, da Democracia e da Liberdade.

    Há quem tenha se habituado, nos últimos tempos, a tratar o voto como se este fosse um aspecto secundário da vida política nacional, que pode ser questionado, desrespeitado, relevado ou contornado, com base em ações de um ou outro segmento do Estado ou da opinião pública.

    A atual caça às bruxas deriva da íntima convicção que têm setores do Ministério Público, da Polícia Federal e da Magistratura – não todos, graças a Deus – de que foram indiretamente escolhidos por Ele, por meio de concurso, para consertar o país, punir e exemplar a “classe” política, e corrigir distorções eventualmente criadas pelo voto “equivocado” – que na verdade é direto e soberano – de milhões de cidadãos brasileiros.

    Trata-se de temerário e perigoso engano.

    O papel da Polícia, do Judiciário, do Ministério Público, é fazer cumprir a lei, e, para isso, é preciso obedecê-la, primeiro, de forma plena, rigorosa e respeitosa.

    E o papel de julgar, moralmente, seus representantes, é do povo brasileiro – por meio da urna – e não de instituições que estão ali para ser igualmente julgadas pelo povo e para servir à população que paga, com seus impostos, seus salários.

    Nesse aspecto manda mais o eleitor do que o Juiz, o Policial, o Procurador.

    Já que é preciso entender e reconhecer o fato, cristalino, de que trabalhar para o cumprimento da Lei não coloca ninguém acima da própria.

    E que é necessário compreender que o exemplo tem que partir dos servidores do Estado, que a ela devem a mais estrita obediência e observância dos grandes princípios que a norteiam.

    No Brasil de hoje, parece que nos esquecemos de tudo isso.

    Como nos piores regimes autoritários, instalou-se, na parte mais intolerante e ignorante da população e em certos setores do Estado, um clima de desatado linchamento que justifica e promove a prisão de brasileiros sem nenhuma prova, na maioria das vezes apenas com base em delações e ilações, e joga-se a chave da cela fora até que o cidadão, abandonado praticamente à própria sorte, invente uma história qualquer para delatar o próximo da fila, igualmente sem provas, para reaver alguma perspectiva de liberdade.

    Nessa situação absurda e surreal, que só chegou onde chegou porque não foi corrigida, controlada, desde o início, e deixou-se correr solto o processo de formação de um consenso jurídica e constitucionalmente insustentável, por meio do estabelecimento de um comportamento de boiada em alguns segmentos da opinião pública, que, entre outras coisas, insultam, ameaçam, impune e permanentemente, todos os dias, juízes do STF e a própria instituição, nos portais e redes sociais.

    Pretende-se impor, na base da pressão intensa e diuturna dessa parte da população – da qual fazem parte grupos nada “espontâneos” – a vontade de juízes de primeira instância, procuradores e policiais, não apenas ao Supremo Tribunal Federal, mas também ao Congresso Nacional e ao Executivo, como se o poder de que dispõem para fazer o que estão fazendo fluísse de fonte própria, e não do próprio Legislativo, que tem a prerrogativa, garantida por milhões de votos, de organizar-se a qualquer momento – nesse caso, com imprescindível urgência – para votar e alterar leis que tolham eventuais excessos e arbitrariedades, permitindo a correção da perigosa rota que estão tomando os rumos nacionais.

    Os juízes têm que parar de decidir por pressão da mídia e dos internautas que habitam o espaço de comentários dos portais e redes sociais – internautas que acham que podem obrigar o país a fazer o que lhes dê na telha – e de promover o espetáculo e a evidência para, ao buscar a aceitação e a admiração dessa minoria – porque de minoria se trata, não haja dúvida, como vemos nas últimas pesquisas – alimentar o seu ego e sua vaidade, e, em última instância, suas eventuais pretensões políticas ou eleitorais.

    Se os juízes e procuradores quiserem alterar o texto da lei, ou fazer política, devem recolher-se a seu papel constitucional, e preparar-se, com todos os ônus dessa decisão, para candidatar-se, no momento certo, como representantes.

    Até lá, só lhes resta aceitar e acatar as decisões do Supremo Tribunal Federal e do próprio Congresso Nacional, que possui – com todos seus eventuais defeitos – poder para legislar do modo que bem lhe aprouver.

    E ao Supremo Tribunal Federal, continuar trabalhando, paulatinamente – mas com firmeza cada vez maior – frente à Nação e à História, no fortalecimento de suas prerrogativas e autoridade, que estão sendo desafiadas constantemente por ameaças e pressões de todo tipo.

    Restaurando plenamente o Império da Lei e do Estado de Direito, para fazer cumprir, de forma clara, transparente, incontestável, o que está escrito na Constituição da República.

  188. Chesterton said

    http://www.noticiasdepolitica.com/2016/06/lula-e-o-criador-da-gigantesca-roda-de.html

    Lula é o criador da gigantesca roda de fogo da corrupção que destrói o Brasil

  189. Chesterton said

    http://www.oantagonista.com/posts/o-cadaver-atropelado

    a musa petista….

  190. Chesterton said

    http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/2015/02/nao-sabia-que-era-crime-diz-brasileiro-preso-por-ameaca-de-bomba-nos-eua.html

    chest- Basiu……viva o Basiu…..

  191. Chesterton said

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/11/ex-presidente-da-camara-comprou-apartamento-em-miami-com-dinheiro-de-corrupcao-diz-revista-4892300.html

    chest- todo PT enrolado com a lei…..

  192. Chesterton said

    Rodrigo da Silva
    3 h ·
    Marilena Chauí disse que Sergio Moro foi treinado nos Estados Unidos pelo FBI para perseguir socialistas no Brasil e roubar o nosso pré-sal.
    Leonardo Boff disse a mesma coisa. Para ele, Sergio Moro está a serviço do império americano e do alinhamento do Brasil à geopolítica do tio Sam.
    Paulo Pimenta, deputado federal gaúcho e petista, repetiu a mesma ladainha. Para ele, tanto Moro quanto o MBL são treinados nos EUA para roubar o nosso petróleo.
    Sibá Machado, líder do PT na Câmara, disse que todo esse movimento é parte de uma estratégia da CIA e que o interesse de Moro é destruir a Petrobras, o Programa Nuclear e o Programa Espacial (ao que parece, a Nasa está muito preocupada com a corrida espacial brasileira).
    Para Paulo Henrique Amorim e Mino Carta, a Lava Jato é “uma operação da CIA para boicotar e arruinar o pré-sal brasileiro, antes de entrega-lo aos americanos”.
    O discurso se repete pelo establishment da formação de opinião petista. Moro é um dedo mandado dos ianques. E não apenas isso: com a Lava Jato em xeque, todas as empreiteiras, os lobistas, os doleiros e os coronéis investigados do PMDB e do PP estão sendo perseguidos por seus papeis sagrados na revolução.
    Essa é a turma que condiciona boa parte do pensamento crítico tupiniquim. No fundo, isso é tudo que a esquerda tem a nos oferecer: um discurso nacionalista dos anos 30, um grito de “o petróleo é nosso” dos anos 40, teorias da conspiração dignas dos filmes de ficção científica dos anos 50 e anti-americanismo dos anos 60.
    É a receita do atraso.

  193. Chesterton said

    http://images.livrariasaraiva.com.br/imagemnet/imagem.aspx/?pro_id=9346227&qld=90&l=430&a=-1

    terminado

  194. Chesterton said

    iniciado

  195. Guatambu said

    A coluna da Monica Bérgamo está especialmente gostosa de ler hoje.

    Ela diz que o Lula tem preocupado amigos próximos: que passa longos períodos sem sorrir.

    Além disso, diz que ele não tem dado palestras remuneradas há bastante tempo… porque a procura de empresários pelos seus conselhos caiu bastante.

    Huá huá huá!!!

    Talvez ele devesse focar em se tornar presidente do Banco Mundial denovo!

    É muito difícil sorrir quando não tem DINHEIRO rolando, não é mesmo?! Que gracinha o Lula!

    Huá huá huá (elevado ao quadrado!)

  196. Chesterton said

    https://demografiaunicamp.wordpress.com/2013/10/30/porque-os-jovens-profissionais-da-geracao-y-estao-infelizes/

  197. Chesterton said

    Marilena Chaui não é o dr. Simão Bacamarte, mas, assim como o personagem inventado por Machado de Assis, a certa altura da vida passou a enxergar no mundo somente dois tipos de pessoa.
    Para o médico de “O Alienista”, havia os loucos e os sãos; para a professora de filosofia da USP, há os defensores intransigentes dos governos petistas e os inimigos do Brasil. Entre as categorias, nenhuma nuance.
    Quando Bacamarte decidiu levar suas ideias ao extremo, ampliando desmesuradamente o território da loucura, quatro quintos da população de sua Itaguaí terminaram enclausurados no manicômio local.
    Quando Chaui faz o mesmo com suas teorias, o juiz federal Sergio Moro se transforma num agente treinado pelo FBI para desestabilizar o país e entregar o petróleo nacional às companhias norte-americanas.
    “A Operação Lava Jato não tem nada a ver com a moralização da Petrobras”, ensina a professora. “É para tirar de nós o pré-sal.”
    No maniqueísmo de Chaui, tudo que atinge a esquerda está a serviço da direita. O combate à corrupção não tem valor se afetar administrações do PT —pois integrará, nesse caso, um plano para debilitar os únicos defensores da soberania nacional. Foi assim durante o mensalão, é assim no petrolão.
    Em vez de fomentar a autocrítica dentro do campo ideológico que representa, a autora do premiado “Convite à Filosofia” propõe discussões em torno de puros disparates. Com suas simplificações risíveis, Chaui, considerada uma referência intelectual, pouco ajuda e muito atrapalha a causa em que acredita.
    No conto “O Alienista”, após muito refletir sobre suas teorias, o médico curvou a cabeça e recolheu-se ele próprio ao manicômio. Marilena Chaui não é Simão Bacamarte, mas, se considerar bem o estrago que tem provocado na esquerda brasileira, talvez venha a acusar a si própria de estar a serviço da direita —sabe-se lá se treinada pelo FBI

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/uira-machado/2016/07/1788898-paradoxo-de-chaui.shtml

  198. Mona, a das antigas said

    E pensar que “intelectuais” desse naipe é que dão a sustentação teórica do petismo… é de morrer de rir. Coitada de nossa academia. Deve estar aí a explicação de por que somos essa potência de pensamento e ação…

  199. Chesterton said

    http://oglobo.globo.com/mundo/juiz-ordena-embargo-de-todos-os-bens-de-cristina-kirchner-19655458

  200. Patriarca da Paciência said

    Olha só o que a Mônica Bergamo anda falando:

    Minas 247 – A jornalista Mônica Bergamo informa que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PSDB, está sendo delatado “com prazer” pelas empreiteiras Odebrecht e OAS, as duas maiores do País.

    “De acordo com integrante da equipe que acompanha as delações, tanto executivos da Odebrecht quanto Léo Pinheiro, da OAS, acham que Aécio colocou fogo na Operação Lava Jato porque imaginava que ela só atingiria o PT. Pouco teria se importado com as empreiteiras”, diz ela. “Recados enviados inclusive por Marcelo Odebrecht, que dizia ser amigo do tucano, teriam sido desprezados pelo mineiro.”

    Tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras.

    Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Belo Horizonte, nova sede do governo mineiro, e Marcelo também citará Aécio em seu acordo.

    O tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista, porque não teria incentivado a destruição das construtoras, como teria sido o caso de Aécio.

  201. Chesterton said

    O golpe, o golpe, o golpe

    O verdadeiro golpista foi o PT, esse partido que nos desmanchou

    Dilma e o PT continuam a bradar que está em curso um golpe contra eles. Vão berrar isso na Olimpíada, vão continuar até 2018, quando esperam eleger o Lula. Mas creio que esse demagogo narcisista encontrará seu destino antes disso.

    É espantoso ver o ardor com que a “barbie” de esquerda Gleisi Hoffmann e o Lindbergh Farias, bem conhecido em Nova Iguaçu, defendem Dilma. Por que será? Para mostrar força, já que ambos são investigados na Lava-Jato? E o José Eduardo Cardozo? Ele parece estar lutando pela própria vida. Sua fidelidade canina é emocionante. Que será que ele quer? Algum sonho de poder ou é só amor?

    Todos se aferram à tecnicalidade das chamadas “pedaladas fiscais”, questionando-as, periciando-as, como se esse detalhe fosse a única razão para o impedimento.

    Sem dúvida, foram o irrefutável crime contábil de seu governo. Mas, não só as malandragens da administração são crimes; também foram espantosos os desastres econômicos e políticos que essas práticas provocaram. Foi golpe sim quando deram as pedaladas, desrespeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal, para fingir que as contas estavam sob controle. Mais do que aumentar o endividamento, o governo recorreu a manobras para fechar as contas públicas. A chamada contabilidade criativa incluiu, por exemplo, repasses do Tesouro ao BNDES, que não aparecem como aumento de dívida.

    O verdadeiro golpista foi o PT, esse partido que nos desmanchou. O golpe começou desde o governo Lula, que abriu para o PT e aliados as portas para o presidencialismo de corrupção.

    Suas ações foram tão incoerentes, tão irracionais, que explicações políticas ou econômicas não bastam. Para entender a cabeça desses elementos, temos de recorrer à psiquiatria. O diagnóstico é um sarapatel feito de estupidez ideológica, falso amor ao povo, bolivarianismo, oportunismo e a deliciosa descoberta da facilidade de roubar num país tão permissivo com os ladrões.

    Foram muitos os golpes que Dilma e sua turma cometeram.

    Foi golpe quando mentiram espetacularmente na campanha eleitoral dizendo que o país estava bem, quando desde 2014 já rondava a falência. A presidente assumiu o segundo mandato já sabendo que dificilmente poderia cumprir as promessas de campanha.

    Foi golpe quando, em decorrência da transgressão da Lei de Responsabilidade Fiscal, os gastos públicos disfarçados provocaram o desemprego de mais de 12 milhões de trabalhadores, com a inflação subindo para mais de 10% O endividamento do setor público disparou no governo Dilma. Em 2014, o setor público gastou R$ 32,5 bilhões a mais do que arrecadou com tributos — o equivalente a 0,63% do Produto Interno Bruto (PIB), o primeiro déficit desde 2002. A dívida pública líquida subiu pela primeira vez desde 2009, de 33,6% do PIB em 2013, para 70% agora. Sua herança maldita faz a dívida pública crescer quase dois bilhões por dia.

    Foi um golpe quando permitiram que nosso rombo fiscal chegasse a R$ 170 bilhões.

    Foi um golpe sim quando Dilma comprou a refinaria de Pasadena por 1 bilhão e meio de dólares, 300 vezes o preço original de 43 milhões. É assustador ouvir de Dilma que ela não sabia de nada (nunca sabem nada) e que o caolhinho Cerveró a teria enrolado.

    Isso já poderia ser motivo para impedimento: ou ela fez vista grossa para as roubalheiras da Petrobras (“oh… malfeitos toleráveis para a ‘revolução’ petista…”) ou por incompetência e negligência criminosa mesmo, ao não examinar direito, como “presidenta” do Conselho de Administração, a caríssima compra de uma refinaria lata velha. Só isso, já era motivo. Aliás, o Cerveró reagiu às explicações de Dilma: “Ela sabia de tudo… ela mentiu e me sacaneou”. A chanchada está cada vez mais vulgar.

    Foi imenso o crime da destruição de nosso maior orgulho, a Petrobras, que virou um ferro velho endividado, vendendo ativos. Foi golpe.

    E vêm aí mais coisas horrendas na Eletrobrás do Lobão, nos fundos de pensão, nas empresas públicas. São golpes de morte.

    Foi um golpe o aparelhamento do Estado pelos petistas. Foi golpe nomear mais de 50 mil elementos para lotear o governo.

    Os gargalos na infraestrutura brasileira foram ignorados, e encareceram os custos da indústria. Foi golpe o atraso em obras de infraestrutura do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também a demora nas licitações de ferrovias, rodovias e portos. Foi golpe também financiar portos e pontes na Venezuela e em Cuba.

    Mantega foi um “golpe”, denunciado por todos os economistas sérios do mundo. Dilma abandonou de vez o chamado “tripé macroeconômico” de FHC em favor de uma “nova matriz” que quebrou tudo. Não demitiram Mantega porque seria admitir um fracasso, inadmissível para uma velha comuna.

    Foi golpe o termo de posse que Dilma enviou para Lula em segredo, para livrá-lo da Justiça comum.

    Golpes pouco lembrados são os gigantescos gastos para fazer propaganda. Uma prática vexaminosa sempre foi o dinheiro que se gastou em propaganda dos órgãos públicos para enganar a população sobre fracassos inconfessáveis.

    Só em 2014, Dilma gastou mais de 2 bilhões e meio em propaganda. Em 2015, dois bilhões e trezentos. Total: seis bilhões de reais para engambelar a opinião pública em dois anos. E mais: desde o início do governo do PT foram gastos mais de 16 bilhões de reais em publicidade. Não é um golpe?

    E o pior golpe é o inconcebível desrespeito às instituições do país. Dilma acusa o Supremo Tribunal, a Procuradoria Geral, o Congresso, milhões de pessoas nas ruas, de tramarem o golpe contra ela.

    E mais ainda:

    É um golpe feio a arrogante “presidenta” pedir sanções contra o Brasil a países vagabundos da Unasul bolivariana… A presidenta do Brasil fala mal do Brasil no mundo todo. Pode?

    Isso poderia até ser o caso de infração à lei de Segurança Nacional. Lei 7.170/83.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/o-golpe-golpe-golpe-19644066#ixzz4Dibwa45v

  202. Chesterton said

    Socialistas, comunistas e nazistas – por que a diferença de tratamento?
    por Walter Williams, terça-feira, 11 de agosto de 2015
    versão para impressão

    Bookmark and Share

    communism=nazism_488.jpgNa Europa, especialmente na Alemanha, ostentar uma suástica é um crime. Ao longo de décadas após a Segunda Guerra Mundial, pessoas têm caçado e punido os assassinos nazistas, que foram responsáveis pela chacina de cerca de 20 milhões de pessoas.
    Eis uma pergunta: por que os horrores do nazismo são tão bem conhecidos e amplamente condenados, mas não os horrores do socialismo e do comunismo? Por que se ignora — ou ainda pior: por que se esconde — que as ideias socialistas e comunistas não apenas geraram uma carnificina muito maior, como ainda representaram o que houve de pior na história da humanidade?

    Você pode dizer: “Williams, de que diabos você está falando? Socialistas, comunistas e os seus simpatizantes são uma moçada bacana, que apenas luta para que os mais pobres tenham um tratamento justo. Eles querem promover a justiça social!”.

    Então vamos dar uma rápida olhada na história do socialismo e do comunismo.

    Em primeiro lugar, o nazismo é, por definição, uma versão do socialismo. Na verdade, o termo “Nazista” é uma abreviatura para Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.

    [N. do E.: em sua política econômica, os nazistas praticaram controle de preços, controle de salários e arregimentaram toda a produção nacional, voltando-a para o setor militar. Nesse sociedade totalmente arregimentada, todos viviam em função de obedecer às ordens do Führer.

    A propriedade dos meios de produção continuou em mãos privadas, mas era o governo quem decidia o que deveria ser produzido, em qual quantidade, por quais métodos, e a quem tais produtos seriam distribuídos, bem como quais preços seriam cobrados, quais salários seriam pagos, e quais dividendos ou outras rendas seriam permitidos ao proprietário privado nominal receber.

    É por isso que há o socialismo de estilo soviético (bolchevista) e o socialismo de estilo alemão (nazista). Fixar preços é uma forma de ataque à propriedade privada, pois retira dos produtores as opções que eles teriam no livre mercado para aplicar seus recursos. Fixação de preços é um decreto estatal que, na prática, proíbe os proprietários de investirem seus recursos onde bem quiserem.]

    Mas os atos inomináveis de Adolf Hitler empalidecem em comparação com os horrores cometidos pelos comunistas na antiga URSS, na República Popular da China e no Camboja, apenas para ficar entre os principais.

    Entre 1917 e 1987, Vladimir Lênin, Josef Stalin e seus sucessores assassinaram 62 milhões de pessoas do seu próprio povo. O ponto de partida foi a Ucrânia.

    [N. do E.: normalmente é dito que o número de ucranianos mortos na fome de 1932-33 foi de cinco milhões. De acordo com o historiador Robert Conquest, se acrescentarmos outras catástrofes ocorridas com camponeses entre 1930 e 1937, incluindo-se aí um enorme número de deportações de supostos “kulaks”, o grande total é elevado para entorpecentes 14,5 milhões de mortes.]

    Já entre 1949 e 1987, o comunismo da China, liderado por Mao Tsé-Tung e seus sucessores, assassinou ou de alguma maneira foi o responsável pela morte de 76 milhões de chineses. [N. do E.: há historiadores que dizem que o número total pode ser de 100 milhões ou mais. Somente durante o Grande Salto para Frente, de 1959 a 1961, o número de mortos varia entre 20 milhões e 75 milhões. No período anterior foi de 20 milhões. No período posterior, dezenas de milhões a mais.]

    No Camboja, o Khmer Vermelho, comandado por Pol Pot, exterminou aproximadamente 3 milhões de cambojanos, em uma população de 8 milhões.

    No total, os regimes marxistas assassinaram aproximadamente 110 milhões de pessoas de 1917 a 1987. Destes, quase 55 milhões de pessoas morreram em vários surtos de inanição e epidemias provocadas por marxistas — dentre estas, mais de 10 milhões foram intencionalmente esfaimadas até a morte, e o resto morreu como consequência não-premeditada da coletivização e das políticas agrícolas marxistas.

    Para se ter uma perspectiva deste número de vidas humanas exterminadas, vale observar que todas as guerras domésticas e estrangeiras durante o século XX mataram aproximadamente 85 milhões de civis. Ou seja, quando marxistas controlam estados, o marxismo é mais letal do que todas as guerras do século XX combinadas, inclusive a Primeira e a Segunda Guerra Mundial e as Guerras da Coréia e do Vietnã.

    O regime mais autoritário e mais assassino da história está documentado no website do professor Rudolph J. Rummel, da Universidade do Havaí, no endereço http://www.hawaii.edu/powerkills, e no seu livro Death By Government.

    Estudiosos da área de homicídio em massa dizem que a maioria de nós não é capaz de imaginar 100 mortos ou 1000. E acima disso, tudo vira apenas estatística: os números passam a não ter qualquer sentido conceitual para nós, e a coisa se torna um simples jogo numérico que nos desvia do horror em si.

    Quantos desses assassinos comunistas foram caçados e punidos? Ao contrário, tornou-se aceitável em todos os países do mundo (exceto na Polônia, na Geórgia, na Hungria, na Letônia, na Lituânia, na Moldávia e na Ucrânia) marchar sob a bandeira vermelha da ex-URSS, estampada com a foice e o martelo.

    Mao Tse-Tung é amplamente admirado por acadêmicos e esquerdistas de vários países, os quais cantam louvores a Mao enquanto leem seu livrinho vermelho, “Citações do Presidente Mao Tse-Tung”.

    [N. do E.: no Brasil, o PCdoB, partido da base do atual governo, é assumidamente maoísta].

    Seja na comunidade acadêmica, na elite midiática, na elite cultural e artística, em militantes de partidos políticos, em agremiações estudantis, em movimentos ambientalistas etc., o fato é que há uma grande tolerância para com as ideias socialistas — um sistema (de governo) que causou mais mortes e miséria humana do que todos os outros sistemas combinados.

    Os esquerdistas, progressistas e socialistas de hoje se arrepiam com a simples sugestão de que sua agenda pouco difere da dos maníacos nazistas, soviéticos e maoístas. Não é necessário defender campos de concentração ou conquistas territoriais para ser um tirano. O único requisito necessário é acreditar na primazia do estado sobre os direitos individuais.

    Os inenarráveis horrores do nazismo, do stalinismo e do maoísmo não foram originalmente criados nas décadas de 1930 e 1940 pelos homens associados a tais rótulos. Aqueles horrores foram simplesmente o resultado final de uma longa evolução de ideias que levaram à consolidação do poder nas mãos de um governo central, e tudo em nome da “justiça social”. Foram alemães decentes, porém mal informados — e os quais teriam tido espasmos de horror à simples ideia de extermínio e genocídio —, que construíram o Cavalo de Tróia que levou Hitler ao poder.

    A estrada que estamos trilhando, em nome do bem comum, é muito familiar. Se você não acredita, pergunte a si mesmo: qual o caminho que estamos trilhando: para uma maior liberdade ou para um maior controle governamental sobre nossas vidas?

    Talvez pensemos que somos seres humanos melhores do que os alemães que criaram as condições que levaram Hitler ao poder. Quanto a isso, digo apenas o seguinte: não contem com isso.

  203. Pedro said

    Até isso:

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/campo-e-lavoura/noticia/2016/07/se-confirmada-queda-de-8-4-na-safra-de-graos-sera-a-maior-desde-1996-6443308.html

    Ô fase…..

  204. Chesterton said

    Fica tranquilo, Pedro, a agricultura familiar, o MST e os esquerdoidos vão alimentar o país. Abaixo a propriedade privada diziam eles, abaixo o agro-negócio, diziam outros….

  205. Mona, a das antigas said

    Reza a lenda que a agricultura familiar responde por 70% da comida que enche o bucho dos brasileiros… tá tudo tranquilo e favorável.

  206. Chesterton said

    Mona, são mais vulneraveis ainda. E o preço do alimento sobe, para a alegria de quem consegue colher alguma coisa.

  207. Zbigniew said

    #187
    Excelente texto, Patriarca.

    Cabe aqui citar Hannah Arendt, quando afirma no seu “As Origens do Totalitarismo”, ao abordar o anti-semitismo, a discriminação como argumento político. Parece que tal lógica está a orientar as ações de parte do Judiciário, MPF e PF.

    Não querendo comparar, logicamente, mas existem traços semelhantes que podem ser encontrados no anti-petismo tupiniquim, com a diferença marcante de que não se trata de ódio de raça, mas de classe.

    Patente quando por aqui se referem ao triplex do Lula, no Guarujá, ou ao sítio de Atibaia, como frutos de propina e ao apartamento do FHC, em Paris, como fruto da meritocracia. Lula é um semi-analfabeto, FHC um “sorbonnier”.

    Ao primeiro, o enriquecimento lhe é negado, mas tolerado, se no manejo do poder. Fora do poder será caçado. Ao segundo, natural. Fora do poder citado, ou esquecido.

  208. Patriarca da Paciência said

    Estamos vivendo tempos estranhos, caro Zbigniew, que realmente nos levam a Hannah Arendt, e suas profundas análises sobre os dias tenebrosos do Hitler e Stalin.

    “Numa guerra, a primeira vítima é a verdade”.

    “Os caras” se convenceram de que não venceriam a esquerda pelo voto e partiram para a guerra total. Tal como nos sombrios tempos do totalitarismo, se utilizaram da mídia para a manipulação das massas.

    Aí há um grande erro do Lula. A velha mídia provou que ainda tem um grande poder !

    E nessa guerra sombria vale tudo.

    É de arrepiar também esse sombrio “cumprimento do dever” por parte órgãos criados pára defender a sociedade e que “não estão nem aí” para as consequências nefastas da quebra de empresas e desemprego em massa !

    Lembra outro personagem analisada por Hannah Arendt, o sombrio Adolf Eichmann, o qual era apenas um burocrata exemplar, um fiel cumpridor de ordens, um ambicioso carreirista !

  209. Patriarca da Paciência said

  210. Zbigniew said

    Isso mesmo, Patriarca.
    Eichmann cai bem na comparação.

  211. Guatambu said

    Vocês viram a quantidade de manifestações #ficacunha que aconteceram, realizadas pelos coxinhas, militaristas, nazistas, conservadores, de direita?

    Puxa vida… puta transito em SP, quase não consegui chegar em casa ontem….

    Huá huá huá!!!

  212. Chesterton said

    ZB%$#@% viajando na maionese….

  213. Zbigniew said

    Os “coxinhas” não foram às ruas por causa da corrupção. Foram para afastar um partido do poder, isto é fato. Entretanto outros, nestas manifestações de direita, foram na boa-fé, realmente contra a corrupção. Iludiram-se!

    Quem quiser entender como pensam essas pessoas vejam o vídeo do Chefe do Departamento de Relações Internacionais e Comércio da FIESP, em palestra na cidade de Viena para a Câmara de Comércio da Áustria.

  214. Guatambu said

    Zbigniew,

    Veja você a ironia: o PSOL, PSTU, PCdoB, PT destruiram as universidades com uma militância usando meios “revolucionários” antiquados.

    Essa mesma turma ainda tentou aparelhar os meios de comunicação para desvirtuar a opinião pública a favor da agenda socialista disfarçada de social-democracia.

    Até o Pax comprou a ideia… pobre Pax… aliás, o Pax continua comprado. Essa história de “solução à esquerda” é uma estupidez.

    E o que aconteceu?

    1. Realidade: nada supera o peso da realidade Zbig. O PT destruiu a economia, quando a dura realidade escondida veio à tona, um movimento que era pequeno ganhou força. Parece até que você, do alto da sua consciência revolucionária não leu sobre esse tipo de impulso.

    2. O jogo foi jogado. Parece que essa turma toda, por mais revolucionária que fosse, não fez a lição de casa: não aprenderam a usar a máquina a favor. Quem conhece mesmo a máquina por dentro é o PMDB, e sabe quem foi o maior traído? O próprio PT. Dá pra entender o tom amargo das suas palavras tentando atribuir um sentimento a outro público.

    Eu fui às ruas contra a corrupção sim. E continuarei indo. A diferença é que eu não preciso fazer lavagem cerebral na cabeça de estudante nenhum para eles entenderem o que é necessário ser feito.

    Para mim, a limpeza acabou… de começar. A limpeza nunca vai terminar. O Temer? É transitório.

    E eu sei onde está o medo de toda essa turma de esquerda: a esquerda vive de ilusões, no entanto, não consegue encontrar outra ilusão para vender pra mais ninguém. E cada vez mais, como eu já disse inúmeras vezes, o acesso à informação leva à transparência e a transparência leva a um choque de realidade para quem vive de ilusão. É a decadência da esquerda, pelo menos até ela se reinventar.

    Voltando ao Temer. Ele não tem compromisso com o a população, ele não precisa ter. Ele só precisa fazer a economia funcionar denovo, isso dá calafrios a todos aqueles que acreditam na “solução à esquerda”. Claro, economia funcionando é povo de barriga cheia, com ou sem benefícios sociais, que é a única coisa (ilusão) que a esquerda consegue oferecer para o povo.

    Fazendo isso, ele elege quem ele quiser em 2018.

    Se eu fosse o PT, eu estaria vendendo minha alma para devolver a Dilma ao poder. Mas o que a Dilma faria de diferente do Temer? Voltaria a corroer a situação econômica do país? Reforma política? Sinto muito Zbig… reforma política é importante e todos reconhecemos isso, mas a economia ainda é mais e a Dilma fez um tremendo cagalhão, sentou e rolou em cima. Além disso, ela é reconhecida por um estilo de gestão centralizador, autoritário, que não admite críticas e não leva em consideração conselhos, mesmo de pessoas próximas.

    Responda para mim Zbig: o que a esquerda tem a oferecer?

  215. Zbigniew said

    Guatambu,

    a revolução que defendo é um pouco mais sutil do que as que são atribuídas à “esquerda”. As revoluções verdadeiras começam de dentro pra fora. Tem a ver com o Criador e seu Cristo. Nessas eu acredito. Mas é outra história.

    Quanto ao fato de o PSOL, PSTU, PCdoB e PT terem “destruído as universidades” (sic)(???!!!) e de uma… “agenda socialista disfarçada de social democracia” (sic)(???!!!) seria interessante dar uma olhadinha numa belíssima entrevista com o professor Leandro Karnal no último Roda Viva. Não existe escola (ou universidade) sem ideologia. O que não se deve é impor ideologias. Deve-se discuti-las. Isso sim!
    É desse teu raciocínio (com todo o respeito) que surgem tresloucados com ideias geniais como a “Escola sem Partido”. Esta sim uma solução bem à direita.

    Acho difícil acreditar que nossa economia está destruída com mais de U$ 300 bilhões de reservas e outros tantos (ou mais) no pré-sal brasileiro.

    Mas acredito sim na mal gestão da Presidente Dilma, principalmente no que se refere às suas iniciativas de ordem política. Não dá pra atuar e ao mesmo tempo renegar o presidencialismo de coalizão. Foi aí que ela se estrepou. E mostrou que não sabe exercer o poder.

    Neste aspecto o Temer dá um show. Além de golpista, é um fisiólogo de mão cheia. Deu aumento ao funcionalismo, juízes e Ministério Público e às Forças Armadas. Quer mais?

    Recebeu em troca um cheque em branco de R$ 170 bilhões para gastar como quiser. Digo, como quiser de acordo com os interesses da base de sustentação.

    Só acho difícil ele reaquecer a economia. Na verdade o arrocho ainda nem chegou. Essa conta, após o pacote de bondades, vem depois do fechamento do impeachment.

    O Brasil está em maus lençóis. A galera que acompanha o Temer é o que de pior se podia ter na política nacional com o gravame de não estarem nem aí para o país. E a conta vai para a parcela mais pobre da população.

    Neste ponto pelo menos o PT procurou por em prática um projeto de nação que incluísse todos. Retrocedemos um bocado. Uma pena!

  216. Chesterton said

    Essa junção de Cristo com Marx é uma piada de mau gosto.

  217. Patriarca da Paciência said

    Emir Sader

    (…)
    A crise, segundo grande parte da mídia internacional, no seu início, era uma continuidade da interpretação dela simplesmente como um estágio final da esgotamento dos governos do PT, corroído por sua própria corrupção. Era a versão da mídia brasileira reproduzida mecanicamente fora do Brasil.

    Quando a crise se tornou aguda, os principais meios de comunicação de todo o mundo mandaram seus correspondentes para acompanhar seu desenlace, conforme anunciada pela mídia. Ao chegar, logo se deram conta que se tratava exatamente do contrário: são os corruptos, com Eduardo Cunha e Michel Temer à cabeça, os que tratam de derrubar uma presidenta honesta, que não havia cometido nenhum crime de responsabilidade que permitisse a aplicação do impeachment e que se trata efetivamente de um golpe político dos setores mais conservadores do país, para bloquear um modelo vitorioso quatro vezes nas urnas e cuja imagem é o prestígio vigente do próprio Lula, sobre quem nenhuma acusação de corrupção foi comprovada.

    Gerou-se então uma impressionante unanimidade internacional, maior do que em qualquer outro momento, inclusive durante a ditadura militar, de condenação do golpe e de ilegitimidade do governo que surge daí. Mesmos os órgãos mais neoliberais, que se entusiasmam com os planos privatizadores de Henrique Meirelles, se dão conta da fragilidade política do governo e de como ele está composto por um bando dos políticos mais corruptos do Brasil.

  218. Chesterton said

    teclado mais usado pela esquerda

  219. Guatambu said

    Zbig,

    Sim, vc leu corretamente: destruído universidades. A militância não só destroi universidades fisicamente, pichando e destruindo as instalações, carteiras etc, como também destroi as ideias dos alunos, pois não aceita oposição ideológica.

    Meu irmão mais novo é aluno de uma universidade federal. Agora vamos aos fatos da destruição ideológica:

    O Centro Acadêmico foi eleito com 300 votos, em um universo de mais de 3.000 alunos. Isso depois que a chapa vencedora “perdeu” 2 eleições.

    Como assim?

    Explico: a chapa da militância PSOLista e PCBista perdeu para uma chapa sem relação com nenhum partido por 2 vezes. A organização das eleições para o Centro Acadêmico é realizada pela chapa que está atualmente no poder, que também é associada a partidos políticos. Quando a chapa a ser eleita perde, ela embarga o processo dizendo que “não foi democrático”. E nova votação é realizada. Eles fariam isso quantas vezes fossem necessárias até que a chapa que eles quisessem que ganhasse… ganhasse.

    No começo alunos “sem partido” se organizaram para votar, ajudar e comparecer para tentar combater essa chapa. Mas estamos falando de gente que não estuda, que age enquanto os demais alunos estão em aulas e provas. Aos poucos, a militância destrutiva foi vencendo pelo cansaço.

    Na última delas ocorreram fatos mais interessantes ainda:

    1. A votação foi realizada em um estádio que mal acomodava 500 pessoas. Então, 500 de 3.000 já poderia ser uma eleição questionável.
    2. A votação foi realizada em horário e período de PROVAS.
    3. A votação foi organizada por inúmeras pessoas muito mais velhas do que a idade de universitários, muitas das quais vestindo batas da CUT
    4. Chegaram, no dia da votação, 2 ônibus de outras 2 instituições de ensino, que, curiosamente, estavam presentes no estádio
    5. A votação foi realizada via “visual”: quem quer a Chapa A levanta a mão! quem quer a Chapa B levanta a mão!
    6. Nenhum registro de aluno foi cobrado à entrada do estádio. Nada, nenhum controle.

    Adivinha quem levantou mais mãos?!

    Pois é…

    E aí Zbig? O que o Leandro Karnal diz é verdade até certo ponto: é necessário discutir ideologias. Nesse caso você acha que houve discussão?Houve espaço pra isso? Houve espaço para a democracia?

    Novamente apelo à transparência. Esse tipo de atitude vem sendo tomada há anos em todas as universidades, eu vi isso com meus próprios olhos e à época não pude fazer nada porque não haviam redes sociais, não havia organização, não havia interesse. Hoje isso começa a mudar, e a esquerda está sentindo. Na verdade, está acusando o golpe! huá huá huá!!! Porque a única palavra que a esquerda consegue dizer ultimamente é a palavra golpe.

    Então Zbig, você ainda acha que eu sou contra o debate político nas escolas e universidades? Acho que você não me conhece mesmo Zbig. Na verdade eu sou bem a favor! Mas eu sou a favor do respeito à democracia, acima está uma série de explicações bastante claras de como não há respeito nenhum à democracia.

    Mas, se ainda assim você quer saber o que eu acho sobre o Leandro Karnal?

    Veja essa análise: https://politicasemfiltro.wordpress.com/2016/07/06/a-farsa-que-e-leandro-karnal/

    Não estou fazendo dele as minhas palavras, mas este sujeito sim, analisou o que o tal Leandro disse e não ficou achando lindo e maravilhoso cada palavra que proferiu sem nenhuma crítica.

  220. Guatambu said

    Zbig,

    Vc esqueceu de me responder a pergunta que eu fiz: o que a esquerda tem a oferecer mesmo?

  221. Chesterton said

  222. Chesterton said

    Blog do Noblat – O Globo
    8 h ·
    Frase do dia
    “A autorização para abertura do processo de impeachment de um governo que, além de ter praticado crimes de responsabilidade, era inoperante e envolvido em práticas irregulares, foi o marco da minha gestão, que muito me orgulha e que jamais será esquecido.”
    (Eduardo Cunha, ao renunciar à presidência da Câmara dos Deputados)

  223. Chesterton said

    Rafael Rosset
    1 min ·
    Ano passado o Duvivier já tinha escrito um artigo na FSP afirmando que Cristo era de esquerda, e agora foi o vez do Safatle usar o mesmo espaço pra igualar os professores que doutrinam seus alunos em sala de aula a Sócrates (http://www1.folha.uol.com.br/…/1789468-socrates-em-alagoas.…). Leonardo Sakamoto se esmerou pra afirmar que Jesus Cristo e Karl Marx seriam irmãos gêmeos (http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/…/neste-natal-…/).
    Claro que essas associações tem o condão de transferir os atributos dessas pessoas aos acólitos da ideologia a que se filiam os autores das comparações. Assim, os progressistas como Duvivier, Safatle e Sakamoto seriam, por excelência, livres-pensadores como Sócrates e tolerantes como Cristo.
    Esse pessoal tanto reclama da “polarização”, mas são os primeiros a enxergarem em si próprios as mais elevadas virtudes, e em quem discorda todos os defeitos. Jean Wyllys já comparou Bolsonaro a Hitler, e Luis Nassif popularizou no seu blog a relação entre Joaquim Barbosa, que na época condenava caciques petistas no processo do Mensalão, e um capitão do mato, que capturava escravos fugidos e os devolvia ao senhor de engenho em troca de um prêmio.
    O que eles convenientemente escamoteiam é que Sócrates foi condenado por figurões populistas e demagogos que manobravam as massas, sob a acusação principal de não reconhecer os deuses DO ESTADO, enquanto Cristo foi condenado por uma multidão (“mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram à multidão que pedisse Barrabás e matasse Jesus” – Mateus 27:20) manobrada pela elite farisaica (o próprio termo significa “os separados”) que se cria melhor (mais iluminada) que o comum do povo, mas hipocritamente dizia tomar a defesa desse mesmo povo no Sinédrio.
    Parece-se com alguma ideologia muito em voga hoje no mundo?
    Sócrates ensinava pela maiêutica, fazendo com que o interlocutor alcançasse o conhecimento através de seus próprios processos mentais, sem imposições, e Cristo nunca se valeu de autoridade ou hierarquia para ensinar, mas somente de compaixão e amor.
    Evidentemente é impossível argumentar de maneira válida sendo você um nazista ou senhor de escravos e estando do outro lado alguém intelectualmente comparado a Sócrates e moralmente a Cristo. Daí que sempre que esse conflito ocorreu ao longo do século XX, sendo a esquerda maioria, toda e qualquer oposição acabou sumariamente trucidada.
    Por isso a revolta de todos eles contra projetos como o Escola sem Partido, porque projetos assim interrompem a marcha de obliteração suave de toda oposição ao pensamento único. Notem como a reação deles é sempre violenta – seja o Karnal chamando seus partidários de “direita delirante e absurdamente estúpida”, seja Vagner Freitas convocando a militância a “ir pras ruas entrincheirada, com armas na mão”, seja o Mauro Iasi prometendo “um bom paredão, uma boa espingarda, uma boa bala, uma boa pá e uma boa cova” para todos os conservadores.
    Como é possível dialogar com quem quer, confessadamente, te matar?

  224. Zbigniew said

    Guata,
    Karnal é uma cara sensato. Questão de opinião.

    Existem excessos e jumentos (com todo respeito ao animal) em todos os âmbitos da sociedade. Com certeza teu exemplo não é uma regra. Trabalho com diversos estagiários de nível universitário (várias universidades, inclusive federais) e não se reportam a tais práticas. Aliás, a academia é um lugar de muitas vaidades.

    Acho vc inclinado ao debate, um cara inteligente, mas observo que introjetastes o discurso de uma direita horrorosa, que vê comunismo-socialismo-bolivarianismo cubano-soviético em toda iniciativa de esquerda. Chega a ser hilário mas ao mesmo tempo triste porque acredito em boas ideias em todos os espectros ideológicos. Deveríamos somar para incluir e não dividir e rotular para separar. O preconceito e a discriminação embotam a visão e impedem a pacificação. Não tem como construir uma sociedade justa, livre e solidária nestes termos.

    Esse é o grave problema de nossa direita. Ela é, hoje, a expressão acabada do provincianismo e autoritarismo da nossa sociedade, com um elemento terrível: o entreguismo apátrida mais estúpido e vergonhoso que uma sociedade pode criar. Mas, repito, acredito em bons nomes, bons brasileiros de todos os espectros ideológicos e sei que o pensamento de direita os tem. Embora entenda que o humanismo seja o que de mais elevado já produzimos no âmbito das ideias políticas e a nossa direita esteja a anos-luz desse mesmo pensamento.

  225. Patriarca da Paciência said

    Caro Zbigniew, 224,

    concordo totalmente com o que você diz.

    Veja só o Chesterton. Ainda hoje ele confunde stalinismo com esquerda !

    É impressionante ! E ainda é um grande admirador do Olavão – o sujeito mais obtuso que pode existir !

    Com uma direita assim, os caras não tem a menor chance mesmo em ganhar eleição.

    Só conseguem as coisas através de golpes !

  226. Pedro said

    Aí Chester, pra amenizar a sexta

  227. Chesterton said

    Veja só o Chesterton. Ainda hoje ele confunde stalinismo com esquerda !

    chest- você confunde nazismo com direita.

  228. Chesterton said

    226, Pedro , meu professor o EC. Desde EC WAS HERE, saí do baixo para a guitarra-violão. A questão é que o LP era da minha irmã, e tive que dar um novo para ela.

  229. Chesterton said

    A esquerda não stalinista…

    http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/venezuelanos-terao-12h-para-fazer-compra-na-colombia

  230. Chesterton said

    discurso de todos os governos antes de aumentar os impostos sobre os pobres….

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/3-em-4-brasileiros-acham-justo-que-ricos-paguem-mais-imposto

    São Paulo – 77% dos brasileiros consideram justo cobrar mais impostos de quem ganha mais e cobrar menos de quem ganha menos.

    A opinião varia de acordo com a renda: nas classes A e B, 68% acham isso justo, número que sobre para 80% na classe C e 82% nas classes D e E.

    Os dados são de uma pesquisa feita pelo instituto Ipsos em parceria com a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) entre 29 de abril e 7 de maio em todo o Brasil e com 3 pontos percentuais de margem de erro.

    A insatisfação com a carga tributária e os serviços públicos é geral. 85% acham que o governo não utiliza bem o dinheiro que arrecada e 88% concordam que o brasileiro paga mais impostos do que deveria.

    Em relação à afirmação “os ricos no Brasil não pagam impostos”, surge uma divisão: 45% concordam e 46% discordam. Novamente, a concordância varia de acordo com a classe: vai de 36% nas A e B até 51% nas D e E.

    A progressividade do sistema tributário é uma parte central da discussão sobre como dividir o custo do ajuste econômico sem penalizar os mais pobres. O desafio é fazer isso sem aumentar a carga total ou desestimular o investimento.

    Na pesquisa do Ipsos, 77% concordam que “as empresas não investem no Brasil por causa da alta carga de impostos” e 81% acham que “para gerar emprego, o governo federal tem que reduzir os impostos das empresas”.

    Algumas propostas que têm sido ventiladas por enquanto para aumentar a receita do governo são o aumento das taxas sobre combustíveis e a a volta da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF).

    Segundo a pesquisa, 79% são contra a CPMF e 70% discordam que ela seja necessária para equilibrar os gastos do governo, mas os números esbarram no desconhecimento da questão.

    Um quarto dos brasileiros não tinham sequer ouvido falar do imposto e 37% não sabiam que havia uma proposta para sua volta em discussão no Congresso. O conhecimento sobre a questão é de apenas 41% nas classes D e E e 52% no Nordeste.

  231. Chesterton said

    O OURO DE MOSCOU…

    http://poncheverde.blogspot.com.br/2016/07/escritor-gaucho-josue-guimaraes-era-o.html

  232. Chesterton said

    Nem Lulla aguenta mais a maluca que ele mesmo colocou lá….tsc, tsc, tsc…

    http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/lula-critica-dilma-e-elogia-medidas-economicas-de-temer.html

  233. Guatambu said

    Zbig,

    É claro que eu sou inclinado ao debate! Desde que as bases analíticas para a realização do mesmo estejam claras para os debatedores, senão vira várzea. Vc sabe…

    No entanto, eu acho que você se engana em relação à análise realizada sobre o Karnal e em 2 aspectos em relação a mim, e o mais divertido: vc usa do mesmo expediente do Karnal para opinar sobre mim! Repare o que escreveu: “Acho vc inclinado ao debate, um cara inteligente, mas observo que introjetastes o discurso de uma direita horrorosa” (Zbig)

    Karnal: é questão de ponto de vista Zbig?! Não mesmo! É questão da maneira como ele responde às perguntas que lhe são colocadas. A análise realizada pelo autor do Blog que eu linkei é muito boa e captura exatamente a maneira como ele se comporta.

    Não se preocupe Zbig, se vc ainda assim considera o Karnal um cara sensato apesar de dizer impropriedades que disse, a escolha é sua.

    Agora esclarecendo os 2 pontos em relação a mim:

    1. Eu não me considero de direita, eu me considero liberal e individualista, inclusive do ponto de vista da livre associação. Mas jamais eu seria um conservador. Esse negócio de preservar a moral, os valores, a religião não tem nada a ver com meus valors. Para mim cada um faz o que quer, desde que a lei permita E que não resulte em ameaça à saúde do outro de maneira direta. Isso nada tem a ver com provincianismo, muito menos com autoritarismo, já que a individualização é igual descentralização de poder: o poder nas mãos dos indivíduos e não na mão de um ente supremo que seria o Estado.

    2. O fato de ser liberal não me impede de criticar a esquerda. Aliás, sempre existirão pessoas de esquerda que serão mto boas, por exemplo o Cristovam Buarque, acho que o FHC é um bom esquerdista também (com mtas resssalvas), a Erundina (também com algumas ressalvas)… e assim por diante. Mas acontece, Zbig, que a esquerda está perdendo sua proposta de valor. E veja que a maneira como você me responde só confirma o que eu digo: o que a esquerda tem a oferecer?

    E pergunto novamente: o que a esquerda tem a oferecer?

  234. Chesterton said

    Aqui, mostra para ele o que a esquerda tem a oferecer,fila para comprar comida num pais vizinho. Venezuela.

  235. Chesterton said

    Cadeia para este filho de uma puta

    http://www.oantagonista.com/posts/lula-e-completamente-sigiloso

  236. Pedro said

    # 234

    A que ponto chegou……..

    ……………………

    Pax, hora de descontrair um pouquinho no blog………um novo post vai bem.

  237. Chesterton said

    Como o filho da puta conseguia se eleger…

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/06/mais-de-500-mil-funcionarios-publicos-receberam-bolsa-familia-diz-mpf.html

  238. Chesterton said

  239. Patriarca da Paciência said

  240. Mona, a das antigas said

    Legais, os paralelismos históricos descritos abaixo. No Globo de hoje, por MIGUEL DE ALMEIDA.

    Lula e Stalin, os deuses que falharam
    Leonardo Padura recriou o Brasil clivado por ideologias de apostilas ao contar a história de Trostski e seu algoz, Ramón Mercader

    Em “O homem que amava os cachorros”, o escritor cubano Leonardo Padura reconstrói a atmosfera de perseguição montada por Stalin, nas décadas de 1930-50, a Trostski e seus outros inimigos. A perseguição se dava no nível físico (espiões, policiais, caça-recompensas) e no moral, por meio de mentiras, intrigas, aleivosias e canalhices diversas. Stalin fazia ainda uso de cães intelectuais – em geral gente em busca de glórias efêmeras, como um prêmio ou um elogio – na desconstrução de seus adversários. Não vem à toa a admiração de Hitler pelo regime soviético: o nazismo fará uso de seus vira-latas provocadores (exemplo: a turma que avançou sobre Janaina Paschoal) e Stalin forjará o oportuno Inimigos do Povo (exemplo: a campanha contra ex-petistas como Fernando Gabeira e Luiza Erundina). O nazismo muito deve ao stalinismo (exemplo: Marilena Chauí difundir que Sérgio Moro é filhote do FBI e os SS digitais repercutirem a difamação).

    Padura fornece ao leitor um retrato do clima policialesco criado por Stalin. São creditados nas costas de Trotski, mesmo exilado e banido, o poder de uma hipotética conspiração, a autoria de documentos apócrifos… Tudo balela. Cena construída para distrair os militantes dos reais motivos do desastre econômico perpetrado por Stalin e sua megalomania estatista. Depois, Stalin jamais foi marxista e só foi de esquerda (oportunista) até chegar ao poder (exemplo: nunca antes neste país…). Lá, usurpou o sonho de vários gerações. Muitos deram suas vidas por acreditar estarem defendendo a revolução e ainda lutaram contra o que julgavam ser o jogo da direita (exemplo: fazer vaquinha para pagar a multa do companheiro José Dirceu e depois carregar seu cadáver político, de boca fechada).

    Os paralelos com a história política brasileira atual são assustadores. Padura recriou o Brasil clivado por ideologias de apostilas ao contar a história de Trostski e seu algoz, Ramón Mercader: as falsas informações plantadas na imprensa mundial (os amigos dos cães), os supostos complôs (olha o pré-sal aí, gente), com o objetivo de atiçar na militância ralé (a turminha do Facebook) um ódio contra o ex-dirigente da Revolução Russa, que passa a apupar sua biografia sem entender nada do riscado (exemplo: Trotski caiu ao propor uma plataforma econômica em interação com as forças do mercado. Stalin o satanizou. No poder, depois de ver seu barco estatal afundar, Stalin praticou… a política defendida por Trotski, de braço dado com o capital internacional. Você pode pensar em Dilma/Joaquim Levy e Lula/Henrique Meirelles e não estará errado). Vale lembrar também que a visão econômica de Stalin era identificada como sendo nazinacionalista. Stalin era o sonho de Hitler.

    As mentiras urdidas por Stalin repercutiam facilmente. Os intelectuais se calavam. E quando ousavam… Foi o caso de André Gide, escritor francês e militante de esquerda. Após visitar a convite a União Soviética em 1936, percebeu a arapuca e denunciou o engodo. Afinal, acreditava, era seu dever alertar as forças de esquerda que Stalin era tão-somente um ditador, e nada tinha de progressista (o Brasil não conhece o Brasil…).

    Pobre Gide. Até então, seu homossexualismo não fora um estorvo nas fileiras da Causa. Segundo os stalinistas, como se poderia acreditar num escritor que tinha o hábito de gostar de homens? Era traidor… e gay. Trinta anos depois e milhões de mortes, Kruschev repetiria o mesmo diagnóstico de Gide. Sabe, o que aconteceu? A ficha só caiu em 1989, quase 40 anos depois e outras milhares de mortes.

  241. Patriarca da Paciência said

  242. Guatambu said

    Dizem que a Dilma não vai na cerimônia de abertura das Olimpíadas.

    Deve ser porque ela corre o risco de ser confundida com a pira olímpica, de tão queimada….

  243. Chesterton said

  244. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    O Cunha vive dizendo “sou inocente ! sou Inocente !” Ainda hoje ele falou isso várias vezes em sua defesa.

    Você acredita nisso também ?

    Acho que você acredita. Você acredita que o Olavão seja um grande filósofo !

    Ora vejam só, tanto falaram na tal “cartilha para ensinar crianças a serem bichas” e, agora, a Alemanha fez uma cartilha igual para as escolas de lá:

    http://razoesparaacreditar.com/igualdade/veja-como-a-alemanha-explica-a-homossexualidade-para-as-criancas/

  245. Chesterton said

    Fabio Barreiros
    1 h ·
    Vocês estão lidando com psicopatas, não com adversários de opinião ou de pensamento ou com ladrões comuns. Eles estão no poder de TUDO! Mas, até que vocês sofram para valer as consequências de continuar o que não deve ser continuado, de salvar o que não existe mais – essa tal democracia que existe só na sua cabeça – vocês serão atraídos como moscas são atraídas pela luz violeta. Por enquanto, vocês julgam – e é compreensível que assim julguem – que a histeria acomete a mim que vos alerto, mas de histeria, na realidade, quem sofre são vocês que ainda pensam viver onde não vivem, que estão de algum modo protegidos quando tudo ao redor lhes mostra que não estão. A histeria induzida é assim eficiente: a primeira providência do histérico é negar. Então é isso: vocês estão em estado de negação, a despeito de saber plenamente quem está no comando afinal de todos os aspectos das suas vidas – e não são vocês.

    O colapso da Venezuela não irá acabar com o poder sedutor do socialismo – e há explicações para isso
    por Marian Tupy, segunda-feira, 23 de maio de 2016
    versão para impressão

    Bookmark and Share

    0010715876.jpgTrês anos atrás, um famoso esquerdista americano, David Sirota, escreveu um ensaio para a revista Salon intitulado “O milagre econômico de Hugo Chávez”. Eis um trecho:
    Chávez se tornou o bicho-papão da política americana porque sua defesa aberta e inflexível do socialismo e do redistributivismo não apenas representa uma crítica fundamental à economia neoliberal como também vem gerando resultados inquestionavelmente positivos. … Quando um país adota o socialismo e se esfacela, ele se torna motivo de piada e passa a ser visto como um inofensivo e esquecível exemplo de advertência sobre os perigos de uma economia dirigida pelo governo. Porém, quando um país se torna socialista e sua economia apresenta o grande desempenho exibido pela economia venezuelana, ele não mais se torna motivo de piada — e passa a ser difícil ignorá-lo.

    Já no último domingo, o jornalista Nicholas Casey, do The New York Times, que também é um jornal de esquerda, escreveu um artigo intitulado “Crianças morrendo e nenhum remédio: dentro dos destroçados hospitais venezuelanos”. Eis um trecho:

    Pela manhã, três recém-nascidos já estavam mortos. O dia já havia começado com sua rotina típica: escassez crônica de antibióticos, de soluções intravenosas e até mesmo de alimentos. E então houve um apagão e toda a cidade ficou sem eletricidade, o que desligou os aparelhos respiratórios da sala de maternidade. Os médicos tentaram manter os bebês vivos manualmente, comprimindo ritmicamente seus pequenos peitos com as palmas de suas mãos para tentar mandar ar para seus pequenos pulmões. Quando a noite caiu, mais quatro bebês estavam mortos. … A crise econômica que assola este país explodiu e levou ao total colapso a saúde pública do país, encurtando as vidas de um incontável número de venezuelanos.

    A saúde pública foi apenas uma das áreas destruídas pelas políticas socialistas do governo venezuelano. Atualmente, não há comida, os supermercados são diariamente saqueados, e os venezuelanos estão recorrendo à prática da caçar cachorros, gatos e pombos nas ruas para tentar saciar sua fome (veja os mais recentes relatos aqui).

    Contrariamente à patética previsão feita pelo esquerdista David Sirota, eu não tenho nenhuma intenção de “fazer piada” com a atual situação venezuelana. Tampouco vejo a situação do país como “um inofensivo e esquecível exemplo de advertência sobre os perigos de uma economia dirigida pelo governo”.

    Não creio que crianças morrendo como moscas nos hospitais públicos são motivo de piada. Assim como não faço chacota quando leio sobre os famintos chineses que tiveram de comer seus próprios filhos durante o governo comunista de Mao Tsé-Tung. Também não acho nenhuma graça quando leio sobre as 14,5 milhões de mortes causadas por Stalin e seu Holodomor na Ucrânia. Tampouco caio na gargalhada quando leio sobre como os soldados do Khmer Vermelho, no Camboja comunista, assassinavam crianças com baionetas.

    Muito menos achei qualquer graça quando testemunhei com meus próprios olhos crianças reduzidas à inanição pelo ditador marxista do Zimbábue, Robert Mugabe.

    Com efeito, não há absolutamente nada de engraçado nesse quase incompreensível grau de sofrimento que o socialismo impôs — e segue impondo — aos seres humanos em todos os locais em que foi tentado.

    Por maior que fosse meu eventual prazer em esfregar o nariz de Sirota na inacreditável estupidez que ele escreveu, não teria como eu genuinamente me divertir com isso, pois sei que o mergulho da Venezuela no caos — com sua hiperinflação, suas prateleiras vazias, sua violência fora de controle (com pessoas sendo queimadas vivas nas ruas), e o colapso total dos mais básicos serviços públicos — não será a última vez em que testemunharemos o colapso de uma economia socialista.

    Olhando para o futuro, é seguro prever que mais países irão se recusar a aprender com a história e irão adotar novamente políticas socialistas, ainda que talvez sob outra roupagem e sob outro rótulo. Pior ainda: estou igualmente certo de que, quando isso novamente ocorrer, haverá “idiotas úteis” — para utilizar as palavras de Lênin — como David Sirota, que irão cantar as glórias do socialismo até o momento em que tal país se afundar no mais profundo colapso. E, após o colapso, esses nobres palpiteiros irão simplesmente tirar o time de campo, ignorar tudo o que escreveram, e passarão a parolar eloquentemente sobre outros assuntos.

    O que nos leva a essa importante pergunta: dado que o socialismo sempre fracassou em todos os locais em que foi tentado, por que ainda existem inúmeras pessoas que insistem em lhe tecer glórias e em tentar fazê-lo funcionar?

    A psicologia evolucionária nos fornece uma resposta plausível. De acordo com os professores John Tooby e Leda Cosmides, da Universidade da Califórnia, a mente humana evoluiu dentro de um “ambiente de adaptação evolucionária”, que durou entre 1,6 milhão de anos atrás e 10 mil anos atrás. “A chave para se entender como a mente moderna funciona”, escreve Cosmides, “é perceber que seus circuitos não foram desenhados para resolver os problemas cotidianos dos humanos modernos — eles foram desenhados para resolver os problemas cotidianos de nossos ancestrais, que viviam exclusivamente da caça e da coleta”.

    Em outras palavras, os crânios modernos abrigam mentes da Idade da Pedra.

    Logo, quais são algumas das características dessas mentes da era paleolítica e o que essas características nos dizem a respeito de como entendemos a economia?

    Primeiro, naquela era, nós nos desenvolvemos e evoluímos dentro de grupos pequenos. Conhecíamos uns aos outros e, muito provavelmente, éramos todos parentes. Em um mundo sem especialização, sem divisão do trabalho e sem comércio, os ganhos auferidos por um grupo, “nós”, normalmente se davam à custa de outro grupo, “eles”. Isso torna naturalmente difícil para o ser humano entender e apreciar os ganhos trazidos por atividades econômicas complexas, como o comércio global.
    Segundo, como vários outros animais, nós formamos hierarquias de dominância. E, como outros animais, nós nos ressentimos com aqueles que estão no topo, e por isso formamos coalizões com o intuito de desalojá-los e substituí-los. Nosso ressentimento com hierarquias inclui não somente as hierarquias que geram jogos de soma zero, como as ditaduras — que desviam todos os recursos produzidos para quem está no topo —, como também hierarquias de soma positiva, como as empresas, que melhoram o bem-estar das vidas humanas.
    Terceiro, a “natureza social do arranjo de caçadores e coletores, o fato de que os alimentos se deterioravam e estragavam rapidamente, e a total ausência de privacidade”, escreve Will Wilkinson, significavam que “os benefícios do sucesso individual na caça ou na coleta não podiam ser internalizados pelo indivíduo, pois ele tinha de dividir com todos os outros o seu feito. A inveja em relação aos desproporcionalmente ricos pode ter ajudado … aqueles das camadas mais baixas na hierarquia de dominância a se protegerem de eventuais confiscos feitos por aqueles que eram capazes de acumular poder e chegar ao topo.”
    Colocando sucintamente, os humanos são, por natureza, invejosos, rancorosos, ressentidos e incapazes de compreender — muito menos de apreciar — o sofisticado sistema econômico que surgiu e evoluiu apesar dos — e não por causa dos — nossos melhores esforços em contrário.

    Por essas e outras razões, pessoas como Sirota gostam de fazer pontificações líricas sobre a Venezuela ao mesmo tempo em que ignoram exemplos de genuíno sucesso na economia global. Na própria América Latina, temos o exemplo do Chile. Na década de 1970, o Chile trocou o socialismo pela economia de mercado. Prosperou. Em 1973, que foi o último ano de governo socialista, a renda média per capita do Chile era apenas 37% da renda média per capita da Venezuela. Em 2015, o Chile não apenas já havia ultrapassado com folga a Venezuela, como a renda média per capita da Venezuela era apenas 73% da renda média per capita do Chile. De lá pra cá, a economia chilena expandiu 231%. A da Venezuela encolheu 12%.

    Com alguma sorte, Nicolás Maduro rapidamente será história e as pessoas da Venezuela poderão ter alguma liberdade para consertar seu país devastado. Elas poderiam olhar para o Chile como um exemplo a ser seguido.

    Marian Tupy

  246. Chesterton said

    da série, o socialismo é ótimo..

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2410

    Jamais menospreze a capacidade destruidora do socialismo: a Venezuela, ainda na década de 1970, estava entre os 20 países mais ricos do mundo. Bastou pouco mais de uma década de bolivarianismo para jogar a população do país na mais completa mendicância.
    Tudo começou quando, em sua fome por poder, o falecido Hugo Chávez prometeu redistribuir a riqueza do país para os mais pobres (sempre começa assim). O pai do “socialismo do século XXI”, ao que tudo indica, desconhecia a máxima econômica de que, para que os recursos possam ser redistribuídos para as massas, eles têm antes de ser produzidos.

    E impedir a produção é exatamente aquilo que o socialismo faz.

    A situação começou realmente a degringolar com a destruição da moeda. Quando a moeda perde seu valor, toda a economia se deteriora. Sendo a moeda a metade de toda e qualquer transação econômica, se ela deixa de funcionar, você retorna a um estado de escambo. Ninguém aceita abrir mão de bens — principalmente alimentos e outros produtos essenciais — em troca de uma moeda sem poder de compra nenhum. Escassez e desabastecimentos se tornam a consequência inevitável.

    Uma moeda em contínuo enfraquecimento — que nenhum venezuelano quer portar e que nenhum estrangeiro está disposto a aceitar em troca de dólares (o que inviabiliza importações até mesmo a de produtos básicos e essenciais, como remédios) — e um controle total de preços decretado pelo governo levaram a uma escassez generalizada de bens essenciais na economia.

    Um país tem de ou produzir o que consome ou importar. A produção doméstica praticamente acabou e nenhum estrangeiro aceita trocar dólares por bolívares venezuelanos, o que significa que praticamente não há importações.

    Após 15 anos de revolução bolivariana, a Venezuela está mergulhada na maior crise econômica da sua história. O paraíso socialista criado por Hugo Chávez e aperfeiçoado por seu sucessor Nicolás Maduro vem quebrando paradigmas e alcançando façanhas: já conseguiu gerar escassez e racionamento de papel higiênico, comida, remédios, cerveja, eletricidade e até mesmo água.

    O país está em hiperinflação. Organismos internacionais, em uma projeção conservadora, estimam uma inflação de preços de 720% para este ano.

    E as consequências não estão sendo bonitas.

    Saques, mortes, e cachorros como alimentos

    Não é nenhum exagero dizer que a situação da Venezuela já alcançou um ponto sem retorno. O caos se tornou irreversível.

    Eis uma foto de Caracas na sexta-feira passada:

  247. Chesterton said

  248. Chesterton said

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/07/maduro-anuncia-ocupacao-militar-de-portos-da-venezuela-20160712234503638476.html

    chest- esses militares Patriarco-pata apoia….

  249. Guatambu said

    Chest,

    #243: Huá huá huá!!!

  250. Chesterton said

  251. Chesterton said

    RIO DE JANEIRO – Vamos sentir saudades dela. Onde encontraremos outra tão deliciosamente inepta, magnificamente irresponsável e esplendidamente à vontade no seu sesquipedal despreparo? Ninguém se lhe compara na firmeza com que exerce seu desconhecimento sobre a lógica ou a aritmética mais simples. Ninguém a supera na arte de dizer sandices e, ao corrigir-se, dobrar a meta e dizer mais sandices. E ninguém faz isto num português tão tosco, singelo e de quinta. Refiro-me, claro, à ex-presidente Dilma Rousseff.

    Depois de nos brindar com enunciados inesquecíveis sobre a mandioca, o vento estocado, a mulher sapiens, as pastas de dente que insistem em escapar do dentifrício e o meio ambiente como uma ameaça ao desenvolvimento sustentável, temia-se que seu afastamento nos privasse de novas contribuições ao nonsense. Mas Dilma não falha — é só colocar-se ao alcance de um microfone.

    Sua última façanha está na internet e é facilmente acessível basta digitar “Dilma” e “nuvem”. Ao saber outro dia que as acusações contra ela estão na “nuvem” — uma nova forma de armazenamento incorpóreo e universal de arquivos –, soltou os cachorros em entrevista a um canal de televisão.

    “Pois bem”, rugiu. “Inventam uma história fantástica. Que tá na nuvem. É. Tá na nuvem. Sei lá que nuvem. Sabe, eu não entendi muito bem essa história de nuvem. Tô aqui tentando apurar direitinho. Como é que uma coisa pode estar na nuvem? É muito simples estar na nuvem, não tem de provar. Que nuvem? Onde está a prova?”

    A Dilma tá certa. Essa história de nuvem é mais uma tentativa de golpe contra uma mulher honesta, que fez o diabo para se eleger, digo, sofreu o diabo na ditadura. Quero ver provar. Mas o José Eduardo Cardozo [seu ministro de estimação, advogado e porta-voz] já está vendo isso. Ele vai desmoralizar essa nuvem.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/ruycastro/2016/07/1791119-dilma-na-nuvem.shtml?cmpid=compfb

  252. Pedro said

    Explica pra ela Patriarca….

  253. Chesterton said

  254. Pedro said

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/07/operarios-jogam-curriculos-por-cima-de-tapume-em-disputa-por-emprego.html

    Explica pra eles Dilma….

  255. Patriarca da Paciência said

    Ora vejam só. Pela primeira vez um demitido da óia não acusa o PT pela sua demissão !

    https://contraogolpefascista.wordpress.com/2016/07/13/marco-antonio-villa-e-demitido-da-veja/

  256. Chesterton said

    Por que os trabalhadores fogem dos países com “melhores” leis trabalhistas?
    Por: Leandro Narloch 17/04/2015 às 12:01
    Anterior Próxima
    Quem ataca a regulamentação da terceirização costuma acreditar que as leis trabalhistas garantem direitos, que sem elas os trabalhadores estariam em situação vulnerável e precária. Essas pessoas precisam responder uma pergunta: por que os países com “melhores” leis trabalhistas exportam trabalhadores?
    Ora, se as leis que protegem os empregados têm o efeito esperado, veríamos ingleses migrando para a Espanha e Portugal, onde é quase impossível demitir alguém. Operários dos Estados Unidos, onde não há obrigação de aviso prévio, multa por rescisão de contrato nem férias remuneradas, atravessariam desertos a pé para chegar ao México, onde o custo médio de uma demissão é de 74 semanas de trabalho.
    Mas o que vemos é o contrário: os trabalhadores fogem dos países com leis que os protegem demais. Há quase 200 mil portugueses e espanhóis trabalhando na Inglaterra, onde é muito fácil contratar e demitir. Cerca de 4 milhões de indonésios (segundo o Banco Mundial, um dos países onde é mais caro demitir) trabalham na Malásia, na Austrália e também em Cingapura, onde sequer há uma lei geral de salário mínimo.
    Publicidade

    Considere estes dois grupos de países:
    1. Estados Unidos, Canadá, Austrália, Cingapura, Hong Kong (China), Maldivas, Ilhas Marshall.
    2. Bolívia, Venezuela, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe, Tanzânia, Congo e República Centro Africana
    Quem acredita na mágica das leis trabalhistas diria que elas são mais rígidas nos países do primeiro grupo. Afinal vivem ali os trabalhadores com melhor qualidade de vida no mundo. Na verdade, no grupo 1 estão os sete países que, segundo o Banco Mundial, têm as leis que menos azucrinam os patrões. Já o grupo 2 reúne os sete países que mais protegem os trabalhadores. Na Venezuela, a lei proíbe a demissão de que ganha até um salário mínimo e meio (o que faz funcionários terem medo de serem promovidos, pois os patrões costumam aumentar o salário para então demiti-los).
    Por que multidões de imigrantes decidem ir trabalhar nos Estados Unidos e não na Venezuela?
    Eu arrisco uma explicação: países com leis trabalhistas muito rígidas são geralmente lugares ruins para se fazer negócio. Lucro é considerado pecado; empresários são tidos como vilões. Pouca gente se aventura a investir ou abrir vagas de trabalho em lugares assim. Já os países onde as leis trabalhistas são mais leves costumam ter mais liberdade para empreender, tradição de respeito à propriedade, facilidade para investir e, por causa disso tudo, mais oportunidades para os pobres.
    É a facilidade de fazer negócios, e não um punhado de palavras escritas no papel, que garante direitos aos trabalhadores.
    @lnarloch

  257. Patriarca da Paciência said

    A ridícula lógica Chesterton/Olavão:

    Todos sabem que a Bolívia foi governada séculos por ditaduras de direita, sempre foi de uma pobreza extrema e, finalmente, sob o governo popular de Evo Morales, começou a apresentar alguns índices positivos.

    Todos sabem que a Venezuela vinha apresentando ótimos índices de desenvolvimento e que seus problemas atuais se devem ao preço do petróleo. Caso o petróleo voltasse a 120 dólares o barril, simplesmente, todos os problemas da Venezuela acabariam.

    Apresentar países africanos como exemplo de “socialismo” chega a ser surrealista !

    Só mesmo um discípulo do Olavão para apresentar uma “análise” tão esdrúxula !

  258. Chesterton said

    Todos sabem que a Venezuela vinha apresentando ótimos índices de desenvolvimento e que seus problemas atuais se devem ao preço do petróleo. Caso o petróleo voltasse a 120 dólares o barril, simplesmente, todos os problemas da Venezuela acabariam.

    chest se eu pudesse cobrar 2000 reais a consulta meus problemas acabariam….

    Patriarcopata, você não pode ser tão idiota assim.

  259. Chesterton said

    http://folhacentrosul.com.br/brasil/10787/premio-nobel-de-literatura-fala-ao-mundo-lula-e-a-fonte-de-toda-a-corrupcao-no-brasil

    O mundo conhecendo a verdadeira cara de Lula…

  260. Chesterton said

    A imprensa internacional perdeu as estribeiras…a culpa do atentado terrorista na França é do:
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    TRUMP! oiééééé

  261. Chesterton said

    As esquerdas é que têm um “projeto”. Isso as define. Seja pelo enfrentamento direto, seja tentando construir a hegemonia por outros meios, seus militantes estão sempre cumprindo tarefas de olho num devir redentor. E entendem que seus adversários também se dedicam ao cálculo.

    RA

  262. Chesterton said

    Nós, os “conservadores”, já nos damos por satisfeitos se conseguirmos conservar as instituições neste sábado. Se não der para reformar o homem, que tal consertar o telhado?

    idem

  263. Patriarca da Paciência said

    “Chest se eu pudesse cobrar 2000 reais a consulta meus problemas acabariam….”

    O preço do petróleo ficou por muito tempo entre 100 e 120 dólares o barril.

    Algum dia você pode cobrar 2000 por uma consulta, psicopata discípulo do psicopata Olavão !

  264. Chesterton said

    Sim, sua anta, tem médicos que cobram 2000 por consulta.

    Tua burrice é cósmica!!!!

    O problema do socialismo de extração-de-petroleo é justamemnte achar que não haverá variação no preço, (ainda mais na aurora de uma era sem consumo de petróleo). Lembre-se, Patriarcolóide, a idade da pedra não acabou pela falta de pedras, a idade do óleo não vai acabar por falta de petróleo.

  265. Pedro said

    Burrice cósmica ……kkkkkkk

  266. Patriarca da Paciência said

    Idiota Chesterton,

    se tem algum médico cobrando 2.000 reais por consulta, certamente, é um grande ladrão !

    Há inúmeros médicos bandidos, assim como também há muitos médicos bons !

    E todos os países passam por crises.

    A Alemanha viveu uma grande crise, muito pior do que qualquer outro país !

    Os Estados Unidos viveram uma grande crise, muito pior que qualquer outro país !

    Mas para ti, psicopata, discípulo de psicopata, quem fala a verdade mesmo é o Olavão !

    Por que ainda te respondo ?

    Porque sei que outras pessoas leem meus comentários !

  267. Chesterton said

    Chamem a ambulancia….Patriarcopata surtou.

  268. Chesterton said

    2 mil petistas sem emprego

    Paulo Eduardo Martins
    47 min ·
    Temer demite dois mil petistas. É o governo combatendo o câncer

    Brasil 15.07.16 20:59
    Gerson Camarotti noticia que o Palácio do Planalto iniciou hoje a demissão dos comissionados do governo Dilma.

    “Ao todo, serão atingidos 2.010 cargos de confiança da gestão petista.”

    Um alívio no noticiário das últimas horas.

  269. Chesterton said

    Delicias do welfare state….acabou o dinheiro.

    https://pensabrasil.com/urgente-ministro-da-saude-avisa-que-sus-vai-acabar-vamos-ter-que-repactuar-como-aconteceu-na-grecia/

  270. Chesterton said

  271. Chesterton said

    quando o Patriarca era jovem

  272. Chesterton said

    A corja que domina a política nacional entra em contradição fatal. O motivo legítimo para cobrar impostos é e sempre foi manter a segurança. Sem segurança a arrecadação cai (até porque a base de contribuintes diminui), mas os votos são mantidos com discurso a favor dos predadores, o que perpetua o ciclo vicioso, mais violência, menos arrecadação….mais papo furado para proteger bandidos.

  273. Pedro said

    Calma Chester, na Venezuela fazem pior:

    http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2016/07/crise-na-venezuela-provoca-corrida-por-alimentos-na-fronteira-de-roraima.html

  274. Pedro said

    Viva la Revolución Bolivariana……

  275. Chesterton said

    Pedro, temporariamente salvos por Cunha e Temer, não sei se duramos muito tempo.

  276. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/a-esquerda-e-especialista-em-culpar-a-vitima/

  277. Chesterton said

    Não há solução institucional para os problemas do país, uma vez que as instituições foram feitas para criar a situação em que vivemos……very interesting…..

  278. Pedro said

    É………tem lógica.

    Mas, então devemos modificar as instituições.

  279. Chesterton said

  280. Chesterton said

    http://rodrigoconstantino.com/artigos/xerife-da-uma-licao-moral-jornalista-da-cnn/

    chest- olhem o video

  281. Pedro said

    Olhei.
    Realmente o jornalista levou uma enquadrada legal….

  282. Pedro said

    Chester, conhece?

  283. Chesterton said

    não, vou ver depois.

  284. Chesterton said

    Flavio Morgenstern
    19 min ·
    Pessoas são de esquerda não por estudo, e sim por reducionismo. Toda a esquerda é resumida em obrigar, proibir e tomar dinheiro alheio.

  285. Pedro said

    http://m.extra.globo.com/noticias/viral/dona-do-magazine-luiza-leva-tombo-ao-carregar-tocha-em-sp-queda-ja-a-terceira-registrada-no-revezamento-19751557.html

    Símbolo do final do governo petista, ou praga do Chester?

    :-)

  286. Chesterton said

    282.muito interessante na teoria, mas terá força na politica atual (interrogo)

  287. Chesterton said

    285, sou inocente, mas que simbolismo!

  288. Chesterton said

    https://pensabrasil.com/lula-foi-levado-a-sede-da-pf-em-sp-nessa-madruga-e-imprensa-se-cala/

    chest- será que as rolhas vão saltar das garrafas?

  289. Chesterton said

    http://www.oantagonista.com/posts/urgente-mpf-do-df-denuncia-lula

  290. Chesterton said

    Socialistas caem na real

    Mundo 21.07.16 17:48
    Apesar de todas as arruaças, na Assembleia Nacional e nas ruas, o governo de François Hollande conseguiu passar a nova legislação trabalhista que desengessa a relação entre empregados e empregadores na França.
    Até os socialistas franceses caíram na real.

  291. Chesterton said

    Rafael Rosset
    1 h · São Paulo ·
    O Exército já é a maior empreiteira do país, com 12 mil soldados atuando em obras que vão desde a transposição do São Francisco até a duplicação da BR-101; é o maior formador de atletas, respondendo por 1/3 dos que vão competir sob a bandeira brasileira daqui a uma semana; e vai cuidar da segurança pública durante as Olimpíadas (a.k.a. segurança daqueles cidadãos cujas vidas REALMENTE importam, que chamamos de “turistas estrangeiros”). A melhor pesquisa no Brasil é feita nos institutos militares, e as escolas públicas com melhor desempenho são as militarizadas.
    Já teve intervenção militar, amigo. Você que não notou.

  292. Chesterton said

    Na Europa, a esquerda descobriu que o “almoço grátis” será pago por ela

    chest- cravou esquerda…tomou no fiofó…

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2224

  293. Chesterton said

    “Não queria destruir a presidente Dilma”
    Após a prisão, João Santana admite caixa dois de campanha. “Só não sabia que era dinheiro sujo”
    RUTH DE AQUINO
    22/07/2016 – 18h46 – Atualizado 22/07/2016 18h46
    Compartilhar (807) (0) (0) Assine já!
    O publicitário João Santana queria proteger Dilma Rousseff. Compreensível. Afinal, sua cliente já tinha pago US$ 4,5 milhões por fora a ele, o mago das campanhas enganosas do PT. Seu roteiro na TV havia pintado o Brasil de rosa, azul e o escambau. “Eu que ajudei, de certa forma, a eleição dela, não seria a pessoa que iria destruir a presidente”, disse enfim João Santana em depoimento ao juiz Sergio Moro.

    Por que sua delação a destruiria? Porque apenas começava o processo de impeachment quando o publicitário e sua mulher, Mônica Moura, foram detidos. E porque esses milhões de dólares não eram apenas caixa dois. Tinham sido pagos por um lobista, em conta não declarada na Suíça, e sua origem era criminosa. Os milhões de dólares vinham de propinas em contratos da Petrobras.

    Segundo a Lava Jato, esse pagamento à propaganda política de Dilma foi desviado de um contrato fechado por um estaleiro para construir uma plataforma. Nem vou listar aqui todos os coadjuvantes porque ninguém mais consegue acompanhar o novelo de nomes e números, dignos de uma saga de Gabriel García Márquez. O que importa é: o mago caiu, a mulher do mago também, e ambos mentiram para proteger Dilma e a própria pele. Agora, caíram na real e tentam passar a imagem de bonzinhos e leais.

    Antes de mentir para proteger Dilma, João Santana usou seu talento de publicitário para pintar a presidente como alguém que ela nunca foi, pintar a realidade brasileira de cores que escondessem a cor de burro quando foge e, assim, mentir ao eleitorado. Publicidade sem compromisso com a realidade deveria ser crime. Mas é, não é? Na televisão, o país editado por efeitos especiais é escandaloso. Num Brasil que lê pouco, por falta de instrução e de hábito, e onde o voto é compulsório, a tal propaganda política “gratuita” deveria ser sujeita a um crivo rigoroso para ir ao ar.

    Não se trata de uma caça macarthista aos publicitários. Os clientes mandam, eles fazem. É só isso? Não. No caso de políticos, eles recriam os personagens, os cenários. Eles inventam. Eles convencem. Eles mostram como manipular o voto. Não consigo achar nada disso ético. E, ainda por cima, ganham uma fortuna, em dólares, que escondem fora do país. João Santana se arrepende.

    Embora não tenha admitido conivência com “uma trapaça”, como perguntou Moro, o publicitário agora se penitencia. Receber pagamento no caixa dois ou “por fora” é sim, segundo João Santana após refletir na prisão, um “constrangimento profundo”, “um risco”, “um ato ilegal”. Um crime, não é mesmo? Chamando as coisas pelo nome. Só que era difícil para o PT de Dilma anunciar publicamente quanto estava pagando a seu “construtor de imagem” para vencer a eleição.

    No início, João Santana e a mulher, aquela mesma que sorriu mascando chiclete ao ser presa, em atitude debochada, combinaram dizer aos investigadores que esses milhões de dólares eram de campanhas eleitorais feitas no exterior. Queriam evitar o que chamaram de “um grave problema” para Dilma, a honesta como nunca antes na história. Aquela por quem os militantes cegos botam a mão no fogo, a que não cometeu nenhum crime, a mãe dos deserdados, dos sem-­teto, dos famintos – alguém ainda alardeia isso por convicção, sem ganhar milhões de patrocínio em troca?

    João Santana acha que foi apanhado como bode expiatório. Denuncia a hipocrisia que crucifica a ele e a mulher, num país em que, segundo o publicitário, 98% das campanhas políticas no Brasil usam caixa dois. Por que só o casal está preso por isso? “Eu tinha consciência de uma prática ilegal. Dinheiro sujo, jamais. Caixa dois não é necessariamente caso de corrupção”, disse Santana ao juiz Moro. Na hora de eleição, sem vigilância apropriada, “ou faz a campanha dessa forma ou não se faz”.

    Caixa dois é prática disseminada não só entre políticos, mas em “todas as camadas sociais e dezenas de profissões que recebem por fora”, disse João Santana. Aí sim. É a pura verdade. O publicitário bota o dedo numa ferida gigantesca. “A fila poderia ser fotografada de satélite”, afirmou o ex-mago do PT. “Iria de Brasília a Manaus.” Em campanhas políticas eleitorais, porém, é difícil o caixa dois ser imaculado. João Santana não é iniciante nem ingênuo. Deveria saber desse detalhe ou nem se importar com a origem.

    Oficialmente, o PT pagou R$ 170 milhões em campanhas entre 2006 e 2014. Se pagou milhões de dólares por fora, é porque não podia declarar. Se não podia declarar, é porque era sujo. O desvio do desvio do desvio. Mas Dilma não cometeu nenhum crime. Não sabia de nada. Tampouco sabia Lula, aliás líder, segundo as pesquisas do Datafolha, nas intenções de voto no primeiro turno da eleição presidencial de 2018. Quem será o mago do PT nessa disputa? Foram todos presos. Viraram delatores e traidores.

  294. Pedro said

    # 286

    Também não sei,mas, pelo menos tem alguém tentando fazer diferente…..

  295. Pedro said

    Cadê o resto dos “colegas de trabalho” do blog?

    Estão todos com depressão?

    Vamos lá gente a vida continua, vamos sobreviver……

  296. Chesterton said

    295…tomaram tanto remédio que não saem da cama….

  297. Guatambu said

    Fatos que estou acompanhando:

    – Verizon comprou Yahoo! por $4,8 bi
    – Meireles dando aquele empurrãozinho em direção à flexibilização das leis constitucionais que o Elias dizia que faziam a carga tributária aumentar e jogando pra galera (leia-se, para os deputados). Se eu fosse do MBL meteria pressão nessa turma pra aprovar! hehehehehe
    – O facebook do Ivan Valente tá hilário: achando bonito que a Erundina chamou a Marta Suplicy de traidora e o Dória de coxinha.
    – O Eduardo Suplicy sendo preso e mandando um fogo amigo contra o Haddad. Porra! 3 anos depois o Haddad não fez nada pelas pessoas… talvez ele tivesse muito ocupado fazendo ciclofaixas em vez de se preocupar com as habitações pra essse povo…

  298. Pedro said

    Suplicy é primeiro petista preso por fazer coisa boa em décadas e partido comemora

    Suplicy foi detido e levado para ao 75º DP. Durante a triagem, um sargento se confundiu ao saber que o camburão trazia um petista.

    “Manda para Curitiba, é com eles lá”, teria dito o sargento. Ao ser esclarecido que se tratava de Eduardo Suplicy, preso num protesto de cunho social, os policiais não souberam o que fazer.

    Um coronel ligou para o pai, ex-militar, para saber o que fazer com presos do PT que não foram presos por corrupção. O pai do coronel, que participou da prisão de Lula na Ditadura, “deu algumas ideias”, mas não dava para colocar em prática, disse uma fonte.

    No diretório do PT em São Paulo, a notícia foi recebida com festa. “É o primeiro petista a ser preso agindo de acordo com os princípios da fundação do partido desde os anos 80”, comemorou o presidente Rui Falcão. “Não me lembro a última vez que um petista foi preso por defender um pobre.” Perguntado se o partido disponibilizaria advogados para Suplicy, Falcão retrucou: “Infelizmente, só conseguimos liberar advogado quando os 10% de propina do crime deixaram mais de 1 milhão nos cofres do partido. Regras são regras.”

    *Sensacionalista

  299. Chesterton said

    No Facebook, onde não se ve mais petista, todo mundo reclamando que acabou a graça….não tem mais esquerdopata para sacanear.

  300. Chesterton said

    olha aqui Pedro

  301. Chesterton said

    essa é para o Patriarcopata (que fica espiando e não tem coragem de falar mais porra nenhuma)

    http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/07/27/na-venezuela-criancas-relatam-fome-e-falta-de-alimentos-atraves-de-desenhos.htm?cmpid=fb-uolnot

  302. Pedro said

    # 300

    Não conhecia.
    Desceu redondo….

  303. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/07/1796366-lula-recorre-a-onu-contra-juiz-sergio-moro.shtml

    chest- vai acabar no manicomio judiciário…

  304. Pedro said

    Pois é, o Patriarca era diversão garantida.
    Que fim triste:

    http://tvig.ig.com.br/variedades/homem-morre-eletrocutado-durante-o-discurso-de-dilma-em-aracaju-5798b8d87bda337da70002e4.html

    Este pessoal que defende a Dilma perdeu a noção :-/

  305. Chesterton said

    Que pena, Patriarca era um desmiolado, mas não era um canalha……

  306. Chesterton said

    Réu, Lula entra na faxina da era PT como detrito

    Josias de Souza 29/07/2016

    chest- nem PAX força para reagir.

  307. Chesterton said

    Claro que se o preço do petroleo duplicasse, seus problemas estariam resolvidos…

    http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,escassez-de-alimentos-na-venezuela-aumenta-o-numero-de-casos-de-desnutricao-infantil,10000065702

    chest- não seria melhor deixar as pessoas criarem galinhas e plantarem batatas, hein…

  308. Chesterton said

    Vem cá, Pax, os problemas éticos do país acabaram como afastamento da Dilma e futura prisão de Lulla?

  309. Pedro said

    Pois é, cadê o Pax?

  310. Guatambu said

    A esquerda tende a se esconder e ficar silenciosa quando apanha vergonhosamente…

  311. Chesterton said

    http://www.implicante.org/blog/ditadura-da-venezuela-decreta-trabalho-escravo-e-a-esquerda-brasileira-fica-em-silencio?utm_content=bufferfb7c6&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

    chest- ah, mas içu naum eh socialismu….

  312. Guatambu said

    Chest,

    Eu venho dizendo isso há tempos: a internet vai acabar com a esquerda.

    Aliás, esse negócio de direita e esquerda está morrendo e está sendo unificado basicamente em conservadorismo e liberalismo, e cada vez mais associado à economia… então…

    Mas de qualquer modo o estatismo está ameaçado, e isso que importa.

  313. Chesterton said

    Guat, é mesmo, mas só porque a internet não deixa mentir. Mas ainda é um “long way to go”, democracias não conseguem sobreviver em regiões onde o QI médio é inferior a 80. A luta não acabou.

  314. Pedro said

    Torci um monte pra dar tudo certo na abertura.
    Algumas críticas, nenhuma cagada grande.
    Beleza.
    Pode ser ingenuidade minha, mas acho que é bom pro país, consequentemente pra todos.
    Agora o odebrecht detona o Temer.

    Como diz o Chester, este PT arruma cada vice….. :-)

  315. Chesterton said

    Pax em estado de depressão, temos que auxiliar.

  316. Pedro said

    Chester o Patriarca mandou esta pro Olavo filósofo. .
    Pink floyd está na conspiração pra destruir o cristianismo

  317. Chesterton said

    Um clip sobre bestialismo?

  318. Pedro said

    Mais ou menos……..o Patriarca não anda bem da cabeça.

  319. Pedro said

    De inocenta ela não tem nada.

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/08/07/joao-santana-agora-e-o-desconstrutor-de-dilma/

  320. Chesterton said

    http://selvabrasilis.blogspot.com/2016/08/geracao-neymarra-e-o-lulo-petismo-no.html

  321. Chesterton said

    http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/5412122/lula-enganou-mundo-diz-jornal-americano-wall-street-journal?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=twmercados

    chest- Lulla, como sempre disse, é o novo Ponzi.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: